Home / Plantas / Bromélias, Características, Mini-Bromélias e Qualidades

Bromélias, Características, Mini-Bromélias e Qualidades

A família Bromeliaceae é uma comunidade com nada mais nada menos do que 3.172 espécies. E entre elas está a Bromélia Tillandsia (a mini-bromélia), uma variedade epífita (que pode desenvolver-se na superfície de árvores), com as características de espécies ornamentais, rústicas e com todas as qualidades que se espera de uma planta decorativa.

Este é um gênero tipicamente neotropical, que desenvolve-se desde o Leste dos estados Unidos até o sul da Argentina.

No caso das Tillandsia, são cerca de 400 espécies, todas com as mesmas características: desenvolvimento em ramos nas superfícies de imensas árvores, baixa tolerância à incidência direta do sol, necessidades moderadas de água, boa resistência a pragas e demais micro-organismos, entre outras características.

Os bosques, áreas montanhosas, desertos, florestas de arbustos, entre outras vegetações semelhantes, são ambientes preferidos por essas espécies, que mantêm-se por meio da absorção dos nutrientes que conseguem captar na superfície das árvores (insetos mortos e restos vegetais) ou que lhes são trazidos pelo ar.

Foi no ano de 1738 que, mais uma vez, o botânico sueco Carl Von Linné descreveu e catalogou essa variedade ornamental, descoberta nos bosques e florestas entre o estado da Virgínia (Estados Unidos) e o México, a qual deu o nome de um outro importante médico e botânico finlandês, Elias Tillandz, que supostamente o auxiliava em inúmeras pesquisas.

Era, sem dúvida, uma espécie magnífica! A desenvolver-se formidavelmente sobre as superfícies de árvores, rochas, paredões, troncos, telhados, postes de telefone, e onde quer que pudessem encontrar quantidades mínimas de nutrientes, suficientes para fazê-las desabrochar vigorosamente, em variedades cinzas ou verdes, mas sempre com as mesmas características básicas.

As Características e Qualidades da Bromélia Tillandsia ou Mini-Bromélias

As mini-bromélias, como acabamos de ver, podem ser encontradas em duas variedades: “verdes” e “cinzas.” A variedade cinza caracteriza-se por exigir um clima entre o sub-árido e o sub-úmido, e com bastante umidade.

Esse é um clima em que o sol geralmente incide diretamente sobre as plantas em algumas horas do dia; e exatamente por isso costumam ser encontradas em regiões muitas vezes inacessíveis, como o topo de penhascos, montanhas, imensos carvalhos e pinheiros, e sempre como um desafio para os aventureiros.

Enquanto as variedades verdes costumam ser, digamos, mais acessíveis. Elas preferem ambientes mais sombreados, na superfície das árvores, mas também no solo, aproveitando-se da matéria orgânica disponível entorno delas.

São variedades típicas do clima temperado (com chuvas mais abundantes), e que desenvolvem-se melhor sem o assédio constante das chuvas.

A bromélia, especialmente a variedade Tillandsia ou mini-bromélia, possui todas as características e qualidades de uma espécie epífita, como por exemplo, as suas originais escamas que recobrem praticamente todo o seu talo e folhas (as tricomas), especialmente desenvolvidas para a captura de nutrientes do ar.

Quando envelhecidas, essas escamas costumam definhar, e, dessa forma, tornar a planta com esse aspecto acinzentado do qual falamos.

Para espalharem-se por quase todo o continente americano, as mini-bromélias contam com a ajuda providencial de diversos tipos de pássaros polinizadores, como a pequena e resistente Chordeiles minor (o bacurau-norte-americano), ou o Corvus brachyrhynchos (O corvo-americano).

Mas também de algumas variedades de bem-te-vis, beija flores, do Tangara sayaca (o nosso sanhaço-cinzento), da formidável Tangara seledon (a saíra-de-sete-cores), entre outras inúmeras variedades que, à medida que vão recolhendo os seus sustentos, contribuem, sem perceber, para a perpetuação dessa, como de outras centenas de espécies do gênero Tillandsia por todo o continente americano.

As Características do Cultivo que Garante a Qualidade das Mini-Bromélias

As mini-bromélias possuem folhas com textura delgada, e que se acomodam entorno de um núcleo. Elas possuem raízes bastante características e adequadas para a penetração na estrutura de uma árvore, rocha, paredão, tronco, poste de iluminação, entre outras estruturas semelhantes.

Por isso mesmo, quem quer que pretenda realizar o cultivo dessas espécies, deverá esforçar-se ao máximo para lhes oferecer as condições o mais próximas possíveis das que elas encontravam em seus habitats de origem.

Mas o que realmente deve ser levando em consideração quanto ao cultivo das mini-bromélias, a fim de que elas mantenham as suas principais características e desenvolvam-se também com as suas principais qualidades, é que será necessário atentar para fatores como: iluminação, incidência de luz solar, nível de umidade, irrigação, adubação, entre outros fatores indispensáveis para o seu desenvolvimento adequado.

Pois elas são espécies que possuem as características de rusticidade. Elas são também afeitas a um substrato não tão denso e encorpado, em um terreno mais para o arenoso do que para o argiloso (com sombra na maior parte do dia), além de regas regulares (de cima para baixo).

O plantio costuma ser feito a partir de mudas que podem ser destacadas da “planta-mãe”. Esse é o chamado “plantio por brotação”, que substitui, a contento, a forma tradicional de germinação das Tillandsias (por polinização), que ocorre no ambiente selvagem.

Após a floração, separe as mudas que serão replantadas e proceda ao cultivo. Este geralmente é levado a bom termo de forma nem um pouco complexa, na superfície de madeiras, placas, troncos, estruturas de fibra de coco ou sisal, entre outras superfícies onde elas possam encontrar o ambiente típico das florestas.

A adubação que garante a qualidade da bromélia Tillandsia (as mini-bromélias) e que faz com que ela desenvolva as suas principais características, costuma ser feita com o tradicional adubo NPK 10-10-10, na forma líquida.

Acrescente 1 colher de chá em 1 litro d’água, encha um borrifador com o conteúdo e aplique-o por aspersão (de cima para baixo) – tendo apenas o cuidado para que essa aplicação seja feita à sombra e em períodos secos.

Se a planta houver sido plantada na superfície de uma árvore, não haverá necessidade de adubação; a planta possui um sistema de absorção de nutrientes bastante eficaz, e por isso você só precisará atentar para as regas periódicas da planta, caso a região permaneça durante muito tempo sem chuvas.

Mini Bromélia
Mini Bromélia

As bromélias estão entre as plantas ornamentais mais apreciadas pelos brasileiros, muito por causa do fato de serem espécies resistentes, fáceis de germinar, além de belíssimas. Mas, gostaríamos que nos contasse sobre a sua relação com as mini-bromélias, na forma de um comentário, logo abaixo. E não deixe de compartilhar e discutir com os amigos as nossas informações.

As bromélias são plantas tropicais com formas incomuns e magníficas, possuindo cores e tamanhos variados.

As bromélias se reproduzem de forma assexuada, trabalhando incansavelmente para fazer suas sementes serem dispersadas cada vez mais  em número e em distância.

As bromélias nascem através da semente, plantada no ambiente correto sob as condições ideais.

Para que haja uma maior produção de bromélia, é necessário deixar que elas derrubem, por conta própria, suas sementes no solo, se propagando naturalmente.

As bromélias desabrocham em formas únicas, para atrair a atenção de insetos polinizadores, começando a perder seu vigor após a polinização.

As sementes são desenvolvidas e atingem o ponto de maturidade assim que a bromélia começa a florescer.

As bromélias necessitam de luz para poder se desenvolverem completamente, mas não constantemente, pois também precisam de períodos de sombreamentos, assim como uma rega controlada, sem exageros para evitar que fiquem encharcadas.

As bromélias não suportam solos encharcados, e perdem oxigênio rapidamente, portanto, o sistema de drenagem de vasos e jardins, por exemplo, precisam ser eficazes para suportar a mesma.

As bromélias são plantas mais aptas a viverem em locais com baixo índice de chuva, já que a mesma utiliza o seu formato natural para reter água e distribui-la da melhor forma para seu consumo, assim como um cacto, por exemplo, e por isso podem viver até mesmo em regiões desérticas.

As bromélias não irão florescer antes de 4 ou 5 anos de idade, isto é, elas só darão sementes após esse período, e assim que desabrocham, permanecem por cerca de dois anos e meio até começar a perder o vigor e vir a morrer, enquanto muitas outras sementes estão no processo de crescimento.

Características Físicas e Habitats Ideais da Bromélia

É possível encontrar as bromélias em vários locais na natureza, mas como planta ornamental, é possível cria-las em vasos e jardins.

Quando se fala na possibilidade de encontrar bromélias em vários locais na natureza, isso significa que é possível encontra-las em árvores, no meio de pedras, em encostas, em aberturas, na grama, na terra e outros variados e possíveis locais.

Bromélia-Tanque no Meio do Jardim
Bromélia-Tanque no Meio do Jardim

As bromélias podem apresentar as suas folhas como lisas ou dentadas, nas variadas cores de verde, vermelha, bordô, contendo ou não listras, manchas ou sendo lisas ou enrugadas.

Essa fácil adaptação da bromélia se dá pelo fato de que existe diferentes tipos de bromélias na natureza. Acompanhe para saber mais!

As bromélias com raízes epífitas, são os tipos de bromélias mais distribuídas, onde suas raízes são altamente adaptáveis a se criarem em ambientes diversos, como em reentrâncias e locais íngremes, principalmente em galhos de árvores, assim como no solo.

Outro tipo de raiz de bromélia é a raiz chamada de raiz ripícula, que possui a tendência de crescer em frestas de rochas, seja de forma vertical, ou horizontal. Um exemplo desse tipo de bromélia é a Dyckia maritima.

Algumas bromélias podem alcançar de 3 a 4 metros de altura, como a Alcantarea imperialis, por exemplo.

Características Das Chamadas Mini Bromélias: O Que São?

As mini bromélias são plantas híbridas, resultados de mudanças genéticas promovidas pela ciência, e esses tipos de bromélias alcançam a altura de 20 a 25 centímetros, em quase todos os casos, pois algumas podem ser ainda menores, e algumas, raramente, podem atingir 30 cm.

As bromélias comuns são plantas extremamente admiradas pela beleza, e as mini bromélias conseguem ser ainda mais, pois além da beleza, o tamanho das mesmas se torna perfeito para que elas estejam presentes em vários tipos de ambientes, seja um ambiente interno, como uma casa, escola, escritório, recepção ou jardins, varandas e áreas externas.

Naturalmente, existe alguns tipos de bromélias de porte pequeno, mas ainda assim elas são maiores do que as mini bromélias híbridas.

A bromélia Tillandsia tectorum, por exemplo, é uma tipo de bromélia de pequeno porte, assim como a espécie Billbergia pyramidalis ou a Dyckia brevifolia.

Observe abaixo uma lista com alguns exemplos de mini bromélias híbridas:

Bromeliad Hybird Parentage Index

Fonte: http://www.bromeliad-hybrids.com/

Qualidades e Curiosidades Sobre As Bromélias e Mini Bromélias

As bromélias são plantas bastante atrativas, pois suas formas e cores deleitam os olhos, mas sua existência vai além de uma simples ornamentação natural, pois a mesma é palco para abrigar vários tipos de animais e insetos, além de serem berço da reprodução de vários organismos, que aproveitam de sua água para se proliferarem.

É normal observar as rãs utilizando as bromélias como lar e berço para os girinos, mas não são todos as bromélias que suportam esse tipo de atividade, exceto as grandes e largas. As bromélias pequenas reproduzem, ainda, bastante larvas de mosquitos e outros insetos presentes na natureza.

Com isso em mente, é importante fazer a manutenção constante de bromélias em regiões residenciais, por exemplo, para evitar a propagação de mosquitos que se reproduzirão facilmente e rapidamente na água acumulada pelas bromélias.

As bromélias são tipos de flores que florescem apenas uma vez durante a vida, e é raro quando acontece de florescer mais de uma vez.

Bromélia: Onde, Como e Quando Plantar

As bromélias não são plantas de determinadas estações, por isso conseguem germinar em qualquer mês do ano, não obstante ser apta o suficiente para lidar com climas e temperaturas adversas, como frio e calor, além de fatores abióticos como ventos ou inundações, onde o excesso de água alterará sua forma, deixando-a mais enrugada e com cores mais opacas.

Para que a bromélia cresça normalmente, basta plantá-la em um local ideal, seja de forma fixa ou em vasos, depois disso, basta deixar que a semente germine naturalmente, sem a necessidade de cuidados especiais.

As folhas irão crescer e começar a captar os nutrientes essenciais para sua sobrevivência, assim como captar água para usar quando houver necessidade.

As bromélias também não necessitam de luz incidente, então não há a necessidade de deixa-la exposta ao sol, pois isso pode prejudicar seu desenvolvimento, muito pelo fato da água que ela retém começar a evaporar com mais rapidez.

As bromélias sempre se desenvolvem melhor em locais onde não há luz em demasia, tal como debaixo de árvores ou em galhos onde as sombras filtram os raios ultravioletas com maior eficácia.

Veja também

Como Fazer Chá de Romã Para Gargarejo?

Punica granatum. Originária de uma região geográfica que vai do Irã até a região do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *