Home / Natureza / Onde Nascem os Cogumelos e Onde Eles se Reproduzem?

Onde Nascem os Cogumelos e Onde Eles se Reproduzem?

O modo como nascem os cogumelos e os locais onde eles se reproduzem são tão ou mais exóticos e singulares quanto as próprias espécies.

Basta saber, por exemplo, que eles podem se reproduzir, tanto de forma sexuada como assexuada; e em ambos os casos os seus esporos executam um papel essencial para o seu desenvolvimento.

Estes esporos, como se sabe, são corpúsculos que apresentam estruturas necessárias à reprodução dos fungos, mas também de bactérias, plantas, entre outras espécies. E ao serem levados pelo ar tratam de garantir a proliferação de inúmeras variedades de seres.

Um determinando fungo, por exemplo, poderá desenvolver-se pela multiplicação das células desses esporos em um processo de extensão ou bifurcação, que resulta naqueles conhecidos bolores, mofos, liquens, leveduras, entre outras espécies que aproveitam-se de ambientes úmidos e com boa quantidade de matéria orgânica que utilizam como alimento ou para a sua decomposição.

Também pode acontecer de um cogumelo (ou outras variedades de fungos) fragmentar-se, e desse fragmento começar a formar-se outras unidades, e assim sucessivamente; em um dos fenômenos mais fascinantes desse não menos fascinante Reino Fungi.

Mas para esse processo será necessário que o futuro cogumelo constitua-se primeiro na forma de hifas, que em quantidade suficientes transformar-se-ão em micélios, que por sua vez (já capacitados para a reprodução) irão produzir grandes quantidades de esporos.

Cogumelos Características

Mas é na reprodução sexuada que a natureza dá um daqueles shows de eficiência e originalidade! Pois, nesse caso, juntar-se-ão uma ou mais hifas (do mesmo micélio ou de micélios diferentes) para a constituição de um novo micélio. E mais para frente deverá surgir uma espécie de zigoto, que deverá continuar um processo de divisão celular até constituírem-se novos núcleos celulares.

Estes núcleos se interpenetram e ligam-se ao principal por uma espécie de ramo; constituindo, a partir daí, novos esporos no núcleo principal.

A Originalidade do Nascimento e da Reprodução dos Cogumelos

Na reprodução sexuada dos cogumelos, como dissemos, também é possível, de forma artificial, produzir “sementes” que geralmente são utilizadas para pesquisas; ou mesmo para a produção de variedades especiais de cogumelos, mais resistentes, com alta produtividade e capazes de suportar condições adversas de temperatura e umidade.

Porém essa é uma técnica pouco utilizada, já que os gastos de recursos, tempo disponibilizado, a necessidade de separar os melhores exemplares de forma meticulosa, entre outros cuidados, acabam por inviabilizar esse método.

Isso sem contar o fato de que, mesmo após nascerem os cogumelos por meio dessa técnica de reprodução, eles ainda deverão continuar a sua multiplicação pelo bom e velho método da reprodução assexuada (por meio de esporos).

Já a técnica de reprodução assexuada é a mais utilizada (e recomendada), e pode ser levada a cabo a partir de qualquer parte da espécie, que deverá ser acondicionada em um substrato de qualidade, e ainda sob temperatura e umidade adequadas.

Essa técnica garante que os cogumelos mantenham todas as características genéticas do fragmento do qual se originou: Mesma textura, coloração, consistência, capacidade produtiva e de frutificação, aspecto, forma, entre outras características.

E o processo deverá ser sempre o mesmo: Tem-se a formação de hifas vigorosas, que por sua vez darão origem a micélios robustos, e que se tornarão visíveis na forma de um cogumelo adulto. E a depender dos cuidados aos quais forem submetidos, você ainda terá espécies com qualidade tipo exportação.

A Produção de “Sementes” de Cogumelos

Uma curiosidade acerca do local onde reproduzem-se, nascem e desenvolvem-se os cogumelos, é que é possível que se extraiam “sementes” do fungo para reprodução posterior em larga escala. Mas, para tal, será preciso lançar mão de toda uma estrutura adequada para um procedimento tão delicado.

Ele deverá ser feito em câmaras adequadas, com ar filtrado, ambiente esterilizado com substâncias bactericidas, em condições ideais de assepsia, entre outros cuidados que evitem a contaminação dos fungos por bactérias e demais parasitas que certamente se instalarão e comprometerão toda a produção futura.

Mas também é necessário evitar, por exemplo, um tipo de crescimento em que os micélios desenvolvem-se semelhantes a tufos de algodão, o que geralmente resulta em unidades com pouca capacidade de fecundação.

O tipo mais indicado é aquele em que os micélios formam uma estrutura semelhante a uma raiz; este geralmente garante maior produtividade, basidiomas bem mais vigorosos, além de uma maior garantia de que os cogumelos realmente se desenvolverão a contento.

Atendidas essas condições, é hora de iniciar um processo de reprodução dos cogumelos para a produção de “sementes”.

Uma Técnica Bastante Original

Aqui o objetivo é fazer com que nasçam espécies de matrizes de cogumelos originais, utilizando-se de pequenos pedaços que deverão ser acondicionados em recipientes de vidro abastecidos com um bom substrato, geralmente à base de pó de serra, fibra de coco, cascas de arroz, entre outros materiais que permitam uma boa aeração da unidade.

Esses recipientes deverão ser selados e ter apenas uma pequena abertura na tampa, onde deverá ser afixada uma gaze para a garantia da “respiração” dos cogumelos – para uma adequada troca de oxigênio.

O resultado será obtido na forma de matrizes secundárias fortes, nas quais serão introduzidas substratos capazes de garantir a reprodução sucessiva de novos cogumelos.

Sobre a preparação dos recipientes de vidro que receberão os fungos, cabe ressaltar aqui a importância da sua correta higienização, para o bem do sucesso dessa empreitada.

Portanto, certifique-se de que os recipientes foram devidamente esterilizados a uma temperatura entre 100 e 110 graus. Certifique-se também de que eles foram devidamente resfriados, para só depois receber o substrato contendo os pedaços de cogumelos.

Os recipientes devem ser guardados a uma temperatura não superior a 26 graus por um período entre 25 e 35 dias. Somente dessa forma ocorrerá a correta proliferação dos cogumelos, de forma adequada e com a maior produtividade possível.

No entanto você deverá continuar seguindo com as melhores práticas de cultivo de cogumelos para fins de comercialização. Com todos os cuidados e certificações exigidas para essa prática. Pois é o que garante o sucesso desse que é um dos segmentos mais singulares do setor produtivo do país.

Gostou desse artigo? Era o que esperava encontrar? Tem algo que queira acrescentar? Faça isso na forma de um comentário, logo abaixo. E dessa forma nos ajude a aprimorar, ainda mais, os nossos conteúdos.

Veja também

Mangostão, Benefícios e Malefícios Da Fruta

A fruta Mangostão já mencionada nos posts deste site, é proveniente de uma planta exótica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *