Home / Animais / História do Pato e Origem do Animal

História do Pato e Origem do Animal

Os patos são aves famosas e domesticadas, presentes até mesmo em fábulas e cantigas infantis. Estas aves correspondem a varias espécies da família taxonômica AnatidaeI,  a qual também inclui espécies de cisnes e gansos.

Possui a peculiaridade de ser um dos poucos animais capazes de voar, nadar e andar razoavelmente. Em relação à criação doméstica, essas aves não são tão populares quanto a galinha, uma vez que possuem menor disposição de carne branca magra, assim como demandam um maior custo em cativeiro. Todavia, já são criados desde milhares de anos atrás, possuindo ampla bagagem histórica.

Neste artigo, você conhecerá muitas informações referentes ao pato, além de fatos envolvendo sua origem histórica.

Então venha conosco e boa leitura.

Características Anatômicas dos Patos

Os patos possuem plano geral do corpo alongado e amplo. O pescoço pode ser um pouco comprido e até mesmo destacado, embora bem menos do que o pescoço de seus parentes gansos e cisnes. Possui pernas escamadas fortes. As asas também são fortes e possuem formato pontiagudo e tamanho curto.

Como existe grande variedade de espécies, certas características apresentam variabilidade, tal como é o caso da plumagem. Em certas espécies, as penas possuem coloração extravagante, a qual pode mudar em certas estações do ano para tons mais fechados ou sóbrios. Em outras espécies, as penas são importante indicativo de dimorfismo sexual entre machos e fêmeas (onde, fêmeas apresentam plumagem geralmente mais brilhante do que a dos machos).

Pato Correndo na Grama
Pato Correndo na Grama

Padrões Comportamentais dos Patos

Em relação à alimentação, a dieta é bastante ampla, sendo composta por  plantas aquáticas, gramíneas, insetos, peixes, vermes, pequenos moluscos e anfíbios. O método de captura desses alimentos depende se a espécie do pato for de ‘superfície’ ou de ‘mergulho’. Algumas espécies possuem o bico largo adaptado para tarefas como puxar minhocas e pequenos moluscos da lama, arrancar algas, procurar por larvas de inseto, escavar, e até mesmo virar a cabeça de modo de que seja possível engolir um sapo que esteja se contorcendo. Para casos de criação em cativeiro, estes animais não devem ser alimentados com pão (segundo um artigo publicado no The Guardian).

Em relação aos hábitos reprodutivos, os patos possuem apenas um parceiro por vez, todavia tal parceria dura apenas um ano. Neste quesito, é curioso notar que espécies maiores e de hábitos mais sedentários podem formar ligações duplas que duram vários anos. Para a maioria das espécies, a procriação ocorre apenas uma vez ao ano, geralmente em condições favoráveis, tais como a Primavera, o Verão ou a estação chuvosa. Antes mesmo da cópula, já ‘confeccionam’ o ninho. É natural que a fêmea seja muito cuidadosa e super protetora com os seus filhotes, contudo em condições climáticas excepcionais, a mesma pode abandonar alguns patinhos. Outra exceção ocorre no caso dos patos domésticos, os quais negligenciam seus filhotes e ovos, sendo estes últimos geralmente chocados por galinhas.

História do Pato e Origem do Animal

O pato e o marreco são considerados animais primitivos, e, de acordo, com alguns pesquisadores, não possuem uma origem definitivamente acurada (considerando a variabilidade das espécies). O pato doméstico é descendente do tipo selvagem, o qual teria habitado muitas áreas da América Meridional.

Uma curiosidade adicional é que os marrecos muitas vezes podem ser confundidos como os patos e até chamados de “pato comum”. A diferenciação entre os dois é que o corpo do pato é mais achatado e se dispõe em uma posição horizontal; ao passo que o corpo dos marrecos se dispõe em uma posição mais empinada e possui formato cilíndrico.

É comum que o pato seja representado em livros infantis com a cor branca. Este tradicional pato branco teria surgido da China, mais precisamente na porção continental. Este pato teria sido introduzido na Europa no ano de 1550, a partir da França. Sua domesticação começou logo em seguida.

Patos na Lagoa
Patos na Lagoa

No Brasil, há relatos de que animais como o pato, cavalo, vaca e galinha já eram domesticados pelos índios muito antes da chegada dos portugueses. Mesmo assim, os portugueses teriam trazido alguns exemplares de algumas espécies de patos em suas embarcações.

Conhecendo Algumas Espécies de Patos

O pato real (nome científico Anas platyrhynchos) é uma espécie encontrada nas áreas temperadas e subtropicais das Amércas, Ásia e Europa. O dimorfismo sexual é bastante acentuado, no qual, os machos possuem a característica plumagem de coloração verde iridescente na cabeça, assim como barriga na cor cinza; ao passo que as fêmeas possuem a plumagem em tons de castanho por todo o corpo. A espécie é considerada a antecessora da maioria dos patos domésticos atuais.

Anas Platyrhynchos
Anas Platyrhynchos

A espécie conhecida como pardilheira (nome científico Marmaronetta angustirotris) é um pequeno pato de coloração castanha com distribuição de manchas brancas; e bico escuro. Não possui uma distribuição geográfica contínua, uma vez que é encontrado do Norte da África e Sul da Espanha ao Mediterrâneo Ocidental; e depois da porção Médio Oriente ao Irão.

Uma das espécies mais famosas como pato de mergulho é a Aythya valisinera.

Aythya Valisinera
Aythya Valisinera

O comprimento possui a incrível média de 48 a 56 centímetros; ao passo que o peso está compreendido entre 862 a 1.600 gramas. A envergadura também atinge valores consideráveis, estando na faixa de 79 a 89 centímetros. A cabeça da espécie é bastante diferenciada e apresenta formato de cunha. O pescoço é desenhado de modo gracioso. Possui dimorfismo sexual, uma vez que o macho adulto apresenta dorso acinzentado, peito preto, e cabeça e pescoço nas cores castanho avermelhado. No caso das fêmeas, a cabeça e o pescoço são de cor castanho claro, sendo que o peito obedece uma gradação até o marrom mais escuro. Machos e fêmeas possuem bico preto, assim como pernas e pés na tonalidade conza-azulado.

*

Agora que você já conhece a história de origem do pato, assim como outras informações referentes ao animal; nossa equipe o convida para continuar aqui conosco, visitando também outros artigos do site.

Aqui, nós contamos com um amplo acervo nas áreas de zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Sinta-se à vontade para digitar um tema de sua escolha em nossa lupa de pesquisa no canto superior direito. Caso não ache o tema escolhido, você pode sugeri-lo abaixo em nossa caixa de comentários.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

CARVER, H. The Duck Bible. Google livros. Disponível em: < https://books.google.com.br/books?id=VGofAwAAQBAJ&pg=PA39&dq=mallard+sound+deep+and+raspy&redir_esc=y&hl=pt-BR#v=onepage&q=mallard%20 sound%20deep%20and%20raspy&f=false>;

VIEIRA, J. F. Uma Abordagem Sobre a Origem do Pato e do Marreco- A mportância Econômica das Espécies para a Agropecuária. Disponível em: < https://pt.slideshare.net/joao1959/uma-abordagem-sobre-a-origem-do-pato-e-do-marreco>;

Wikipedia in English. Duck. Disponível em: < https://en.wikipedia.org/wiki/Duck>;

Veja também

Alimentação do Castor: O que Eles Comem?

Os castores são mamíferos, roedores, de hábitos semi-aquáticos, conhecidos pela curiosa habilidade para construção, inclusive …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *