Home / Natureza / Partes De Um Vulcão

Partes De Um Vulcão

As principais partes de um vulcão são: cone, cratera, chaminé, respiradouro e caldeira. Juntas, elas ajudam a compor um dos mecanismos mais complexos e violentos já produzidos pela natureza.

De maneira resumida, podemos definir um vulcão como uma elevação ou montanha com abertura suficiente para deixar escapar um material derretido a temperaturas elevadíssimas do interior da terra.

Como se sabe, a superfície terrestre é formada, entre outras coisas, por placas tectônicas (espécies de secções da sua crosta). A depender da intensidade com que elas colidem, é possível que ocorram falhas, por onde esse material incandescente (magma ou lava) passará, até escapar pela sua abertura.

A terra é o resultado de bilhões de anos de evolução. De uma imensa bola de fogo, ela tornou-se o lar de milhares de espécies de seres vivos. Porém esses vestígios incandescentes do seu passado remoto ainda estão lá, no seu centro, silenciosamente, e ameaçadoramente aguardando a oportunidade de virem à tona.

E eles vêm, em forma de lava, sempre que há perturbações na crosta terrestre – sempre que as placas tectônicas, colidem, roçam-se ou sobrepõem-se.

Estas lavas podem ser interrompidas em seu percurso, e simplesmente transformarem-se em novas formações geológicas pelo caminho, ou então libertarem-se, vigorosamente, pela abertura das rochas, em um espetáculo aterrador de cores, sons e temperaturas que podem atingir facilmente os 1.100°C

De acordo com especialistas, a erupção de um vulcão pode ser explosiva ou em derramamentos constantes, a depender da quantidade de sílica e gases na lava, que aumenta a sua viscosidade e, consequentemente, o seu potencial explosivo.

Porém, em caso contrário, o fenômeno se dá mesmo na forma de constantes derramamentos de uma lava com potencial de destruição difícil de mensurar.

Mas um vulcão é composto por várias partes que, em perfeito funcionamento, produzem essas suas terríveis consequências. E entre as principais, estão:

1.Cone ou Torre Vulcânica

A Torre do Diabo é um Vulcão Cilindríco com 275 metros de Altura, Localizado na Região Nordeste do Estado de Wyoming, nos Estados Unidos.
A Torre do Diabo é um Vulcão Cilindríco com 275 metros de Altura, Localizado na Região Nordeste do Estado de Wyoming, nos Estados Unidos.

O cone é a montanha propriamente dita, formada, na maioria das vezes, após milhões e milhões de anos de derramamento de lava, suficiente para modelar uma estrutura rochosa como essa no local.

Juntamente com cinzas, fragmentos, pedras e demais sólidos acumulados, forma-se um acidente geográfico em forma de um cone com abertura no topo.

2.Cratera

Cratera Vulcânica de Santa Ana em El Salvador, Com Mais de 2.381 Metros de Altura
Cratera Vulcânica de Santa Ana em El Salvador, Com Mais de 2.381 Metros de Altura

Uma outra parte essencial de um vulcão é a sua cratera. Esta pode ser comparada a uma boca, com um tamanho que varia de acordo com o tamanho da montanha, e formada a partir dos sucessivos golpes de materiais incandescentes expelidos do interior da terra.

Quando o vulcão não está em atividade, essa cratera poderá conter um lago e servir como ponto turístico em várias regiões do planeta

3.Chaminé

A chaminé é uma parte do vulcão também conhecida como conduto. Como o seu nome leva a crer, é uma espécie de tubo que atravessa todo o interior da montanha, como uma ligação entre a câmara onde é produzido o magma e a saída.

Aparelho Vulcânico
Aparelho Vulcânico

A sua largura e formato também ajudam a determinar a intensidade das erupções. Chaminés com aberturas maiores ou laterais (tubos secundários) costumam dar vazão a quantidades bem maiores do material e, consequentemente, tornam o evento bem mais devastador e agressivo.

4.Caldeira ou Câmara Magmática

Mais do que uma simples parte de um vulcão, a câmara magmática é a “estrela principal” desse evento. Ela é o caldeirão, onde, lentamente, as rochas vão sendo cozidas ou fundidas, pacientemente, numa região do interior da terra conhecida como “manto”.

Câmara Magmática
Câmara Magmática

Tal é a pressão exercida por essa câmara (a depender da região geográfica em que esteja o vulcão), que frequentemente são formadas novas fissuras ou fraturas, responsáveis por ampliar, ainda mais, o ser poder destruidor.

Quando composto por sílica (ou outros gases), o magma, ali formado, adquire uma capacidade explosiva, contra a qual as paredes e o teto da câmara não conseguem opor qualquer resistência.

Principais Manifestações Vulcânicas

Lava

A lava é tão somente o magma quando ele encontra-se visível do lado de fora do vulcão. Ela pode ser lançada por meio de terríveis explosões (quando possui grandes quantidades de sílica) ou apenas como um derramamento.

Em ambos os casos, a lava, quando já endurecida, pode produzir montanhas imensas ou, simplesmente, ajudar na composição do entorno das mesmas.

Com uma temperatura que pode atingir facilmente os 1100°C, a lava é, digamos, a parte líquida de um vulcão.

Uma curiosidadade é que, por ser composta, basicamente, por rochas fundidas, ela pode, ao solidificar-se, dar origem, no entorno do vulcão, a materiais rochosos como o granito, basalto, pedra-pomes, alguns tipos de vidro, e, até mesmo, pedras semipreciosas.

Essas lavas podem brotas de uma profundidade entre 40 e 70 km. E além de conter rochas fundidas em sua composição, podem apresentar materiais como sílica, magnésio, enxofre, mercúrio, entre outras composições.

Fluxos Piroclásticos

Os fluxos piroclásticos são materiais sólidos, geralmente constituídos de fragmentos do próprio interior das chaminés ou da cratera. Também podem ser formados por lava endurecida, na forma de granitos, adesitos, dacitos, fonolitos, entre outros materais resultantes do resfriamento da lava, quando ela está próxima à saída.

A uma velocidade que pode superar 150 milhas/h (cerca de 240km/h), os fluxos piroclásticos possuem um potencial destruidor inigualável, capaz de destruir casas, florestas, eliminar espécies animais; sem contar a capacidade das cinzas e dos gases, que os acompanham, de asfixiar um indivíduo em questão de minutos.

Aquelas nuvens sombrias e fumarolas ininterruptas, com alto poder intoxicante, que vemos espalhar-se pelo céu, a alturas que podem atingir até alguns quilômetros, são os fluxos piroclásticos, muitas vezes acompanhados por vapor de água, gases sulfurosos, enxofre, hidrogênio, entre outros materiais altamente tóxicos.

Nuvem de Cinzas

Por fim, essa manifestação que não é, exatamente, uma parte de um vulcão, e sim uma das suas manifestações mais visíveis.

São nuvens vulcânicas formadas, basicamente, por pedaços de rochas, vidro, entre outros minerais, transformados em pó e lançados a até alguns quilômetros de distância.

Durante as explosões ou derramamento de lava, esses materiais (geralmente com alguns milímetros de diâmetro) são submetidos a temperaturas que ultrapassam os 1000°C. Dessa forma, eles adquirem a aparência de cinzas, leves e facilmente transportáveis pelo ar.

No caso de uma erupção, essas nuvens vulcânicas costumam transformar-se em um tormento para as lavouras, tráfego de aviões, fauna local, além de, obviamente, comprometer, consideravelmente, a vida ou a saúde das populações vizinhas ao vulcão.

Um evento que já foi bem representado no clássico soterramento das cidades de Pompéia e Herculano pelas  cinzas do lendário vulcão Vesúvio.

Deixe o seu comentário sobre esse artigo. E aguardem as próximas publicações do blog.

Veja também

Camelo Australiano: Características, Nome Cientifico, Extinção e fotos

Você sabia que a Austrália possui um grupo de imigrantes que estão no país desde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *