Home / Animais / Gênero do Crocodilo, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero

Gênero do Crocodilo, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero

Os crocodilos são membros da subfamília crocodylinae e vamos agora conhecer a atualização mais recente de sua classificação taxonômica.

Gênero do Crocodilo

Um total de três tipos existentes são colocados na família de crocodilos, com um total de 15 espécies, incluindo o crocodilo do oeste africano (crocodylus suchus), que é agora reconhecido como uma espécie verdadeira, em vez de uma subespécie do crocodilo do Nilo (crocodylus niloticus).

Estudos recentes sugerem que o crocodilo anão, osteolaemus tetraspis, não representaria uma única espécie, mas duas ou até três espécies, e que o crocodilo de focinho delgado (crocodylus cataphractus) é uma dessas duas espécies. Se esse fosse o caso, o número de espécies de crocodilos existentes aumentaria para 18 ou 19, trazendo as espécies de crocodilos existente em um total de 28 ou 29, em vez de 25.

Os dois gêneros existentes de crocodilos verdadeiros, crocodylus e osteolaemus, fazem parte da subfamília crocodylinae. Mesmo de acordo com a classificação tradicional, tomistoma não representa um crocodilo verdadeiro, embora seja um membro de crocodylidae.

As evidências moleculares mais recentes indicam uma diferença ainda maior, criando a possibilidade de que o tomistoma seja geneticamente mais próximo do gavial (gênero gavialis) do que dos crocodilos reais. Se comprovada, as espécies serão classificadas na família gavialidae.

Família do Crocodilo

A maioria das espécies está agrupada no gênero crocodylus. O outro gênero existente, osteolaemus, é monotípico (como seria mecistops, se fosse reconhecido como um crocodilo). Segunda a mais recente atualização, a taxonomia da família de crocodilos está assim listada:

Família Crocodylidae
Subfamília † Mekosuchinae (Extinta)
Subfamília Crocodylinae

Gênero Crocodylus

Crocodylus acutus (Cuvier, 1807) – crocodilo americano

Crocodylus Acutus
Crocodylus Acutus

Crocodylus intermedius (Graves, 1819) – Crocodilo Orinoco

Crocodylus Intermedius
Crocodylus Intermedius

Crocodylus johnsoni (Krefft, 1873) – Crocodilo de Johnson ou crocodilo de água doce australiano

Crocodylus Johnsoni
Crocodylus Johnsoni

Crocodylus mindorensis (Schmidt, 1935) – Crocodilo das Filipinas

Crocodilo das Filipinas

Crocodylus moreletii (Duméril & Bibron, 1851) – Crocodilo Morelet ou crocodilo mexicano

Crocodylus Moreletii
Crocodylus Moreletii

Crocodylus niloticus (Laurenti, 1768) – crocodilo do Nilo ou crocodilo africano (a subespécie encontrada em Madagascar às vezes é chamada de crocodilo preto)

Crocodylus Niloticus
Crocodylus Niloticus

Crocodylus novaeguineae (Schmidt, 1928) – Crocodilo da Nova Guiné

Crocodylus Novaeguineae
Crocodylus Novaeguineae

Crocodylus halli (Murray, Russo, Zorrilla e McMahan, 2019) – Hall Nova Guiné crocodilo

Crocodylus Halli
Crocodylus Halli

Crocodylus palustris (Lesson, 1831) – crocodilo do pântano ou crocodilo indiano

Crocodylus Palustris
Crocodylus Palustris

Crocodylus porosus (Schneider, 1801) – Crocodilo marinho ou estuarino

Crocodylus Porosus
Crocodylus Porosus

Crocodylus rhombifer (Cuvier, 1807) – crocodilo cubano

Crocodylus Rhombifer
Crocodylus Rhombifer

Crocodylus siamensis (Schneider, 1801) – crocodilo siamês (pode ser extinto na natureza)

Crocodylus Siamensis
Crocodylus Siamensis

Crocodylus suchus (Geoffroy, 1807) – crocodilo do deserto

Crocodylus Suchus
Crocodylus Suchus

Gênero Osteolaemus

Osteolaemus tetraspis (Cope, 1861) – Osteolemus ou Dwarf Crocodile (ainda se debate se esse gênero realmente representa duas espécies: análises recentes do DNA (2010) indicam três espécies distintas: osteolaemus tetraspis, osteolaemus osborni e uma terceira espécie, atualmente sem nome)

Gênero Mecistops

Mecistops cataphractus (Cuvier, 1825) – Crocodilo catafratto

Mecistops Cataphractus
Mecistops Cataphractus

Mecistops leptorhynchus (Bennett, 1835) – Crocodilo com focinho estreito africano

Mecistops Leptorhynchus
Mecistops Leptorhynchus

Gênero † Euthecodon

Gênero † Rimasuchus (formalmente Crocodylus lloydi)

Gênero † Voay Brochu, 2007 (formalmente Crocodylus robustus)

Gênero Crocodylus

As espécies do gênero crocodylus podem ser encontrados em muitas áreas, embora várias espécies estejam criticamente ameaçadas. Nos Estados Unidos, especialmente nos neotrópicos, existem 4 espécies, cujo alcance vai até as ilhas do Caribe. A espécie mais importante é crocodylus acutus, também presente em Cuba.

Crocodylus rhombifer, por outro lado, é uma espécie endêmica da ilha cubana. Na Índia, existe o crocodylus palustris, enquanto no sudeste da Ásia, especialmente na Indonésia, o gênero é representado por 2 espécies. Apenas uma espécie no arquipélago das Filipinas, crocodylus mindorensis, contra as duas presentes na Austrália, crocodylus porosus e crocodylus johnsoni.

A maioria das espécies é exclusivamente marinha, o crocodylus porosus também freqüenta águas salobras e, às vezes, embora mais raramente, o mar das costas do norte da Austrália. Todas as espécies do gênero crocodylus derivam de um ancestral comum que evoluiu na região Indo-Pacífico, cerca de 9 a 16 milhões de anos atrás. Mais tarde, as várias espécies irradiaram para a África, cerca de 8 a 12 milhões de anos atrás. Isso foi seguido por uma migração transatlântica para as Américas, cerca de 4 a 8 milhões de anos atrás.

Gênero Osteolaemus

Esse gênero corresponde, a princípio a uma única espécie: o crocodilo anão, um réptil que vive em águas estagnadas ou em rios de fluxo nas florestas tropicais das regiões do centro-oeste da África. Seu nome científico é osteolaemus tetraspis.

O nome osteolaemus significa literalmente garganta óssea e tetraspis quatro escudos, referentes à presença de quatro placas ósseas abaixo das placas córneas do pescoço. É chamado anão por seu tamanho pequeno (1,6 m para a fêmea e 1,9 m para o macho), possui um focinho muito atarracado virado para cima e a pálpebra é quase completamente ossificada.

Gênero Osteolaemus
Gênero Osteolaemus

Porém, como já dissemos, baseado em um estudo de biologia molecular em 2009, o gênero monotípico osteolaemus consiste em três espécies, na verdade. Segundo este estudo, osteolaemus tetraspis se aplica apenas à população de crocodilos em Ogooué, Gabão. Para os animais da bacia do Congo, o nome científico osteolaemus osborni deve ser usado.

A espécie foi assim classificada neste ano de 2009 pelo herpetologista americano Karl Patterson Schmidt sob o nome osteoblepharon osborni e descritas cientificamente. Os crocodilos da África Ocidental do gênero osteolaemus também vão formar um novo tipo, que até agora não foi taxonomicamente descrita.

Filo, Classe, Ordem e Reino dos Crocodilos

Os crocodilos pertencem a superfamília crocodyloidea, uma superfamília de crocodilos evoluídos no alto Cretáceo, cerca de 83,5 milhões de anos atrás. Essa superfamília é definida como crocodylus niloticus e todos os crocodilos mais intimamente relacionados a crocodylus niloticus do que a alligator mississippiensis e gavialis gangeticus.

Pertencem a ordem crocodylia, uma ordem de répteis diapsida (um grupo de vertebrados tetrapodes que desenvolveu duas “janelas” de cada lado do crânio). Por causa da forte armadura escamosa com a qual esses animais são dotados, eles também têm o nome de loricati (do latim lorica: peitoral).

Reino dos Crocodilos
Reino dos Crocodilos

Esses animais poderosos apareceram no Cretáceo Superior (cerca de 90 milhões de anos atrás) de ancestrais crocodilomórficos e, desde então, continuam a habitar a Terra, com características físicas e comportamentais que permaneceram quase inalteradas ao longo do tempo; por isso, o crocodilo pode ser considerado um fóssil vivo real.

Os crocodilos pertencem a classe reptilia, a primeira classe de vertebrados liberados do ambiente aquático e, portanto, adaptados, para as funções biológicas fundamentais, à vida em um ambiente estritamente terrestre. O número de espécies de répteis atualmente em vida ultrapassa os dez mil.

Isto se deve principalmente a adaptações básicas destinadas a evitar a desidratação de ovos e animais: a pele fortemente queratinizada e geralmente escamosa, as características do ovo com casca e capaz de permitir que o corpo se desenvolva em um desenvolvimento avançado e os pulmões mais concentrado que o dos anfíbios , para compensar a ausência de respiração transcutânea.

Classificação Chordata
Chordata Classification

Por fim, os crocodilos pertencem ao filo chordata, compreendendo organismos de diferentes formas e complexidades, como os vertebrados, os urocordados e os cefalocordos. Este filo é baseado em uma estrutura de suporte interno ou notocórdio. O reino obviamente é animalia.

Veja também

O Que Acontece Se Quebrar o Casco da Tartaruga?

Os répteis são muito especiais e despertam a curiosidade nas pessoas. Assim, lagartos, camaleões, crocodilos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *