Home / Animais / Alimentação dos Equinodermos: O que Eles Comem?

Alimentação dos Equinodermos: O que Eles Comem?

Os equinodermos são animais aquáticos invertebrados pertencentes ao filo Echinodermata, sendo a maioria destes de vida livre. Alguns exemplos de equinodermos famosos incluem as estrelas-do-mar, ouriços-do-mar, e bolacha-da-praia.

A palavra “equinodermos” deriva do grego e contém 2 terminologias: echinos (que significa “espinho”); e dermatos (que significa “pele”). Logo, equinodermos são animais que possuem o corpo revestido por espinhos, os quais além de atuarem na defesa, são essenciais para a locomoção do animal.

Este filo conta com um quantitativo de 13.000 espécies extintas e 7.000 espécies presentes na atualidade. Tais espécies possuem uma habilidade em comum: a capacidade de regeneração. Estrelas-do-mar são capazes de regenerar um ou mais braços perdidos; ao passo que, ouriços-do-mar conseguem regenerar seus espinhos.

Neste artigo, você conhecerá algumas importantes informações sobre os equinodermos, dentre elas aquela enunciada no título deste artigo, ou seja, o seu padrão de alimentação; assim como características físicas, taxonomia e sistema ambulacral.

Então venha conosco e boa leitura.

Equinodermos: Peculiaridades Anatômicas

Os equinodermos são organismos classificados como triblásticos, celomados e deuterostômios.

São considerados triblásticos por possuírem 3 folhetos embrionários (no caso, a ectoderme, mesoderme e endoderme). São celomados, pois possuem celoma, ou seja, uma cavidade corporal revestida por um tecido deriva por um tecido derivado da mesoderme. E, por fim, são classificados como deuterostômios, uma vez que o seu blastóporo dá origem ao ânus.

Todos os equinodermos contam com uma simetria radial. A aparência normalmente é espinhosa e verrucosa. Os espinhos e projeções partem do endoesqueleto calcário.

Equinodermos

A ausência da cabeça não torna possível a orientação corporal em termos de região anterior e posterior. No entanto, neste caso, adota-se a denominação eixo oral-laboral.

Tais indivíduos possuem sistema vascular, o qual recebe o nome de sistema ambulacrário. O sistema digestório é completo. Em relação à respiração, muitas espécies realizam-na através de difusão em seu sistema ambulacrário; enquanto outras espécies podem utilizar-se das brânquias.

E relação ao sistema nervoso, este é composto basicamente por um anela nervoso, do qual partem os nervos radiais.

Equinodermos: Classes Taxonômicas

Taxonomicamente, os equinodermos podem ser divididos em 5 classes, sendo elas as classes Asteroidea, Ophiuroidea, Echinoidea, Holothuroidea e Crinoidea.

A classe Asteroidea compreende as estrelas-do-mar; ao passo que, na classe Ophiuroidea estão presentes as serpentes-do-mar.

Os ouriços-do-mar e bolachas-da-praia estão agrupados na classe Echinoidea; enquanto os pepinos-do-mar pertencem à classe Holothuroidea.

Os lírios-do-mar são os únicos equinodermos classificados como sésseis, ou seja, que não possuem vida livre e permanecem fixados ao substrato. Estes indivíduos pertencem à classe taxonômica Crinoidea.

Equinodermos: Conhecendo Melhor o Sistema Ambulacrário

O sistema ambulacrário é específico aos equinodermos. Também pode ser chamado de sistema hidrovascular ou sistema vascular aquífero. Curiosamente, está relacionado a funções como a alimentação e até mesmo a locomoção.

Este sistema é formado por uma rede de canais, por meio do qual flui um líquido semelhante à água, mas que, no entanto, possui íons Potássio e células de proteína.

Os canais se ramificam e suas extensões recebem o nome de pés ambulacrais.

Este sistema realiza movimentação quando a ampola (valva localizada nos canais) contrai-se o e pé ambulacral se alonga- nesta dinâmica, a água é forçada para o interior. Os pés ambulacrais se contraem quando os músculos presentes nos mesmos se retraem- possibilitando que a água volte à ampola.

Durante o alongamento dos pés ambulacrais, estes entram em contato com o substrato, assim como secretam substâncias que permitem melhor aderência ao mesmo. Agora, quando há necessidade de desprender-se de um substrato, há secreção de substâncias antiaderentes.

Equinodermos: Características de Uma Estrela-do-Mar

Nas estrelas-do-mar, é possível notar um disco central no qual se localiza o sistema nervoso. Caso esta estrela seja dividida, com manutenção de um parte do disco central, a mesma e transformará em outra estrela-do-mar.

Curiosamente, estes indivíduos contam com a presença de olhos simples posicionados nas extremidades de cada braço. Tais olhos são capazes de perceber a luminosidade.

As estrelas-do-mar curiosamente são capazes de lançar o estômago para fora do corpo, dessa forma, lançando sucos digestórios sobre a presa. Neste peculiar processo, a digestão é realizada externamente. O próximo passo consiste em recolher o estômago, juntamente com o alimento pré-digerido, de modo que a digestão seja finalizada.

O sistema ambulacrário das estrelas-do-mar é formado pela placa madrepórica (também chamada de madreporito). Tal estrutura na verdade é um local por onde a água flui, saindo ou entrando no sistema ambulacral. Esta estrutura se comunica com o canal circular, utilizando-se de um canal pétreo.

Ainda em relação ao sistema ambulacral, a partir do canal circular (posicionado no disco central) emergem os canais radiais, os quais se estendem ao longo dos braços da estrela-do-mar. Outros canais ainda podem emergir dos canais radiais, como é o caso dos canais laterais.

É comum que as estrelas do mar apresentem 5 braços, todavia, existem raras espécies que podem alcançar o quantitativo de até 40 braços.

Existem outros equinodermos que possuem braços finos e longos e, por essa razão, são frequentemente confundidos com as estrelas-do-mar. Neste caso, tais indivíduos são chamados de serpentes-do-mar, estrelas-serpente ou ainda ofiúro.

Equinodermos: Padrão Reprodutivo

Para a maioria das espécies, é possível perceber que os sexos são dispostos separadamente.

A fecundação é externa, ou seja, macho e fêmea liberam seus gametas na água, de modo que sejam fecundados.

O desenvolvimento dos equinodermos ocorre de modo indireto, uma vez que antes de tornar-se adulto, possui algumas fases larvais.

Equinodermos Padrão Reprodutivo

Alimentação dos Equinodermos: O que Eles Comem?

A diversidade de espécies também contribui para a diversidade na dieta. Ouriços-do-mar, por exemplo, alimentam-se de algas marinhas e pequenos animais.

No caso das estrelas-do-mar, a dieta ainda é mais diversificada incluindo mexilhões, ostras, corais, anêmonas-do-mar e até mesmo outros equinodermos.

Depois de conhecer um pouco mais sobre os equinodermos, que tal continuar aqui conosco para visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Sinta-se à vontade para digitar algum tema de sua escolha em nossa lupa de pesquisa no canto superior direito. Caso não encontre o tema desejado, você pode sugeri-lo abaixo em nossa caixa de comentários.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Brasil Escola. Equinodermos. Disponível em: < https://brasilescola.uol.com.br/biologia/equinodermos.htm>;

UOL Ciências. Equinodermos. Disponível em: < https://escolakids.uol.com.br/ciencias/equinodermos.htm>;

Wikipédia. Echinodermata. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Echinodermata>.

Veja também

Tudo Sobre a Raposa Prateada: Características e Nome Científico

A raposa-prateada é um animal extremamente raro e até mesmo associado à crenças místicas. Na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *