Home / Animais / Ciclo de Vida do Texugo: Quantos Anos Eles Vivem?

Ciclo de Vida do Texugo: Quantos Anos Eles Vivem?

Os texugos pertencem à família dos mustelídeos e são parentes de alguns carnívoros como as doninhas, as lontras e os furões. Os texugos podem ser classificados em oito espécies, subdivididos em três famílias: Mellivorinae (texugo-do-mel, conhecido como ratel), Melinae (texugos asiáticos e europeus) e Taxideinae (texugo-americano). Esses animais são carnívoros e possuem pelos castanhos ou pretos. A expectativa de vida desse pequeno predador é de 24 anos.

Características Físicas

Normalmente, texugos são animais corpulentos que têm pequenas pernas. O texugo-do-mel, por exemplo, possui pelos pretos e uma listra que se inicia na altura dos olhos, cobre todas as costas do animal e vai até o final da cauda. A tonalidade dessa listra pode variar entre branca, preta e cinza dependendo da idade ou da região que esse animal se encontra.

O maxilar inferior é preparado para pegar presas e não soltá-las diante de nenhuma hipótese. A parte inferior do maxilar é ligada a parte superior por causa de um côndilo transversal que está fixo em uma longa cavidade do crânio. Isso significa que é praticamente impossível movimentar o maxilar de um texugo. A desvantagem disso é que os texugos não conseguem torcer o maxilar de um lado para o outro como grande parte dos mamíferos.

Modo de Agir

Valentes e astutos, esses animais conseguem espantar grandes inimigos como lobos, coiotes, raposas e ursos. Apesar de todos os texugos se abrigarem em tocas subterrâneas, cada espécie se comporta de acordo com a família a que ela pertence. Alguns texugos são nômades e preferem viver de forma solitária enquanto outros preferem formar bandos estruturados em clãs. Os bandos que animais formam podem variar entre dois e 15 indivíduos. Os texugos são muito apegados aos filhotes e os protegem de qualquer jeito, seja qual for o preço. Uma coisa que chama a atenção nos texugos é a velocidade: em pequenas distâncias, eles conseguem atingir 30 km/h.

Pequeno Valente

Com apenas 90 cm de comprimento, o texugo do mel (ratel) consegue ser um predador feroz e absurdamente corajoso mesmo sem grande porte físico. Habitante da África e da Ásia, esse texugo é tão astuto que consegue matar uma cobra de 1,50 m em apenas 15 minutos. Dono de 32 dentes afiados, esse pequeno predador costuma atacar qualquer coisa que se mexa, pois ele se torna muito hostil ao ver qualquer outro animal.

Nômade Adaptável

O ratel consegue se adaptar aos ambientes em que vive com muita facilidade. Essa adaptabilidade lhe ajudou a ocupar grande parte da África e da Ásia. Normalmente, esse animal pode ser encontrado na África subsaariana e também entre o Cabo Ocidental e o Marrocos.

Sobre o território asiático, esse animal pode ser visto na Arábia, na Península Indiana e no Turcomenistão, sempre em locais de calor como as savanas. Esses animais gostam de viver em seus próprios buracos subterrâneos, entretanto, caso não consigam cavar, não se importam de viver em tocas abandonadas. Em algumas situações, esses texugos podem apanhar tocas de outros animais e até mesmo viver em cupinzeiros desabitados.

Carnívoro Voraz

O texugo do mel é um onívoro, porém, sua maior preferência é a alimentação carnívora. Animais como jabutis, roedores, escorpiões, alguns insetos e aves de pequeno porte são boas opções para que o ratel mate a sua fome. Caso não haja carne por perto, esse animal se contenta em consumir raízes e algumas frutas bagas como mirtilos e groselhas. Existem dois itens que são indispensáveis no cardápio desse texugo: o primeiro é a cobra, seja ela venenosa ou não e o segundo item é o mel (o que explica o nome desse mustelídeo).

Matador de Cobras

Os texugos do mel caçam várias espécies de cobras, até mesmo as mais temidas como as najas e outras cujo veneno é muito perigoso. Em muitas dessas caçadas, o ratel acaba sendo mordido pela sua presa. No fim das contas, isso não chega a ser um problema, pois esse animal não sente os efeitos do veneno. O ratel recebe diversas picadas quando se propõe a lutar com uma cobra, contudo, ele consegue não apenas sobreviver, mas também devorar a sua vítima predileta.

Ninguém sabe o real motivo dos ratéis serem tão resistentes ao veneno das cobras. A hipótese mais provável é que esses animais desenvolvem em seus organismos um processo de imunização semelhante ao das vacinas.

Esses animais aprendem a caçar amimais venenosos desde filhotes e um deles é o escorpião. À medida que o filhote lida com pequenos animais peçonhentos, o corpo dele começa a desenvolver anticorpos que lhe ajudam a resistir ao veneno. O resultado desse processo é que, na fase adulta, o ratel está imune aos venenos de vários tipos de animais, incluindo as cobras.

Amante do Mel

Esse texugo faz jus ao seu nome e gosta muito da substância produzida pelas abelhas. A prova disso é que ele costuma invadir uma colmeia apenas com a intenção de roubar favos de mel. Apesar de ser picado diversas vezes durante a impetuosa aventura, os ferrões não fazem efeito algum no atrevido mustelídeo.

Texugo do Mel na Beira do Lago
Texugo do Mel na Beira do Lago

Esse animal possui uma pele espessa que lhe protege das picadas. Além disso, ele consegue emitir um odor desagradável semelhante ao do gambá e isso espanta as abelhas. Outro ponto favorável é que o ratel consegue usar as orelhas como abas e isso impede as abelhas de atacar esse local.

Caçador Estratégico

O texugo do mel é muito hábil na hora de criar suas táticas de caça e de batalha. Como esses animais são dotados de inteligência, eles conseguem analisar as fraquezas de seus inimigos e explorá-las (um exemplo disso é quando um ratel tenta atacar os testículos de outro macho de sua espécie). Quando esses texugos estão à caça de cobras, eles escolhem os piores ângulos de defesa para elas, assim, eles conseguem capturá-las sem que as cobras possam esboçar qualquer tipo de reação.

Esses animais são muito habilidosos quando cavam e isso facilita a vida deles na hora de caçar animais subterrâneos. Outra habilidade útil para os ratéis é o seu ótimo olfato, que é 100 vezes mais eficiente que o de um ser humano. Como esse animal tem parentesco com as lontras, consegue nadar quase tão bem quanto elas.

Vale ressaltar que esses texugos são muito bons em escalar árvores e, por causa disso, eles conseguem capturar muitos pássaros para comer. Outro ponto positivo é que as árvores os ajudam se protegerem do clima árido dos locais onde vivem.

Veja também

Marreco de Pequim: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco de Pequim é considerado uma das principais raças atuais de marrecos, ao lado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *