Home / Natureza / Qual A Diferença Entre Fungo e Levedura?

Qual A Diferença Entre Fungo e Levedura?

Origem dos Fungos e Características Gerais

Você sabia que antigamente, os fungos eram considerados plantas? Pode parecer inacreditável, mas os fungos faziam parte do Reino Vegetal. Após anos de pesquisas, estudiosos da área da micologia — ciência que estuda fungos —, constataram que estes seres tinham características bastante singulares, transformando-os em um reino completamente novo, o Fungi. 

Diferentemente das plantas, os organismos do Reino Fungi não produzem seu próprio alimento e dependendo de outros seres para se alimentarem. Logo, de acordo com cada alimentação, são classificados como Saprófagos (ou Decompositores), Predadores ou Parasitas.

Apesar destas singularidades, assim como todos os outros seres vivos, esses micro-organismos são constituídos por células. São seres eucariontes, ou seja, o núcleo da célula é separado do citoplasma por uma membrana chamada carioteca; e não têm celulose em sua parede (diferente das plantas). O crescimento celular, porém, se difere de alguns fungos para outros e estes são nomeados Fungos Filamentosos ou Leveduras.

Qual A Diferença Entre Fungo e Levedura?

A principal diferença se dá na quantidade de células em sua formação. Os seres multicelulares — que são maioria do Reino Fungi —, são denominados Fungos Filamentosos. 

Já a pequena parte classificada como unicelular, são chamadas de Fungos Leveduriformes ou Leveduras. Mas apesar desta diferença, quais são as características e particularidades de cada um deles?

Fungos Filamentosos

Fungos Filamentosos
Fungos Filamentosos

Características

As colônias de fungos filamentosos são formadas por hifas, estruturas multicelulares em formato de tubos ou filamentos. Um conjunto de hifas são denominadas micélios, sendo estes cenocíticos ou septados. Possuem micélios septados os fungos das divisões Ascomycota, Basidiomycota e Deuteromycota, já os que apresentam micélio cenocíticos, são os fungos das divisões Mastigomycotas e Zygomycotas.

Estes micro-organismos se caracterizam pela aparência algodonosa, aveludada ou pulverulenta. Alguns exemplos de fungos filamentosos são os mofos, cogumelos e o Armillaria bulbosa, um fungo que chega a medir quilômetros de comprimento e metros de diâmetro, considerado hoje o maior ser vivo do mundo.

Reprodução

A reprodução das colônias filamentosas acontecem de maneiras sexuada e assexuada, por meio da produção de esporos. Na reprodução assexuada geram gomos, brotos ou ramificações. No caso de produção de hifas aéreas podem surgir corpos reprodutivos de diversos tipos, como os conídios. Após o processo de meiose se formam esporos haploides. 

Na reprodução sexuada, podemos observar a existência de três fenômenos em cadeia: plasmogamia, cariogamia e meiose. Na plasmogamia ocorre a junção das células de dois micélios; no fenômeno da cariogamia há a produção de zigotos, sendo que esta etapa do processo pode demorar meses ou anos. Por fim ocorre a Meiose, que resulta também na formação de esporos haploides.

Habitat

Como habitat, costumam viver em locais escuros e úmidos para realizar sua reprodução. São encontrados em diversos ambientes, incluindo locais extremos como o deserto, em sedimentos de mar e em áreas com elevadas concentrações de sais ou radiações ionizantes (fungo radiotrófico). E pasmem! Fungos filamentosos podem sobreviver no espaço! Alguns deles são resistentes às intensas radiações ultravioleta e cósmicas encontradas durante as viagens espaciais. 

Levedura

Levedura
Levedura

Características

Diferente dos fungos filamentosos, as Leveduras são invisíveis a olho nu e requerem o auxílio de um microscópio para enxergá-las. Já foram catalogadas 1500 espécies de leveduras e estima-se que este número é somente 1% de todas as espécies de fungos presentes na terra. O tamanho das leveduras podem variar muito, medindo entre 3 a 40 mm de diâmetro. Podem ser classificadas em dois filos Ascomycota e Basidiomycota.

Reprodução

Fungos Leveduriformes geralmente são assexuados, se reproduzindo por brotamento ou gemulação. Formam-se gêmulas ou brotos, que tanto podem se separar da célula original como permanecer grudados, formando assim cadeias de células. 

Além disso, algumas leveduras podem se reproduzir por fissão, ou seja, a célula-mãe se divide em duas células filhas.

Habitat

Por serem parasitas, as leveduras vivem em locais que apresentam matéria orgânica como animais, plantas e principalmente o corpo humano. Algumas delas são cultivadas para uso específico de fermentações ou para pesquisas científicas.

Importância dos Fungos Para O Mundo

Existem muitas espécies de fungos que são úteis aos seres humanos e ao ecossistema de modo geral, servindo também para fomentar a indústria de alimentos e bebidas, e também a biomédica. Uma das atividades mais importantes dos fungos é o processo de decomposição da matéria orgânica. Junto às bactérias, estes seres realizam a degradação da matéria orgânica para adquirir energia. 

É na decomposição que a matéria orgânica é transformada em partículas menores e nutrientes, que são devolvidos ao meio-ambiente para que sejam reaproveitados por outros organismos. E este processo é fundamental para que ocorra o Ciclo Biológico, processo de constantes interações entre as várias espécies do planeta e elementos químicos, que garante a continuidade da vida na Terra.

Preservação do Meio-Ambiente

Além disso, os fungos fazem parte do tratamento de águas que, por ventura, estejam contaminadas. Uma pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) descobriu recentemente que algumas categorias de fungos (no caso, os filamentosos) ajudam na biodegradação de derivados do petróleo. 

A bióloga Flávia Arruda, responsável pela pesquisa, garante que a técnica denominada Biorremediação se orienta pela ação desses micro-organismos na decomposição de determinados poluentes.

Em relação às leveduras, uma pesquisa liderada pelo Instituto Oswaldo Cruz identificou que fungos leveduriformes são benéficos para larvas do mosquito Aedes aegypti criadas em laboratório. Esta descoberta é uma etapa fundamental para o desenvolvimento de inibidores no combate à Dengue.

Preservação do Meio-Ambiente
Preservação do Meio-Ambiente

Gastronomia

Na gastronomia, os fungos filamentosos desempenham um papel muito importante na produção de queijos artesanais, fermentando o leite de queijos como o Roquefort (feito a partir do leite de ovelha) e o Gorgonzola (leite de vaca). 

Vale lembrar que na culinária de vários países, se tem o costume de comer alguns cogumelos como o Champignon, Portobello e Shiitake, exemplos de fungos filamentosos dos filos Ascomycota e Basidiomycota.

Champignon na Panela
Champignon na Panela

Já as leveduras são as grandes responsáveis pela produção de massas, cervejas e vinhos. Por serem anaeróbicas, leveduras realizam fermentação. Neste processo, o fungo utilizado pertence à espécie Saccharomyces cerevisiae, que transforma a glicose em energia, liberando etanol (álcool) e dióxido de carbono (CO²). Na fabricação de bebidas alcoólicas o importante é somente o álcool produzido na fermentação, enquanto na preparação do pão, é o CO².

Remédios

Os Fungos podem também ser uma importante ferramenta para o setor da Biotecnologia e cuidados com a saúde. Exemplo disso é o uso do fungo Penicillium roqueforti na produção do antibiótico Penicilina, que costuma ser utilizado para combater várias doenças. 

Além deste medicamento, existem outros como o Imunossupressor Ciclosporina (utilizado em transplantes para evitar a rejeição ao órgão) sintetizado pelo Acremonium chrysogenum e a Lovastatina, utilizada para a diminuição do colesterol e gerado pelos fungos Monascus ruber e Aspergillus terreus.

Aspergillus Terreus
Aspergillus Terreus

A levedura da cerveja além de ser utilizada para a fabricação da bebida, também é uma rica fonte de vitaminas, minerais, fibras e proteína completa, com todos os aminoácidos essenciais. Seu consumo ajuda a regular o metabolismo do açúcar, diminuir o colesterol elevado, melhorar a memória, regular o funcionamento intestinal e desintoxicar o organismo, dentre outros benefícios.

Danos Causados por Fungos Filamentosos e Leveduras

Apesar de representarem parte valiosa para a manutenção do meio ambiente e fomentação da indústria gastronômica e bioquímica, há ocorrências e tipos de fungos que requerem de nós certos cuidados.

Degradação de Objetos e Ambientes

Um dos grandes problemas causados pelos fungos filamentosos é o mofo. Este micro-organismo costuma infectar madeiras, gessos, materiais biodegradáveis, dentre outros locais que apresentem texturas capazes de reter depósito de sujeiras, ótimo meio nutricional para esses micro-organismos. 

Sua proliferação resulta desde colônias com uma tonalidade acinzentada (que pode ser facilmente removida com pano úmido), até aquelas que produzem alguns pontos pretos mais difíceis de serem retirados, provocando a corrosão. 

Doenças Dermatológicas, Respiratórias e Alérgicas

Certos tipos de fungos podem causar mal, tanto a saúde animal, quanto a vegetal. Dentre as consequências de sua propagação, estão problemas dermatológicos, alérgicos e respiratórios naqueles que vivem ou frequentam o lugar infectado. 

Algumas espécies de fungos filamentosos, como o Stachybotrys, liberam toxinas que causam inflamação pulmonar. O mofo também pode provocar doenças de pele, causando eczema e dermatite atópica. Para evitar que isso aconteça, mantenha o ambiente sempre limpo, deixe janelas e portas abertas e utilize produtos específicos para mofo.

Fungo Stachybotrys na Parede
Fungo Stachybotrys na Parede

Quanto às leveduras, existem tipos que podem ser altamente patogênicos e dentre eles, estão os fungos que causam as micoses e as candidíases. O fungo Candida albicans, provoca a candidíase, afetando principalmente os órgãos genitais ou a boca. Já a micose é causada por tipos de fungos que se alimentam de gordura e queratina. Ocorre em áreas do corpo ricas em queratina (unhas) e nas menos ventiladas que ficam quentes e úmidas (como virilha e dedos do pé).

Para não contrair estas doenças deve-se evitar andar descalço, nunca usar toalhas compartilhadas, enxugar-se bem após o banho, evitar o uso de roupas molhadas, usar sempre roupas íntimas de fibras naturais, não utilizar pentes ou escovas de cabelo de outras pessoas. O tratamento é feito com a utilização de cremes antifúngicos e antibióticos orais, sob a orientação de um dermatologista.

 Intoxicações Alimentares

Além de ambientes e objetos, estes fungos costumam se proliferar em perecíveis como pães e frutas, iniciando um processo de decomposição destes alimentos. Evitar que ela aconteça é um procedimento importante nesses casos e o ato de armazenarmos alimentos na geladeira é o meio mais viável para evitar a decomposição precoce. É de extrema importância que ao comer um alimento, verifiquemos se o mesmo não se encontra embolorado. Em caso afirmativo, o certo é jogar o alimento no lixo. 

Outros exemplos de intoxicação alimentar fúngica são os efeitos de se ingerir cogumelos tóxicos como a Amanita muscaria, que contém compostos químicos com propriedades psicoativas, causando vertigem, náusea, sono e alucinações.

Veja também

Arminho Gigante Existe? Qual o Seu Tamanho? Onde Vive?

Você conhece ou já ouviu falar sobre o arminho? Pois bem, este animal é um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *