Home / Plantas / Flor de Lavanda: Significado no Casamento

Flor de Lavanda: Significado no Casamento

Aprenda Mais Sobre a Lavanda

As lavandas são flores perfumadas que possuem tons da cor lilás até o azul escuro com algumas exceções como lavandas rosadas, amareladas, ou brancas.

Há muitas espécies de lavandas e cada uma possui mais de um apelido, algumas até mesmo compartilham do mesmo apelido.

A lavanda tem sua origem no Mediterrâneo, onde desde sempre foi apreciada por todos, devido a seu perfume maravilhoso, e foi assim que surgiu o seu nome, já que lavanda vem de “lavare” que significa “lavar” no latim,  recebendo esse nome porque a lavanda ficou muito popular como artigo de banho pelos romanos, e nessa época já era usada como perfume para as roupas lavadas também.

Antes de receber esse nome era chamada de “Nardos”, “Nardo” ou “Spicanardo”, pelos egípcios e gregos, pois os egípcios foram o primeiro povo a fazer uso das flores, e eles as usavam para perfumar os faraós na mumificação.

Os gregos fizeram o primeiro registro das propriedades medicinais dessa flor.

A lavanda com maior qualidade de seus óleos essenciais é a Lavanda-inglesa (Lavandula angustifolia) é a lavanda mais famosa devido aos seus efeitos calmantes.

As pessoas tendem a confundir as lavandas entre elas, mas deve se prestar atenção às lavandas com efeitos completamente contrários, e por isso deve-se ter muita distinção entre as espécies se desejar fazer uso de suas propriedades medicinais.

Significados da Lavanda no Casamento

A lavanda possui diversos significados nos casamentos, sendo uma flor muito indicada para enfeitar uma festa, além de sua beleza lilás, o aroma maravilhoso da lavanda enfeitaria o local de outra maneira além da visual.

A lavanda vai se tornando cada vez mais popular nos casamentos, principalmente em casamentos vintage, os “mini-weddings” e casamentos ao ar-livre.

Você pode encontrar diversos significados para a lavanda nos casamentos, significados nos buquês, na decoração e outros.

Os buquês tiveram sua origem na Grécia Antiga, em uma época na qual os buquês eram feitos de ervas e alho para atrair bons fluídos e afastar “mau-olhado”.

Já na idade média, as noivas faziam a trajetória até a igreja andando, e no caminho elas recebiam flores, ervas e temperos, sendo uma forma de desejar sorte e felicidade à noiva, pois quando ela chegava na igreja ela tinha um buquê formado, e foi na Europa que os arranjos ficaram mais sofisticados, usando flores raras.

Na época Vitoriana, era impróprio declarar os próprios sentimentos abertamente, então criou-se a linguagem das flores, onde as flores dos buquês passaram a ser escolhidos para passar uma mensagem.

A lavanda recebia o significado de “calma”, mas com o passar do tempo outros significados foram atribuídos à flor de lavanda, e um deles foi a de “desconfiança”, mas também significou equilíbrio, paz e conforto.

Lavender Marriage: Conheça Mais Sobre a Lavanda-Casamento

Lavender Marriage
Lavender Marriage

Nos Estados Unidos, Lavander marriage (casamento lavanda; lavanda-casamento) é o termo usado para definir um casamento de conveniência entre um homem e uma mulher onde um ou os dois eram, na verdade, homossexuais.

Esse termo foi muito usado no início de 1920, e era comum atores de Hollywood se casarem ou criarem relações de faixada para esconder a orientação sexual de um deles ou de ambos.

Antes da Segunda Guerra Mundial, as atitudes  públicas impediam uma pessoa que se assumisse como homossexual de manter uma carreira pública, foi então que o termo lavender marriage voltou a uso, e em 1895 está registrado um dos usos mais antigos desse termo em um momento onde se ligava cores a homossexualidade.

Nos anos 20 se criou cláusulas de moralidade nos contratos dos atores de Hollywood, onde os atores homossexuais não declarados recorreram a esses tipos de casamentos para proteger suas imagens e preservar suas carreiras.

Um exemplo que mostra a situação em que os artistas da época se encontravam foi a carreira de William Haines, que se negou a terminar o relacionamento que possuía com Jimmy Shields e por isso teve sua carreira encerrada de forma súbita aos 35 anos de idade.

As cláusulas de moralidade deixaram de fazer parte da vida dos atores de Hollywood há muito tempo, porém atualmente ainda existem relacionamentos por conveniência; são raros, mas existem e atualmente são chamados de “Bearding”.

As Lavandas Pelo Mundo

Foram os Árabes que levaram a lavanda até a Europa, chegando primeiro na França, Portugal e Espanha, no século XVI.

A lavanda ganhou difusão ampla pelo mundo devido ao aumento na popularidade das artes da destilação e perfumaria, levando a lavanda para diversos países como: EUA, Japão, Rússia, Tanzânia, Indonésia.

Hoje a França é o maior produtor de Lavanda do mundo, e é casa oficial da Lavandula angustifolia.

Porém, a lavanda mais antiga na França é a Lavanda stoechas, que cresce de maneira selvagem na região.

Durante a renascença no século XVI, a realeza Inglesa fomentou o mercado de perfumes e isso popularizou o uso de cosméticos e dos óleos, e isso fez surgir as “Lavander farms” (fazendas de lavanda).

As principais fazendas ficavam em Mitcham (Distrito ao sul de Londres) e no condado de Surrey, mas a urbanização dessas áreas afastou a plantação para a região de Norfolk.

Nos anos 1930, Lineau Chilvers tentou recuperar o comércio da lavanda que estava degradado, então ele escolheu a cidade de Norfolk para realizar seus trabalhos, e em vários anos de pesquisa ele encontrou as melhores espécies para o cultivo na área. Ele foi o responsável por introduzir mais de 100 espécies na região.

Os japoneses também tem interesse nessa flor tão conhecida, porém, diferente do resto do mundo, eles possuem mais interesse na flor do que no óleo essencial, pois o resto do mundo tem muito mais interesse nos cosméticos e óleos essenciais que podem ser extraídos da lavanda, em parte pelas suas propriedades medicinais que são tão famosas.

As principais concentrações de lavanda no Japão, ficam em Hokkaido (ilha mais ao norte do Japão).

Veja também

Arroz Selvagem: Pipoca, Calorias: Combina Com o Que?

O arroz selvagem pertence a um gênero de plantas monocotiledôneas da família do poaceae (a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *