Home / Animais / Doninhas-das-Montanhas: Características, Nome Científico e Fotos

Doninhas-das-Montanhas: Características, Nome Científico e Fotos

A doninha da montanha (mustela altaica) é uma espécie de doninha que prefere viver em grandes altitudes, geralmente acima de 3.500 metros. Esta espécie também é chamada de doninha pálida ou doninha de Altai.

É chamada cientificamente de Mustela altaica. As fêmeas são chamadas de ‘cadela, corça ou jill’ e os machos, ‘fanfarrão, cachorro, cubo ou macaco’. Um grupo de doninhas da montanha é chamado de ‘boogle’.

Doninhas da montanha têm duas coberturas de pelagem, a de inverno e a de verão. Muda suas pelagens de inverno, revelando as de verão, quando o clima esquenta a cada primavera. A pelagem de verão pode ser cinza ou marrom-acinzentado e, às vezes, também possui um amarelo pálido. A pelagem de inverno é composta por um pêlo de cor amarela mais escura, além de um marrom.

Macho e fêmea doninhas da montanha diferem ligeiramente em tamanho. Os machos geralmente têm 30,4 a 43 centímetros de comprimento, do nariz à ponta da cauda. Eles pesam entre 2 e 3 kg. As fêmeas variam de 30,4 a 38 centímetros de comprimento e pesam de 0,1 a 0,2 kg. As fêmeas apresentam cabeças menores e caudas mais curtas que os machos.

A doninha da montanha geralmente assemelha-se a doninha siberiana (mustela sibirica), mas essa doninha é menor e tem um pelo mais curto, além d uma cauda menos luxuriante.

A cabeça superior entre o focinho e as orelhas é geralmente marrom-acinzentada mais escura. A cauda pode ser mais áspera do que as costas. Os lábios dessas doninhas são brancos e o queixo possui vibrissas marrom-acinzentadas a esbranquiçadas.

Doninhas das Montanhas Características

Subespécies de M. altaica podem ser diferenciados por cor da pelagem, que é geralmente uma versão mais escura ou mais clara das cores descritas aqui.

Habitat da Doninha da Montanha

As doninhas da montanha podem ser encontradas em partes do leste da Ásia, incluindo o Himalaia, Mongólia, Coréia e norte da China. Eles também às vezes aparecem em partes da Rússia. Eles são mais comumente encontrados, no entanto, em Ladakh, na Índia. Eles residem em troncos de árvores, cavernas ou fendas rochosas e nas tocas abandonadas de outros animais.

Às vezes, doninhas das montanhas assumem as tocas de suas presas. Essa presa pode incluir pequenos roedores, como ratazanas e lagartos. Por sua vez, as doninhas são ocasionalmente atacadas por grandes pássaros, lobos ou raposas.

As doninhas da montanha vivem onde há uma abundância de vegetação verde em grandes altitudes. Seu habitat está em perigo de esgotamento terrível, tornando o futuro pouco claro para esta espécie. As doninhas da montanha são consideradas “quase ameaçadas” devido a um declínio significativo nos números nos últimos anos.

Reprodução e Longevidade

Embora o sistema de acoplamento da doninha da montanha não tem sido descrito, outras espécies do gênero são tipicamente polígina. Sabe-se que os machos competem pelo acesso às fêmeas, e algumas de suas brigas podem ser graves. Com base no dimorfismo de grande tamanho em doninha da montanha, é razoável supor que o mesmo sistema de acasalamento prevaleça.

Segundo observações no Cazaquistão, o acasalamento ocorre em fevereiro ou março. Jovens são vistos no início de maio. A gestação dura 30 a 49 dias. A variabilidade relatada para a duração da gestação pode ser devida ao atraso na implantação de óvulos fertilizados – uma característica comum em outros membros do gênero.

As ninhadas são de 1 a 8 jovens. A lactação dura 2 meses, após os quais os jovens começam a levar vidas independentes, mas permanecem juntos com os companheiros de ninhada até o outono.

Embora o momento da maturidade reprodutiva desta espécie não tenha sido relatado, é provável que, como outros membros do gênero, os jovens sejam capazes de procriar na estação seguinte, quando têm pouco menos de um ano de idade.

Os mustelídeos nascem indefesos, com os olhos fechados e o pelo pouco desenvolvido. Esses jovens altriciais são levados em uma toca pela mãe.

A mãe doninha da montanha presta cuidados parentais exclusivos. Ela amamenta os jovens por aproximadamente dois meses, quando os jovens se tornam independentes.

A longevidade não foi relatada para esta espécie, mas para membros de tamanho semelhante do gênero Mustela, há muito pouca variação na longevidade. Esses animais vivem entre 7 e 10 anos. É razoável supor uma vida útil similar para a doninha da montanha.

Comportamento da Doninha da Montanha

As doninhas da montanha são criaturas bonitas e extraordinariamente ágeis, cujo habitat em grandes altitudes deve ser protegido para garantir que possam continuar brincando e caçando nas encostas das montanhas asiáticas onde residem.

A doninha da montanha pode ser considerada uma atleta natural devido à sua extrema agilidade e versatilidade. Tanto machos quanto fêmeas são capazes de feitos incríveis de escalada, natação e corrida. Eles são contorcionistas naturais e estão entre os animais mais ágeis do mundo.

As doninhas da montanha normalmente são principalmente noturnas, ou seja, costumam ficar ativas durante a noite e dormem ao dia, além de uma rara caçada diurna, mas podem ser observadas capturando e realizando ginástica todas as noites. Essas doninhas são criaturas solitárias, exceto para o acasalamento e a associação contínua de companheiros de ninhada até o final do primeiro verão.

Hábitos Alimentares da Doninha da Montanha

As ratazanas e os pikas (mamíferos da família ochotonidae) formam uma parte importante da dieta carnívora da doninha da montanha. Esses animais também podem capturar ratos almiscarados, esquilos terrestres, coelhos jovens, pequenos pássaros, lagartos (durante os meses de verão) e, em menor grau, sapos, peixes e insetos.

Doninha da Montanha Alimentação

A doninha da montanha também tem sido observada para comer bagas de zimbro em algumas regiões. Observações na capacitividade sugerem que as necessidades diárias de carne são de 45 a 54 g em um macho adulto, embora possa matar consideravelmente mais na natureza. Quando os roedores abundam, pensa-se que esses animais comem apenas sangue e cérebro.

Importância Econômica e Conservação

Como espécies predadora, M. altaica provavelmente desempenha um papel importante na regulação das populações de mamíferos pequenos, tais como ratos e ratazanas.

Importância econômica para humanos positiva: As doninhas das montanhas são consideradas benéficas nas áreas agrícolas porque exterminam roedores que podem ser pragas agrícolas. Ocorre algum comércio de peles, mas as peles têm baixo valor comercial e, portanto, não têm muita importância comercial. O pelo é geralmente tingido.

Importância econômica para seres humanos negativa: Esta espécie pode ocasionalmente atacar aves domésticas quando encontrada perto da habitação humana.

Com várias subespécies conhecidas e uma gama muito ampla, esses animais não são atualmente uma preocupação de conservação.

Veja também

Pelecanus Conspicillatus

Para que Serve o Papo do Pelicano? Qual Sua Função?

O pelicano (família taxonômica Pelecanidae) é uma ave aquática descrita pela primeira vez no ano …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *