Home / Animais / Ariranha do Cerrado: Características, Nome Cientifico e Fotos

Ariranha do Cerrado: Características, Nome Cientifico e Fotos

A ariranha do cerrado perdeu 80% da sua gama habitável na América do Sul. Ela ainda está presente em vários países na parte centro-norte da América do Sul, mas suas populações estão muito seriamente ameaçadas. A lista da IUCN da Bolívia, do Brasil, do Equador, da Guiana Francesa, da Guiana, do Paraguai, do Peru, do Suriname e da Venezuela ainda consideram espécies vivas hoje em dia. Porém, dadas as extinções locais, o alcance das espécies é agora descontínuo.

Ariranha do Cerrado: Características, Nome Cientifico e Fotos

A ariranha do cerrado é conhecida por vários nomes comuns, mas seu nome científico é um só: pteronura brasiliensis. O nome genérico pteronura deriva do grego antigo “pteron”, que significa pena ou asa e “ura” significando cauda; pteronura sendo uma referência, portanto, à sua cauda que tem a forma de uma asa. A ariranha do cerrado pode ser facilmente diferenciada de outras da espécie ou gênero com base em sua morfologia e comportamento.

 

É o mais longo de todos os mustelídeos, mas a lontra marinha pode às vezes ser mais pesada. Tanto machos como fêmeas medem entre 1,5 e 1,7 m. Tem uma cauda poderosa que pode atingir 70 cm de comprimento. Observações antigas de peles e animais vivos parecem mostrar que alguns machos poderiam excepcionalmente atingir quase dois metros e meio de comprimento.

Mas a caça intensiva da espécie reduziu muito a probabilidade de encontrar espécimes deste tamanho hoje em dia. Os animais que são comumente encontrados pesam entre 32 e 45 kg para machos e entre 22 e 26 kg para fêmeas. A ariranhas do cerrado tem a pele mais afiada de todas as espécies de lontras. É geralmente de chocolate cor marrom, mas também pode ter tons avermelhados, e aparece quase preto quando molhado. Esta pele é extremamente densa, tanto assim que é à prova d’água. Os pêlos de guarda prendem a água e mantêm a pele seca, consistindo em pêlos de maço, mais curtos.

Estes ditos pêlos de guarda têm aproximadamente 8 mm de comprimento, o que é o dobro do pelo da camada interior. A qualidade da sua pele torna a ariranha um animal procurado por comerciantes de peles e contribuiu para o seu declínio. Os animais possuem marcas brancas ou creme específicas para cada indivíduo na garganta e sob o queixo, o que possibilita identificá-las ao nascimento. As ariranhas usam essas marcas para se reconhecerem e, assim que dois animais se encontram, cada um apresenta ao outro sua garganta e o topo do peito.

O focinho da ariranha do cerrado é curto e inclinado, dando à cabeça uma forma de bola duplicada. As orelhas são pequenas e arredondadas. O nariz (ou rinário) está completamente coberto de pele, deixando apenas dois buracos em forma de fenda. A ariranha do cerrado tem um bigode muito sensível que lhe permite detectar alterações na pressão da água e correntes, ajudando a detectar suas presas. Os membros são curtos e encorpados, e terminam com os pés palmados armados com garras pontiagudas. Bem adequado para a vida aquática, ela pode entupir os ouvidos e narinas quando debaixo de água.

Habitat da Ariranha do Cerrado

A espécie é anfíbia, embora acima de tudo terrestre. É encontrado em rios e riachos de água doce, que são sazonalmente inundados. Os lagos de água doce também são um habitat potencial para esta espécie. Diz-se existir dois fatores necessários para as ariranhas do cerrado se estabelecerem no habitat: abundância de comida, que parece se correlacionar com águas rasas, e bancos baixos com vegetação proporcionando boa cobertura e fácil acesso ao habitat. A ariranha prefere água doce, com fundo rochoso ou arenoso, com água branca salobra.

Ariranha do Cerrado em seu Habitat

As tocas podem se estender por longas distâncias, e geralmente incluem uma rota de fuga para florestas ou pântanos, longe dos lugares que não foram necessariamente marcados olfativamente todos os dias, mas pelo menos elas serão assim visitados por outras ariranhas… Uma interação social. Estudos sobre esta lontra geralmente ocorrem durante a estação seca e, portanto, o conhecimento do uso de seu habitat por este animal permanece parcial.

Distribuição Geográfica

O tamanho da população global é difícil de estimar. A Bolívia era antigamente povoada por um grande número delas, mas se tornou uma mancha negra na distribuição das espécies após a caça furtiva intensiva entre as décadas de 1940 e 1970; hoje resta uma população saudável, mas pequena, estimada apenas algumas centenas de indivíduos. A Bolívia designou uma área úmida mais ampla do que a Suíça como área de proteção de água doce; e lá eles também abrigam a ariranha do cerrado.

A espécie desapareceu do sul do Brasil, mas no oeste do país a diminuição na pressão da caça permitiu a recolonização da espécie. Em 2006, a maioria dos espécimes vivia na parte brasileira da Amazônia e nas regiões de fronteira. Uma grande população vivia nas regiões úmidas do Rio Araguaia e, em particular, no Parque Estadual do Cantão, que, com seus 843 lagos, florestas inundadas e pântanos, é um dos habitats mais adequados para as espécies no Brasil.

Suriname tem uma cobertura florestal grande e tem várias áreas protegidas, protegendo a ariranha. Observou-se que a ariranha do cerrado ainda está presente em Kaburi Creek, embora o aumento da presença humana e do uso da terra sugiram que, mais cedo ou mais tarde, esta espécie será incapaz de encontrar locais adequados para aninhar por lá.

Outros países estão se esforçando para estabelecer áreas protegidas dentro do alcance da ariranha. O Peru criou uma das maiores áreas de conservação do mundo, o Parque Nacional Alto Purús, que possui uma área equivalente à superfície da Bélgica. O parque possui várias espécies de plantas e animais, incluindo a ariranha do cerrado, e detém o recorde mundial a partir da perspectiva da diversidade em mamíferos em uma reserva.

Ações de Conservação Efetivas

Segundo a IUCN em seu último relatório (2013), a ariranha do cerrado está listada no Apêndice I da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção (CITES) e como em perigo sob o Ato de Espécies Ameaçadas dos Estados Unidos. O desenvolvimento de um Plano de Ação de 10 anos para as espécies está atualmente em andamento, com a primeira fase, uma avaliação ampla do status de distribuição e conservação da ariranha do cerrado, quase concluída. Ações de conservação recomendadas são:

  • Criar novas áreas protegidas no habitat da ariranha do cerrado e gerenciar melhor as existentes;
  • Promover a criação de corredores entre áreas protegidas com subpopulações de ariranha do cerrado para reduzir a fragmentação populacional;

  • Promover a conservação de habitats ripários e sua inclusão dentro de áreas protegidas; promover a ariranha do cerrado como embaixadora dos habitats aquáticos nos currículos de educação local e entre proprietários de terras locais e partes interessadas;
  • Continuar a avaliação das relações predador-presa e das cascatas tróficas;
  • Investigar e procurar resolver ou reduzir conflitos com pescadores de subsistência, comerciais e esportivos e pisciculturas;
  • Avaliar o impacto do mercúrio usado na mineração de ouro na saúde e na sobrevivência das populações de ariranha do cerrado em ou perto de áreas de mineração de ouro;
  • Avaliar o impacto das barragens hidroelétricas nas populações;
  • Treinar guias de turismo de ecoturismo e aplicar regulamentos para minimizar os impactos; e
  • Desenvolver um método sistemático para projetar a mudança populacional nos próximos vinte anos.

Veja também

Furão Tourão: Características, Filhotes, Nome Científico e Fotos

O furão tourão é um nome muito comum usado para se referir ao furão, um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *