Home / Animais / Por que o Peixe Aruanã Pode Custar Caro? Qual o Preço?

Por que o Peixe Aruanã Pode Custar Caro? Qual o Preço?

Peixes bonitos e grandes, geralmente comprados como um “símbolo de status” sem considerar suas necessidades particulares, o que não os torna adequados para aquários domésticos comuns.

Por que o Peixe Aruanã pode Custar Caro? Qual o Preço?

O peixe aruanã é particularmente procurado no Extremo Oriente, porque a espécie asiática scleropages formosus devido às crenças orientais na base do “Feng shui” é considerado uma espécie de amuleto da sorte. Portanto, com o nome “peixe dragão”, ele pode ser encontrado no mercado em suas variantes de coloração natural, mas com mais freqüência artificial, obtidas por meio de cruzamento, custando mesmo milhares de euros.

Além do gênero scleropages, o gênero sul-americano osteoglossum, da família osteoglossidae, também pertence ao grupo aruanã. Eles têm um corpo alongado e sinuoso, coberto por grandes escamas, e a cabeça é caracterizada por dois grandes olhos rotativos e uma grande boca virada para cima, cuja mandíbula é acompanhada no ápice por dois barbilhões sensoriais. O sistema respiratório branquial é suportado por um sistema respiratório de ar atmosférico, que é armazenado na bexiga natatória, através de um sistema capilar; as aruanãs são respiradores do ar atmosférico forçado.

O peixe aruanã vive na natureza nas águas tropicais da América do Sul, nos rios e lagos da Austrália e em muitas regiões asiáticas. Em alguns países, a carne deste peixe é considerada deliciosa. Talvez por esse motivo, seu número seja reduzido e seu preço tão elevado. O já mencionado peixe dragão é considerado um símbolo de riqueza e poder. Os asiáticos acreditam que isso traz boa sorte nos negócios.

Aruanã - Descendente de Dinossauro
Aruanã – Descendente de Dinossauro

Este peixe é considerado um descendente de dinossauros. Ele é muito conhecido especialmente como peixe dragão porque possui escamas grandes e brilhantes de uma maneira especial, mas outro das espécies muito conhecido é o chamado peixe macaco (este pega a comida, pulando da água até 3 metros de altura). Vamos falar um pouco desses dois mais valorizados no mercado internacional:

Osteoglossum Bicirrhosum

Peixes grandes pertencentes à família osteoglossidae, é considerado um fóssil vivo porque não mudou ao longo de milhões de anos. Da bacia do baixo rio Amazonas (Brasil, Guiana), agora é amplamente cultivado no aquário por todo o mundo.

O corpo, muito grande e alongado, tem a forma de uma fita; a boca é muito grande e orientada para cima, com duas “asas” no queixo; as barbatanas ventrais são muito estreitas e alongadas para formar duas longas “asas”; as barbatanas dorsal e ventral cobrem quase todo o perímetro do corpo; barbatana caudal bem desenvolvida.

Osteoglossum Bicirrhosum
Osteoglossum Bicirrhosum

A pintura é cinza prateada com tons de verde ou turquesa; as grandes escamas com o borbo preto formam um bordado em todo o corpo; barbatanas anal e dorsal de mostarda com listras transversais pretas e borda laranja ou vermelha.

Peixe relativamente pacífico; todas as raças são compatíveis com peixes, desde que abundantes, preferindo viver em grandes manadas; precisa de muito espaço para nadar. Embora seja de origem amazônica, é extremamente robusto e não requer características particulares dos valores da água, que devem ser bem filtrados e oxigenados.

Onívoro, ele aceita qualquer tipo de alimento, desde que seja em mordidas grandes: camarão congelado ou liofilizado ou seco em grandes grânulos flutuantes. Excelente opção para estourar tanques grandes e muito cênicos, mas gerenciar com pouco esforço.

Reprodução possível apenas em grandes aquários criados para fins específicos; é necessária água muito macia e ácida: 4° ou 5° dGh, 6 PH, 28° C; Osteoglossum bicirrhosum são incubadoras orais; após a deposição, ambos os pais tomam os ovos na boca, mas é o homem que alcança os melhores resultados.

Após dois meses da postura, os filhotes são grandes o suficiente para serem capazes de removê-los do macho e criar os filhotes com alimentos artificiais. Valores variados dependendo de sua região mas sempre muito elevados.

Scleropages Formosus

Embora aqui estejamos generalizando, uma análise cientifica sugeriu dividir o scleropages formosus em quatro espécies distintas. Essa mudança na classificação tem como base tanto a morfometria quanto na análise filogenética, que utiliza o gene do citocromo b, levando a considerar a existência dessas novas espécies.

O escleropages formosus, portanto, foi descrito novamente para incluir a cepa conhecida como aruanã verde, o aruanã dourado (que não fazia parte do estudo mas foi incluído nesta espécie, embora se suspeitasse de que estivesse intimamente relacionado ao scleropages aureus), o aruanã prateado e o aruanã vermelho.

Scleropages Formosus
Scleropages Formosus

Muitos pesquisadores contestam essa alteração na classificação visto que não consideram que há base com tantos fundamentos válidos que corroboram a nomeação de mais de uma espécie do escleropage sul asiático. Mas independente dessa discussão taxonômica, todos tem algo em comum: são muito visados como peixe dragão e astronomicamente valorizados.

O peixe dragão é considerado em risco de extinção na natureza, portanto, está incluído na lista da CITES. Cada amostra de scleropages formosus no mercado é teoricamente registrada, reportada, registrada e microchipada.

Cada espécime é então transferido com um documento (CITES), número de microchip (exatamente igual ao dos cães) e geralmente um certificado de qualidade (feito pela fazenda de origem), no qual são relatados o melhoramento, seleção e grau (de beleza, de acordo com o padrão). A exploração e comercialização ilegal deste peixe pode, portanto, levar a sérias conseqüências para os infratores (monetários e criminais).

Aruanãs e Aquários

Os peixes aruanãs são predadores onívoros/piscívoros, especializados em comer na superfície da água. Eles se alimentam de outros peixes, anfíbios, insetos, répteis menores, aves e comem pequenos mamíferos às vezes. São excelentes saltadores e muitos já foram registrados saltando da água até 2 metros de altura para capturar insetos ou até pássaros que param nos galhos mais altos, o que lhes valeu o apelido de “peixes macacos”.

Assim, na natureza, os aruanãs não procuram comida no fundo, mas no ar: sua técnica de caça consiste em escanear o ambiente acima da superfície da água em busca de presas para dar o salto assim que o tiverem. Isso significa que, no aquário, onde a comida fornecida pelo agricultor da superfície afunda imediatamente, o aruanã, ao contrário de sua natureza, começa a procurar comida no fundo, e isso causa muitas vezes problemas oculares, não predispostos a olhar para baixo, mas para cima, desde inchaços simples até malformações permanentes reais.

Quanto à reprodução, são incubadoras orais com cuidados parentais intensivos: todas as espécies são incubadoras orais, os ovos (depositados em centenas) e os filhotes são mantidos dentro da boca, protegidos de possíveis predadores, até 5 ou 6 cm. A medida que crescem, os filhotes saem da boca de seus pais ocasionalmente e explorando um pouco à sua volta, até que deixam a boca dos pais para sempre.

O mais importante, no entanto, é levar em consideração que todas as espécies de aruanã, mesmo que infelizmente sejam comercializadas como peixes de aquário, atinjam dimensões inadequadas para os aquários comuns em circulação: podem atingir mais de um metro de comprimento e, acima de tudo, eles têm uma natação vigorosa e incessante, precisam nadar e se mover. Quando jovens, eles aceitam companheiros de tanque, mas, quando adultos, tornam-se agressivos e territoriais; portanto, devem ser criados sozinhos e possuem um estilo de vida inadequado para o cativeiro.

Veja também

Meu Cachorro Está Estranhando Todo Mundo. E Agora?

Os cachorros ganharam enorme importância na vida das famílias brasileiras. Esses animais se tornaram tão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *