Home / Animais / Alimentação da Ostra: O Que Elas Comem?

Alimentação da Ostra: O Que Elas Comem?

A ostra é um animal sem cabeça que vive no mar. Sua anatomia é protegida entre duas conchas ásperas que permanecem fechadas até serem consumidas. Por esse motivo, a alimentação da ostra é uma incógnita. Como será que isso acontece?

Esse molusco pertence à família Ostreidae, especificamente ao gênero Ostrea e ao grupo de bivalves. Tem parentesco com mexilhões e vieiras. São conhecidas cerca de oito espécies, mas a mais famosa é a Edulis.

Existem alguns tipos de ostras que produzem uma pérola dentro. Isso ocorre devido à sedimentação de determinadas partículas da areia que – com o passar do tempo – se tornam uma pedra muito impressionante, com um valor comercial muito alto.

Este molusco deve ser consumido fresco, logo após sair da água, e de preferência servido em uma cama de gelo picado, mantendo assim seu sabor delicado. Temperada com algumas gotas de limão, a ostra delícia os paladares mais requintados.

Ostra Aberta Com Pérola
Ostra Aberta Com Pérola

Quer saber mais desse animal e como ocorre sua alimentação? Leia o artigo até o final e descubra!

Características da Ostra

A ostra é um molusco que se desenvolve dentro de duas conchas. Em sua fase jovem, essas “carcaças” são um pouco fracas, mas depois se tornam duras e resistentes. Este animal cresce aproximadamente 10 centímetros, embora o diâmetro possa variar dependendo do tipo.

A concha inferior é convexa e a concha superior é mais plana. Em geral, sua anatomia é arredondada e possui bordas irregulares. Tudo isso é textura rochosa. Por fora, sua cor é entre acinzentada e azulada; há até exemplares marrons, enquanto por dentro é branca perolada.

Para entrarmos no mérito da alimentação da ostra, vamos entender sua fisiologia. Este molusco não tem cabeça e é hermafrodita. Ou seja, quando nasce, é masculino e, à medida que cresce, torna-se feminino. Dependendo da salinidade e temperatura da água, bem como da corrente das marés, ela pode mudar de sexo várias vezes em pouco tempo.

Características da Ostra
Características da Ostra

Sua textura é de borracha. É cercada por uma camada externa chamada manto, que é carnuda e garante seu crescimento na casca. A dobradiça é a parte em que as duas conchas se encontram e deve ser cortada para abri-la.

Como os peixes, as ostras respiram através das brânquias e têm um pequeno coração de três câmaras, localizado sob o órgão adutor. Sua função é bombear sangue por todo o corpo.

Cultivo E Reprodução De Ostras

Em muitos países, existem fazendas de ostras, onde são fabricadas em uma espécie de tubo com cimento ou outro material rochoso. Assim é possível aderir conchas submersas no fundo do mar. Após um a três anos, a estação de reprodução começa.

O crescimento dependerá da alimentação da ostra e do habitat onde se desenvolve. É a temperatura da água que ativa seu ciclo de reprodução. No nascimento, é masculino e, a partir do segundo ano, muda para feminino.

A fertilização é externa, ou seja, o macho expulsa o esperma e a fêmea os óvulos, que estão unidos na água. Há uma ostra que libera feromônios como um anúncio desse processo que ocorre no verão, quando a temperatura da água atinge 20° C.

Cultivo de Ostra
Cultivo de Ostra

Uma vez que os óvulos e espermatozóides se juntam, são formadas larvas que viajam com a corrente da água. Elas ficam lá por aproximadamente duas semanas, até que começam a procurar por onde crescer.

Ao chegar ao fundo do mar, se apegam a uma superfície dura e se empoleiram. É então que secretam um tipo de cimento da glândula bisal e a ostra começa a crescer.

Uma ostra pode liberar até cinco milhões de óvulos, enquanto o macho libera 2,69 bilhões de espermatozóides. No entanto, apenas um milhão de larvas são salvas. O resto morre porque não suporta condições de água e predadores.

O ciclo de vida das ostras é de 30 anos. No entanto, muitas atingem apenas 15 anos de vida.

Habitat do Animal

Ostras vivem presas a pedras ou estruturas firmes no fundo do mar. São ricas em plâncton e estão a uma profundidade de até 90 metros.

Sabe-se atualmente que a ostra habita amplamente nas costas europeias, ao sul de Marrocos e no mar Mediterrâneo. Ela também é cultivada em vários países da América do Norte, América do Sul, Japão e Austrália.

Alimentação da Ostra

Se você está curioso para saber sobre a alimentação da ostra, chegou a hora. Ela respira através das brânquias, que recebem os nutrientes que alimentam o molusco. É então que a ostra pega a comida dela, a transporta para a boca e depois a expele como fezes.

A alimentação da ostra se dá por meio de algas e outros órgãos que habitam o mar. Todos os dias ela tem a capacidade de filtrar até cinco litros de água por hora, o que também a nutre.

As cinco espécies de ostras

Existem aproximadamente cem variedades desse animal, mas todas elas pertencem a somente cinco espécies. Entre elas é possível encontrar:

  • Ostras japonesas (ou do Pacífico);
  • Ostras Kumamoto;
  • Ostras atlânticas;
  • Ostras europeias planas;
  • Ostras Olympia.

Além do tipo de água em que crescem, o que os diferencia são suas as conchas. Por exemplo, as conchas europeias planas têm conchas grandes e retas, possuindo sulcos finos. Já as ostras japonesas são menores e têm tripas onduladas.

As Kumamotos também se mostram menores em comparação, sendo que sua concha é um tanto mais pálida e redonda. Elas se assemelham às Olympias, embora tenham conchas mais suaves com uma coloração um pouco iridescente. Em suma, as atlânticas parecem uma gota, uma vírgula ou uma lágrima.

Ostras no Restaurante
Ostras no Restaurante

Ostras Limpam a Água

Cada ostra filtra cerca de 30 a 50 litros de água por dia. Isso mesmo: por dia! Pense em quanta água que essa bivalve impressionante está limpando! É tão incrível imaginar o quanto isso a torna uma criatura, não apenas saborosa, mas também boa para o meio ambiente.

Informação Nutricional

Além da alimentação da ostra é interessante saber que ela contém entre 10 e 15% de proteína e apenas 1% de gordura. É muito rica em minerais, por isso é uma excelente fonte de ferro, cobre, iodo e vitaminas A, B, D e muita vitamina C. Que tal experimentar uma ostrinha depois de saber disso?

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *