Home / Animais / Camarão Rosa: Características, Corpo e Número de Pernas

Camarão Rosa: Características, Corpo e Número de Pernas

No post de hoje iremos falar sobre um tipo especial e o favorito na culinária: o camarão rosa. Falaremos sobre suas características e muito mais. Continue lendo para aprender mais sobre esse fascinante animal aquático.

Características Gerais Do Camarão

O termo camarão veio do latim e do grego, e significa basicamente caranguejo do mar. Esses animais são crustáceos e podem ser encontrados tanto em água salgada quanto em água doce, dependendo da espécie. Seu corpo físico é caracterizado por ter um abdome longo, e um corpo comprimido em sua lateral. Seu tamanho é pequeno e costumam medir em torno de 3 centímetros de comprimento, não passando muito disso, alguns podem ser ainda menores. O peso do camarão também varia de espécie para espécie.

São muito procurados para a pesca e aquacultura, sendo atividades econômicas muito fortes e presentes, com um alto valor comercial em relação a esse animal. De acordo com a Fishstat Plus, em 2002 houve a captura no mundo todo de 2.843.020 toneladas de camarões marinhos.

O cefalotórax possui uma única peça, também chamada de carapaça, que termina um pouco antes de um prolongamento em forma de espinho, chamado de o rostro, ao lado do qual se inserem os pedúnculos oculares. Cada segmento desse animal possui um par de extremidades, exceto no primeiro segmento. Suas duas primeiras antenas possuem função tanto táctil quanto olfativa. Possui um par de mandíbulas, no qual se abrem pela boca, e também dois pares de maxilas que trabalham para a mastigação. Nas maxilas, há três maxilípedes, que são estruturas que colaboram para segurar e manipular o alimento, levando-os até a mandíbula.

Os camarões são animais que fazem parte da ordem dos Decapoda, ou seja, que possuem dez patas. Nessa ordem também podemos encontrar as lagostas e os caranguejos. Dentro dos decápodes ainda temos uma outra divisão, que é de acordo com a estrutura de suas brânquias e dos apêndices, além da forma de desenvolvimento das larvas. Os camarões com brânquias ramificadas e que não incubam seus ovos ficam na subordem Dendrobranchiata. Enquanto que todos os outros camarões, as lagostas, caranguejos e alguns outros animais ficam na Pleocyemata.

Ficha Técnica Ou Classificação Científica Do Camarão

A classificação científica foi um modo que os estudiosos criaram para conseguir classificar cada animal ou planta em determinados grupos semelhantes. Esses grupos vão dos mais gerais até os mais específicos, e ajudam a entender como todo o nosso sistema da natureza funciona. Veja a seguir a classificação que fica o camarão:

  • Reino: Animalia (Animal);
  • Filo: Arthropoda (Artrópodes);
  • Subfilo: Crustacea (Crustáceos);
  • Classe: Malacostraca;
  • Ordem: Decapoda (Decápodes);

  • Subordens existentes: Caridea, Penaeoidea, Sergestoidea e Stenopodidea.
  • Tipos de camarão: Camarão d’água doce (Macrobrachium rosenbergii); Camarão da Malásia; Camarão de Estalo (Alpheus distinguendus); Camarão de Patas Brancas (Litopenaeus vannamei); Camarão de Sete Barbas (Xiphopenaeus kroyeri); Camarão Limpador (Stenopus hispidus) e Camarão Rosa (Penaeus brasiliensis).
  • Espécie, nome binominal, nome científico: Farfantepenaeus subtilis

Comportamento do Camarão e seu Nicho Ecológico

O comportamento dos camarões também são especiais e podemos tirar algo de interessante deles. A primeira coisa é em relação a sua migração. A maioria deles, independente da espécie, costumam migrar das águas mais profundas para águas rasas durante algumas estações, que varia de espécie para espécie e também de cada habitat em que o animal está inserido. Eles também costumam se mover para e para baixo na água, enquanto que alguns passam o dia nas águas mais fundas, e a parte da noite mais acima.

A alimentação deles tem como base pequenos organismos e algumas plantas, mas também se alimentam de restos e detritos. Já em relação a reprodução desse animal, a fêmea faz todo o trabalho. Após a reprodução, a fêmea coloca milhões de ovos, que ficam presos a algumas estruturas semelhantes a pequenas pernas no lado inferior da mãe. Ficam dessa forma até serem chocados, e nascem como larvas. Pelo seu tamanho, muitas larvas não conseguem chegar a fase adulta, pois são comidas por outros animais. A sua proteção externa, também chamada de exoesqueleto, é trocada várias vezes durante o ano, para que eles possam crescer e se desenvolver, até chegar a idade adulta.

Comportamento do Camarão em Seu Nicho Ecológico

Existe um outro fato curioso sobre alguns camarões. Logo na base de suas antenas, em uma dobrinha da pele que ali tem, esse animal costuma carregar uma ou mais pedrinhas. Cada vez que ele troca de exoesqueleto, rapidamente vai atrás e consegue uma nova pedra para ficar no lugar da antiga. Os cientistas demoraram bastante para entender o porque eles faziam isso. E enfim foi descoberto, que na realidade, essa pedrinha fica em cima de um chumaço de pelos mais sensíveis, e tem como função ajudar o camarão a ficar em pé. Conforme o camarão se movimenta para os lados ou para cima e para baixo, essa pedrinha permite que ele saiba se seu corpo está reto ou inclinado. Bem legal, não é mesmo?

O Camarão Rosa e suas Propriedades Diferentes

Em grande parte, o camarão rosa continua tendo as mesmas características que o restante dos tipos de camarões. Entretanto, é importante frisar que há certas diferenças e coisas únicas dele. Primeiro, o camarão rosa é encontrado desde o leste dos Estados Unidos até o sul do Brasil, logo, em toda a extensão do Atlântico Ocidental. É um camarão considerado grande, podendo alcançar em torno de 18 centímetros de comprimento. Recebe esse nome por ter o corpo de coloração rosa avermelhado com alguns pontos escuros. O camarão rosa também é chamado de caboclo e vilafranca em algumas regiões.

O nome científico dessa espécie é Farfantepenaeus subtilis. O habitat preferido camarão rosa é em águas mais rasas até no máximo 90 metros de profundidade, em regiões arenosas. Sua cauda aberta permite que ele consiga se movimentar de ré, o tornando um ótimo nadador. O recrutamento pesqueiro para ambos os sexos é do tipo bimodal, com picos em fevereiro e outubro. A frequência de indivíduos por determinados intervalos de comprimento do cefalotórax demonstra que os machos habitam a área de pesca por menos tempo que as fêmeas.

A alimentação do camarão rosa consiste de animais menores que ele e matéria orgânica em decomposição. Andam em grupos, principalmente durante a época de reprodução. O camarão rosa possui a gordura ômega 3 em sua casca, cabeça e cauda, que é muito boa para saúde. Entretanto, não costumamos consumir essa parte. A carne mesmo que comemos também possui a gordura, mas em menor quantidade.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender e aprender um pouco mais sobre o camarão rosa, suas características, corpo e tudo mais. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Você pode ler mais sobre camarão rosa e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Quantos Dentes Tem a Boca do Jacaré?

Se falando com animais perigosos nos vários continentes da Terra, você já conhece um dos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *