Home / Animais / Comportamento do Marisco, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Comportamento do Marisco, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Por definição, mariscos ou frutos do mar seriam algumas espécies de moluscos ou crustáceos de água doce ou salgada, os quais são frequentemente utilizados na culinária. Muitas dessas espécies contam com a presença de uma concha ou carapaça.

As espécies mais famosas de mariscos incluem os camarões, lulas, polvos, mexilhões, ostras e, até mesmo, alguns equinodermos, tais como o ouriço do mar.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre algumas dessas espécies, principalmente em relação a informações como o comportamento e hábitos.

Então venha conosco e boa leitura.

Características do Marisco: Bivalves

O grupamnto dos bivalves abriga um total de 8 mil espécies, dentre as quais estão inclusas os mexilhões, ostras e amêijoas. A maioria dessas espécies é encontrada nos oceanos, porém algumas também podem viver em água doce.

Entre estes animais, existe grande variação em relação às características de tamanho, formato e cor. Por exemplo, em relação ao tamanho, é possível encontrar conchas de água doce com apenas 1,5 milímetros; ao passo que, mexilhões gigantes do Sul do Pacífico podem alcançar até 1,2 metros de comprimento, com o peso estimado em 225 quilos.

Na qualidade de moluscos, estes animais possuem o copo mole, logo a concha funciona como uma excelente estrutura de proteção. As duas metades da concha são conectadas através de músculos, os mesmos que permitem a abertura e fechamento das valvas, de modo rápido e conciso.

Marisco Características

A respiração ocorre através de guelras. Durante a abertura da concha, a água passa através destas guelras, as quais retém oxigênio e partículas de alimento.

Estes animais também possuem sistema nervoso, sistema digestório e um coração.

Comportamento do Marisco, Hábitos e Modo de Vida do Animal : Bivalves

Em razão do grande quantitativo de espécies de bivalves, também existe uma grande variedade e comportamentos possíveis.

No caso das ostras, assim como dos mariscos de água doce, é possível notar um certo ‘padrão’ em comum: passar a vida acoplado a superfícies sólidas submersas.

Algumas espécies, tais como as vieiras, ainda conseguem nadar abrindo e fechando as suas valvas. Sendo que, dentro deste ‘mecanismo’, conseguem empurrar a água para fora da concha e mover-se para frente.

Em relação aos mexilhões, assim como aos moluscos de água doce, estes conseguem se locomover através de uma estrutura muscular que pode ser comparada a um pé. Esta estrutura é utilizada para, de certa forma, cavar a areia, ao escapar dos predadores.

Características do Marisco: Lula

As lulas são moluscos que pertencem à classe taxonômica dos cefalópodes. Possuem o corpo dividido em cabeça, massa visceral e tentáculos. São mariscos que se diferem das demais espécies, por não possuírem concha ou casca externa. Porém, curiosamente, possuem uma casca interna, enquanto que a porção externa do seu corpo é bastante macia.

É importante considerar que a classe dos cefalópodes é dividida e, categorizada/dividida em decápodes (10 tentáculos) e octópodes (8 tentáculos). A lula é considerada um decápode.

Possui uma massa visceral alongada, assim como um corpo envolto pelo manto- o qual consiste em uma cavidade muscular localizada atrás da cabeça. A água circula através dessa cavidade, e também passa pelas guelras durante o percurso- dinâmica que torna possível a respiração do animal.

Características da Lula

Na porção inferior da massa visceral, há 2 nadadeiras em formato triangular.

Pela cavidade circulatória, há circulação tanto de água, quanto de tinta (ou sépia), as quais são expelidas através de um tubo localizado abaixo da cabeça, que recebe o nome de funil. A expulsão do jato de água através do funil faz com que a lula consiga rápida propulsão no nado e seja considerada o cefalópode mais ágil de todos.

Atualmente, existem mais de 300 espécies de lula, sendo as mais famosas a lula da Califórnia (nome científico Loligo opalescens); a lula de recifes do Caribe (nome científico Sepioteuthis sepioidea); a lula comum (nome científico Loligo vulgaris); a lula luminescente de mar profundo (nome científico Taningia danae); a lula de Humboldt (nome científico Dosidicus gigas) e a lula de barbatana curta (nome científico Illex illecebrosus).

Comportamento do Marisco, Hábitos e Modo de Vida do Animal : Lula

Dentro do cardápio das lulas estão inclusos os camarões, peixes pequenos, caranguejos, e até mesmo outras lulas. Os tentáculos são utilizados na hora da caça, e, com eles, as presas são conduzidas ainda vivas até a mandíbula. Chegando na mandíbulas, as presas são rasgadas e cortadas.

Em relação ao padrão reprodutivo, este pode ser descrito como sexuado. Durante a reprodução, há transferência de esperma do macho para a fêmea, por meio da boca ou do funil. Quando os ovos são fertilizados, estes formam uma massa gelatinosa que é expelida pela fêmea. A fêmea esconde tal massa gelatinosa embaixo das pedras ou em buracos. O nascimento dos filhotes ocorre entre 4 a 8 semanas, sendo que os mesmos se alimentam de plâncton até atingirem a fase adulta.

Mesmo sendo ágeis e possuindo a peculiaridade da camuflagem, as lulas podem ser consideradas presas relativamente vulneráveis, uma vez que possuem o corpo muito mole. Possuem cromatóforos (ou seja, células especializadas em pigmentação) nos tentáculos, logo são capazes de mudar de cor e até mesmo de textura.

Características do Marisco: Camarão

Os camarões correspondem a várias espécies pertencentes à classe taxonômicas dos decápodes. Possuem um exoesqueleto quitinosos, e o corpo é dividido em cefalotórax e abdômen. Este abdômen é longo e comprimido lateralmente.

A maioria das espécies possui um tamanho pequeno (compreendido em 3 centímetros de comprimento); todavia, existem espécies de grandes dimensões que podem alcançar até mesmo 35 centímetros de comprimento.

O sistema nervos é formado por gânglios cerebrais bem desenvolvidos. Na cabeça, contam com a presença de órgãos sensoriais bastante especializados. O coração também está presente na cabeça.

Em relação ao comportamento destes mariscos, não há muito material literário a respeito; porém uma curiosidade inusitada é que estes se comunicam entre si através da emissão de bolhas de ar.

Agora que você já conhece algumas importantes características sobre os mariscos, nosso convite é para que continue conosco para visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Britannica Escola. Bivalve. Disponível em: < https://escola.britannica.com.br/artigo/bivalve/480798>;

Burkenroad, M. D. (1963). “The evolution of the Eucarida (Crustacea, Eumalacostraca), in relation to the fossil record”. Tulane Studies in Geology 2 (1): 1–17;

PACIEVITCH, T. Infoescola. Lula. Disponível em: < https://www.infoescola.com/cefalopodes/lula/>;

Super Interessante. É verdade que o camarão tem o coração na cabeça? Disponível em: < https://mundoestranho.abril.com.br/materia/e-verdade-que-o-camarao-tem-o-coracao-na-cabeca>;

Wikipédia. Camarão. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Camar%C3%A3o>.

Veja também

Comportamento do Vombate, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Você já ouviu falar do vombate? Caso não, pode ficar tranquilo. Este animal não é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *