Home / Animais / Coruja Orelhuda Tamanho

Coruja Orelhuda Tamanho

A coruja orelhuda é um morador pouco conhecido dos Neotrópicos. Embora seja uma coruja relativamente grande e distinta, a coruja orelhuda é facilmente ignorada, e até mesmo sua distribuição geográfica é pouco conhecida. Isso é ainda mais surpreendente, uma vez que a coruja orelhuda é uma ave de habitats relativamente abertos, como savanas naturais, pastagens e campos agrícolas, bem como bosques leves e até mesmo parques urbanos.

A coruja orelhuda é principalmente noturna, e em algumas partes o seu alcance pode se concentrar em lugares pouco usuais e incomuns. Talvez em parte devido a esses fatores, não é visto com frequência.

Características Descritivas

As corujas orelhudas são marrom-amarelados, raiados de preto e (especialmente no preto) vermiculados com branco e cinza. As teias externas dos escapulários são brancas ou quase brancas, formando uma fileira de pontos. Um tufo alongado (cerca de 3,5-5 cm) de penas sobre cada olho é, na sua maioria, castanho-escuro, com as margens exteriores esbranquiçadas ou esbranquiçadas.

O disco facial, as lendas e uma faixa sobre cada órbita são brancas ou esbranquiçadas, com uma borda escura distinta. Os remígios têm barras transversais marrons escuras; a cor base dos remígios é castanho-amarelada na base, e mais distalmente os remígios vermiculados buffy e escuros. As gravações também são barradas com marrom escuro; a cor base das recriações externas é principalmente o lustre de canela, mas as recriações internas são fortemente vermiculadas com cinza, marrom e amarelo (assim, fornecendo muito menos contraste com as barras transversais escuras). As partes inferiores são listras destacadas com marrom escuro. O tarsi e os dedos do pé são emplumados, e são esbranquiçados ou amarelos.

O filhote da coruja orelhuda é quase completamente encoberta; as únicas manchas nuas são os globos oculares, o bico e os lados e fundos dos dedos dos pés. O de primeira infância (neoptile) de vida curta é branco ou cinza claro. Essas penas são frágeis e rapidamente se fragmentam ou se desintegram, sendo substituídas após alguns dias. A medida que crescem essas recém-formadas passam a ser de cor amarela, com barras cinzas ou escuras, e o disco facial é principalmente canela, com uma borda branca.

Coruja Orelhuda Tamanho

A coruja orelhuda tem uma aparência muito distinta. Uma coruja relativamente grande com “orelhas” ou “chifres” proeminentes (tufos de penas alongadas na coroa), coruja orelhuda tem um marcante preto listando forte o peito e barriga. Outra característica notável da coruja orelhuda é a cor muito branca dos discos faciais, que são destacados com bordas pretas. Os sexos são parecidos na aparência.

Coruja Orelhuda Tamanho
Coruja Orelhuda Tamanho

As medidas de altura para uma fêmea e um macho de coruja orelhuda são, respectivamente:
Feminino 40 a 57 cm

Macho 33 a 38 cm

As medidas de massa corporal para uma fêmea e um macho de coruja orelhuda são, respectivamente:

Fêmea: 400 a 570 g

Macho 320 a 490 g

As medidas de asa para um macho e uma fêmea de coruja listrada são, respectivamente: acorde de asa de 243 mm e 273 mm; largura máxima da asa 41 mm e 45 mm. Com medições de massa corporal total de 342 ge 440 g, as relações de aspecto deste macho e fêmea são de cerca de 6: 1 a 8: 1, respectivamente.

Espécies Semelhantes

A coruja orelhuda, cujo nome científico é asio clamator (ou pseudoscops clamator?), geralmente é separada prontamente de espécies de tamanho similar. A coruja do Nabal, também conhecida como mocho dos banhados (asio flammeus) é outra coruja castanha raiada de habitats abertos (especialmente pradarias), mas geralmente é encontrada em altitudes mais elevadas do que a coruja orelhuda. A coruja do Nabal também tem tufos de “orelha” muito curtos, a cor da íris é amarela (não marrom como a orelhuda), os discos faciais são marrons (não brancos) e a plumagem geralmente é marrom-escura. A coruja diabo ou mocho diabo (asio stygius) tem tufos de “orelha” relativamente longos, mas é de cor muito escura, com discos faciais escuros e íris amarelas.

A coruja orelhuda tem uma semelhança superficial com várias corujas de tamanho semelhante no gênero asio, na verdade, muitas vezes tem sido colocado em asio ou no gênero monotípico rhinoptynx. A classificação de coruja orelhuda no gênero pseudoscops baseia-se em diferenças na osteologia craniana entre clamator e várias espécies de asio, embora essas diferenças não tenham sido consideradas em um contexto filogenético.

Mais recentemente, apresentou-se um levantamento filogenético do strigiformes, usando uma abordagem de máxima verossimilhança com base nos dados da seqüência de DNA do citocromo b mitocondrial e do intrão nuclear RAG-1 e LDHb. Neste estudo, a coruja orelhuda consistentemente foi aninhada dentro do gênero asio. Infelizmente, as amostras de DNA não estavam disponíveis para as outras espécies únicas de pseudoscops, a coruja jamaicana (pseudoscops grammicus). No entanto, forneceu-se fortes evidências de que muitos autores recentes que consideram a coruja orelhuda como membro de asio de fato estão corretas.

Geografia e Distribuição

Quatro subespécies de coruja orelhuda atualmente são reconhecidas: forbesi, clamator, midas e oberi. Duas das subespécies têm distribuições que aparentemente são aloptátricas para outras subespécies,forbesi (América Central) e oberi (Tobago). A subespécie nomeada clamator é encontrado na maior parte do norte e centro da América do Sul. É confusa a classificação das subespécies da coruja orelhuda, clamator e midas, no sul do Brasil, no Uruguai e na Argentina. As diferenças entre as subespécies são relativamente pequenas e, principalmente, são diferenças no tamanho e na saturação da plumagem.

Com base na literatura atual, as distribuições de clamator e midas em relação uns aos outros não são bem definidos. Subespécie mais setentrional, forbesi é relativamente pequeno. Subespécies oberi, endêmica da ilha de Tobago, é mais escura do que subespécie clamator, com barras escuras mais amplas nas primárias externas. Subespécie mais ao sul, midas, é relatado para ser maior e mais pálido em cores.

Não existem registros publicados de coruja listrada de áreas adjacentes do oeste da amazônia brasileira, mas provavelmente ocorre lá, em habitat adequado (vegetação sucessional inicial em grandes ilhas fluviais, em pastagens e talvez em campinas). Do leste da Bolívia, as corujas listradas ocorrem no leste do Brasil central. Sua distribuição no Brasil não está bem documentada na literatura, mas a ampla afirmação de que ocorre em todo o Brasil, exceto nas áreas florestadas da Amazônia. Pode muito bem ser verdade. Foi confirmado até o nordeste como Belém, Pará, onde talvez seu alcance tenha se expandido com o desmatamento, e recentemente foi descoberto na Ilha Marchantaria na Amazônia Central, onde talvez seja um migrante austral.

Veja também

Como Eliminar Escorpiões? Armadilhas Para Escorpiões

Habitantes de desertos, savanas ou florestas, às vezes até hospedeiros de nossas casas, símbolos mitológicos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *