Home / Animais / Abelha Mandaçaia Amarela – Espécies Com Ferrão e Sem Ferrão

Abelha Mandaçaia Amarela – Espécies Com Ferrão e Sem Ferrão

As abelhas são insetos pertencentes à superfamília taxonômica Aipodea. São conhecidas pela especializada divisão de tarefas no interior da colméia, acarretando também em heteromorfismo físico entre rainhas, operárias e zangão.

As abelhas operárias são conhecidas pela produção de mel, cera, geleia real e propólis, a partir do néctar e pólen coletado das flores. O mel pode ter uma constituição diferente de acordo com o tipo de flor na qual o néctar é coletado. A mistura do pólen com néctar dá origem à cera a qual é utilizada para construção das células da colmeia. A modificação dessa cera com a ação de enzimas dá origem ao propólis. A geléia real, por sua vez, é produzida através das glândulas hipofaríngeas das abelhas mais jovens e servem para alimentar as larvas e futuras rainhas da colmeia.

Existem diversas espécies de abelhas, porém nem todas vivem em colônias, preferindo a vida solitária; assim como há espécies que possuem ferrão e outras que não possuem, a exemplo da abelha mandaçaia (nome científico Melipona quadrifasciata).

Neste artigo, você conhecerá importantes características sobre as abelhas, especialmente sobre a abelha mandaçaia amarela.

Então venha conosco e boa leitura.

Abelhas: Espécies Com Ferrão e Sem Ferrão

Dentro da superfamília Aipodea estão reunidas diversas famílias. A família considerada com os hábitos sociais mais avançados é a família Apidae, a qual é formada por quatro sub-famílias, são elas os Apíneos, Meliponíneos, Bombíneos e Euglossíneos.

Na sub-família Meliponídae, seus integrantes são conhecidos como abelhas indígenas sem ferrão. Na verdade, o ferrão delas é atrofiado, o que impossibilita o seu funcionamento. Essas espécies são endêmicas na América Central, América do Sul, África, Austrália, Nova Guiné, Ilhas do Pacífico e na Ásia. Apenas no Brasil, existem cerca de 300 espécies nesta classificação.

Algumas Abelhas Nativas Brasileiras

Abelhas nativas brasileiras já viviam por aqui muito antes das espécies “estrangeiras” chegarem por aqui. No entanto, a vida destas abelhas está ameaçada pelo desmatamento, uma vez que a retirada de árvores pode levar á morte de colônias inteiras que nela estejam instaladas.

Para auxiliar na conservação dessas espécies, uma alternativa é realizar a meliponicultura, ou seja, a criação racional de abelhas sem ferrão. Alguns polos de meliponicultura já estão em funcionamento no Brasil, especialmente na Região Nordeste, em estados como o Pernambuco, Rio Grande do Norte, e Maranhão.

Algumas espécies nativas incluem a Melipona scutellaris, Melipona quadrifasciata (abelha mandaçaia), Melipona fasciculata, Melipona rufiventris, Nannotrigona testaceicornis e a Tetragonisca angustula.

A espécie Melipona scutellaris é conhecida por polinizar culturas de pitanga, abacate e pimentão na região Nordeste. É muito cobiçada, principalmente na Bahia, em decorrência da grande produção de mel e facilidade na criação, no entanto, vem sendo vítima de tráfico ilegal e está ameaçada de extinção. Possui porte avantajado, razão pela qual também são chamadas de uruçu ou urussu-boi.

Melipona Scutellaris
Melipona Scutellaris

A Melipona fasciculata também é conhecida como uruçu-cinzenta, jandaíra-preta-da-Amazônia ou tiúba-grande. Possui uma incrível capacidade de produzir mel, inclusive algumas colônias conseguem estocar até 12 litros. Essa abelha possui um papel importante na polinização do urucum, tomate, berinjela e açaí. É encontrada nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Melipona Fasciculata
Melipona Fasciculata

A Melipona rufiventris também é capaz de produzir grande quantidade de mel, a qual pode chegar a 10 quilos por ano. Também pode ser chamada de uruçu-amarela, tujuba ou tujuva. É frequente nos estados do Tocantins, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Piauí e São Paulo. É considerada uma espécie ameaçada de extinção.

Melipona Rufiventris
Melipona Rufiventris

A Nannotrigona testaceicornis, também conhecida como abelha Iraí, é uma espécie encontrada principalmente em zonas tropicais que se adapta com facilidade às zonas urbanas. Costuma construir seus ninhos em tijolos, blocos de cimento e muros de concreto.

Nannotrigona Testaceicornis
Nannotrigona Testaceicornis

A espécie Tetragonisca angustula também se adapta bem aos ambientes urbanos. Possui ampla distribuição na porção tropical do continente americano, envolvendo países como o Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, Bolívia, Suriname, Honduras, Nicarágua, Guatemala, México, Costa Rica e Panamá. Também pode ser chamada de virginitas, virgencitas, angelitas, maria-seca, abelha-ouro, mosquitinha-verdadeira, jimerito, moça-branca, trez-portas, jatihy, mosquito-amarelo, jatay, jaty, mariita, mariola, espanholita, entre outras denominações.

Tetragonisca Angustula
Tetragonisca Angustula

Abelha Mandaçaia Amarela: Características Gerais

A abelha mandaçaia costuma polinizar culturas de tomate, pimenta-malagueta, abóbora e pimentão. Outros nomes para a abelha mandaçaia incluem mandasái, manassaia, amanassaia, mandaçaia-grande e amanaçaí.

Possui corpo com 10 a 11 milímetros de comprimento, dimensões consideradas relativamente robustas para uma abelha. A cabeça e o tórax são de cor preta, no entanto, há faixas de cor amarela no abdômen. As antenas são ligeiramente curvas e as asas translúcidas.

O padrão de listramento amarelo é um grande diferencial, o qual ocorre do terceiro ao sexto tergito abdominal.

Essa espécie possui duas subespécies, a Melipona quadrifasciata quadrifasciata e a Melipona quadrifasciata anthidioides.

Abelha Mandaçaia Amarela: Taxonomia

Essas abelhas estão inclusas no Reino Animalia, Filo Arthropoda, Classe Insecta, Subclasse Pterygota, Infraclasse Neoptera, Superordem Endopterygota, Ordem Hymenoptera, Subordem Apocrita, Família Apidae, Subfamília Apinae, Tribo Meliponini, Gênero Melipona e Espécie Melipona quadrifasciata.

Abelha Mandaçaia Amarela: Diferenciação Entre Rainhas e Operárias

Tal como ocorre na maioria das abelhas sociais (que vivem em colmeia), a abelha rainha possui um abdômen que cresce significativamente em decorrência do desenvolvimento do ovário, contribuindo para que o porte corporal como um todo seja superior ao encontrado nas abelhas operárias. Também há uma discreta diferenciação de cor em relação às operárias, visto que seus olhos e pêlos são de tom castanho.

As abelhas operárias tem porte físico inferior à abelha rainha. Os pêlos e os olhos são negros. Entre essas operárias, as mais velhas ficam encarregadas de colher pólen, néctar e água; ao passo que as mais novas (com média de 12 a 21 dias de idade) constroem e dão provisão ás células nos favos.

Abelha Mandaçaia Amarela: Distribuição Geográfica

Essas abelhas possuem grande incidência ao longo de toda a costa atlântica. Suas subespécies possuem facilidade de adaptação às regiões sul e sudeste do Brasil.

Abelha Mandaçaia no Brasil
Abelha Mandaçaia no Brasil

Em linhas gerais, a abelha mandaçaia pode ser encontrada nos estados do Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e São Paulo.

*

Agora que você já conhece características importantes sobre a abelha mandaçaia amarela, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Cursos CPT. Abelhas- espécies sem ferrão e com ferrão. Disponível em: <https://www.cpt.com.br/cursos-criacaodeabelhas/artigos/abelhas-especies-sem-ferrao-e-com-ferrao>;

Dr. Mel. Abelha Mandaçaia (Melipona quarifasciata)- Abelhas Brasileiras. Disponível em: < https://www.mel.com.br/abelha-mandacaia-ou-a-mandassaia/>;

Ecoa. 6 tipos de abelhas nativas do Brasil para você conhecer. Disponível em: <http://ecoa.org.br/6-tipos-de-abelhas-nativas-do-brasil-para-voce-conhecer/>;

Portal São Francisco. Abelha. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/abelha>;

Wikipédia. Melipona quadrifasciata. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Melipona_quadrifasciata>.

Veja também

Habitat do Leão: Onde ele Vive?

Os leões são grandes predadores que ao mesmo tempo são temidos e adorados pelos seres …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *