Home / Natureza / Como Plantar e Cultivar Cogumelos de Todos os Tipos?

Como Plantar e Cultivar Cogumelos de Todos os Tipos?

Para que se possa plantar ou cultivar cogumelos de todos os tipos é necessário, antes de mais nada, conhecer as suas peculiaridades, tipos de substratos que exigem, o clima que mais apreciam, as características do solo, entre outras especificidades que certamente farão toda a diferença na hora de colher os resultados.

É necessário saber, por exemplo, que um bom substrato para o cultivo de cogumelos deverá ser composto por materiais como cascas de arroz, palhada, madeira e serragem seca, basicamente.

Outros materiais podem ser utilizados, mas recomenda-se, aqui, dar preferência por uma material com boa drenagem, que lhes ofereça bastante umidade e capacidade de aeração.

Esses fungos também exigem um ambiente com temperaturas que oscilem entre 12 e 25 graus celsius, um solo com pH entre 5 e 6, além de outros cuidados que os permitam desenvolver-se adequadamente em um ciclo que geralmente dura entre 2 e 6 meses.

Outra coisa importante a saber sobre como cultivar ou plantar cogumelos de todos os tipos e variedades é que você deverá certificar-se de que está adquirindo um composto de qualidade, e já com as “sementes” do tipo de cogumelo escolhido. Isso é importantes porque a origem do material fará toda a diferença para o sucesso dessa empreitada.

Para a produção, certifique-se também de que escolheu as variedades próprias para plantio (não aquelas encontradas livres na natureza), geralmente as do tipo shiitake, champignon, shimeji e portobelo. Esses são os “cogumelos comestíveis”, produzidos de acordo com determinadas técnicas específicas para a gastronomia.

Como Cultivar os Principais Tipos de Cogumelos

O clima ideal para o cultivo desse tipo de fungo é úmido e ameno. E o procedimento geralmente consiste em adquirir um pré-composto com um bom substrato onde deverão ser introduzidas as “sementes” de cogumelos.

Logo após, cubra-os com uma terra vegetal de qualidade, deixe-os incubar por um período de 180 dias em refrigeração a temperaturas entre 14 e 17 graus celsius.

Principais Tipos de Cogumelos

Outra coisa importante a ser lembrado aqui é que o cultivo de cogumelos demanda alta tecnologia. Será necessário adquirir as sementes (com ou sem substrato pronto) em um local reconhecido pela qualidade dos seus produtos. Eles deverão ser submetidos a um processo de esterilização, para logo após serem cultivados em matas, grotas, taperas, galpões ou em qualquer outro local que possua as condições que eles tanto apreciam.

De um modo geral, o ciclo de plantio dos cogumelos costuma oscilar entre 2 e 6 meses. E caso sejam observadas todas as condições ideais exigidas por esse tipo de cultura, o resultado será a produção de uma das espécies mais exóticas da natureza, atualmente considerada um sinônimo de vida longa e proteção ao sistema imunológico, capaz de competir em pé de igualdade com os mais tradicionais tratamentos alopáticos quando o assunto é a proteção das células do organismo.

O Consumo de Cogumelos no Brasil

O incentivo ao plantio ou cultivo dos mais variados tipos de cogumelos no Brasil pode ser o que faltava para que o fungo torne-se, de uma vez por todas, um dos atrativos do cardápio do brasileiro.

Isso porque o consumo por aqui ainda está anos-luz do consumo dessa iguaria na Europa, por exemplo. Basta saber que, enquanto na Alemanha esse consumo já beira os 4 kg por ano, na frança 2kg, na Inglaterra 3 kg e na Itália mais de 1 kg, no Brasil o consumo anual de cogumelos atinge a muito custo a marca de 200 gramas por ano.

Na opinião dos admiradores da iguaria, uma das principais causas dessa realidade é o preço. Embalagens contendo 200 gramas ao preço de R$ 16,00, R$20,00 ou R$24,00 ainda podem ser consideradas caras, especialmente quando se leva em consideração a renda per capita do brasileiro, que mal atinge os R$ 1.300,00 mensais, em comparação com os mais de US$ 44 mil dólares da Alemanha, aos mais de US$ 30 mil da Inglaterra, ou mesmo aos US$ 38 mil da França.

Mas já existe alguma movimentação, especialmente em regiões do leste do estado de São Paulo, que apontam um sensível aumento do consumo de cogumelos no país.

E alguns números revelados pela Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Apta), ligada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), revelam um aumento de pelo menos 40% no consumo e cultivo de cogumelos de todos os tipos, muito em função da aquisição (ou importação) do que há de melhor em tecnologia para o plantio desse tipo de cultura.

Uma Espécie e os Seus Predicados

Os diversos tipos de cogumelos podem ser plantados (ou cultivados) para distribuição em conserva ou in natura (fresco). Cada uma dessas apresentações tem as suas vantagens e desvantagens. No entanto, o segundo formato é considerado o mais ecologicamente correto e bem mais nutritivo.

Para muitos, o objetivo de aderir a esse tipo de cultura está para além de produzir uma iguaria exótica para usos culinarísticos; o objetivo pode ser o de ajudar a popularizar o consumo de um importante alimento com incríveis propriedades farmacológicas, especialmente as que dizem respeito ao fortalecimento do sistema imunológico e da organização celular do corpo humano.

E mais: os fungo comestíveis ainda são fontes exuberantes de vitaminas do complexo B, fibras, sais minerais, proteínas, riboflavinas, antioxidantes, entre outras substâncias com comprovado potencial anticâncer (especialmente os da próstata e de mama), fortalecedores das defesas do organismo e recuperadores do tecido muscular de praticamente todos os órgãos.

E uma outra vantagem do cultivo dessa espécie é o fato de ela ser tradicionalmente um iniciativa de pequenos e médios produtores, e que por isso possuem condições de manter a qualidade do produto (geralmente perdida na produção em larga escala) e o caráter quase artesanal da sua distribuição.

Enfim, uma cultura exótica, típica da mais cara tradição da medicina japonesa, com mais de 4 mil anos de inserção na cultura de diversos povos asiáticos, e que apenas emperra no preço – justamente pelo fato de não ser produzido com a abundância com que são os principais produtos industriais do setor alimentício do Brasil.

Gostou desse artigo? Tem algo que deseje acrescentar a ele? Faça isso na forma de um comentário, logo abaixo. E não deixe de compartilhar, sugerir, questionar, refletir e aproveitar-se dos nossos conteúdos.

Veja também

Arminho Gigante Existe? Qual o Seu Tamanho? Onde Vive?

Você conhece ou já ouviu falar sobre o arminho? Pois bem, este animal é um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *