Home / Animais / O Que são Fungos Demáceos? E Os Dimórficos?

O Que são Fungos Demáceos? E Os Dimórficos?

O homem está constantemente exposto a fungos. A maioria tolera essa exposição sem consequências enquanto outros podem ser seriamente afetados por eles. Tentemos um resumo biológico para compreender melhor as diferenças, benefícios e malefícios dos tipos de fungos.

O que são Fungos Demáceos? E os Dimórficos?

Fungos demáceos ou meristemáticos são um grupo diverso de crescimento lento micro-fúngico que se reproduzem principalmente de forma assexuada. Acredita-se que estes tipos fúngicos sejam os organismos eucarióticos mais resistentes conhecidos até hoje. Simplificando, fungos demáceos correspondem ao que conhecemos como mofo.

Já os fungos dimórficos são aqueles fungos que existem na forma micelial, dependendo das condições ambientais, condições fisiológicas do fungo ou das características genéticas. Os fungos dimórficos em geral existem como células únicas e se multiplicam por células antigas produzindo células filhas. O dimorfismo é comum em alguns membros das principais divisões do reino fúngico.

Alguns fungos dimórficos mudam para a forma de levedura ou bolor, dependendo da temperatura predominante. Estes fungos são referidos como termicamente dimórficos. Outros vão mudar para a levedura se crescerem dentro dos tecidos do hospedeiro.

Mofos, Bolores e Leveduras

Mofos, bolores e leveduras pertencem ao reino dos fungos, organismos eucarióticos com um grau de complexidade inferior ao dos animais e plantas. A diferença entre dimórficos e demáceos é que o primeiro é uma única célula, e o segundo é organizado em “colônias”, muitas vezes claramente visíveis a olho nu.

Curiosamente, algumas espécies têm um dimorfismo que depende da temperatura: por exemplo, a dermatite blastomyces a 25° C se desenvolve como um demáceo, a 37° C como dimórfico. Fungos demáceos e fungos dimórficos adoram a combinação de ambiente úmido, limpeza pobre e restos de comida.

Sua presença em um ambiente mostra higiene insuficiente. Eles geralmente não são diretamente patogênicos para os seres humanos, além de alguns exemplos como candida albicans, eles muitas vezes se limitam à deterioração dos alimentos tornando-os não comestíveis, mas são perigosas as espécies capazes de produzir micotoxinas hepatotóxicas, hemorrágicas, teratogênicas e carcinogênicas.

Mofos Bolores e Leveduras

Neste caso, a micotoxina persiste na comida mesmo após a remoção do fungo, e pode ser um problema a não ser subestimado para a saúde. A cocção de alimentos nem sempre é capaz de inativar a micotoxina. Alguns fungos são capazes de crescer em condições de refrigeração, como o thamnidium elegans que cobre a carne do refrigerador com um pano esbranquiçado: as precauções normais de conservação não preservam o alimento do ataque e proliferação de mofo e levedura.

Alguns fungos são de interesse tecnológico, ou seja, são adicionados especificamente aos alimentos para ajudar ou viabilizar os processos de produção: por exemplo o conhecido saccharomyces cerevisiae é um fungo indispensável para a fermentação do vinho e da cerveja; penicillum candidum está entre os fungos responsáveis ​​pelo revestimento branco de queijos franceses macios.

Mofos e Bolores: Demáceos ou Dimórficos?

Mofos são organismos eucarióticos, que consiste em mais do que uma célula pertencente ao reino de fungos. Seres vivos heterotróficos como mofos podem ter propriedades tóxicas, alérgicas ou patogênicas para os seres humanos.

Seu modo típico de reprodução é a esporogênese; seus habitats clássicos são os ambientes quentes e úmidos; finalmente, seu crescimento vegetativo inclui a produção de hifas. As hifas são as estruturas filamentosas que constituem o chamado micélio (ou corpo vegetativo).

Sob certas condições ambientais, muitos desses organismos podem se transformar em leveduras; essa capacidade é chamada de dimorfismo e os fungos que são seus protagonistas assumem o nome de fungos dimórficos.

Os principais bolores com propriedades tóxicas, alérgicas ou patogênicas para humanos e outros animais incluem: stachybotrys chartarum, cladosporium herbarum, aspergillus fumigatus, alguns dos gêneros trichophyton, penicillium marneffei e histoplasma capsulatum.

Os mofos e bolores são organismos multicelulares, ainda visíveis a olho nu, pertencente ao reino de fungos. Existem muitos mofos vivos na Terra: atualmente, os especialistas dizem que as espécies conhecidas de mofo são milhares.

Os mofos tóxicos, alérgicos ou patogênicos são uma categoria especial de fungos capazes de provocar, respectivamente, as reações de toxicidade, alergias ou doenças em seres humanos ou outros seres vivos.

As leveduras são outros fungos com propriedades patogênicas (mas não tóxicas ou alérgicas!). Ao contrário dos bolores, as leveduras são organismos unicelulares, não visíveis a olho nu; em outras palavras, eles são micro-organismos.

Leveduras: Dimórficos ou Demáceos?

São microrganismos do tipo eucariota consistindo de uma única célula e também pertencente ao reino dos fungos. Seres vivos heterotróficos como levedura se reproduzem pela divisão ou brotamento binário, preferem ambientes úmidos e não crescem por meio das chamadas hifas (que, em vez disso, são típicas de todas as outras espécies de fungos).

Sob certas condições ambientais, muitos desses organismos de levedura podem se tornar fungos demáceos; essa capacidade é chamada de dimorfismo e os fungos que são seus protagonistas assumem o nome de fungos dimórficos.

Existem inúmeras espécies de leveduras com propriedades patogênicas, ou seja, com a capacidade de causar doenças (infecções) em seres humanos e outros animais. Entre as principais leveduras com propriedades patogênicas, destacam-se: cryptococcus neoformans, cryptococcus gattii, pneumocystis carinii, penicillium marneffei, candida albicans e histoplasma capsulatum.

As leveduras são os organismos unicelulares (microorganismos) pertencente ao reino de fungos. Aparecendo na Terra há várias centenas de milhões de anos, eles representam cerca de 1% de todas as espécies de fungos atualmente conhecidas.

Leveduras com propriedades patogênicas são uma categoria particular de fungos, capazes de causar doenças em seres humanos ou em outros seres vivos. Outros fungos com propriedades patogênicas são os mofos e bolores. Ao contrário das leveduras, os bolores são organismos multicelulares.

Na micologia médica, essas ajudas de memória ajudam os alunos a lembrar que entre os patógenos humanos, o dimorfismo reflete amplamente a temperatura: mofo no frio, bolor no calor. Muitos outros fungos, incluindo o patógeno vegetal ustilago maydis e o fungo geotrichum candidum, que produz queijo, também têm ciclos de vida dimórficos.

Poderá reparar em nosso artigo que o organismo fúngico penicillium marneffei foi citado entre o mofo mas também entre a levedura, porque é um patógeno humano que cresce como um mofo à temperatura ambiente e como uma levedura na temperatura do corpo humano.

Veja também

Curiosidades Sobre o Gato Mourisco e Fatos Interessantes

A fauna é a parte da Ecologia que engloba todos os animais existentes na natureza, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *