Home / Animais / Cervos Corça: Características, Pés, Nome Científico e Foto

Cervos Corça: Características, Pés, Nome Científico e Foto

O cervo corça (Ou Capreolus capreolus – seu nome científico) é uma espécie da família dos cervídeos, com as características típicas de uma animal ágil, com pés (ou cascos) delgados, pequenos e afunilados; e, como podemos ver nessas fotos, extremamente agradáveis e simpáticos.

Esse é um animal pouco robusto, que dificilmente ultrapassa os 20 ou 30 kg, 1,32 m de comprimento e 74 cm de altura; e que ainda possui uma cauda bastante discreta e um dimorfismo sexual em que as fêmeas costumam ser menos robustas e um pouco menores que os machos.

Esse animal é um típico representante dos cervídeos, com o seu pescoço curiosamente longo (desproporcional ao crânio), cabeça discreta (pra não dizer curta mesmo), pernas alongadas, parte posterior do corpo menos volumosa que a anterior, olhos bastante curiosos, cara afilada e orelhas relativamente grandes.

Uma característica que chama bastante a atenção nas corças é a sua pelagem. Curiosamente, ela costuma modificar-se a depender da estação do ano.

No inverno, ela apaga-se em um cinza meio amarronzado e relativamente mais volumoso, enquanto no verão, essa sua pelagem (agora mais curta) adquire um tom mais para o avermelhado.

E, mais que isso, com algumas nuances acastanhadas, como se fora um estratagema da natureza, com o intuito de preservar-lhes do frio intenso dos seus habitats naturais.

Habitats, esses, que podem ser resumidos em matas, campos abertos, planícies e florestas temperadas da Europa, Ásia Menor e do entorno do Mar Cáspio; em países como o Azerbaijão, Turcomenistão, Casaquistão, entre outros com características geográficas e climáticas semelhantes.

Cervo-Corça: Características, Pés, Nome Científico e Foto

As corças, como não poderia ser diferente, também não deixam de nos apresentar as suas particularidades. As suas galhas, por exemplo, surgem na fase adulta, geralmente pequenas, discretas, na forma de rosetas e com textura áspera – mas que nem de longe comparam-se com as “armas de guerra” que possuem os alces, os assustadores “veados-vermelhos”, ou mesmo o “Odocoileus virginianus (o veado-da-virginia).

Assim como eles, os cervos-corças utilizam-se desse útil recurso na hora de salvar as suas vidas, ou mesmo na disputa com outros machos pela posse da fêmea, ou talvez até mesmo só para intimidar ou admirar a quem quer que se depare de frente com essas extravagancia da natureza!

Como dissemos até aqui, o cervo corça (fotos) possui todas as características da sua família: a Cervídae. Com os seus pés em forma de cascos finos e discretos; um nome científico que une, inegavelmente, todas as espécies; um porte esbelto; um trotar característico e elegante.

Além de ser um animal tipicamente herbívoro, que sobrevive muito bem com uma modesta dieta à base de folhas, sementes, brotos, gramíneas, cascas de árvores, entre outras vegetações semelhantes.

Vegetações que eles podem encontrar nas distantes e quase insondáveis estepes, prados e montanhas áridas e semidesertas das regiões entorno do não menos distante e insondável Mar Cáspio.

Fotos, Descrições e Detalhes Sobre as Características do Capreolus Capreolus: o Nome Científico dos Cervos Corça

O cervo corça é o cervídeo com o menor tamanho dentre todos os que desenvolvem-se nas belas, exuberantes e lendárias estepes, campos, prados e florestas temperadas do continente europeu.

Apesar de ser o menor, ele ganha dos demais em quantidade, pois é o que existe em maior número no continente – em praticamente todos os países europeus, excetuando alguns, como a Irlanda, Islândia, o oeste da Itália e o norte da Escandinávia.

No entanto, a sua presença também pode ser observada em inúmeras regiões da Ásia Menor (mais especificamente na Turquia), bem como nas regiões do Azerbaijão, Turcomenistão, Geórgia, Rússia, Ucrânia, entre outros locais próximos.

Mas até mesmo as distantes paragens da Síria, Irã, Kwait, Iraque e dos Emirados Árabes podem servir de morada para os rápidos e espertos cervos-corças.

Lugares onde eles desenvolvem-se com as suas singularidades, com os seus pés rápidos, hábitos típicos dos animais herbívoros (como podemos ver nas fotos abaixo), entre outras características que possui essa curiosa espécie separada de nós pelos imensos e desafiadores oceanos Atlântico e Pacífico.

Mas uma outra curiosidade sobre os cervos-corças, é a sua singular preferência pelas montanhas no verão e pelas planícies, prados, estepes e cerrados durante os frios e tenebrosos meses de inverno!

Talvez por encontrar a sua dieta preferida nesses períodos, ou pela necessidade de receber os raios revigorantes do sol (não tão abundantes assim onde habitam) durante o verão.

Mas o que se sabe mesmo é que, independentemente da época do ano, eles estarão lá, belos e elegantes, com o seu trotar singular e característico.

Ajudando a compor, formidavelmente, os ecossistemas dos prados, estepes, savanas, cerrados, bosques, florestas arbustivas, matas de corte, entre outras áreas desse exótico e distante Hemisfério Norte do planeta.

Hábitos e Características Reprodutivas dos Cervos Corças

O período reprodutivo do cervo corça geralmente ocorre entre os meses de dezembro e janeiro. Após o acasalamento (que não deixa de envolver uma disputa ferrenha entre machos), a fêmea terá que atravessar um período de até 10 meses para dar à luz um ou dois filhotes, que só serão desmamados após completar 60 dias de vida.

E ao tornarem-se adultos, ele desenvolverão todas as características da sua espécie, inclusive as de uma animal solitário – nem um pouco afeito a uma reunião em bandos.

Sozinhos, eles percorrerão as imensas planícies da Síria; correrão, livres, pelos bosques e florestas arbustivas da França e da Inglaterra; irão subir e descer as colinas do Azerbaijão e da Turquia; sempre atentos, obviamente, à presença ameaçadora dos seus principais predadores.

Entre os quais, algumas espécies de tigres, leões, ursos, hienas, entre outras feras da natureza, que aproveitam-se dos indivíduos mais frágeis que, dificilmente, conseguem opor a menor resistência aos seus ferozes ataques.

Mas caso consigam vencer esse primeiro contato com a realidade: o da luta pela sobrevivência!, os cervos-corças seguirão desenvolvendo-se, até que, por volta de 1 ano de idade, já sejam considerados adultos e prontos para iniciarem os seus respectivos processos reprodutivos.

E tudo isso em um período de vida que dificilmente ultrapassa os 12 ou 14 anos no ambiente selvagem ou em inúmeras reservas ambientais que tratam de preservar essa espécie para as gerações futuras, como o Parque Nacional de Peneda-Gerês e o Parque Natural de Montesinhos (ambos em Portugal).

Além do Parque Natural do Douro Internacional, que fica na fronteira entre Portugal e Espanha. E que da mesma forma tem como objetivo preservar essa espécie da extinção, pois, apesar de ser listada como “pouco preocupante”, como qualquer outro animal selvagem, os cervos-corças também sofrem com o assédio de caçadores e das significativas alterações climáticas pelas quais o planeta vem passando.

Caso queira, deixe o seu comentário sobre esse artigo. E continue compartilhando as nossas publicações.

Veja também

Qual Tipo de Carrapato que Transmite a Febre Maculosa?

Considerada uma doença infecciosa, a febre maculosa pode se apresentar de forma muito grave e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *