Home / Plantas / Onde Vive a Bromélia? Qual Seu Hábitat?

Onde Vive a Bromélia? Qual Seu Hábitat?

Bromélia é um termo generalista para se referir às plantas pertencentes à família botânica Bromeliaceae. Nesta família é possível encontrar 56 gêneros e mais de 3 mil espécies, sendo 1250 destas espécies podem ser encontradas no Brasil.

As plantas bromélias podem ser encontradas no chão, nas rochas ou como epífitas nas árvores, condição muito semelhante à observada com as orquídeas.

As bromélias são vegetais de clima tropical, no entanto com uma grande variabilidade de possíveis hábitats/biomas nas quais podem ser encontradas, incluindo a Mata Atlântica, Floresta Amazônica, Cerrado, Caatinga e campos de altitude.

No Nordeste do Brasil, algumas espécies de bromélias possuem valor econômico, uma vez que podem ser utilizadas para a fabricação de cordas e de papel.

Neste artigo, você conhecerá importantes características destes vegetais, incluindo informações mais detalhadas sobre o hábitat no qual podem ser encontrados.

Então venha conosco, e boa leitura.

Bromélia Classificação Botânica

A classificação científica para as bromélias obedece à seguinte ordem:

Domínio: Eukaryota

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Subclasse: Commelinidae

Ordem: Poales

Família: Bromeliaceae

Subfamília: Bromelioideae

Bromélia Características Generalistas

As bromélias possuem folhas longas, estreitas e curvas, as quais são serreadas e formam camadas circulares; características que possibilitam o armazenamento de água com mais facilidade, já que formam um copo central para a sua deposição.

Neste copo central, além da água, detritos vegetais e animais em estado de decomposição servirão de alimento à planta.

Esse sistema de armazenamento de água também beneficia algumas espécies animais tais como aranhas, lacraias, baratas, rãs, cobras, pássaros, roedores e macacos.

A Vriesa imperialis é uma das espécies de orquídeas conhecidas pela maior capacidade de armazenamento de água, a qual é superior a 30 litros.

O caule costuma ser reduzido.

As bromélias florescem apenas uma vez durante todo o seu ciclo de vida. Após a floração, passa a emitir apenas brotos laterais e finaliza o seu ciclo.

A idade para floração não é um dado definível, e mesmo assim varia bastante de uma espécie para outra.

Bromélias Dicas Para o Cultivo

A bromélia é extremamente favorável a climas tropicais, cuja temperatura varia entre 15 a 25 graus.

A maioria das espécies de bromélias prefere o cultivo à meia-sombra, visto que esta condição já é encontrada em matas nativas. No entanto, espécies que nascem no solo preferem condições de sombra, ao passo que espécies epífitas são favoráveis à luz difusa.

Quando as orquídeas são cultivadas em vasos, a terra precisa ser bem drenada e adubada com compostos vegetais, como por exemplo o pó de xaxim.

As raízes precisam respirar, lembrando que para espécies epífitas o melhor é que as raízes estejam descobertas. De modo a não abafar estas estruturas, recomenda-se evitar o uso de vasos de plástico ou cerâmica esmaltada.

As bromélias são plantas sensíveis a inseticidas e fungicidas, logo apresentam certa vulnerabilidade à aquisição de pragas e doenças. Caso atrai pragas, uma dica é utilizar uma solução de fumo diluída em água. Caso o problema seja fungos, recomenda-se utilizar uma esponja umedecida em sabão de coco diluído em água.

Onde Vive a Bromélia? Qual Seu Hábitat?

Sim, como já mencionado no escopo deste artigo, as bromélias (também muito em razão da diversidade de espécies abrigadas nesta terminologia) possuem uma amlpa variabilidade de hábitats e/ou condições climáticas, nas quais podem ser encontradas, apesar da preferência e melhor adaptabilidade para climas tropicais (nos quais a umidade é um fator importante).

A Mata Atlântica, apesar da pouca condição de preservação, abriga boa parte das bromélias brasileiras. Espécies encontradas por lá são epífitas em sua maioria.

As bromélias também podem desenvolver hábitos semiaquáticos ou serem encontradas em regiões litorâneas.

Bromélias encontradas em biomas relativamente áridos como o Cerrado, ou áridos como a Caatinga precisam, mais do que as outras espécies, utilizar os seus mecanismos de armazenamento/ aproveitamento da água.

 Algumas Espécies de Bromélias Brasileiras

Uma das espécies mais conhecidas de bromélias é o abacaxi (nome científico Ananas comosus), o qual na verdade não é um fruto, mas sim uma infrutescência formada pela união de várias flores, as quais fecundadas são origem a vários frutos. O abacaxi é nativo do Brasil, principalmente do bioma cerrado.

Além de espécies nativas do país, também é possível encontrar por aqui espécies endêmicas da América Latina, América Central (incluindo neste tópico o México e até mesmo a porção sul dos Estados Unidos). Aqui também há uma espécie oriunda da África.

A espécie cujo nome científico é Aechmea fasciata é bastante popular, com as suas hastes florais vistosas. Cada florícolo tem apenas de um a dois dias. Esta espécie pertence ao gênero Aechmea, o qual compreende 72 espécies encontradas desde o México até a Argentina. As flores podem ser de cor branca, rosa-choque, amarela, vermelha ou púrpura.

A bromélia imperial (nome cinetífico Alcantarea imperialis) é uma planta de grandes proporções, bastante valorizada como item ornamental. Quando adulta, pode atingir cerca de 2 metros de diâmetro. As raízes são fortes e fibrosas e permitem que a planta se fixe ao substrato, assim como aos paredões rochosos e verticais. A sua inflorescência possui formato de espiga e pode atingir até 3 metros e meio de altura. As brácteas são avermelhadas, e os estames de cor branco-creme ou amarelo. As folhagens possuem relativa variação de cores.

Bromélias em Ambiente Urbano

Acredita-se que anteriormente, as bromélias podiam ser encontradas naturalmente em meio às cidades, no entanto, fatores como os incêndios e a poluição (altamente desfavorável a estas espécies) contribuíram para que elas fossem extintas desse meio. Isso aconteceu principalmente com uma espécie conhecida como gravatá roxo (nome científico Aechmea sphaerocéphala), a qual, acredite se quiser, possuía folhas medindo até 250 centímetros de comprimento. Essa espécie, antes da sua ‘extinção’, foi recolhida na Ponta do Arpoador (Rio de Janeiro) no ano de 1843 pelo colecionador de nome Gaudichaud.

Outras espécies em risco de extinção também foram recolhidas por pesquisadores anônimos, principalmente no entorno do pão de açúcar e da pedra da Gávea.

*

Agora que você já conhece importantes características sobre as bromélias, incluindo a classificação botânica, aspectos físicos, diversidade e hábitats, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Aqui há muito material sobre botânica, zoologia e ecologia de modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Arte Vegetal Paisagismo. Bromélias. Disponível em: < http://www.artevegetal.com.br/bromelias/>;

BRAGA, R. C. Principais Espécies de Bromélias. Disponível em: < https://paisagismodigital.com/noticias/?id=principais-esp%C3%A9cies-de-brom%C3%A9lias-%7C-paisagismo-digital&in=352>;

Loja Plantei. Como cultivar bromélias. Disponível em: < https://blog.plantei.com.br/como-cultivar-bromelias/>;

Portal São Francisco. Bromélias. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/bromelias>.

Veja também

Planta Mini Clusia: Características, Nome Cientifico, Mudas e Fotos

A variedade de plantas que temos na natureza é tão grande que muitas se parecem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *