Home / Animais / Reprodução das Araras, Filhotes e Tempo de Gestação

Reprodução das Araras, Filhotes e Tempo de Gestação

As araras são aves pertencentes à família taxonômica Psittacidae. São representadas por várias espécies que partilham características em comum tal como bico grosso e curvado, aliado à cauda longa.

Estas espécies estão distribuídas em seis gêneros. Aqui no Brasil, existem espécies de todos os gêneros, sendo que no gênero Cyanopsitta há apenas uma espécie, a ararinha-azul (nome científico Cyanopsitta spixii), a qual está classificado como em risco para extinção, mesmo sendo endêmica no bioma da Caatinga. Outros gêneros conhecidos por abrigarem uma única espécie são o gênero Diopsittaca e Orthopsittaca.

O desmatamento de matas nativas e o tráfico ilegal de animais têm contribuído para que as araras apresentassem redução populacional, e sofressem declínio numérico de muitas espécies.

Neste artigo, você conhecerá algumas características sobre esses animais tão surpreendentes, incluindo informações sobre a reprodução das araras, filhotes e tempo de gestação.

Então venha conosco e boa leitura.

Classificação Taxonômica das Araras

As araras pertencem ao Reino Animalia, Filo Chordata, Classe das Aves, Ordem Psittaciformes e Família Psittacidae.

Características Gerais das Araras

O bico grosso e curvo é um grande aliado da alimentação formada principalmente por frutas e sementes. Além das peculiaridades do bico, a língua é grossa e negra, e a mandíbula possui uma musculatura desenvolvida.

Os pés são adaptados para a prática da escalada. Possuem quatro dedos, sendo dois para frente e dois para trás. Os pés também auxiliam a alimentação, visto que levam os alimentos até a boca.

As araras são aves de médio a grande porte, exuberantemente coloridas, o que permite sua rápida identificação em meio à natureza. Medem aproximadamente 80 centímetros de comprimento e o peso máximo fica em torno de 1,5 quilos.

Elas costumam ser vistas no topo superior das árvores, geralmente em pares ou em bandos formados por 10 a 30 indivíduos. Comunicam-se umas com as outras através de vocalizações, principalmente durante o amanhecer.

Essas aves podem migrar em determinadas épocas do ano, e possuem hábitos alimentares onívoros com presença de sementes, frutas e nozes na dieta.

As araras possuem ampla expectativa de vida, podendo atingir até mesmo 60 anos de idade.

Hábitat das Araras

A maioria das espécies de araras é encontrada em florestas de áreas tropicais. Aqui no Brasil, grande parte está distribuída no Pantanal, na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica.

A espécie conhecida como arara-canindé (nome científico Ara ararauna) é encontrada desde a Amazônia até o Paraná; assim como nos países vizinhos da Colômbia, Venezuela, Guianas, Peru, Panamá, Peu, Bolívia, Argentina, Equador e Paraguai. Outras espécies com ampla distribuição são a arara-azul (nome científico Anodorhynchus hyacinthinus) e a arara-vermelha (nome científico Ara chrloropterus).

A arara-azul é encontrada nos estados brasileiros de Goiás, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso, Maranhão e Sul do Brasil. Em relação à essa espécie particularmente, é raro encontra-la livre, cenário que pode ser vislumbrada mais no interior do estado da Bahia; nos outros estados, é encontrada mais em cativeiro.

Espécies de Araras

Espécies de Araras
Espécies de Araras

As araras são distribuídas em 6 gêneros e 16 espécies.

Entre as espécies encontradas no Brasil, o gênero Anodorhynchus abriga três espécies, são elas o Anodorhynchus hyacinthinus (conhecida como arara-azul grande, ou simplesmente arara-azul), o Anodorhynchus leari (conhecida como arara-azul- de-lear) e o Anodorhynchus glaucus (a famosa arara-azul pequena ou arara-cinza-azulada).

Espécies como a arara-azul grande e arara-azul-de-lear são consideradas como em situação de perigo para extinção. No caso da arara-azul pequena, a classificação sobe para criticamente em perigo.

Para o gênero Cyanopsita, há apenas uma espécie no Brasil, a qual recebe o nome científico de Cyanopsita spiixi, conhecida também como ararinha-azul. Essa espécie é endêmica, ou seja, é encontrada apenas no Brasil.

No gênero Ara, as espécies brasileiras são a Ara ararauna (conhecida como arara-canindé), Ara chroropterus (conhecida como arara-vermelha-grande ou ararapiranga), Ara macao (conhecida como arara-vermelha ou aracanga) e Ara severus (também chamada de maracanã-guaçu).

Outro gênero encontrado aqui no Brasil que possui registro de apenas uma espécie é o gênero Diopsittaca, no qual está inclusa a espécie Diopsittaca nobilis, também chamado de maracanã-pequena.

O gênero Primolius possui três espécies, todas elas encontradas no Brasil. São elas o Primolius auricollis (também conhecido como maracanã-de-colar), o Primolius couloni (conhecido como maracanã-de-cabeça-azul) e o Primolius maracanã (comumente chamado de maracanã verdadeira).

O maracanã-de-colar possui um risco mínimo de extinção, ao passo que o maracanã-verdadeira é classificado como quase ameaçado e  o maracanã-de-cabeça-azul é considerado vulnerável.

Engana-se quem pensa que apenas os gêneros Cyanopsitta e Diopsittaca possuem uma única espécie, pois no gênero Orthopsittaca esta situação se repete. Neste gênero, podemos encontrar a espécie Ortopsittaca manilata, também conhecida como maracanã-de-cara-amarela ou maracanã-do-buriti. Esta espécie é encontrada no Mato Grosso, mede apenas 44 centímetros de comprimento e possui penugem do corpo verde, porém amarelo e pálido na face. Outros contrastes ficam localizados na cabeça (penas azuis), extremo das asas (cor azul também) e centro do abdômen ( o qual possui grande parte em tom castanho-avermelhado).

Reprodução das Araras, Filhotes e Tempo de Gestação

As araras são aves monogâmicas, e permanecem com o seu parceiro ao longo de toda a vida.

A taxa reprodutiva das araras é considerada baixa, visto que a fêmea coloca apenas de 2 a 3 ovos por vez, os quais serão incubados por um tempo médio de 35 dias.

Os ninhos são confeccionados geralmente em áreas ocas das árvores. Geralmente apenas um dos filhotes sobrevive. Eles permanecem no ninho e ficam aos cuidados da mãe, ao passo que os machos ficam responsáveis por procurar comida. Durante a permanência no ninho, é necessário fiscalização intensa dos filhotes, visto que se tornam alvo fácil de gralhas, tucanos e outras aves, assim como de mamíferos, a exemplo do gambá.

Filhotes de arara são alimentados pelos pais até os seis meses de idade, em razão de ainda serem frágeis; no entanto, aos três meses, o corpo já está revestido de penas, e ocorrem as primeiras tentativas de voo.

*

Agora que você já conhece importantes características sobre as araras, incluindo informações referentes ao seu padrão reprodutivo, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

ARAGUAIA, M. Brasil Escola. Arara (Família Psittacidae). Disponível em: < https://brasilescola.uol.com.br/animais/arara.htm>;

FIGUEIREDO, A. C. Infoescola. Arara. Disponível em: <https://www.infoescola.com/aves/arara/>;

Portal São Francisco. Arara. Disponível em: <https://www.portalsaofrancisco.com.br/animais/arara>;

Wiki Aves. Maracanã-do-buriti. Disponível em: < https://www.wikiaves.com.br/wiki/maracana-do-buriti>.

Veja também

Diferenças Entre Raças de Cães Maltês, Poodle, Shih-Tzu, Yorkshire e Bichon Frise

Porque as necessidades de todos são tão diferentes, vamos nos concentrar na comparação entre algumas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *