Home / Plantas / Banana é Originária De Que País?

Banana é Originária De Que País?

Banana, fruto do gênero musa , da família musaceae, uma das mais importantes culturas frutíferas do mundo. A banana é cultivada nos trópicos e, embora seja mais amplamente consumida nessas regiões, é valorizada mundialmente por seu sabor, valor nutricional e disponibilidade ao longo do ano. As variedades de bananas atuais são cultivadas em mais de 130 países. Vamos conhecer algumas curiosidades sobre a banana.

A Origem da Banana

As bananas comestíveis modernas são resultados híbridos originárias principalmente da musa acuminata, uma bananeira silvestre e nativa das ilhas do sudeste asiático que compõem a Indonésia moderna, a Malásia e a Papua Nova Guiné. As bananas silvestres produzem frutos minúsculos cheios de sementes duras e não comestíveis, sem polpa frutífera. As plantas são diplóides, ou seja, têm duas cópias de cada cromossomo assim como os humanos.

Há milhares de anos atrás, os nativos no arquipélago indonésio perceberam que a carne do fruto de musa selvagem era bastante saborosa. Eles começaram a selecionar plantas musa que produziam frutas com mais carne saborosa amarela e menos sementes. Este primeiro passo na domesticação da banana aconteceu independentemente em muitas das treze mil ilhas indonésias, resultando no desenvolvimento de subespécies distintas de musa acuminata. Quando as pessoas se mudavam de uma ilha para outra, elas levavam subespécies da banana consigo.

A Banana Pelo Mundo
A Banana Pelo Mundo

Toda essa mudança de solo, alterações climáticas e mistura de sementes de espécies diferentes descartadas no solo após o consumo teriam seu efeito. Ocasionalmente, duas subespécies se hibridizariam espontaneamente. Para o grande deleite do nativo que plantou, algumas das bananas híbridas diplóides produziram menos sementes e mais carne de frutas deliciosas. No entanto, as bananas podem ser facilmente propagadas a partir de rebentos, ou mudas, e o fato de cessarem a produção de sementes não teve importância, nem fez diferença.

De Híbrido Diploide a Bananas Triplóides Modernas

Embora a progênie geneticamente idêntica permanecesse infecundo, os híbridos de banana poderiam ser amplamente propagados em muitas das ilhas indonésias. Novas cultivares de banana surgiram por meio de mutações somáticas espontâneas e posterior seleção e propagação pelos primeiros produtores de banana.

Eventualmente, a banana evoluiu para o seu estado partenocárpico através da hibridização. Por meio de um fenômeno chamado restituição meiótica, os híbridos parcialmente estéreis se uniam para formar bananas triplóides (por exemplo, carregando três cópias de cada cromossomo) com frutos grandes, sem sementes, de uma doçura inédita.

Os primeiros produtores de banana deliberadamente selecionaram e propagaram os híbridos de banana de sabor doce e partenocárpico. E como as hibridizações ocorreram muitas vezes e entre diferentes subespécies no arquipélago indonésio, ainda hoje podemos encontrar a maior variedade de sabores e formas de diferentes cultivares de banana na Indonésia.

De Volta a Origem das Bananas Comestíveis

A primeira banana a chegar à Grã-Bretanha veio das Bermudas em 1633 e foi vendida na loja do fitoterapeuta Thomas Johnson, mas o seu nome era conhecido dos britânicos (muitas vezes sob a forma de bonana ou bonano , que em espanhol é estritamente o termo para a ‘bananeira’) por uns bons quarenta anos antes disso. 

Para começar, as bananas geralmente não eram comidas cruas, mas cozidas em tortas e bolinhos. A produção em massa de bananas começou em 1834 e realmente começou a explodir no final da década de 1880. Colonos espanhóis e portugueses levaram a banana com eles através do Atlântico da África para as Américas, e junto com eles trouxeram seu nome africano, banana, aparentemente uma palavra de uma das línguas da região do Congo. Também acredita-se que a palavra banana seja de origem africana ocidental, possivelmente da palavra wolof banaana, e passada para o inglês via espanhol ou português mesmo.

Alguns anos atrás, um grupo de cientistas usou marcadores moleculares para rastrear a origem de cultivares populares de banana como banana ouro, d’água, prata, banana maçã e banana da terra, entre as cultivares de banana e variedades locais existentes. Cultivares que são relacionados uns aos outros através de mutações somáticas pertencem ao mesmo subgrupo. Os cientistas conseguiram restringir a origem umas aos subgrupos de banana mlali e khai. Eles também resolveram as origens das culturas básicas, como bananas da terra. As Bananas da terra são culturas básicas em Uganda, Ruanda, Quênia e Burundi. Após a sua chegada ao continente africano, eles sofreram mais hibridações, acrescentando processos evolutivos com a selvagem de musa balbisiana, levando a um centro secundário de diversidade de banana na África Oriental. O resultado é um híbrido chamado interespécie.

Banana Musa Balbisiana
Banana Musa Balbisiana

As bananas da terra são bananas populares de cozinha e culturas básicas na América do Sul e na África Ocidental. No comércio na Europa e nas Américas é possível distinguir entre bananas, que são comidas cruas, e bananas, que são cozidas. Em outras regiões do mundo, particularmente na Índia, no sudeste da Ásia e nas ilhas do Pacífico, há muito mais tipos de banana e, nas línguas locais, nãos e faz distinção entre bananas e bananas. As bananas da terra são um dos muitos tipos de bananas de cozinha, que nem sempre são distintas das bananas de sobremesa.

Novos Processos Evolutivos

A criação de bananas é um trabalho para o cultivador. Os complicados genomas híbridos e a esterilidade das cultivares de banana comestíveis tornam quase impossível cultivar novas cultivares de banana com características melhoradas, como resistência a patógenos ou maior rendimento.

No entanto, alguns bravos criadores, espalhados em cerca de 12 programas de cultivo de banana em todo o mundo, passam pelo doloroso processo de cruzar as cultivares de banana triplóides com diploides melhorados, polinizando-as manualmente, procurando a polpa de um cacho inteiro de sementes ocasionais que podem formar e resgatar o embrião a partir dessa semente para reconstituir uma nova banana, com a esperança de melhorar as características, como maior rendimento ou melhor resistência a pragas e patógenos. Na Organização Nacional de Pesquisa Agrícola em Uganda, cientistas criaram uma Banana das Terras Altas da África Oriental com resistência tanto à devastadora doença bacteriana quanto à doença da Sigatoka Negra.

Outros cientistas tentam identificar os genes que causam partenocarpia e esterilidade em bananas comestíveis. Resolver o enigma genético por trás da esterilidade da banana abriria as portas para a criação de bananas bem-sucedida e menos trabalhosa e forneceria muitas oportunidades para preservar nossa fruta favorita.

Veja também

Cravo do Maranhão

Plantas em Extinção na Caatinga

Este grande cerrado no nordeste do Brasil fornece habitat para uma variedade de espécies de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *