Home / Animais / Fotos de Papagaios Brasileiros

Fotos de Papagaios Brasileiros

A riqueza e diversidade da ecologia brasileira atrai o mundo pela abundância da fauna, em especial a miscelânea avícola de belezas e cores impressionantes. É principalmente na Amazônia, essa floresta mística e cativante, berço maior de tantas espécies de aves, muitas dessas com plumagem vibrando cores apaixonantes e vívidas que os olhos do mundo se voltam atraídos profundamente. Mas é claro que sabemos das diversas outras áreas brasileiras de espécies endêmicas que, por conta de tamanha importância, tem incentivado a criação de muitos grupos de conservação. Infelizmente, nem todos os esforços tem conseguido resultados expressivos e a quantidade de espécies ameaçadas ainda preocupa.

Faremos agora um breve resumo fotográfico de oito tipos de papagaios brasileiros ameaçados de extinção:

Papagaio da Serra

O papagaio da serra, também conhecido pelo nome de charão, tem 32 cm de comprimento. É principalmente verde com alguns pontos vermelhos esparsos na cabeça, extensão variável de vermelho na testa, lores e em volta dos olhos, olhos brancos, vermelhos na curva das asas com pontas azuis para os secundários e primárias, bico amarelado. As fêmeas têm menos vermelho na curva da asa. Seus naturais habitats são floresta tropical ou subtropical seco, floresta de planície húmido tropical ou subtropical, úmido tropical ou subtropical floresta montana, seca savana, e plantações. Está ameaçado pela perda de habitat. É típico do sul do Brasil.

Papagaio de Bochecha Azul

O papagaio de bochecha azul é possivelmente encontrado no extremo norte do Brasil. Tem cerca de 34 cm de comprimento. Sua coloração é principalmente verde, com bochechas azuis ao redor do olho até o pescoço (menos em jovens), um espéculo de asa amarelo alaranjado, uma coroa amarelada e a região entre o olho e o bico do lado laranja. Ele vive em bosques de florestas e savanas de até 1.700 metros de altitude.

Papagaio Chauá

O chauá ou camutanga já foi considerado uma subespécie do papagaio de bochecha azul mas hoje todas as autoridades principais consideram-no uma espécie separada. Está ameaçado tanto pela perda de habitat quanto por ser capturada pelo tráfico internacional de animais. Esse papagaio tem uma coroa vermelha brilhante desbotando para marrom arroxeada na parte de trás. As bochechas e a garganta são azuis e a plumagem da asa e do corpo é verde com marcas escuras na parte de trás do pescoço. Manchas pretas e vermelhas podem ser vistas nas asas quando elas estão abertas e as penas da cauda têm marcas vermelhas e são pontuadas com amarelo. O bico e as pernas são cinzas e a íris do olho é marrom alaranjada. É endêmico do leste do Brasil, entre Rio de Janeiro a Alagoas.

Papagaio Chauá
Papagaio Chauá

Papagaio de Cara Roxa

Esse papagaio só é possível ser visto atualmente entre São Paulo e Paraná. Também está ameaçado graças ao tráfico de animais e pela perda de habitat. O papagaio de cara roxa pesam pouco menos de meio quilo, têm aproximadamente 35 cm de comprimento e, como se deduz por seu nome, tem uma plumagem verde mas a garganta, bochechas e auriculares são roxas, quase azul púrpura. Os adultos tem um bico amarelado com uma ponta escura na parte superior da mandíbula, um anel ocular cinza pálido e íris laranja.

Papagaio da Várzea

O papagaio da várzea ou papa cacau é típico do norte brasileiro. Gosta de florestas e bosques que crescem perto de grandes rios, especialmente várzeas. Mas também é encontrado em manguezais costeiros. Existem duas subespécies: amazona festiva festiva e amazona festiva bodini. Em vôo, ambas as subespécies mostram asas externas azuis profundas (teias externas das primárias e coberturas primárias) e uma garupa vermelha. Embora tenha diminuído consideravelmente, permanece bastante comum em grande parte do seu alcance e pode até ser visto perto de cidades como Manaus.

Papagaio Verdadeiro

Esse é conhecido por vários nomes comuns, dependendo da região onde estiver. Um dos nomes comuns é papagaio trombeteiro. Esse é mais comum no nordeste brasileiro mas também pode ser visto no centro oeste, sudeste e sul. É um dos papagaios mais comuns mantidos em cativeiro como animal de estimação. É um papagaio principalmente verde com cerca de 38 cm de comprimento. Eles têm penas azuis na testa acima do bico e amarelo no rosto e na coroa. Distribuição de azul e amarelo varia muito entre os indivíduos. Ao contrário da maioria dos outros papagaios amazona, seu bico é principalmente preto.

Papagaio dos Garbes

Esse é uma espécie endêmica da região centro-sul amazônica. A espécie é de tamanho médio para um papagaio, atingindo um comprimento de 35 a 36 cm. A plumagem é principalmente verde, com uma estreita faixa branca na base da conta, um estreito aro branco, e um azul e vermelho presentes nas penas de vôo mais externas. Embora se pareça com o papagaio moleiro, o papagaio dos garbes pode ser facilmente reconhecida por sua mancha branca de pele na base do bico, relativamente pequeno anel ocular cinza (pode desaparecer para branco em cativeiro), vermelho perto da base do cauda.

Papagaio Caboclo

Também conhecido como papagaio do peito roxo curte floresta subtropical ou tropical húmida de baixa altitude, floresta subtropical ou tropical úmida de montanha e plantações. Está ameaçado pela perda de habitat. É um raro papagaio colorido de 30 cm de comprimento. É na maior parte verde, com uma testa vermelha, nuca azulada e um peito vitoriano-marrom. Possivelmente visto no sudeste e sul do país.

Perda de Habitat, uma Ameaça Crescente

Todos esses listados não tem só o tráfico de animais como o problema comum que ameaça sua existência. Atualmente, muito do que tem ameaçado essas aves na verdade é o progresso humano.  Os cientistas estimam que 179 espécies de aves foram extintas desde o ano de 1500. Cerca de 90% dessas perdas ocorreram em ilhas e cerca de metade das extinções de aves ocorreu nas mãos ou patas de mamíferos invasores. Mas o recorde de extinção, depois de meio milênio gasto repetindo o ritmo das invasões na ilha, agora parece estar saltando para outra pista, o continente.

Cientistas de um grupo de conservação agrícola declarou que atualmente a onda de extinção crescente está se alastrando pelos continentes. As causas destas perdas aviárias também não são as espécies invasoras típicas ou a variedade de caça excessiva, mas sim o desmatamento e a destruição do habitat. Certamente, essas ameaças não são exclusivas dos tempos modernos, mas as descobertas sugerem que podemos ter chegado a um ponto crítico.

Esses cientistas concluíram que a escala dos impactos que tivemos no meio ambiente agora é tal que estamos levando todo um conjunto de espécies à extinção. Em outras palavras, mesmo as maiores massas de terra do mundo não podem amortecer todos os golpes dos ataques ecológicos da humanidade.

Veja também

Animais em Extinção no Brasil

É fato que o Brasil muitas vezes é reconhecido no exterior por possuir a maior …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *