Home / Animais / Bivalves Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre Eles

Bivalves Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre Eles

Bivalves são membros pertencentes ao filo Mollusca. Eles se caracterizam por uma concha que se divide da parte frontal para a traseira. Isso ocorre nas válvulas direita e esquerda. Essas válvulas se conectam entre si por um tipo de dobradiça.

Bivalves primitivos ingerem sedimentos. Entretanto, em grande parte das espécies, a brânquia respiratória foi transformada em órgão de filtração chamado de ctenídio.

Seu estilo de vida que é bem sedentário, tendo uma alimentação através de depósito ou suspensão. Assim, sabe-se que os bivalves não possuem cabeça. Também, não têm o órgão para raspagem radular, bem típico dos moluscos.

Quer saber mais curiosidades sobre esses animais? Pois encontrará muita informação legal ao ler este artigo até o fim. Confira!

Curiosidades Gerais dos Bivalves

A espécie varia em tamanho, tendo de mais ou menos um milímetro a 137 centímetros. O peso? Ah, este pode chegar a 264 kg. Tal animal alcança a vida útil aproximada de 40 anos, acredita?

A morfologia de sua casca, bem como as estruturas da dobradiça, é usada em sua classificação. Boa parte das espécies fazem escavação nas superfícies (hábito hipotético ancestral). Dessa forma, a concha comumente permanece pequena, esférica ou oval, com as válvulas iguais, direita e esquerda.

Em algumas outras espécies, tal como a amêijoa, o pé se modificou, sendo capaz de escavar eficaz e rapidamente. A dobra do tecido de seu manto se transformou em sifão longo. Essas características permitem aos animais a escavação profunda na lama, areia e diversos outros substratos.

Sua proteção dos predadores se faz por meio das conchas. Estas são camadas fortes de substratos, que não impede de alimentar nem de respirar. As formas das conchas e dos corpos dos bivalves estão intimamente relacionadas com habitat, bem como sua exposição à predação.

Do ancestral escavador simples, equivalente, vários grupos dessa espécie desenvolveram de forma repetida, uma concha triangular, alongada ou circular. Assim, as adaptações corporais parecidas têm sido as respostas aos estilos de vida dos animais.

Fatos Sobre seu Ciclo de Vida

A maior parte dos bivalves é gonocorística (são separadas em membros masculinos ou femininos). Entretanto, outras espécies são hermafroditas (produzem espermatozóides e óvulos). É raro ocorrer um dimorfismo sexual. Em espécies gonocorísticas, comumente existe a divisão igualitária dos sexos.

O esperma bivalve tem dois flagelos. A maioria dos ovos é pequena, e a desova sincronizada resulta na descarga de ambos os tipos de gametas no mar para fertilização externa.

Bivalves Ciclo de Vida

A Ecologia e o Habitat

A divisão e compressão lateral da carcaça em duas válvulas está claramente relacionada à adoção de um modo de vida escavador. Este é alcançado por um pé musculoso.

As formas primitivas eram detritívoras. Enquanto isso, os bivalves modernos são alimentadores que coletam partículas de comida da água do mar usando as brânquias modificadas. O modo de vida de escavação e alimentação de filtro restringe os bivalves aos ambientes aquáticos.

A retenção da ancoragem larval pela vida adulta liberou muitos exemplares da espécie de substratos moles. Isso permitiu que eles colonizassem superfícies duras. Isso também foi alcançado por cimentação, como, por exemplo, em ostras.

Um ou outro bivalve pode nadar, embora fracamente, quando removido do sedimento. No entanto, a verdadeira natação é vista apenas na família Pectinidae (vieiras), mas é usada principalmente como uma reação de fuga.

A maioria dos bivalves é encontrada nos mares costeiros, mas sua diversidade é maior nas massas continentais. São nesses lugares onde grandes rios criam habitats deltaicos adequados e a plataforma continental é ampla. Exceto nos tropicais com recifes de coral, poucos seres como estes são encontrados nas ilhas.

Parte desses animais é um tipo de consumidor primário, normalmente explorando material orgânico. As duas subclasses dominantes estão no topo da dieta de muitos predadores.

Cerca de 60 milhões de anos atrás, uma grande radiação adaptativa ocorreu. Pensa-se que a pressão quanto à predação efetiva levou o bivalvia para o subsolo. Com a evolução resultante de muitos dispositivos antipredação na concha, como espinhos, sulcos e dentes, ele agora pode chegar a cavar em grandes profundidades.

Locomoção

Diferentemente de outros grupos moluscos, a locomoção nos bivalves é usada para escapar da predação. Ao contrário dos gastrópodes, o pé do bivalve não possui uma sola rasteira plana. Ele é comprimido lateralmente e apontado para escavação.

Os músculos responsáveis ​​principalmente pelo movimento do pé são os músculos anterior e posterior. Eles retraem o membro e efetuam movimentos de vaivém.

Bivalves Locomoção

O pé é estendido à medida que o sangue é bombeado. Além disso, é impedido de inflar demais por anéis concêntricos de fibras musculares circulares, oblíquas e longitudinais. Elas também ajudam a direcionar a extensão do pé, permitindo uma melhor mobilidade.

Os bivalves têm duas conchas ou válvulas conectadas por uma dobradiça. Eles são feitos de um mineral calcário, calcita ou aragonita. As válvulas são cobertas por um periósforo, que é uma substância orgânica. Isso forma a camada colorida familiar na concha.

As conchas são geralmente mantidas fechadas por fortes músculos adutores. As vieiras podem usar seus músculos para bater as válvulas e nadar.

Comida

Um bivalve absorve água que possui plâncton e outras coisas flutuando nele. Alguns (mas não todos) os moluscos têm uma parte do manto conhecida como sifão (tubo). Sifões, se existirem, vêm em pares, um para sugar, outro para expulsar.

Qualquer coisa pequena o suficiente para caber dentro do orifício do seu sifão recorrente entra no bivalve. Quando o material flutuante entra, ele fica preso no muco viscoso que está na superfície das brânquias do animal. A comida é movida para a boca, que fica do outro lado do sifão. Ela é digerida no estômago e no intestino, e tudo o que não é digerido sai pelo outro sifão, com água.

Os sifões são uma adaptação de moluscos escavadores. Aqueles que vivem acima do substrato (sedimentos), como vieiras e ostras, não precisam deles.

Fatos Curiosos Sobre Movimentos

Como um grupo, os bivalves são adaptados para penetrar e mover-se horizontalmente em terreno macio, como lama e areia.

Vieiras e amêijoas podem nadar para escapar de um predador, batendo as válvulas juntas para criar um jato de água. No entanto, esses métodos esgotam rapidamente o animal.

Comparação Com Braquiópodes

Os bivalves são superficialmente semelhantes aos braquiópodes, mas a construção da concha é completamente diferente nos dois grupos. Nos braquiópodes, as duas válvulas estão nas superfícies dorsal e ventral do corpo. Já no bivalve estão nos lados esquerdo e direito.

O bivalve apareceu no final da explosão cambriana e aumentou no paleozoico, dominando os braquiópodes durante o mesozóico. Assim, pensava-se que os bivalves eram melhor adaptados à vida aquática do que os braquiópodes. Isso fez com que estes últimos fossem mais competitivos.

Braquiópodes

E então? Gostou de conhecer algumas curiosidades sobre os bivalves? Eles são animais muito peculiares, não?

Veja também

Tracajá Como Criar? O que Eles Comem?

Você já ouviu falar do tracajá? Pois bem, tracajá (nome científico Podocnemis unifilis) é uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *