Home / Natureza / Tudo Sobre O Carrapato: Características, Nome Científico E Fotos

Tudo Sobre O Carrapato: Características, Nome Científico E Fotos

Os carrapatos são amplamente conhecidos no Brasil. Quem tem ou já teve um animal de estimação deve ter cruzado com um desses no caminho, ou ao menos já ouviu falar que eles representam um risco aos animais em geral.

O que nem todo mundo considera – ou ao menos costuma esquecer – é que carrapatos também podem ser uma ameaça aos seres humanos. Em regiões com muita vegetação, pastos e afins é comum que até mesmo as pessoas sejam atacadas por esse parasita.

Sendo assim, entender tudo sobre o carrapato é importante não apenas para que você consiga cuidar bem de seus animais, mas também para que esteja preparado e munido de informações caso você mesmo seja atacado por eles.

Afinal De Contas, O Que É O Carrapato?

Inseto, parasita, aracnídeo…. Se você não sabe como os carrapatos são classificados chegou a hora de tirar essa dúvida.

A primeira informação importante que você vai obter nesse conteúdo é essa: carrapatos não são insetos! Eles são, na verdade, aracnídeos (mesmo grupo onde se encontram as aranhas) parasitas!

• Conhecendo os Parasitas:

Parasitas são organismos vivos que dependem de outros para retirar a sua nutrição. Enquanto se alimentam, parasitas tendem a ferir e prejudicar a saúde do hospedeiro, e em grande quantidade podem causar uma série de doenças.

Essa atividade é chamada de parasitismo, e ocorre entre organismos que são de diferentes espécies. Ou seja: um carrapato precisa se instalar no organismo de outro ser, diferente dele, para retirar os nutrientes que precisa para viver.

Lembre-se sempre que aquele que retira os nutrientes é conhecido como parasita, enquanto o corpo que oferece os nutrientes involuntariamente é conhecido como hospedeiro.

Uma curiosidade bizarra a respeito dos parasitas, inclusive os carrapatos, é que eles precisam que o seu hospedeiro esteja vivo para que tenha alimento por mais tempo. Assim sendo, um parasita não vai matar rapidamente, retirando tudo o que pode.

Isso acontece de maneira gradativa e, na maioria das vezes, dramática, levando o hospedeiro a uma situação cada vez mais definhada, até que finalmente venha a óbito – ou seja tratado.

O carrapato é justamente uma dessas criaturas. para viver ele precisa se instalar no corpo de outro ser vivo, de onde então tirará o seu alimento diário. Por isso ter plena atenção ao aparecimento desse parasita é importantíssimo!

Primo Distante Das Aranhas

As aranhas causam fobias e agonias em muitas pessoas. Em outras, por sua vez, elas despertam grande fascinação, e até se tornam animais de estimação exóticos.

Não podemos dizer o mesmo de seu primo, o carrapato. Essa criatura também é um aracnídeo, como as aranhas e os temidos escorpiões, mas talvez seja o mais detestável de todos.

Afirmamos isso pois a maioria dos aracnídeos é de perfil predador, o que significa que eles caçam outras criaturas para se alimentar. No caso do carrapato, como dissemos antes, ele se alimenta através de uma relação de parasitismo, extraindo tudo o que precisa enquanto prejudica a saúde de seu hospedeiro.

• Aspecto físico:

Uma curiosidade que não podemos deixar de citar é que esse parasita pode ter dois formatos diferentes de corpo. Quando está começando a se alimentar, ainda “vazio”, o carrapato apresenta um formato plano, quase como se fosse apenas uma pele.

Mas, depois de sugar sangue de seu hospedeiro ele se torna oval, parecendo um grão, e adquire uma coloração bege. Pode ficar tão grande que suas patas quase desaparecem por completo. Aliás, eles possuem 8 patas.

O Que Comem Os Carrapatos?

Como já dissemos, os carrapatos não são predadores, mas sim parasitas. Isso significa que eles não caçam e não matam suas vítimas, mas dependem dela viva para que consigam se alimentar durante um longo período.

A forma de alimentação é através de um aparelho sugador. Uma vez que o carrapato consegue chegar até seu hospedeiro, ele se instala em um local da pele – geralmente em regiões onde o animal não consiga morder.

A partir desse momento ele penetra o seu aparelho sugador, chamado de hipotóstomo, na pele do animal, e permanece fixado no local até que esteja completamente alimentado.

Após a alimentação eles podem estar até 600 vezes mais pesados do que quando começaram. Então se desprendem completamente do hospedeiro, e caem no solo para prosseguir o seu ciclo – ou aguardam no mesmo local para que o hospedeiro retorne para a próxima refeição.

Carrapato Mole se Alimentando
Carrapato Mole se Alimentando

Portanto, esses animais são hematófagos, que é justamente o grupo de criaturas que se alimenta de sangue de outros animais para sobreviver – como também acontece com as pulgas, mosquitos, sanguessugas etc.

Apesar de depender do sangue para conseguir avançar pelo seu ciclo de vida, eles conseguem ficar longos períodos sem alimentação – e sobrevivem a isso tranquilamente.

Os machos chegam a ficar 200 dias sem se alimentar e as fêmeas 220. No entanto, se não encontrar um hospedeiro em algum momento o carrapato morrerá.

• Como Os Carrapatos Chegam Até Seus Hospedeiros?

Carrapatos não saltam, tampouco voam. O processo de busca pelo hospedeiro se dá de maneira paciente e demorada.
Os aracnídeos ficam a espreita em locais como folhas, pastos, vegetações etc. Eles então conseguem perceber a presença de um mamífero, seja sentido a respiração ou o calor e vibração corporais do animal. Eles então se prepararam para subir no animal assim que esse se aproxima.

Depois que chegam até o corpo do hospedeiro, alguns carrapatos procuram pelo melhor local para se alimentar, ou seja, as partes onde a pele é mais fina e mais fácil de ser perfurada – como o interior das orelhas ou os meios dos dedos.

Outros se fixam imediatamente em qualquer região. O processo de alimentação pode demorar de 10 minutos a 2 horas para ter início.
Reprodução e ciclo de vida

O processo de reprodução dos carrapatos não é um tanto diferente do que conhecemos. Ela se dá através de uma relação sexuada já que são animais de dimorfismo sexual – isso significa que existem exemplares fêmeas e exemplares machos.

Carrapato Andando no Braço
Carrapato Andando no Braço

O cruzamento entre o macho e a fêmea acontece na pele do hospedeiro. Uma vez fecundada, a fêmea se alimentará mais ainda para manter a saúde dos ovos.

Uma mesma fêmea pode colocar até 5 mil ovos, gerando centenas de carrapatos. Em seu ciclo de vida os carrapatos passam por quatro estágios: ovo, larva, ninfa e adultos.

Após a colocação dos ovos a fêmea morre em seguida na maioria das vezes. Dentro de 30 dias os ovos se tornaram larvas (chamadas micuim), e começam a se movimentar. Então elas se movimentam até um hospedeiro, onde passam cerca de 6 dias se alimentando.

Após esse período retornam ao ninho para esperar a próxima evolução, quando se tornam ninfas. Novamente caminham até o hospedeiro, e se alimentam por 9 dias mais ou menos.

Uma vez que as larvas estejam nos animais elas levam mais ou menos 20 dias para se tornarem fêmeas ingurgitadas, ou seja, fêmeas com muito sangue. Então, após isso elas caem na pastagem e iniciam o período de colocação dos ovos.

Enquanto as fêmeas se desprendem para por ovos os machos passam mais tempo nos hospedeiros, pois costumam acasalar com outras fêmeas – mais jovens – aumentando a população da espécie.

Isso nos faz entender que um carrapato vivo pode gerar milhares de outros. Dessa forma, esse parasita tem um grande potencial de se tornar uma praga, e por isso é importantíssimo ter muita atenção e cuidado para manter o controle adequado.

Descubra Em Quais Regiões Do Mundo Existem Carrapatos

Os carrapatos existem em todas as regiões do mundo, e contabilizam mais de 800 espécies diferentes que já foram pesquisadas e catalogadas. Felizmente, nem todas elas transmitem doenças e são tão nocivas, e algumas até são consideradas importantes para o equilíbrio ambiental.

Isso porque os carrapatos também servem de alimentos para outros animais, como as aves. Por isso muitos fazendeiros e donos de propriedades rurais usam as galinhas como método para conter essa praga.

• Melhores condições para sobrevivência:

Apesar de existirem carrapatos em praticamente todo o mundo, inegavelmente eles preferem locais quentes e úmidos. Por isso mesmo países tropicais, como o Brasil, tendem a ter uma grande população desse aracnídeo.

Engana-se, porém, quem pensa que eles apenas aparecem em locais arborizados e pastos. Os carrapatos também põem se desenvolver com facilidade em ambientes urbanos.

Nesse caso é comum que se instalem em frestas de muros de concreto e em cantos de madeira – como a casinha do cachorro – para fazer a colocação dos ovos e manter o ciclo de vida ativo.

Animais Que Podem Ser Vítimas Dos Carrapatos

Carrapato no Cachorro
Carrapato no Cachorro

A escolha pelo hospedeiro vai depender de uma série de fatores, a começar pela facilidade para subir no animal. Portanto, carrapatos menores costumam escolher animais mais baixos para se alimentar, enquanto aqueles que conseguem subir em locais mais altos acabam escolhendo animais maiores.

Por ocorrerem em praticamente todos os continentes, os carrapatos são uma ameaça para qualquer animal vertebrado, dentre eles os mamíferos, répteis, aves e anfíbios. Também pode ocorrer em animais tanto silvestres quando domésticos.

Por fim, não pense que você está livre do ataque desse parasita Carrapatos se alimentam de sangue, e põem também escolher o ser humano como excelente hospedeiro para lhe oferecer o jantar. Alguns dos animais que costumam ter são:

• Roedores;

• Cães;

• Equinos;

• Bovinos;

• Macacos.

O cuidado com animis domésticos é fundamental pois carrapatos não somente são anti-higiênicos como também são portadores de diversas doenças, assunto que trataremos a seguir.

Informações Científicas – Veja a Ficha de Classificação Desse Parasita

Veja agora as informações científicas a respeito do carrapato, bem como seu reino, classe subclasse e outras informações.

Reino: Animalia

Filo: Arthropoda

Subfilo: Chelicerata

Classe: Arachnida

Subclasse: Acarina

Superordem: Parasitiformes

Ordem: Ixodida

Superfamília: Ixodoidea

Família: Ixodidae e Argasidae

Ixodidae e Argasidae: Saiba Quais São as Diferenças Entre as Famílias

Ixodidae e Argasidae
Ixodidae e Argasidae

É muito comum que falemos em carrapatos como se fosse apenas uma espécie. Mas a verdade é que se trata de uma grande variedade de aracnídeos. Existem mais de 800 carrapatos diferentes, com comportamentos variados.

Anteriormente comentamos que nem todos eles são tão nocivos e transmissores de doenças – felizmente. Mas a maioria é realmente uma ameaça ao bem-estar dos animais.

A primeira coisa importante a saber é que eles são classificados em duas famílias: Ixodidae e Argasidae. Embora sejam muito parecidas, as duas famílias possuem algumas diferenças cruciais.

• Ixodidae:

Nessa família é mais fácil diferenciar machos e fêmeas. Isso porque o macho possui uma carcaça mais resistente, e por isso é conhecido como “carrapato duro”. Já a fêmea possui esse revestimento mais resistente apenas na parte inferior do corpo.

Isso facilita para que o estômago dela se dilate o suficiente quando se alimenta, já que durante a gestação as fêmeas precisam sugar muito sangue, e podem inchar bastante.

• Argasidae:

Já essa família, também conhecida como argasídeos, não possuem essa cutícula mais dura ao redor do corpo. Por isso são vulgarmente chamados de “carrapatos moles”, já que seu corpo é mais frágil.

Dessa forma, uma das principais diferenças dessa família é que se torna um pouco mais difícil de identificar exemplares machos e exemplares fêmeas, pois a estrutura corporal é muito semelhante.

Ambos são potencialmente nocivos pois transmitem diversas doenças. O mais comum é que esses aracnídeos mantenham atividades noturnas e se mantenham abrigados durante o dia. Para isso usam frestas e furos para se esconder.

Conheça Os Carrapatos Mais Populares

Como você já sabe, existem diversas espécies de carrapatos, totalizando mais de 800. No entanto, alguns são raríssimos, enquanto outros são mais conhecidos e mais comuns. Vamos saber quais são eles.

• Carrapato-de-Boi – Rhipicephalus (Boophilus):

O carrapato de boi ocorre com frequência na América do Sul, principalmente nos períodos mais quentes do ano nesse continente. Ele é da família dos Ixodidae.

O seu nome não é à toa. Esse carrapato costuma escolher os bovinos como seus hospedeiros ideais. Eles são grandes transmissores de doenças, e já causaram perdas bilionárias na agropecuária brasileira.

Carrapato-de-Boi
Carrapato-de-Boi

• Carrapato-vermelho-do-cão (Rhipicephalus sanguineus):

Se você já teve a infelicidade de encontrar um carrapato em seu animal de estimação provavelmente foi esse exemplar aqui. Ele também é da família Ixodidae, e pode acometer pessoas.

Uma das características desse carrapato é que ele costuma permanecer no local onde seu hospedeiro dorme. Assim ele retorna para o corpo do animal sempre que necessita de alimentação.

As fêmeas colocam de 2 a 3 mil ovos por dia. Isso torna esse um carrapato de grande potencial epidêmico, e por isso o seu controle é fundamental. caso contrário você terá a casa tomada por esse aracnídeo.

Não somente o carrapato-vermelho-do-cão é um importante transmissor de doenças como também pode prejudicar o animal levando-o a uma situação de anemia por espoliadora.

Alguns Carrapatos Precisam De Mais De Um Hospedeiro!

Outra curiosidade que muita gente não sabe é que existem carrapatos que precisam de 1, 2 ou até três hospedeiros diferentes. Vamos entender melhor como isso acontece esses processos.

• 1 hospedeiro:

Nesse caso todo o ciclo de vida do carrapato se dá em apenas um hospedeiro. Ou seja: uma vez que as larvas eclodem elas se deslocam até o corpo do animal, e lá permanecerão até se tornarem fêmeas adultas prontas para desprender, ou machos prontos para reprodução.

Conhecido como carrapato e inverno, o Dermacentor albipictus e o carrapato Boophilus microplus são dois exemplos que vivem justamente esse ciclo mais simples, e dependem apenas de um hospedeiro.

• 2 hospedeiros:

Nesse caso os carrapatos seguem um processo diferente. As larvas eclodem e vão até o hospedeiro, onde permanecem até se tornarem ninfas. Nessa fase elas continuam se alimentando de sangue até se tornarem adultas.

Quando estão ingurgitados, o que significa que estão cheios de sangue sugado, eles deixam o hospedeiro, e buscam por um ambiente seguro onde permanecerão até se tornarem adultos.

Novamente se deslocam e buscam por um segundo animal para servir de alimento, agora até que cruzem e se desprendam para a colocação novos ovos, quando o ciclo e dois hospedeiros se conclui.

O Hyalomma anatolicum excavatum, um carrapato que costuma viver no litoral mediterrâneo, e ataca gados, ovelhas, cabras e cavalos é um exemplo de carrapato de dois hospedeiros.

• 3 hospedeiros:

Carrapato de 3 Hospedeiros
Carrapato de 3 Hospedeiros

O carrapato de três hospedeiros é o maior de todos. Eles levam até um ano inteiro para concluir o seu complexo ciclo de vida.

Quando eclodem como larvas, eles se hospedam em animais e pequeno porte, como ratos e aves pequenas. Lá permanecem até se tornarem ninfas, e então se desprendem para buscar animais de médio porte.

Após ingurgitados se desprendem novamente até se tornarem adultos. Então buscam o terceiro e último hospedeiro, onde deverão acasalar e se alimentar até que os ovos estejam prontos para serem colocados. Os machos continuam no hospedeiro, onde permanecem acasalando e gerando novos filhotes.

Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre O Temido “Carrapato Estrela”

O nome científico é feio, tal qual a sua fama: Amblyomma cajennense, ou, Carrapato Estrela. Ele foi catalogado no ano de 1787, e também pode ser citado como “carrapato do cavalo”.

São os equinos mesmo as grandes vítimas desse parasita. Ele costuma habitar pastos e regiões forrageiras, e aproveita qualquer oportunidade para se grudar ao corpo de um cavalo.

Mas, outros animais, inclusive domésticos, não estão completamente livres desse carrapato. Por isso mesmo cães que costumam passear por regiões com cavalos tendem a pegar o carrapato estrela com maior facilidade.

O motivo pelo qual o carrapato estrela se tornou tão popular no Brasil é que ele é o vetor principal de uma zoonose chamada de Febre Maculosa.

Carrapato Estrela
Carrapato Estrela

• O que é uma Zoonose?

Se você levar um animalzinho ao veterinário por apresentar algum problema de pele ou qualquer tipo de doença, poderá ser surpreendido por essa frase: se trata de uma zoonose.

Na prática isso significa que é uma doença com potencial epidêmico, e que pode pegar em pessoas. Por isso o profissional que atende esse animal precisa imediatamente notificar o órgão responsável pelo controle de saúde do local.

Dessa forma os casos são acompanhados e contabilizados, de modo que o problema seja contido e não atinja outros animais e principalmente não chegue a infectar seres humanos.

• Febre Maculosa:

A febre maculosa é uma doença considerada zoonose, e é transmitida pelo carrapato estrela. No Brasil ela também ficou conhecida como febra do Carrapato justamente fazendo alusão ao seu principal vetor.

O carrapato faz parte do processo de sobrevivência da bactéria Rickettsia rickettsii, causadora da doença, e precisa transmiti-la para que ela se mantenha viva.

O carrapato-amarelo-do-cão também é um vetor e pode ser encontrado no Brasil. O ataque a seres humanos costuma acontecer ainda nas fases de larva ou ninfa, e não quando o carrapato já está maduro.

A doença costuma permanecer incubada por 10 dias, e se manifesta aos poucos. Os seus sintomas são muito comuns e parecidos com outros diversos quadros, o que acaba complicando e dificultando um diagnóstico. Alguns dos sintomas são:

• febre

• náusea

• vômitos

• dor de cabeça severa

• dores musculares

• falta de apetite

Na sua fase mais avançada ela se torna um pouco mais característica, pois é comum que os pacientes se sintam doloridos – sobretudo no abdômen e nas articulações e tenham diarreia. Além disso, surgem manchas por todo o corpo, inclusive nas palmas das mães e dos pés.

Se não tratada rapidamente a febre maculosa pode se tornar um quadro muito preocupante e até fatal. Ela acaba desencadeando uma série de outras doenças, dentre as quais: miocardite, insuficiência respiratória grave, insuficiência renal entre outras.

Como É Feito O Tratamento Dessa Doença?

Uma vez que uma pessoa seja identificada com febre maculosa, é necessário e extremamente importante iniciar um tratamento com antibióticos, a fim de conter os efeitos causados pela bactéria, enfraquecendo a mesma.

Também será administrado remédio para febre, pois a temperatura precisa ser estabilizada para evitar problemas mais sérios, como convulsões.

Esses sintomas são muito parecidos com muitos outros quadros, e por isso a atenção precisa ser plena. O mais importante é que você jamais se automedique, e sempre busque primeiro a orientação de um médico.

Febre Maculosa
Febre Maculosa

Quais Outras Doenças Um Carrapato Pode Carregar?

Para a nossa infelicidade os problemas causados pelos carrapatos não param por aí. Além da febre maculosa, que é uma doença verdadeiramente preocupante, eles podem ser vetores de muitos outros quadros.

As doenças podem acometer seres humanos, mas muitas delas se restringem aos animais. Algumas possuem sintomas tão singelos e discretos que fica difícil perceber o problema rapidamente.

• Babesiose Canis:

Também conhecida como Babesiose Canina, essa é uma doença muito ruim e que pode levar o animal à morte. Isso porque ela afeta os glóbulos vermelhos do sangue, aumentando as chances de anemia.
também causa anorexia – falta completa de apetite – e depressão. Os primeiros sintomas acabam sendo comportamentais, e ficar de olho no seu pet é fundamental para iniciar o tratamento imediatamente. O transmissor dessa doença é o carrapato marrom.

• Doença de Lyme (zoonose):

Uma doença rara, mas que pode se retransmitida pelos carrapatos, e tem um potencial perigosíssimo tanto para animais quanto para seres humanos – por isso é uma zoonose.

A doença começa com uma mancha vermelha circulada em anéis mais claros e mais escuros. Com o passar do tempo pode causar febre, dores, fadiga, paralisia entre outros sintomas. Ela ainda pode causar infecções graves nos olhos e no fígado.

A infecção bacteriana é mais comum na América do Norte, principalmente nos Estados Unidos, em algumas regiões da Europa.

• Ehrlichiose:

Representada inicialmente por indisposição e falta de apetite, essa doença de origem bacteriana pode se desenvolver para quadros mais graves como vômito, diarreia, cegueira, anemia, depressão.

Ela ataca principalmente cães, e é causada pela picada de carrapatos. No entanto existem evidências de que gatos e seres humanos já foram encontrados com a doença.

Muitas vezes todas essas doenças são chamadas de “doença do carrapato”. Esse foi um termo adotado no Brasil para designar todos os males que são de alguma forma transmitidos ou causados por esses aracnídeos.

Muitas outras doenças, no entanto, podem ser causadas por carrapatos também. Essas são apenas algumas que citamos – mas cada país acaba identificando diferentes quadros, como a Febre Hemorrágica, no Congo.

Como Diminuir a Ocorrência de Carrapatos em Cães?

A melhor forma de evitar qualquer um desse quadros – que como pudemos ver podem ser bem preocupantes – é mesmo através da eliminação total dos carrapatos.

Por isso pessoas que criam animais de estimação, gados ou equinos devem ficar olho e manter total atenção para evitar o problema com os aracnídeos.

Carrapatos podem ser eliminados a partir do uso de produtos próprios para contenção desse parasita. No entanto, remédios para bovinos, equinos e caninos são diferentes, e precisam ser prescritos por um veterinário especializado para que não comprometa a saúde dos animais.

Além disso, é importante fazer uma higienização do local, evitando assim que novas larvas cheguem a eclodir, e retornem aos animais. Caso contrário você terá o mesmo problema dentro de pouco tempo, considerando que uma fêmea pode dar à luz milhares de novos carrapatos.

Cuidando de Cachorro Com Carrapato
Cuidando de Cachorro Com Carrapato

Existem diversas receitas de remédios caseiros que podem auxiliar no combate desse parasita, mas somente para uso em cães. De qualquer forma, é importante obter informações adequadas com um médico veterinário de sua confiança para assim evitar qualquer alergia e problemas com os cães.

É importante considerar que quando você encontra um carrapato em seu animal provavelmente não será a única ocorrência. As possibilidades de haver uma infestação é muito grande, e por isso as estratégias devem ser voltadas não somente para eliminar esse que foi encontrado, mas também qualquer existência de larvas e ninfas.

No caso de pastos e locais com grande vegetação o mais indicado é contratar uma empresa especializada para fazer a dedetização do ambiente, livrando o local de todas as pragas, inclusive os aracnídeos.

O Que Fazer Quando Encontrar Um Carrapato Em Um Ser Humano E/ Ou Em Um Animal?

Como explicamos em outros momentos, os carrapatos fixam-se na pele através de seu aparelho sugador. Dessa forma eles fazem uma pequena fissura, um furo na pele, de modo que consigam sugar o sangue através desse espaço.

Somente arrancar o aracnídeo do local pode não ser a melhor solução, embora seja o impulso imediato. Acontece que quando você arranca o carrapato corre risco de não somente deixar o sugador lá, como também pode causar ferimentos e complicações na região afetada.

• Usando a Pinça:

A melhor forma de remover o parasita é utilizando uma pinça. Ela deve ser manuseada com cuidado, pois a intenção é remover o aracnídeo inteiro, e não somente arrancar o corpo, deixando o sugador no local.

Por isso, certifique-se de pegar com cuidado, bem perto do que seria a cabeça do carrapato, ou seja, a parte que está grudada na pele. Assim é mais fácil removê-lo por completo.

Ao arrancar, faça a higienização do local utilizando um soro fisiológico ou algum outro tipo de desinfetante próprio para ferimentos.

Tirando Carrapato Com a Pinça
Tirando Carrapato Com a Pinça

• O Que Fazer Com O Carrapato Removido?

Uma vez que o parasita tenha sido retirado com cuidado deve-se colocá-lo em um recipiente com álcool e tampar. Lá ele morrerá.

Se você simplesmente descartar o carrapato no chão, na privada ou no esgoto existem chances grandes de que ele sobreviva e retorne ao seu animal, ao seu corpo, ou no corpo de outra pessoa.

Ele somente deve ser descartado depois de morto. Estourar o carrapato pode ser uma experiência desagradável e nojenta, e por isso também não é indicada, principalmente quando ele já está ingurgitado.

Descubra Em Quais Partes Do Corpo Do Animal Os Carrapatos Mais Se Alojam

Lembre-se de que os carrapatos tendem a procurar por locais mais fáceis de serem perfurados. Então eles buscam por regiões em que a pele é um pouco mais fina, o que facilitará o processo de alimentação através do sangue.

Nos cães, por exemplo, eles costumam se alojar em locais bem escondidos, que também dificulta para que o animal coce e arranque o parasita com os próprios dentes. Sendo assim, é essencial ficar de olho nos “cantinhos” do corpo de seu cachorro, tais como:

• Na virilha;

• Entre os dedos;

• Nas dobras externas dos genitais;

• Nas partes internas e dobras das orelhas.

Casos em que os carrapatos aparecem em locais aparentes, como olhos, boca, focinho, costas etc. podem indicar uma infestação. Ou seja, é possível que o animal esteja tomado pelos carrapatos.

Nesse caso a consulta veterinária se faz necessária, bem como um banho profissional, com produto indicado para conter a infestação.

Novamente destacamos que nesse caso também se faz importantíssima a higienização do local, de modo que seja evitado o surgimento de novos carrapatos provenientes de larvas e ninfas que já tenham sido colocadas pelas fêmeas adultas.

• É Possível Se Prevenir Contra Os Carrapatos?

A prevenção não tem muito segredo. A melhor forma é mesmo analisar com atenção os animais, assegurando-se sempre que não haja a ocorrência de carrapatos.

Para quem trabalha em campos, pastos e locais onde pode ocorrer infestação, é indicada a utilização e roupas claras, preferencialmente brancas, que facilitam a visualização caso apareça um carrapato.

Você também pode utilizar botas e botinas de modo que proteja as pernas contra esses parasitas. Afinal de contas, eles costumam se posicionar em vegetação baixa para tentar alcançar o corpo de suas vítimas.

Carrapato no Dedo
Carrapato no Dedo

Conheça Os Melhores Métodos Para Contenção De Carrapatos Em Cães

Agora que você já sabe um pouco mais a respeito do que fazer e como agir caso apareça um carrapato em seu melhor amigo, vamos dar dicas de alguns modelos de remédios que são bastante utilizados para contenção dessa praga.

• Coleiras:

Existem coleiras que são amplamente utilizadas ao combate de carrapato. Elas podem ser postas no animal e manterão a liberação de medicamento próprio para eliminar os carrapatos e as pulgas.

No entanto, elas se tornam ineficazes quando são molhadas com uma grande quantidade de água, e perdem o seu efeito. Também é preciso checar com antecedência se o seu cachorro não possui nenhum tipo de alergia ou irritação ao remédio liberado pela coleira.

• Shampoos Próprios Para Cães:

Shampoos Próprios Para Cães
Shampoos Próprios Para Cães

Os shampoos próprios para cães costumam já trazem em sua fórmula ingredientes de combate aos carrapatos. Porém eles são eficazes apenas no banho, e não garantem a eliminação de ovos, larvas e ninfas que já tenham sido colocados.

É comum que após o banho os animais não tenham mais pulgas ou carrapatos, mas acabem se tornando infestados novamente dentro de pouco tempo. Por isso é importante sempre combinar um bom banho com a higienização do ambiente em que o cachorro fica.

• Talcos:

Os talcos se mostram um pouco mais eficientes uma vez que podem cair do pelo do animal no local onde ele dorme, ajudando a controlar a infestação. No entanto eles não deixam resíduos que evitem a chegada de carrapatos posteriormente.

• Sprays:

Existem diversos sprays que podem ajudar bastante no combate a carrapatos, e que se mostram verdadeiramente eficientes. Eles costumam agir imediatamente, matando os parasitas ativos.

Além disso, alguns sprays podem manter a ação de combate ao carrapato por até um mês, evitando assim que novos ovos possam eclodir. É com certeza uma opção interessante para conter o problema, mas não elimina a necessidade de fazer checagens frequentes no corpo do animal.

• Comprimidos:

Em alguns casos os cães podem ficar com a pele muito irritada por conta da infestação de carrapatos. O correto, nesse caso, é realmente buscar um veterinário para lhe dar orientação a respeito do que fazer.

Geralmente eles indicam medicação oral, através de comprimidos que vão agir eliminando os parasitas. A principal vantagem desse método é que ele não vai piorar a irritação cutânea, ou mesmo causar qualquer desconforto e ardor em ferimentos que tenham sido previamente causados pelo aracnídeo.

• Inseticidas:

O uso de inseticida pode ajudar bastante na contenção de casos mais graves de carrapatos, mas deve ser aplicado somente no ambiente, e não diretamente na pele do animal.

É importante que o animal seja retirado do local por algumas horas para que não corra o risco de ter uma intoxicação. Também indicamos que você mantenha o local bem arejado, com corrente de ar para eliminar o cheiro.

Tenha em mente que a eliminação do carrapato não deve colocar em risco o bem-estar de seus animais. Assim sendo, qualquer estratégia deve ser debatida antes com um veterinário de sua confiança, de modo que você escolha a melhor forma de se livrar dos parasitas.

Curiosidades Sobre o Carrapato

Apesar de detestáveis em muitos aspectos os carrapatos também são criaturas muito complexas e interessantes, sobretudo para quem possui curiosidade com relação ao mundo dos animais, insetos e parasitas.

Vamos relembrar algumas curiosidades que tratamos no decorrer desse conteúdo e conhecer alguns fatos novos a respeito desse parente distante das aranhas.

• Carrapatos Não São Insetos!

Os carrapatos não são insetos! Se trata na verdade de um parasita do grupo dos aracnídeos, que também inclui as aranhas e os escorpiões.

• Variedade:

Existem mais de 800 espécies diferentes de carrapatos, sendo que nem todas elas são vetores e transmissoras de doenças (felizmente!). Alguns, inclusive, servem de alimentação para outros animais, como as aves, e fazem parte essencial do equilíbrio natural de suas regiões.

• Você Também Pode Ser Um Hospedeiro!

Carrapatos não atacam apenas animais. Eles procuram hospedeiros que possuam sangue suficiente para alimentá-los durante um longo período. Por isso o ser humano também pode pegar carrapatos – e pode demorar algum tempo para vê-los no corpo.

• Não São Transmissores Imediatos De Doenças:

Diferentemente do que muita gente pensa, a picada do carrapato por si só não transmite doenças. Se ele for removido rapidamente, as chances de complicações são mínimas, quase nulas. Leva horas para que o carrapato comece a transmitir alguma coisa ao seu hospedeiro.

• Não Remova Com as Mãos!

A remoção de um carrapato com as mãos pode complicar muito mais a situação. O ideal é usar uma pinça para retirar o parasita do local, tendo o cuidado de removê-lo por inteiro, inclusive com o seu aparelho sugador – que é a parte que fica inserida na pele do hospedeiro.

• Vacinas Podem Ajudar a Conter Doenças Causadas Pelos Carrapatos:

Para os cães existem vacinas que podem ajudar a diminuir as chances de contrair a doença de Lyme, que é transmitida por um carrapato. Infelizmente não existe o mesmo método para humanos, uma vez que os organismos de cães e pessoas são bem diferentes.

Conhecer tudo sobre carrapato é importante para que você esteja preparado caso se depare com um desses aracnídeos. E se isso acontecer, tenha o cuidado de fazer uma manutenção no local, livrando-se dos carrapatos jovens e ovos que possam ter sido postos no local.

Veja também

Quanto Tempo é Necessário Para o Solo se Formar?

O solo é composto de camadas aproximadamente paralelas à superfície da Terra, em resposta a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *