Home / Animais / Tudo Sobre Minhocuçu

Tudo Sobre Minhocuçu

Se por acaso você se defrontar com uma dessas e levar um baita susto achando que é uma cobra, tudo bem. Será compreensível! Porque essas minhocas são gigantes mesmo, e uma deparada de relance pode mesmo confundir…

Rhinodrilus Alatus

O rhinodrilus alatus, vulgarmente conhecido como minhocuçu vem da família rhinodrilidae. Geralmente atingem comprimentos superiores a um metro. Possuem um corpo cilíndrico sem poros dorsais. Existem quatro pares de cerdas em cada segmento alternadamente estreitas e largas em segmentos sucessivos. O esôfago forma um sexto segmento moela e o typhlosolis é em forma de banda.

O minhocuçu tem um sistema de vasos sanguíneos na parte frontal do corpo adjacente a abdominal e o vaso dorsal construído num último vaso supra esofágico semelhante, um vaso esofágico adicional emparelhado também no centro do coração e abaixo do cordão nervoso ventral. Os nefrídios são bem desenvolvidos na área do intestino médio.

Os minhocuçus são hermafroditas. Formam uma espécie de correia de espessura (clitelo), que é formado por segregação e em que os ovos fertilizados se desenvolverão. Durante a cópula, dois indivíduos irão se emparelhar, juntando o clitelo de um ao espermateca do outro, e então os dois se preencherão alternadamente puxando os espermas para fora sob a camada de secreção endurecida do clitelo com a extremidade frontal, dando assim seus ovos um ao outro. No casulo resultante, a fertilização (externa) ocorre entre os óvulos e os espermatozóides.

Anelídeo Minhocuçu
Anelídeo Minhocuçu

Os minhocuçus são abundantes principalmente na região de Minas Gerais, no Brasil. Seu nome popular é uma combinação do idioma tupi entre a palavra minhoca e um aumentativo que faz referência a algo grande. Assim denominada justamente por ser mesmo uma minhoca gigante.

Minhocuçu em Atividade

Essas minhocas são animais essencialmente edáficos que habitam as camadas superficiais do solo, geralmente até uma profundidade de 50 centímetros. Nos ecossistemas edáficos as minhocas desempenham importantes funções ecológicas, estando entre os principais componentes dos macroinvertebrados do solo (animais invertebrados visíveis ao olho nu) e pertencendo ao grupo denominado de “engenheiros do solo”, em conjunto com cupins (isoptera) e formigas (hymnoptera).

Essa denominação de “engenheiros” decorre desses animais produzirem no ambiente uma considerável quantidade de estruturas físicas que modificam a disponibilidade ou acessibilidade de recursos para outros organismos no solo.

Ameaça a sua Importância Ecológica

O minhocuçu destaca-se pela capacidade de perfurar o solo e suas galerias criam novos nichos para outros organismos. A ocorrência do minhocuçu também aumenta a macroporosidade dos solos, contribuindo para a transformação da matéria orgânica e a mineralização de nutrientes utilizados pelas plantas. As fezes do minhocuçu são ricos em nutrientes, aumentando, tanto a fertilidade, quanto a biomassa microbiana e a disponibilidade de nitrogênio nos solos.

Minhocuçu na Mão de Um Homem
Minhocuçu na Mão de Um Homem

O minhocuçu tem um estágio de hibernação no outono. Em geral reúnem-se em uma cavidade inferior a meio metro abaixo do solo, popularmente denominada panela para hibernar. É a época de maior ameaça, pois torna-se muito fácil encontrar uma colônia abundante com uma simples enxada.

Esses minhoqueiros são frequentemente invadidos por predadores humanos, interessados na captura do minhocuçu para servi-los de iscas em pescarias. O minhocuçu é especialmente desejável para essa prática, especialmente para os mais aficionados na pesca de bagres conhecidos regionalmente como surubim. Por isso, a captura desenfreada da espécie tem sido relevante, ameaçando o minhocuçu à extinção.

As Maiores Minhocas da Terra

Apesar do tamanho assustador do minhocuçu, essa nem é a maior minhoca da terra. Existem outras espécies no seu gênero ou classe que são tão grandes quanto ela, ou até maiores.  O maior exemplo, considerado inclusive como as maiores espécies de minhoca do planeta, é a megascolides australis. Originalmente pensou-se tratar de uma cobra, mas a megascolides australis foi descoberta e classificada na década de 1870. Raramente visto devido ao seu habitat subterrâneo, eles só visitam a superfície se suas tocas são inundadas por uma chuva excepcionalmente pesada. 

Nativo do sudeste do estado de Victoria, e encontrado apenas no vale do rio Bass do Sul Gippsland, a australiana minhoca gigante de Gippsland mede em média 1 metro de comprimento e 2 centímetros de diâmetro, e pesa cerca de 200 gramas. No entanto, esses invertebrados de vida longa podem sobreviver até 5 anos ou mais, atingindo um comprimento enorme de 3 metros. Há rfelatos dessa minhoca gigante crescendo até 12 metros de comprimento e pesando 2 quilos!

A minhoca gigante de Gippsland prospera melhor em subsolos argilosos e molhados de margens de rios, escavando profundamente para criar seus habitats em rede. Por isso só é encontrada nessa esteira de Gippsland, área com uma argila cinza-azulada que só é encontrada em cerca de 100.000 hectares nessa região. Ao contrário de seus primos menores que vêm à superfície para defecar, a minhoca gigante de Gippsland deposita suas peças no subsolo, confiando em fortes chuvas para expulsar os resíduos de suas tocas. Altamente sensível às vibrações acima do solo, a minhoca gigante de Gippsland responde aos passos dos intrusos desconhecidos ao se afastar, produzindo ruídos de silenciamento audíveis que podem ser claramente ouvidos na superfície.

Existem quase 1000 espécies de minhocas na Austrália e as minhocas gigantes são a única criatura devido ao seu tamanho e peso. As minhocas normalmente vivem debaixo da terra e comem terra quando se enterram. Após 5 anos, uma minhoca gigante atinge a maturidade e começa a botar ovos. Eles botam ovos em grande número enquanto normalmente se reproduzem nos meses mais quentes do ano. Essa minhoca gigante produz uma grande cápsula de ovo de 4 a 7 centímetros de comprimento, que leva um ano para incubar em uma única prole.

A minhoca gigante de Gippsland é atualmente classificado como uma espécie protegida, tendo seus números sido reduzidos pela introdução da agricultura nesta região da Austrália. Outros fatores limitantes incluem sua baixa taxa de reprodução e desenvolvimento lento. A partir de 2012, a minhoca de Gippsland gigante é listada como uma espécie ameaçada e protegida sob a lei vitoriana de garantia de flora e Fauna de 1988.

Em homenagem a esta notável e rara minhoca, os moradores da cidade de Korumburra, na Austrália, realizam um festival anual de minhocas com desfiles, jogos e a coroação de uma rainha minhoca. Além disso, a minhoca gigante de Gippsland é tão famosa que tem no país um museu dedicado a ela. Uma vez que você entrou no museu de 100 metros, brilhantemente decorado, você pode maravilhar-se com “As maiores minhocas do mundo em exposição”, investigar um estômago de verme por dentro, apreciar exposições exibindo a história natural da minhoca e investigar o tanque de verme marinho.

Veja também

Espécies De Cobras Em Florianópolis

As serpentes ou cobras, como são mais conhecidas aqui no Brasil, são animais pertencentes a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *