Home / Natureza / Parque Yellowstone Curiosidades

Parque Yellowstone Curiosidades

Vamos explorar algumas curiosidades surpreendentes que talvez ache legal saber sobre o parque Yellowstone?

É Mesmo Muito Grande

Com quase 6.000 quilômetros quadrados, o Yellowstone é maior que os estados de Rhode Island e Delaware juntos. A grande maioria de seu território está situada em Wyoming, mas também se insinua nas vizinhas Montana e Idaho. Embora não seja o maior dos parques nacionais dos Estados Unidos, é digno de nota por sua densa concentração de gêiseres, poças de lama, fontes de vapor e fontes termais. De acordo com a UNESCO, que designou Yellowstone como Patrimônio da Humanidade, metade de todos os recursos geotérmicos conhecidos no mundo estão aninhados dentro do parque.

Quem Pisou ali Primeiro?

Embora existam evidências de habitações humanas em Yellowstone que datam de mais de 10.000 anos, suas maravilhas geográficas eram completamente desconhecidas para os americanos até o século XIX. O primeiro visitante não indígena do local foi provavelmente John Colter, um ex membro da expedição de Lewis e Clark do Corpo de Descoberta que havia iniciado sua carreira como caçador de peles e homem da montanha. No inverno de 1807-08, ele fez uma viagem solo na região de Yellowstone e supostamente retornou com histórias de seus cânions, cachoeiras e águas termais gorgolejantes. 

Uma área próxima chegou a ser conhecida como “Inferno de Colter”, após suas descrições aparentemente inacreditáveis ​​de sua atividade geotérmica. Enquanto os historiadores ainda debatem a extensão das viagens de Colter, muitos agora acreditam que ele foi o primeiro homem branco a colocar os olhos no que mais tarde se tornou o Parque Nacional de Yellowstone.

O Sobrevivente Histórico

Mineiros e caçadores de peles ocasionalmente se aventuraram em Yellowstone nos anos após a visita de John Colter, mas as primeiras pesquisas organizadas não começaram até o final do século XIX. Durante uma dessas excursões em 1870, um burocrata de Montana chamado Truman Everts se separou de seu partido e acabou sendo entregue à morte. Depois de perder seu cavalo e a maior parte de seus suprimentos, o homem de 54 anos passou mais de um mês sobrevivendo de cardo e enfrentando tempestades de neve, delírio e uma queimadura dolorosa de uma fonte termal. 

Na época em que finalmente foi encontrado vivo em outubro de 1870, os sallvadores dele o descreveram como “nada além de uma sombra”, mas ele finalmente se recuperou e até escreveu um relato de sua provação intitulado “Trinta e sete dias de perigo”.

Um Super Vulcão que Preocupa

Os primeiros relatos dos gêiseres, nascentes de água quente e fumarolas de Yellowstone costumam ser considerados lendas de fronteira, mas os cientistas agora sabem que são o resultado de um supervulcão localizado abaixo do parque. O sistema ainda é considerado ativo e contém um reservatório de magma grande o suficiente para encher o Grand Canyon várias vezes. Enquanto os cientistas não estão preocupados com a ocorrência de uma erupção em breve, já que o último registro desse tipo foi há cerca de 640.000 anos atrás, o vulcão é poderoso o suficiente para encobrir grande parte do território dos Estados Unidos em cinzas. 

A Primeira Propaganda

Um capítulo importante no desenvolvimento do Yellowstone aconteceu no verão de 1871, quando o geólogo Ferdinand Hayden liderou a primeira expedição financiada pelo governo federal à região. Junto com botânicos e zoólogos, a equipe de Hayden também incluiu um fotógrafo e um jovem artista chamado Thomas Moran, que produziu mais de 30 esboços e aquarelas das falésias, gêiseres e rios de Yellowstone.

 Combinado com as fotografias, as obras de arte de Moran ofereceram aos americanos o primeiro vislumbre da beleza natural da área. Quando as pinturas foram mais tarde expostas no Congresso, ajudaram muitos políticos a fazer do Yellowstone um “playground nacional”. Em 27 de fevereiro de 1871, a Câmara dos Representantes votou de 115 a 65 a favor de preservar a região, a primeira reserva ambiental (parque nacional) da América. O presidente Ulysses S. Grant assinou o projeto em lei apenas dois dias depois.

Alice no País das Maravilhas?

Imagens de Alice no País das Maravilhas
Imagens de Alice no País das Maravilhas

A localização remota de Yellowstone garantiu que recebesse apenas alguns milhares de visitantes durante seus primeiros anos como parque nacional, mas o turismo explodiu depois da conclusão da Estrada de Ferro do Pacífico Norte, em 1883. Capitalizando a popularidade do livro de Lewis Carroll “Alice no País das Maravilhas”, o Pacífico Norte lançou uma campanha publicitária que apresentou o parque como “New Wonderland” da América. Um panfleto de 1885 incluía um endosso fictício da própria Alice, que oferecia descrições ofegantes de geografia do Yellowstone. “O parque, deixe-me dizer, é uma área extensa, literalmente repleta de curiosidades naturais do personagem mais maravilhoso”, dizia Alice no panfleto. “Diga-me, isso não é o País das Maravilhas?”

Intervenção Militar

Durante seus primeiros anos, o Yellowstone sofreu devido ao escasso financiamento do governo e uma série de superintendentes ineficazes. Os turistas vandalizaram os gêiseres e as formações rochosas do parque, e caçadores e interesseiros particulares caçaram seus animais selvagem e colheram sua madeira. O dano só foi retardado em 1886, quando uma companhia de cavalaria do Exército dos EUA foi despachada para administrar Yellowstone e ficar de guarda sobre seus tesouros naturais. As tropas foram imediatamente para o trabalho expulsando invasores, cercando os caçadores furtivos e aplicando regulamentações, e em 1894 seus sucessos encorajaram o Congresso a aprovar uma nova lei protegendo a vida selvagem do parque. As forças do exército permaneceriam como guardiões do Yellowstone até 1918, quando entregaram os reinados ao recém criado Serviço de Parques Nacionais.

O Rebanho de Bisontes

De acordo com o National Park Service, Yellowstone é o único lugar nos Estados Unidos onde os búfalos têm percorrido continuamente desde a era pré-histórica. O rebanho do parque diminuiu para apenas 23 animais durante o final do século 19, quando a caça excessiva ajudou a levar o bisão à beira da extinção, mas a população mais tarde se recuperou graças a uma administração e proteção mais eficazes. Os cerca de 5.500 bisontes que vivem em Yellowstone hoje constituem o maior e mais antigo rebanho de pastoreio livre do país.

Um Refeitório Para Ursos?

 Ursos de Yellowstone
Ursos de Yellowstone

Durante grande parte de sua história, o Yellowstone tinha lixões a céu aberto nos terrenos do parque. As pilhas de lixo podem ter sido uma monstruosidade, mas como atraíam animais de caça, eles também se tornaram um local popular para capturar ursos negros e ursos pardos no meio de um frenesi de alimentação. Nos anos 20 e 30, os operadores do parque até instalaram arquibancadas para os turistas e postaram cartazes sobre as lixeiras que diziam “Balcão de almoço – Somente para ursos”. Os lixões foram eventualmente fechados ao público durante a Segunda Guerra Mundial, mas não antes de vários turistas terem sido ferido em ataques de urso.

O “Old Faithful”

De todos os gêiseres de Yellowstone, nenhum é mais icônico do que o “Old Faithful”, que é capaz de vomitar água a mais de 50 metros no ar. O gêiser ganhou seu nome em 1870, quando um grupo de primeiros exploradores observou que ele entrou em erupção aproximadamente uma vez a cada 60 minutos. Os primeiros promotores do parque até anunciaram que o Old Faithful estava em erupção “a cada hora”, mas décadas de terremotos incluindo um em 1959 que mediu 7,5 na escala Richter alteraram sua rede de fissuras subterrâneas e causaram a desaceleração.  Atualmente, o gêiser costuma fazer intervalos de até 90 minutos entre as erupções.

E aí, gostou? Nos esforçamos para compilar aqui os relatos históricos fidedignamente. Mas se houver algo que lhe parecer incorreto ou duvidoso, deixe-nos seu comentário.

Veja também

Estudantes de Ecologia

Técnico em Ecologia

O técnico em ecologia é a pessoa que desempenha várias tarefas técnicas no campo e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *