Home / Natureza / Pragas e Doenças da Pitaya

Pragas e Doenças da Pitaya

A pitaya, ou pitaia, é um fruta comestível, também chamada de Fruta-do-Dragão ao redor do mundo, e em território nacional existem alguns nomes regionais que irão variar de acordo com a cor da fruta, tal como pitaia-branca, pitaia-amarela e pitaia-vermelha.

A pitaya é uma planta resistente, pois é uma espécie de cacto, que são plantas altamente resistentes à intempéries, sendo elas do gêneros Stenocereus ou do gênero Hylocereus.

Entretanto, apesar da resistência à fatores abióticos, a pitaya ainda sofre bastante com pragas e doenças que assolam algumas plantações ao redor do mundo, mas por outro lado, a prevenção dessas doenças e pragas é fácil de ser feita, além da pitaya ser uma planta que cresce a partir de seus próprios talos, mesmo sendo de uma planta que fora atacada por pragas e doenças.

Cuidados e medidas precisam ser tomados com frequência, se a intenção é evitar que a pitaya venha a sofrer com pragas e doenças, e quanto maior for o plantio, mais observação necessita ser feita, já que as pragas e doenças podem se alastrar facilmente.

A forma mais prática de evitar que pragas e doenças ataquem a pitaya, é fazer com que o solo para plantação seja previamente planejado, com espaçamento, sombreamento e elevação ideal para garantir o melhor desempenho da planta.

Cupim, uma Grande Praga para os Pés de Pitaya

Uma das causas mais comuns de praga que assolam plantações de pitaya, é o chamado cupim, que no verão, principalmente, se instala no caule da planta da pitaya e a mata dentro de poucos dias, onde há a necessidade de remover o talo saudável para replantação.

É possível, ainda, usar o mesmo local em que a pitaya fora atacada, mas para isso, há a necessidade de eliminar qualquer foco possível de cupim, através de inseticidas, e depois que houver uma adubação correta do solo, a pitaya pode ser replantada.

Os cupins preferem climas úmidos e quentes, e no verão se tornam pragas, principalmente se a pitaya estiver apoiada num palanque de madeira, pois o tempo fará com que tal palanque seja um ninho gigante de cupins. O ideal é instalar palanques de concreto para a pitaya crescer e se apoiar.

Além da sustentação, o local em que as pitayas devem crescer precisa ser arejado, mas não úmido, pois a água é fatal para a pitaya, trazendo muitas pragas, doenças e ácaros que comem os brotos, botões e folhas da pitaya.

A pitaya precisa ser plantada numa elevação superior no chão, para evitar com que a água fique depositada no sopé, pois assim a mesma não irá morrer pela falta de oxigênio proporcionado por acúmulo de água.

Conheça Algumas das Principais Doenças que Assolam O Pé de Pitaya

Algumas bactérias e fungos possuem grande interesse nas pitayas, atacando-as independente de estação, pois as mesmas se procriam através de alguns fatores proporcionados pela falta de cuidado com a planta.

Todos os agricultores reconhecem que é impossível cuidar de plantações de hectares de pitayas, e por esse fato, precisam realizar o controle para que algumas pragas e doenças não se espalhem pela plantação.

Uma espécie de bactéria muito comum presente nas pitayas doentes, é a Xanthomonas campestris, e algumas de suas variações:

  • Xanthomonas campestris pv. armoraciae
  • Xanthomonas campestris pv. begoniae A
  • Xanthomonas campestris pv. begoniae B
  • Xanthomonas campestris pv. campestris
  • Xanthomonas campestris pv. cannabis
  • Xanthomonas campestris pv. carota
  • Xanthomonas campestris pv. corylina
  • Xanthomonas campestris pv. dieffenbachiae
  • Xanthomonas campestris pv. glycines
  • Xanthomonas campestris pv. graminis
  • Xanthomonas campestris pv. hederae
  • Xanthomonas campestris pv. hyacinthi
  • Xanthomonas campestris pv. juglandis
  • Xanthomonas campestris pv. malvacearum ou Xanthomonas citri subsp. malvacearum
  • Xanthomonas campestris pv. musacearum
  • Xanthomonas campestris pv. mangenifereae indicae
  • Xanthomonas campestris pv. mori
  • Xanthomonas campestris pv. nigromaculans
  • Xanthomonas campestris pv. pelargonii
  • Xanthomonas campestris pv. phaseoli
  • Xanthomonas campestris pv. poinsettiicola
  • Xanthomonas campestris pv. prunii
  • Xanthomonas campestris pv. raphani
  • Xanthomonas campestris pv. sesami
  • Xanthomonas campestris pv. tardicrescens
  • Xanthomonas campestris pv. translucens
  • Xanthomonas campestris pv; vesicatori
  • Xanthomonas campestris pv. vitícola

Essas variações causam doenças visíveis ao pé de pitaya, podendo ser facilmente identificada e removida. Quando a doença ataca a parte de baixo da pitaya, é possível preservar apenas o “osso” da pitaya, que é a parte de dentro, que dificilmente sofre com agentes bactericidas.

Se, acaso, a doença parecer na folhagem superior, será necessário fazer a remoção da folha infecionada, para que a doença não se espalhe para as outras folhas.

Pectobacterium Carotovorum
Pectobacterium Carotovorum

Bactérias como a Pectobacterium carotovorum e Erwini caratovora também atuam na pitaya, apodrecendo seus caules através de moléculas que separam as células da planta.

Além dessas, existe a Fusarium oxysporum, que é um fungo que atua impedindo que a água se entremeie pelas veias da planta, levando-as à falta de oxigênio e desidratação. Não obstante, é possível que a pitaya seja contaminada pela Pantoea genus, e suas variedades:

  • Pantoea agglomerans
  • Pantoea allii
  • Pantoea ananatis
  • Pantoea anthophila
  • Pantoea deleyi
  • Pantoea dispersa
  • Pantoea eucalyptii
  • Pantoea stewartii

Esse tipo de bactéria causa hipersensibilidade à pitaya, o que pode deixa-la altamente vulnerável à queimada através de geadas e insolações.

Formas de Prevenir e Tratar a Pitaya Doente

Uma das dicas que os agricultores passam, é fazer uso da calda bordalesa na plantação, assim como no solo preparado com adubação orgânica.

É indicado, também, que o solo seja envenenado levemente para dissipação de pragas, e que depois venha a ser tratado para se tornar apto ao crescimento das plantas.

Se a pitaya apresentar um bom aspecto verde, mas lá na parte de baixo, no contato com a terra, a mesma estiver amarelando, significa que o cupim está comendo a mesma, e nesse momento é necessário remover a parte podre e replantar, e aquela parte do solo deve ser tratada com inseticidas e depois o solo deve ser readubado, para voltar a ser fértil.

Lembre-se que apesar da pitaya ser um tipo de cacto, a mesma não exige tanta água, e por isso é essencial que não haja muita umidade, e que o solo seja mais elevado, pois assim sempre se encontrará seco e menos baterias terão a chance de se proliferar.

 

Veja também

Mangostão, Benefícios e Malefícios Da Fruta

A fruta Mangostão já mencionada nos posts deste site, é proveniente de uma planta exótica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *