Home / Animais / Alimentação do Jegue: O que Eles Comem?

Alimentação do Jegue: O que Eles Comem?

O jegue (nome científico Equus africanus asinus) é um equídeo também conhecido pelos nomes de asno, jumento ou asno-doméstico. Em outros países, o termo “burro” também pode ser empregado como sinônimo de jegue, porém no Brasil, a palavra é utilizada para designar um cruzamento de um jegue com um cavalo, no caso, um muar.

A literatura não aponta qual a origem precisa da palavra “jegue”, porém especula-se que seja derivado do inglês jackass (jack+ass= “burro macho”).

Os jegues teriam sido empregados como animais de carga desde a pré-história, com domesticação dos seus ancestrais por volta do ano 5.000 a. C.

Atualmente, ainda é bastante procurado para domesticação, demandando alguns cuidados específicos, tais como alimentação, higiene e alojamento.

Neste artigo, você conhecerá algumas dicas relacionadas à alimentação do jegue, bem como relacionadas a outros tópicos.

Então venha conosco e boa leitura.

Jegue Características
Jegue Características

Características Físicas dos Jegues

O porte físico é considerado médio. As orelhas são bem compridas, característica justificada em razão de uma necessidade evolutiva, uma vez que são animais do deserto que desenvolveram a capacidade de percorrer longas distâncias e de captar sons de animais também a longas distâncias.

Possuem certa variedade de cores na pelagem, contudo, a coloração marrom claro é a mais frequente. Em alguns casos, é possível encontrar nuances de marrom escuro, preto e até mesmo bicolor ( a qual recebe o nome de pampa). Ainda existem casos muito raros nos quais os jegues possuem 3 cores, ou ainda pelagem marrom escura em boa parte do corpo, sendo as 4 patas na cor branca.

Em relação a dados mais precisos para a altura, observa-se que esta pode variar desde 90 centímetros até 1,50 metros. Asnos de 90 centímetros podem ser encontrados em circos e parques de diversão.

Escolhendo um Jegue para Criação

Para os criadores profissionais, alguns critérios são importantes tópicos a considerar na criação deste animal. Tópicos como o tamanho, sexo e temperamento. Convém lembrar que machos e fêmeas possuem temperamentos diferentes, e entre as raças, há uma grande variação de altura (inclusive com alguns jegues de tamanho aproximado ao do cavalo comum).

Àqueles que querem criar um jegue apenas como animal de estimação, recomenda-se optar por um fêmea ou por um capão (macho castrado). Caso o interesse seja procriação, é necessário escolher um garanhão (macho não castrado), assim como uma ou mais fêmeas. O garanhão macho não pode ser criado como animal de estimação e nem mesmo conviver com outros machos, uma vez que terá o instinto natural de lutar com eles.

Nos casos de criação para montaria, é importante selecionar um animal cujo porte aguente o peso do dono. Neste quesito, uma informação importante a considerar é que o jegue é capaz de carregar 20% do seu próprio peso com segurança.

E por último, se a finalidade de criação do jegue seja para caça de cães e lobos (atividade raramente realizada no Brasil), o ideal é escolher o tamanho normal ou grande, com a consideração de que este jegue deve ser maior do que sua presa.

Cuidados Básicos na Criação de um Jegue

Antes de adquirir um jegue, é importante verificar se o mesmo já foi adestrado para parar ao comando, assim como se já foi adestrado para ser guiado por uma corda-trela sem se agitar. Caso o jegue não tenha sido treinado anteriormente, recomenda-se recorrer a um treinador experiente.

Jegues não reagem bem a punições severas, logo é recomendável trata-lo com paciência e até mesmo com carinho. Gritar e obrigar o animal pela força não vem demonstrando efeitos positivos.

Esses animais devem exercitar-se diariamente. Podem ficar livres no pasto, ou serem guiados por uma corda-trela longa. Nos meses de inverno, é necessário cobri-los com uma manta para que não contraiam pneumonia ou bronquite em razão da exposição à chuva e ao frio.

O alojamento no qual o jegue ficar instalado deverá estar sempre sequinho e possuir piso sólido. Uma vez que esses animais se originaram de climas desérticos, possuem certa preferência por temperaturas elevadas, mantendo pouca afinidade com o frio e a chuva (circustâncias nas quais tendem a se abrigar). A água das chuvas pode se infiltrar na pelagem do jegue, cauando incomodo (situação que não ocorre com os cavalos).

Para o jegue, um celeiro ou um alpendre ou um galpão com assoalho de madeira já são suficientes. Contudo, o piso deve ser sempre rígido e seco. Pisos úmidos expõe o casco poroso do animal a doenças.

Alimentação do Jegue: O que Eles Comem?

O jegue é um herbívoro monogástrico, logo possui apenas um estômago para ruminar, não mastigando por longos períodos e de modo tão meticuloso como o cavalo.

Em relação à frequência, deve-se ter em mente que é muito melhor para o animal ser alimentado várias vezes ao dia (em porções moderadas), do que uma única vez.

A alimentação do jegue é principalmente à base de palha, feno e grama; sendo que, pode ser complementada com outros alimentos, tais como pêras, nabos e cenouras.

Em nenhum momento o jegue deve consumir chocolate, carne ou laticínios, pão, biscoito; e até mesmo grãos de cereais (aveia, cevada, milho) ou vegetais como cebolas, alhos, brócolis, alho-poró, couve-flor, berinjela, pimenta, tomate ou batata. Esses alimentos não recomendados podem ser prejudiciais ao sistema gástrico do animal.

Jegue Comendo
Jegue Comendo

A palha de cevada é importante para o equino por possui grande concentração de fibras, e baixo aporte de proteínas e carboidratos. Recomenda-se que esta palha fresca esteja sempre disponível ao animal, sempre que o mesmo sentir necessidade de consumi-la (seja de dia ou de noite). A quantidade recomendada de ingestão diária de palha é 2% do peso corporal do animal. A palha de trigo não está entre as mais indicadas, e só deve ser oferecida a jumentos jovens com dentes saudáveis, já que esta palha é mais dura e difícil de mastigar.

No caso do feno e grama, é importante que o animal seja deixado algum tempo livre para pastar na grama, com exceção do inverno e dos meses mais frios, nos quais, os jegues podem comer feno ou capim (para compensar o fato de não estarem pastando). Assim como a palha, o feno possui baixa concentração de proteínas.

Caso o jegue esteja com algum problema nos dentes, a alimentação usual com palha e grama não é recomendada, isto porque estes alimentos exigem grande mastigação. Neste caso, recomenda-se oferecer grama ou pedaços de palha picada.

Agora que você já conhece importantes dicas relacionadas à alimentação e a alguns cuidados básicos com o jegue; nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Cursos CPT. Criação de jumentos de raça- saiba tudo sobre esse asinino. Disponível em: < https://www.cpt.com.br/cursos-criacaodecavalos/artigos/criacao-de-jumentos-de-raca-saiba-tudo-sobre-esse-asinino>;

O que Comem. O que os jumentos comem. Disponível em: < https://www.quecomem.com/o-que-os-jumentos-comem/>;

WikiHow. Como Cuidar de um Asno. Disponível em: < https://pt.wikihow.com/Cuidar-de-um-Asno>.

Veja também

Ornitorrinco: Filo, Classe, Reino, Gênero, Família e Espécie

O ornitorrinco é um animal muito curioso. Ele possui características únicas, peculiaridades que nenhum outro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *