Home / Plantas / Como Fazer Óleo de Alecrim Prensado a Frio e Desidratado?

Como Fazer Óleo de Alecrim Prensado a Frio e Desidratado?

O alecrim (Rosmarinus officinalis), pertence à família Lamiaceae, a mesma do orégano, menta e lavanda. É conhecido também como alecrim-da-horta e é utilizado há séculos na medicina alternativa e na gastronomia. De origem mediterrânea é servido como chá e muito utilizado como remédio natural para problemas e desconfortos no corpo e na saúde.

Embora existam muitos métodos para extraí-lo, a garantia para um óleo 100% puro e natural é obtida somente com a prensagem a frio, método de extração que respeita e tem comprometimento com nossa saúde.

Antigamente os óleos comestíveis, em especial os óleos ricos em ácido graxos poli-insaturados, eram feitos por meio de matéria prima a frio, o que conservava suas propriedades nutritivas.  Mas devido ao alto grau de saturação, deixaram de ser comercializados pois oxidavam-se muito rápido.

Hoje as indústrias melhoraram a estabilidade e a durabilidade dos óleos unindo a prensagem a solventes químicos que retiram do óleo, permitindo um rendimento maior. Durante a refinação são feitas diversas operações, como a hidrogenação, que forma novos ácidos saturados e insaturados que se diferenciam dos originais.

Mas o método mais utilizado ainda é o refino, embora com esse método não extraiam um óleo puro e funcional. Durante o processo a matéria prima é aquecida e recebe solventes químicos para facilitar a extração, que é misturada com óleos refinados para deixar o produto mais barato, o que compromete  sua funcionalidade.

Método de Prensagem a Frio (Cod Process)

Trata-se de um método de extração de óleo muito lento e de pouco rendimento, mas é o único método que mantém suas propriedades funcionais preservadas, sem adicionar nenhum aditivo. Consiste em moer a matéria prima forçando o óleo a sair. Além das prensas comerciais, já existem prensas menores para uso doméstico. As folhinhas são destacadas do caule e colocadas no interior de um cilindro onde existe uma rosca que tem a finalidade de moer e esmagar as folhas num sistema de compressão. O óleo vai saindo por pequenos furos do cilindro e depositados em outro recipiente. A fricção da rosca com as folhas gera um mínimo de calor que não prejudica o óleo. Toda ação é monitorada de perto para que a temperatura não aumente muito, pois se ultrapassar 60 graus centígrados, não preservará as propriedades naturais das folhinhas.

O óleo prensado a frio é considerado alimento funcional por ser puro e rico em ômega (tipos de ácidos graxos essenciais que as células de nosso corpo precisam para se manter em bom funcionamento). Não são levados a temperatura altas, não são feitos com matéria prima reutilizada e não possuem aditivos químicos. De cada cinco quilos de matéria prima é extraído apenas um litro de óleo essencial de alecrim.

Método de Desidratação

O óleo de alecrim pode ser obtido em casa por dois processos: por desidratação ou aquecimento.  O segundo não é muito indicado, pois deve ser usado no prazo de uma semana, senão fica rançoso.

Já o método por desidratação permite que o óleo dure mais tempo, mesmo fora da geladeira. Para prepará-lo deve-se usar ramos de alecrim secos. Para que eles desidratem de forma correta, sem qualquer tipo de impureza, basta colher seis a oito ramos do mesmo tamanho, uni-los pelos pezinhos com um barbante ou elástico e colocar para secar pendurados em uma lavanderia ou varanda onde circule ar, sempre protegidos por um saco de papel. O saco deve ter vários furos para permitir a entrada de ar. O alecrim leva cerca de uma semana para desidratar. Aí é só colar dois a três ramos em um pote ou jarra de vidro e adicionar 500 ml do óleo de sua preferência, que pode ser azeite, de coco ou de amêndoa. Tampa-se deixa-se ao sol por aproximadamente duas semanas para acelerar a infusão, que é muito lenta.

Como é Utilizado o Alecrim?

A forma mais comum de ser utilizado é como chá. Tanto o aroma quanto o sabor agradam muito. Mas é utilizado também em forma de  óleo essencial, extrato e pó.

Chá de Alecrim

Utilidades:

  • É conservante em cosméticos e alimentos
  • Usado como condimento em alimentos
  • Induz o crescimento capilar
  • Atua como relaxante muscular
  • Age no desempenho da memória
  • Controla a depressão e a ansiedade
  • Melhora a digestão

Benefícios do Alecrim

  • Na saúde – A presença de compostos químicos remete a ações farmacológicas, antioxidantes e relaxantes. As substâncias que contém ativam a circulação periférica e funcionam como anti-inflamatórios. O extrato de alecrim inibe a replicação de células cancerígenas e otimizam a memória.
  • Na cozinha – Não existe contraindicações para o consumo do óleo de alecrim caseiro, mas recomenda-se o uso do óleo essencial, que concentra totalmente os princípios ativos do alecrim e pode trazer benefícios terapêuticos.
  • Nos cabelos – para tratar cabelos oleosos deve-se usar o óleo essencial, que tem ação anticaspa e serve como tônico capilar. Pode ser misturado a xampus e condicionares para dar mais brilho aos fios.Na pele – devido às propriedades antioxidantes, estimulantes e anti-inflamatórias, melhora a aparência da pele. Também o chá de alecrim colocado sobre eczemas aumenta o efeito anti-inflamatório e o fluxo sanguíneo.
  • No sangue – possui propriedades anticoagulantes similares à da aspirina que estimulam o sistema circulatório, melhorando o fluxo sanguíneo e a capacidade do corpo de oxigenação nas suas extremidades e age na  auto manutenção do organismo.

  • Na memória – o ácido carnósico e outros compostos antioxidantes encontrados no alecrim protegem os neurônios de substâncias nocivas, contribuindo com a função cognitiva e estímulo da memória.
  • No câncer – O chá de alecrim neutraliza os radicais livres que podem causar mutação celular e câncer.
  • Na digestão –O chá de alecrim possui propriedades antiespasmódicas  e carminativas que combatem cãibras, constipação, inchaço e indigestão. Com a absorção de seus nutrientes alivia inflamações no intestino.
  • No corpo – O ácido carnósico reduz o nível de ácido nítrico que pode causar inflamações no corpo.

Contraindicações do Alecrim

  • Alto nível de consumo pode torná-lo tóxico.
  • Em contato com alecrim algumas pessoas podem ter irritações na pele.
  • Seu consumo é associado ao aborto.
  • Pode ter efeito diurético, aumentar o risco de desidratação e alterar a quantidade de lítio no corpo, até chegar a níveis tóxicos.
  • Em doses muito elevadas pode causar distúrbios gastrointestinais e nefrite.

 

Veja também

Como Plantar Vinca em Vaso em Casa?

A vinca-de-madagascar ou simplesmente vinca (nome científico Caranthus roseus) é um vegetal de fácil propagação, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *