Home / Animais / Pepino do Mar Locomoção: Como Funciona Seu Sistema Locomotivo?

Pepino do Mar Locomoção: Como Funciona Seu Sistema Locomotivo?

Apesar do nome típico, os pepinos do mar não são legumes, e sim animais marinhos, os quais inclusive são muito apreciados na culinária asiática, uma vez que a maior população desses indivíduos encontra-se no Oceano Pacífico. No entanto, a coleta, assim como a extração irregular e ilegal desses animais, principalmente na China, vem se tornando um problema cada vez mais preocupante. Além da utilização na culinária, esses animais frequentemente são empregados para produção de xampus, pasta de dente e até mesmo medicamentos.

Os pepinos do mar possuem uma série de características anatômicas e fisiologias intrigantes. Uma dúvida que pode ser frequente em relação a esses animais é como funciona o seu sistema locomotivo. Pois bem, os pepinos do mar são equinodermos (assim como as estrelas e ouriço-do-mar) logo movimentam-se através do seu sistema ambulacrário, o qual é formado por vários pequenos túbulos com ventosas, ou seja, os pés ambulacrais.

Pepino do Mar Fotografado no Fundo da Água
Pepino do Mar Fotografado no Fundo da Água

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre o mecanismo locomotivo desses animais, assim como outras características e curiosidades.

Então venha conosco e boa leitura.

Pepino do Mar Taxonomia: Classificação Geral e Ordens Taxonômicas

O pepino do mar pertence ao reino Animalia, filo Echinodermata e classe Holothuroidea. Na literatura, eles também podem ser chamados pelo nome de Holotúrias.

Em relação ao filo dos equinodermes, este contém cerca de 7.000 espécies viventes e aproximadamente 13.000 extintas, caracterizadas por simetria radial, antecedentes embrionários em comum, hábitos exclusivamente marinhos, sistema nervoso radial simples, entre outras peculiaridades.

Em relação aos pepinos do mar, todas as espécies da classe Holothuroidea correspondem a estes animais.  O número estimado dessas espécies é de aproximadamente 1.711. Dentro desta classe, há três subclasses: Apodacea, Aspidochirotacea e Dendrochirotacea.

Na subclasse Apodacea, estão inclusas duas ordens: Apodida e Molpadiida. O mesmo número vale para a subclasse Aspidochirotacea, a qual contém as ordens Aspidochirotida e Elasipodida; assim como para a subclasse Dendrochirotacea, na qual estão inclusas as ordens Dactylochirotida e Dendrochirotida.

Pepino do Mar Anatomia: Características Gerais

O pepino do mar é um invertebrado, logo não possui espinha dorsal. Possui formato cilíndrico e algumas protuberâncias ao longo do corpo. O formato cilíndrico (eixo oral-aboral) é uma grande diferenciação destes animais em relação aos demais equinodermos.

Em razão do eixo oral-laboral, as holotúrias deitam-se de lado.

Características como o comprimento e a largura são extremamente variáveis, uma vez que, de acordo com a espécie, é possível encontrar pepinos do mar que medem desde 2 centímetros até 200 centímetros de comprimento. Em relação à largura, esta varia desde 1 a 20 centímetros.

Pepino do Mar Na Mão de uma Pessoa
Pepino do Mar Na Mão de uma Pessoa

Uma característica anatômica importante são os pés ambulacrais utilizados para locomoção (os quais serão explorados melhor adiante), no entanto, a boca desses animais está rodeada por estruturas resultantes da modificação de alguns pés ambulacrais. As estruturas modificadas recebem o nome de tentáculos, e estão presentes em números de 10 a 30, com funções básicas de comer e cavar.

Os pepinos do mar possuem endoesqueleto, o qual é formado por placas calcáreas articuladas e macroscópicas.

Pepino do Mar Fisiologia: Respiração, Excreção, Eliminação, Reprodução, Circulação e Comando Nervoso

Em relação à respiração, o mesmo sistema ambulacrário responsável pela locomoção auxilia na respiração, a qual ocorre através de difusão. Na coacla do pepino do mar estão localizadas as chamadas árvores respiratórias ou hidropulmões, as quais acumulam água com o objetivo de realizar as trocas gasosas.

O sistema digestivo é incrivelmente simples, cujo estômago termina em uma câmara chamada de coacla, a qual se abre no orifício retal.

O sistema circulatório desses animais não é considerado típico, uma vez que não coração, apenas um pequeno sistema de canais peseudohemais, com localização radial, nos quais há circulação de um líquido incolor contendo amebócitos.

A excreção em si não é realizada particularmente por nenhum órgão. O mecanismo excretório ocorre quando os catabólitos são levados pelos amebócitos até os pés ambulacrais.

Em relação ao sistema nervoso, não há presença de gânglios, e sim de um anel nervoso próximo à região oral, de onde emanam os nervos radiais. Além desse anel e dos nervos radiais, também há células táteis ao longo da superfície corporal.

Em relação ao sistema e fisiologia reprodutiva, é importante compreender que esses animais são sexuados e realizam fecundação externa. Os órgãos sexuais são classificados como simples, uma vez que contam apenas com as gônadas e não com ductos. A reprodução assexuada pode ser observada em algumas larvas, quando estas se autodividem regenerando partes do corpo perdidas.

Pepino do Mar Locomoção: Como Funciona Seu Sistema Locomotivo?

Pepino do Mar se Locomovendo no Mar
Pepino do Mar se Locomovendo no Mar

A locomoção dos pepinos do mar é lenta, assemelhando-se ao ‘padrão’ encontrado nas lesmas, no entanto, algumas espécies encontradas em águas muito profundas são capazes de nadar.

O sistema de locomoção é composto por pés ambulacrais, ou seja, pequenos túbulos com ventosas, que também são responsáveis pelo transporte de substâncias ao longo do corpo do animal. Esses pés ambulacrais estão de certo modo interligados entre si e com o espaço exterior.

A maioria das espécies de pepino do mar possuem um média de cinco fileira de pés tubulares.

Pepino do Mar: Hábitos, Alimentação e Mais Algumas Curiosidades

Os pepinos são encontrados em águas oceânicas, seja em porções rasas ou em grandes profundidades (já foram encontradas holotúrias a 10.200 metros de profundidade). Gostam de ficar semi-enterrados na areia ou próximos às rochas, mais precisamente no espaço entre-marés.

A alimentação é composta por detritos orgânicos localizados na areia, assim como muco e plâncton. Quando esses detritos são sugados, a areia é sugada junto com eles.

Em decorrência da incrível capacidade regenerativa desses animais, quando um pepino do mar se sente ameaçado, tende a expelir as suas vísceras.

*

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o pepino do mar, mais especificamente sobre o seu sistema locomotivo, o convite é para que continue conosco e visite também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral, com artigos especialmente produzidos pela nossa equipe de redatores.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Britannica Escola. Pepino-do-mar. Disponível em: < https://escola.britannica.com.br/artigo/pepino-do-mar/605933>;

Portal São Francisco. Classe Holothuroidea. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/classe-holothuroidea>;

Portal São Francisco. Pepino do Mar. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/pepino-do-mar>;

Wikipédia. Echinodermata. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Echinodermata>.

 

Veja também

Tartaruga De Aquário

Tartaruga De Aquário: Como Cuidar, O Que Dar Para Comer E Fotos

A gama de animais de estimação é muito grande pra escolher, e entre alguns dos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *