Home / Animais / Lacraia Gigante da Amazônia

Lacraia Gigante da Amazônia

Lacraia. Quando este nome é dado para alguém, pode ser motivo de briga e chacota. Porém, no reino animal, isso não define nada. É apenas uma espécie entre tantas outras na fauna brasileira.

Por mais que o seu nome não esteja associado a algo agradável no cenário atual, as lacraias são muito importantes no ecossistema.

Elas não são tão conhecidas. Primeiramente se deve ao fato de que não são animais domésticos. Segundo, a sua aparência não atrai os olhares. E terceiro, mas não menos importante, é que o seu habitat natural é bem longe dos olhares humanos.

Por mais que ela não seja reconhecida como uma ajudadora do meio ambiente, a lacraia faz o seu papel como quase nenhum outro animal faz. Quer conhecer mais sobre este animal incrível? Prossiga com a leitura do artigo e se surpreenda!

O que é uma Lacraia?

Ela é uma espécie de centopeia, ou seja, é um animal que utiliza várias patas como meio de locomoção. Geralmente, o seu tamanho não é maior do que a mão de um humano. Porém, existem as espécies gigantes, que iremos falar logo mais.

O nome centopeia é derivado da palavra “cem”, indicando o número de patas, que é maior do que uma centena!

É muito comum vê-las rastejando com suas patas peludas. E, além de rastejar, elas também conseguem fixar-se nas paredes. Suas pernas permitem com que elas andem pelas superfícies inclinadas.

Lacraia Gigante

Ela possui um corpo musculoso que se divide em duas partes: cabeça e tronco. Seu tamanho impressiona: Enquanto as normais estão entre 3 e 5 centímetros, a lacraia gigante pode chegar aos 25 centímetros facilmente.

Este invertebrado adora viver no solo, debaixo de pedras e entre cascas de árvores e folhas. Costuma se enterrar quando o sol está muito quente e volta para a superfície quando o tempo está nublado ou mais brando.

Esta espécie é uma das principais predadoras de insetos, lesmas e vermes. Para localizar suas presas, ela utiliza suas antenas até encontrá-la.

Assim que o animalzinho é caçado, ele é imobilizado pela lacraia e seu veneno altamente perigoso. Com seu corpo rígido e sua força, ela é capaz de prender a vítima e despedaçá-las com sua mandíbula.

A primeira vez que ela foi listada foi em 1853, por Girard Attems. Alguns anos depois, em 1930, o mesmo cientista nomeou mais 3 subespécies.

Hábitos e Reprodução

As lacraias gigantes possuem hábitos totalmente noturnos. O corpo deste animal é perfeito para penetrar nas frestas, locais onde ele se esconde durante todo o dia.

O sistema de reprodução deles é o sexuado. Isso significa que a fecundação é interna: o macho deposita o seu esperma no corpo de fêmea — onde se encontram as células femininas.

A quantidade de ovos que ela põe é bem grande. O número é entre 15 e 50! Assim que os ovos acabaram de sair, ela enrola a sua cauda ao redor deles, para que eles fiquem protegidos e nada aconteça de ruim.

O período em que a mãe fica nessa posição gira em torno de 4 semanas. Com isso, esse mês é de bastante vulnerabilidade para ela.

Veneno Potente para Aliviar as Dores

Assim como o veneno das cobras possuem um valor muito alto para os cientistas — principalmente para neutralizar o próprio veneno da serpente — a toxina das lacraias também é igualmente poderosa.

Porém, ao contrário do que acontece com as cobras, o veneno não é tirado do animal para combatê-lo, e sim para ser utilizado no tratamento das dores corporais. Em alguns casos, o remédio feito com a toxina é mais potente do que a morfina!

As farmacêuticas em todo o mundo estão atrás de novos medicamentos que possam combater a dor de um modo menos severo que a morfina. Como resultado da busca, o veneno da lacraia tem se mostrado uma ótima opção para todos os pesquisadores. Os maiores estudos nessa área estão nas mãos dos mexicanos, chineses e australianos.

O veneno da lacraia de cabeça vermelha, por exemplo, depois de ser processado pelo laboratório, consegue inibir a transmissão da dor em até 150 vezes mais do que muitos remédios atuais! Este é um passo muito importante para a ciência.

Toxinas da Lacraia
Toxinas da Lacraia

Por causa do sucesso que os primeiros experimentos tiveram, vários cientistas estão procurando respostas nas toxinas das lacraias às dores do corpo humano. O que se espera é que nos próximos anos, um medicamento processado do veneno desses animais já possa ser utilizado nos hospitais.

Cuidado com os Acidentes com a Lacraia

Na Amazônia, não é incomum encontrar pessoas que já viram alguém que foi picado por este invertebrado. Por causa do desmatamento, ficou cada vez mais fácil encontrar as lacraias nos centros urbanos.

A maioria deles aconteceu por manusear um objeto onde o animal estava escondido. Caso o seu bairro esteja tendo diversas aparições delas, é ideal que você vasculhe sua casa, e, principalmente, tome cuidado quando estiver segurando algo.

Quando alguém é picado por ela, o que deve ser feito é aplicar compressas quentes no local para aliviar a dor. O uso de qualquer medicamento deve ser recomendado por algum médico, caso contrário, pode piorar a situação.

O veneno — felizmente — não pode matar nenhum ser humano. Porém, ele causa fortes dores, febre, diarreia e podem ocorrer vômitos.

Para que você não veja esse animal em sua casa, o ideal é evitar com que os cômodos ou o quintal vire o lar de baratas, formigas e outros insetos que servem de alimento para ela.

O território brasileiro é o local onde mais se registra espécies de lacraias. Elas são inofensivas, entretanto, é bom tomar cuidado para que não aconteça nenhum acidente, principalmente com crianças.

Veja também

Animais em Extinção no Brasil

É fato que o Brasil muitas vezes é reconhecido no exterior por possuir a maior …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *