Home / Animais / Ficha Técnica dos Bivalves: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Ficha Técnica dos Bivalves: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Os bivalves correspondem à uma classe taxonômica pertencente ao filo Mollusca. Tais animais possuem basicamente uma concha carbonada formada por duas valvas.

Atualmente, esta classe conta com o incrível quantitativo de 15.000 espécies. Algumas espécies famosas incluem o mexilhão, a conquilha e a amêijoas.

Uma curiosidade pertinente é que o espaço entre as duas valvas conta com um pé muscular, assim como com sifões inalantes e exalantes para promover a entrada e a saída de água, assim como para trazer oxigênio, o qual será absorvido pelas lâminas branquiais através da difusão direta.

Outra curiosidade é que os bivalves são os únicos moluscos que não possuem rádula (estrutura localizada na base da boca, e utilizada para literalmente ‘raspar’ os alimentos). Também são considerados os únicos moluscos que se alimentam por filtração, através de seus sifões.

Em razão da diversidade e do quantitativo de espécies, podem se encontrados bivalves desde 1 centímetro de comprimento até 1,5 metros de diâmetro. O peso geralmente é mínimo e correspondente a algumas poucas gramas, todavia, grandes e peculiares raras espécies podem atingir a marca de até 250 quilos.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre a morfologia desses moluscos com duas valvas, assim como a ficha técnica de algumas espécies desta classe em particular.

Então venha conosco e boa leitura.

Descrevendo Melhor a Concha dos Bivalves

Em muitas literaturas, é possível encontrar a menção de que, grosseiramente, a concha dos bivalves pode ser considerada semelhante à concha de animais como os braquióides (considerados solitários e bentônicos), todavia, há uma forte diferença no fato de que as valvas dos braquióides são consideradas desiguais, porém curiosamente simétricas de algum modo (por mais confuso que esse conceito possa parecer).

Nos bivalves, as valvas são ligadas uma a outra por músculos aductores, assim como por ligamentos. Tais ligamentos são responsáveis por controlar a abertura da valva quando ela está em repouso.

O movimento de fechamento da concha ocorre através da contração dos músculos aductores.

Na região anterolateral de cada valva, há uma saliência chamada de umbo, em torno da qual se dispõem as linhas de crescimento radial.

Bivalves

O ‘ponto’ de união das valvas é na charneira, por meio de um grupamento de dentes laterais e/ou cardinais, assim como de suas fossetas, que se encaixam na valva oposta.

As charneiras, por sua vez, podem ser classificadas em tipos específicos, sendo que os principais são o tipo Taxodonte, Disodonte, Esquizodonte, Heterodonte e Desmodonte. O ‘padrão’ Disodonte é encontrado em espécies como o mexilhão, e caracteriza-se por dentes limitados a pequenas saliências próximas ao umbo.

Nos bivalves, o manto está confinado e fixo à concha. Também é importante considerar que as conchas podem ser de diversas cores.

Ficha Técnica dos Bivalves: Peso, Altura, Tamanho e Imagens- Mexilhão (Subclasses Taxonômicas)

O mexilhão pode ser conhecido pelo termo popular sururu. Este animal representa na realidade mais de uma espécie, estando mais associado aos indivíduos inclusos no gênero taxonômico Mytillus, como é o caso do mexilhão-comum (nome científico Mytilus eddulis) e do mexilhão-galego (nome científico Mytilus galloprovincialis). Mesmo com a popular participação deste gênero, sob um enfoque mais amplo, os mexilhões são todos os membros da classe Bivalvia distribuídos nas subclasses Pteriomorphia, Palaeoheterodonta e Heterodonta.

A subclasse Pteriomorphia corresponde aos mexilhões marinhos, os quais possuem guelras grandes que também podem ser utilizadas no processo de captura dos alimentos. Tais espécies se ligam ao substrato através de um feixe de filamentos chamado de bisso.

A subclasse Palaeoheterodonta corresponde aos mexilhões de água-doce, mas que também conta com uma pequena parcela de espécies de água salgada. Alguns representantes deste grupamento possuem registro fóssil que remete ao período Câmbrico. Possuem conchas prismáticas nacaradas, alongadas tal como nos mexilhões. Os dentes da charneira estão dispostos em uma única fila, porém em lugares separados. Tais dentes divergem desde o umbo.

A subclasse Heterodonta é conhecida por abrigar os chamados mexilhão-zebra.

Ficha Técnica dos Bivalves: Peso, Altura, Tamanho e Imagens- Mexilhão Comum

O mexilhão-comum (nome científico Mytilus edulis) é uma espécie encontrada em áreas temperadas e frias do Oceano Atlântico, mais precisamente nas zonas entre marés com até 60 metros de profundidade. Também pode ser conhecido pelo nome de mexilhão-azul.

O formato de sua concha é basicamente o mesmo dos demais mexilhões, ou seja, triangular e alongada, com bordas arredondadas. Em relação ao detalhes e à textura, tal concha é lisa e possui a conformação de linhas concêntricas de crescimento. As cores mais comuns são roxo, azulado e, em alguns casos, castanho.

É considerado uma espécie semi-séssil, com capacidade para soltar-se e religar-se à superfície do substrato.

Em relação a informações mais específicas, o mexilhão comum pode atingir o tamanho de até 60 a 80 milímetros, e no curto período de 2 anos. Todavia, tal processo demanda condições extremamente favoráveis nem sempre encontradas. O cenário mais comum, de acordo com estudiosos é que tal espécie atinja a marca de 20 a 30 milímetros dentre de um longo período de tempo que pode levar de 15 a 20 anos.

Mytilus Edulis

O tamanho máximo que esta espécie pode atingir ao longo de sua vida é de 11 centímetros.

A maior expectativa de vida já encontrada para a espécie foi de 24 anos.

A taxa de crescimento é influenciada por uma série de fatores como a temperatura, salinidade, exposição de maré, disponibilidade de alimentos, competição (por espaço ou alimento), assim como pelo parasitismo.

Quando esta espécie está em estágio de larva, é suscetível à predação de medusas, peixes adultos e até mesmo larvas de alguns peixes. Com o passar dos anos, as conchas tornam-se mais fortes e os mexilhões tornam-se menos suscetíveis ao ataque, porém ainda são predados por estrelas-do-mar e diversas aves marinhas (em especial as gaivotas).

Ficha Técnica dos Bivalves: Peso, Altura, Tamanho e Imagens- Conquilha

As conquilhas (nome científico Donax Trunculus) vivem enterradas na areia (em poucos centímetros de profundidade) e próximas à região onde as ondas se desfazem e quebram.

Possui certa importância econômica para famílias locais, sendo bastante comercializada para utilização na culinária portuguesa.

A espécie é particularmente encontrada nas praias do Algarve (sub-região e província histórica de Portugal).

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os bivalves, nosso convite é para que continue conosco para visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

BIOTIC- Biological Traits Information Catalogue. BIOTIC Species Information for Mytilus edulis. Disponível em: < http://www.marlin.ac.uk/biotic/browse.php?sp=4250>;

Sea Life Base. Mytillus edulis. Disponível em: < https://www.sealifebase.ca/summary/Mytilus-edulis.html>;

Simbiotica. Classe Bivalvia. Disponível em: < http://simbiotica.org/bivalvia.htm>;

Wikipedia. Bivalvia. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Bivalvia>;

Wikipedia. Mytilus edulis. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Mytilus_edulis>

Veja também

Alimentação do Dachshund: o Que Eles Comem?

O nome dessa raça é Dachshund, mas muitos chamam de salsichinha ou salsicha. É uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *