Home / Plantas / Quando a Fruta Graviola Está Madura e Pronta Para Comer?

Quando a Fruta Graviola Está Madura e Pronta Para Comer?

Alguns sinais logo denunciam que uma graviola está madura e pronta para comer. E os principais são: maciez ao toque, romper-se facilmente ao apertar e possuir os espinhos totalmente escuros.

No entanto, se elas rompem-se a ponto de desmanchar, apresentam sinais de mofo ou possuem a parte exterior escura, isso é o sinal de uma fruta estragada!

A polpa da graviola também deverá apresentar a semelhança com um tecido fibroso, ou como um chumaço de algodão; e também possuir uma casca com uma coloração verde-clara, bastante “viva”, com os seus espinhos exuberantes e bastante expostos – salientes mesmo! – , como se até os frutos implorassem para ser saboreados!

É dessa forma, também, que você poderá aproveitar melhor as suas quantidades impressionantes de vitaminas B e C, além de outros nutrientes que, em se tratando de uma fruta, tornam a graviola quase que uma verdadeira refeição – com os seus altos níveis de carboidratos, gorduras, proteínas e fibras! Muitas fibras! Fibras à vontade!

Mas nada impede que elas sejam colhidas ainda antes de estarem totalmente maduras (apesar de não recomendado). Você só terá que tomar alguns cuidados, como por exemplo, mantê-las em um lugar ventilado, sem excesso de umidade e incidência de luz direta.

Aí então é só consumi-las, geralmente na forma de sucos ou sorvetes – já que a graviola não é muito dada a variações gastronômicas, como sobremesas, compotas, geleias, entre outras variações.

Pois ela vai bem mesmo é na forma de sucos. Sucos deliciosíssimos! Com refrescância e suculência difíceis de serem superadas, mesmo no Brasil, que possui uma variedade tropical que dispensa apresentações.

Além de Saber Quando a Fruta Graviola Está Madura e Pronta Para Comer, o Que Mais nos Interessa a Seu Respeito?

A graviola é a Amonna muricata L. (seu nome científico). Ela surge em uma árvore que pode atingir entre 4 e 6 m de altura, com copa discreta, ramagem da mesma forma pouco exuberante, com folhas que geralmente possuem entre 10 e 12cm de comprimento e 5 a 9 cm de largura.

Além disso, as folhas da gravioleira possuem pilosidades características em suas superfícies, com uma coloração meio ferruginosa e reluzente, combinadas com as suas belas flores amarelas e com no máximo 5cm, que distribuem-se em três pétalas a cada dois segmentos – entre outras características que são típicas de uma espécie tropical.

A graviola é originária das Antilhas, e pode ser encontrada com diversas denominações no Peru, Bolívia, Venezuela e em nossa mística e exuberante Floresta Amazônica.

Inadvertidamente, você poderá encontrá-la como Jaca-do-Pará, jaca-de-pobre, Araticum-de-comer, jaqueira-mole, Coração-de-rainha, entre outras denominações que ela recebe, tanto pelos seus aspectos físicos como pelas suas propriedades medicinais.

Aliás, sobre esses aspectos, a graviola é, comprovadamente, um vermífugo, antimicrobiano, antibactericida, fungicida, analgésico, antiparasitário e um excelente digestivo natural; bastante utilizado, também, como coadjuvante no tratamento de bronquites, diarreias, gastrites, úlceras duodenais e gástricas, entre outros distúrbios.

E mais: as suas cascas, sementes e folhas são eficazes no combate ao excesso de catarro, artrite, asma, problemas renais…Enfim, funções medicinais e farmacológicas é o que não faltam nessa espécie – como se não bastasse ser uma das mais doces, suculentas e nutritivas entre as frutas tropicais brasileiras.

Os Benefícios da Graviola Para a Saúde

De uma fruta estritamente alimentícia, a graviola, a partir de investigações científicas, tornou-se um dos mais completos coadjuvantes no tratamento de transtornos, especialmente os relacionados a processos inflamatórios – sejam eles gástricos, respiratórios, pulmonares ou das articulações.

Mais importante do que saber quando a graviola está madura ou pronta para comer, é saber que ela, como toda espécie vegetal, possui princípios ativos que, em uma combinação com os tratamentos convencionais, podem fazer toda a diferença para a saúde de um indivíduo.

E entre esses principais benefícios, apontados por especialistas, estão:

1. É Praticamente uma Refeição!

Contrariando o que se espera de uma fruta, a graviola é uma espécie com altos níveis de carboidratos, gorduras “boas” e proteínas. São cerca de 0,9 g de proteínas e 1,8 g de carboidratos por 100 g. Além de fibras, vitaminas e sais minerais em quantidades suficientes em apenas um fruto maduro.

2.Contribui Para a Perda de Peso

A graviola é também considerada uma parceira dos praticante de dietas, especialmente aquelas mais rigorosas, já que as suas não mais do que 61 calorias – em combinação com boas quantidades de proteínas, carboidratos e gorduras “boas” – evita que a dieta transforme-se num transtorno para o praticante.

3.É um Aliado do Coração

As propriedades da graviola, além de contribuírem para a normalização dos batimentos cardíacos, ainda é altamente rica em vitaminas do complexo B – como a B1 e a B6.

A primeira, mantém forte e resistente o músculo do coração. Enquanto a segunda, protege todo o sistema cardiovascular, impedindo o acúmulo de gorduras nas veias e artérias.

Isso sem contar a sua capacidade de tornar estável a pressão arterial, suas propriedades antiespasmódicas, vasodilatadoras, relaxantes, entre outras.

4.A Graviola é Uma Anti-Inflamatório Natural

Articulações, aparelho digestivo, excretor, urinário, entre outros sistemas do corpo humano, podem beneficiar-se de um dos mais potentes anti-inflamatórios naturais da natureza.

Folhas, sementes e cascas da graviola possuem propriedades antirreumáticas, analgésicas e anti-inflamatórias, principalmente quando utilizadas na forma de infusões.

5.As Propriedades Anticancerígenas da Graviola

A acetogenina estaria por trás desse benefício da graviola, especialmente quando a fruta está madura e pronta para comer.

Ela atua como uma espécie de inibidora da formação de células defeituosas e cancerígenas mutirresistentes – e é até mesmo capaz de controlar determinadas mutações causadoras do distúrbio.

Mais uma vez, a infusão das folhas ou cascas da graviola, quando ingerida com moderação (não mais do que 2 vezes ao dia), produz benefícios comprovados cientificamente.

6.Pode ser Utilizado Como um Excelente Diurético

Os rins são apenas alguns dos órgãos que podem ser beneficiados pelas propriedades de uma infusão das folhas ou cascas da graviola, especialmente quando não ingerida em excesso.

Problemas renais são alguns dos transtornos mais comuns entre os brasileiros. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), são quase 13 mllhões de brasileiros que sofrem com algum tipo de transtorno renal.

E para os que ainda não atingiram um estágio grave ou uma insuficiência renal, as propriedades da graviola podem contribuir para prevenir certos transtornos, principalmente pelo seu potencial diurético.

Caso queira, deixe a sua opinião sobre esse artigo por meio de um comentário. E continue acompanhando as nossas publicações.

Veja também

Como Podar a Planta Clúsia, Plantar e Cultivar Passo a Passo

Para quem ainda não conhece, clúsia é aquela planta com folhas arredondadas, em forma de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *