Home / Animais / Tudo Sobre o Pato: Características, Nome Cientifico e Fotos

Tudo Sobre o Pato: Características, Nome Cientifico e Fotos

Tudo o que se sabe sobre as origens dos patos, à parte o seu nome científico, curiosidades, fatos interessantes, entre outras singularidades como estas que podemos observar nessas fotos, é que elas encontram-se na América do Sul, onde ainda podem ser encontradas algumas espécies de patos selvagens.

Este pássaro espalhou-se pelo mundo por meio da ação de colonizadores, por volta de 1150, e por isso mesmo hoje pode ser encontrado em todo o planeta.

As variedades mais populares de patos possuem colorações misturadas em tons de branco, preto, azulado, e até três cores que surgem de cruzamentos entre raças. E como uma curiosidade, sabemos que entre os eles um macho pode juntar-se a inúmeras fêmeas.

Hoje a maioria das criações de patos são levadas a cabo para o consumo da sua carne e para a produção de ovos; enquanto outras são para o beneficiamento das suas penas.

Além de um grande número de habilidades, os patos chamam a atenção pela resistência, além de adaptarem-se a qualquer clima. No entanto, eles são daqueles tipos que exigem muita comida, pois o que parece é que estão todo o tempo com fome.

Apesar de sua alta resistência física, os patos são suscetíveis a algumas doenças, principalmente ao ataque por vermes. Portanto, para a sua criação, são necessárias vermifugações de dois em dois anos, além da vacinação dos animais.

No Brasil, as raças de patos preferidas pelos criadores de aves são a Moscovy, Caipira e Gigante Alemão. Mas os patos selvagens da fauna brasileira, como Moschata e Putrião, exigem o registro no Ibama pelo agricultor que queira iniciar a reprodução.

Pato Preto

A carne de pato, altamente valorizada pelos consumidores brasileiros, contém vitaminas A, B3 e C, além de minerais como cálcio, selênio e ferro.

Por outro lado, os ovos, por sua vez, contêm nutrientes bastante benéficos para o corpo humano, como carotenoides, albumina e vitamina B12, que cuidam dos olhos, músculo e cérebro.

As Singularidade Desse Gênero

Pato é um termo não taxonômico dado a algumas espécies de aves da família Anatidae, incluindo gansos e marrecos.

Eles são aves que vivem em corpos d’água, como rios, lagos, pântanos e brejos. E são poucas as espécies, como o pato-do-mato (Cairina moschata), que podem ser encontradas em rios próximos à beira-mar.

Os membros dessa comunidade são animais onívoros, e que podem ser alimentados com vegetais, grãos e sementes, além de filtrarem plâncton, de preferência usando camadas de filtro presentes nos seus bicos.

Sabe-se, também, que eles realizam grandes migrações sazonais para maior disponibilidade de alimentos. E o assentamento geralmente ocorre próximo a corpos d’água no solo ou em troncos ocos e secos de árvores, dependendo da espécie em questão.

A família apresenta uma grande variedade, que contam cerca de 30 espécies. O pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) é uma dessas; uma espécie comumente encontrada na América Latina, em países como Argentina, Paraguai e Brasil.

Cada indivíduo apresenta cerca de 48 a 55 cm de comprimento, com cabeça e pescoço pretos, dorso e cauda cinzentos, peito e abdômen entre o marrom e o cinza, pés vermelhos, bico preto, estreito e curvo.

E tudo o mais que se sabe sobre os hábitos desses patos, é que eles vivem em florestas subtropicais e de savana, onde encontram rios e correntes de águas claras, próximas às nascentes e a uma profundidade de pelo menos 1 metro.

Eles são animais monogâmicos, sedentários, e embora vivam principalmente na água, são também muito ágeis em terra, e podem escalar cachoeiras, pular de pedra em pedra; e esses mergulhos podem durar cerca de 20 segundos para se alimentarem em riachos e ribeiros para com peixes e invertebrados aquáticos.

Já a construção dos ninhos varia de espécie para espécie. A dos  de patos-mergulhões ocorre entre junho e outubro nas cavidades das árvores e das rochas. A fêmea deposita ali cerca de 8 ovos por ninhada e incuba-os por cerca de 30 dias. Mas apesar de reproduzir-se a contento, esse  é um pássaro que também enfrenta o perigo de extinção, principalmente devido à degradação da floresta ribeirinha.

Ainda sobre o pato-mergulhão, sabe-se que essa é uma espécie amplamente distribuída na América Latina e Central, encontrada em todo o Brasil, e da Argentina ao México.

Cairina Moschata

Os machos têm cerca de 85 cm de comprimento, 120 cm de envergadura e pesam 2,2 kg – enquanto as fêmeas são metade dos machos; que ainda possuem um corpo todo ele preto com uma faixa branca nas asas e uma área vermelha ao redor dos olhos (não encontrada nas fêmeas).

Além das suas características, nomes científicos, entre outras singularidades que infelizmente não podemos observar  por meio dessas fotos, chama a atenção também nos patos os seus hábitos alimentares.

Isso por que eles alimentam-se com a sua cabeça e pescoço curiosamente mergulhados na água, especialmente para a busca de raízes, sementes e folhas das plantas aquáticas.

São animais diurnos, que acolhem-se para dormir em árvores altas. E entre outubro e março aninham-se nas cavidades das árvores acima da água ou na borda de uma floresta próxima. E logo após o nascimento dos filhotes, podermos observar o singular hábito das fêmeas de chamarem a sua prole para segui-la por onde quer que elas andem.

Como parte dos ecossistemas em que operam, os patos não são apenas ecologicamente importantes, mas também economicamente importantes. Essas aves, amplamente utilizadas no campo da gastronomia, são fáceis de reproduzir-se, e por isso as vendas de sua carne costumam aumentar de 5% a 10% a cada ano apenas no Brasil.

No entanto, o consumo no país ainda é baixo, cerca de 20 g anuais por pessoa. Enquanto em países onde o consumo é mais tradicional, como China e França, o consumo pode exceder 1 kg per capita por ano.

Tudo Sobre as Principais Características dos Patos

Como um pássaro dos mais exóticos da natureza, os patos chamam a atenção, entre outras coisas, por ter os seus corpos cobertos por penas de cores diferentes entre as espécies e as raças dessa comunidade.

As penas internas são macias e atuam como isolantes térmicos, enquanto as penas externas são grossas, resistentes à água e cobertas de óleo – e é justamente por esse motivo que os patos costumam cultivar o hábito bastante sui generis de passar os lábios pelas penas a fim de liberar o óleo e torná-los totalmente à prova d’água.

Os patos possuem pescoços e bicos longos, que podem ser amarelos, laranjas e até pretos. Carúnculas carnosas e verrugas avermelhadas são comuns no nos seus bicos. E e eles também apresentam membranas de natação nos pés que os ajudam a nadar como poucas aves na natureza.

Nesse artigo onde relatamos tudo que se refere aos patos, com as suas principais características, peculiaridades, nomes científicos, fotos, entre outras especificidades, chamamos a atenção para o fato de que esses animais podem atingir um comprimento de até 85 centímetros.

E em geral, a aparência de machos e de fêmeas é bastante semelhante. No entanto, durante a época de reprodução, os primeiros costumam apresentar penas mais coloridas e perdê-las após o nascimento dos filhotes.

Comportamento, Espaço de Convivência e Alimentação

Em geral, os patos são animais sociais ao longo do dia. Eles fazem vocalizações, especialmente quando se sentem ameaçados. Em algumas espécies, machos e fêmeas executam vozes diferentes, como é o caso, por exemplo, do singular pato de madeira (Aix sponsa); um ilustre habitante das áreas alagadas dos Estados Unidos.

Já o comportamento de tornar as suas penas à prova d’água é chamado de “preening”. E para fazer isso, eles precisam deslocar o pescoço e enfiá-lo em meio às asas para que tudo fique coberto de óleo, e assim, dessa forma, tornem-se resistentes à água; um comportamento que também contribui para a eliminação de parasitas.

Muitas espécies de patos migram para procriação. Eles costumam ir para áreas mais quentes a fim de encontrarem comida e criar filhotes. Porém eles podem ser encontrados em quase todos os lugares do mundo, exceto na Antártida, que, obviamente, é fria demais para esse tipo de animal.

Os patos podem ser animais nativos ou introduzidos nas regiões onde são atualmente encontrados, pois, no passado, eram frequentemente introduzidos em lagos e lagoas construídos artificialmente para fins de ornamentação de paisagens.

Comportamento dos Patos

Esses são animais comumente associados a piscinas e parques públicos de áreas urbanas. Mas na natureza eles aparecem em áreas úmidas, pântanos, brejos, rios e oceanos.

E com relação aos cuidados com esses animais, sabemos que para que obtenham peso e cresçam saudáveis, é preciso alimentá-los, inicialmente, com uma ração especial peletizada (patos com até 14 dias de nascidos). Mas com 15 a 35 dias de vida eles já podem tomar rações comerciais; e após esse fase, o criador de aves poderá oferecer ração de engorda para o abate.

Obs: Se possível, forneça também alimentos especialmente desenvolvidos para o consumo de patos. E um detalhe muito importante: os comedouros devem sempre receber alimentos; e estes removidos apenas 8 horas antes do abate das aves.

Porém não podemos esquecer que os patos são animais bastante democráticos quando o assunto é alimentação. Eles alimentam-se principalmente de plantas aquáticas e gramas nas margens dos lagos e lagoas. Mas também comem sementes e nozes, invertebrados, peixes, pequenos girinos e tudo o mais que possa garantir as suas sobrevivências.

Reprodução

Após a reprodução, o período de incubação dos ovos das patas leva cerca de 30 dias. Após os 15 dias de idade, os patos devem ser vacinados e vermifugados para evitar doenças, especialmente vermes, que são muito comuns entre os eles.

E tudo o que se sabe sobre a reprodução dos patos, à parte as suas demais características, nomes científicos, fotos, imagens, entre outras peculiaridades, é que o acasalamento, por exemplo, é feito de forma autônoma; portanto, eles devem ser livres para que a reprodução seja incentivada durante a estação referente a cada espécie, pois, além disso, patos ao ar livre e bem alimentados produzem filhotes mais fortes e com bom ganho de peso para venda.

Após 2 meses de nascimento, os patos são distribuídos entre fêmeas (para a postura de ovos) e machos (criadores); todos eles devidamente vacinados contra as principais doenças.

Enquanto isso, o restante da equipe pode ser reservada  para consumo; vendidos vivos ou mortos – lembrando que, nessa idade, os patos atingem 2,5 a 3 kg como peso ideal para o abate.

Por fim, ainda sobre os seus processos reprodutivos, sabemos que da postura anual das fêmeas surgem de 60 a 100 ovos. No entanto, o piso mínimo em que as patas depositam ovos aumenta de 15 a 20 na primavera. E como já dissemos, a incubação deles ocorre dentro de 30 dias; para que, após o nascimento, os patinhos sejam introduzidos em criadouros e permaneçam dentro deles por pelo menos mais 30 dias.

E um detalhe importante é que esse ninho é construído no chão, perto da margem de rios ou em cavidades de árvores, onde a fêmea irá pôr os seus ovos para que, como acontece com algumas espécies, o macho seja incumbido de chocá-los para logo após serem cuidados por ambos.

Além de Recursos, Nome Científico e Fotos, Tudo Sobre a Criação de Patos

Patos-do mato foram criados por milhares de anos, possivelmente no sudeste da Ásia, e patos-mudos foram domados pelos povos indígenas da América do Sul em uma época remotíssima –  e consta que eles já eram animais domésticos à época do Descobrimento.

Os patos não são animais tão populares quanto as galinhas e os frangos, pois as suas carnes não são tão magras quanto a deles – sem contar o fato de não ser assim tão fácil mantê-los em confinamento.  Portanto, o custo total da carne de frango, por exemplo, torna-se muito menor, sendo relativamente mais barato e fácil de ser encontrado.

Os patos são criados para um uso menor de sua carne e ovos. Eles podem ser armazenados no exterior, em gaiolas, estábulos ou celeiros. E para crescerem saudáveis devem ter acesso à água – apesar do fato de os patos confinados serem frequentemente rejeitados.

Criação de Patos

Nesse artigo com tudo o que diz respeito aos patos, suas principais características, nomes científicos, fotos e demais peculiaridades, chamamos a atenção também para a necessidade de manter esses animais, durante a criação, adequadamente instalados em um galpão com cerca de 10 m de largura e 20m de comprimento – a depender, obviamente, do número de aves por m².

Já quanto à altura dos armazéns, são necessários 4 m em climas quentes e 3 m em climas mais frios. Da mesma forma, deve-se prestar atenção ao local da casa para evitar que os pássaros exponham-se excessivamente ao sol, o que pode levar à morte dos animais.  Portanto, a cabana deve ter uma área constantemente sombreada para o seu conforto e eles devem ser alimentados com uma dieta à base de grãos e insetos.

Um mal-entendido comum é que o pão na faz parte da dieta básica dos patos, já que ele tem valor nutricional limitado e pode ser fatal quando administrado à criação desses animais.

E tudo o mais que se sabe sobre a criação de patos, à parte as suas características, nomes científicos, entre outras singularidades, é que, especialmente os patos-mudos, devem ser monitorados com relação à gripe aviária, pois são particularmente suscetíveis à perigosa infecção por H5N1.

E como uma curiosidade sobre esses animais, sabe-se que as fêmeas de muitas raças domésticas de patos não são assim tão confiáveis ​​para chocar ovos e criar filhotes; com exceções notáveis ​​entre alguns tipos de marrecos (como o  marreco-Rouen) e especialmente o pato-mudo.

Por isso, durante séculos, era costume nas fazendas colocar os ovos de patas em incubadoras de frangos de corte; (incubadoras automáticas são frequentemente usadas hoje). Porém o problema é que os patos jovens dependem de suas mães quando se trata de reservas de óleo para torná-los impermeáveis, e os frangos, como se sabe, não produzem tanto óleo quanto estas são capazes de produzir.

Um problema que a mãe natureza trata de corrigir adequadamente, fazendo com que, durante o seu crescimento, as próprias penas produzam óleo a partir das glândulas sebáceas perto do fundo da cauda.

Curiosidades

O pato é um animal da ordem Anseriforme, da família Anatidae, uma das aves mais interessantes do reino animal, e que possui habilidades diferentes das de outras aves.

As fêmeas, põem, simultaneamente, de 6 a 15 ovos e choca-os por no máximo 35 dias. E elas podem colocar até 100 ovos a cada ano –  ovos, aliás, bem maiores que os das galinhas.

O pato é o único pássaro que pode voar, nadar e andar razoavelmente. Eles possuem uma capacidade incrível de dormir “apagando” metade do cérebro enquanto a outra permanece ativa. E o que se sabe é que eles são uns dos poucos animais com essa habilidade.

Sabe-se, também, que os patos possuem um bom senso de direção e conseguem agir e viver perfeitamente dentro das suas comunidades. E uma curiosidade é que eles são menores que gansos e cisnes, e podem ser encontrados tanto em água doce quanto em salgada.

Uma característica singular que revela-se numa diferença entre os sexos é que os machos têm a cor das penas mais chamativas. E existe uma confusão generalizada entre a diferenciação de Patos e Marrecos – os patos possuem corpos mais retos, enquanto os marrecos os possuem mais cilíndricos e esguios.

Ao contrário de outros patos, o Pato-do-Ártico não é bom em andar, apenas dá alguns passos atabalhoados; mas ele também não é bom em voar porque bate as asas rapidamente e não se move corretamente. Porém ele é muito rápido e ágil na água, atingindo uma profundidade de 20 metros e podendo ficar até 6 minutos sem respirar.

E tudo o mais que se sabe sobre as principais curiosidades acerca dos patos, é que todos eles possuem penas extremamente impermeáveis ​​devido às suas naturezas complexas, que os dotou com uma camada de cera que espalha-se em cada uma das penas dos seus corpos.

E essas penas são tão impermeáveis ​​que mesmo que nadem debaixo d’água a camada mais profunda de penas próxima à pele permanece completamente seca. E é uma glândula no uropígio no fundo da sua cauda que produz esse óleo encerado que a cobre bem; assim como ocorre com muitos outros pássaros na natureza.

Os patos podem andar prematuramente, ou seja, algumas horas após o nascimento os filhotes já podem deixar o ninho. Isso ajuda a proteger os pequenos dos predadores, já que não precisam ficar na área sensível do ninho por muito tempo.

Patos Filhotes

Pouco tempo após a eclosão, a pata leva os seus filhotes para encontrar uma boa fonte de água para nadar e procurar comida. E o curioso é que as penas dos filhotes secam imediatamente após o nascimento, o que os permite nadar facilmente, e disciplinadamente, atrás das suas mães.

A maioria dos patos permanece silenciosa, e pouquíssimos passam as suas vidas “grasnando” como costumamos acreditar.

Em vez disso, a comunicação pode incluir diferentes tipos de sons; em especial, os que utilizam as fêmeas, que também podem emitir uma grande variedade de sons por serem mais barulhentas que os machos.

Os Patos como Animais de Estimação

Ao falar de patos, estamos falando das espécies de aves que fazem parte da família Anatidae, mas, embora seja correto usar a palavra de maneira geral, as diferentes espécies que conhecemos como patos possuem necessidades e características muito semelhantes.

As necessidades dos patos são perfeitamente adaptadas à vida em uma casa humana, e eles podem ser facilmente domesticados. No entanto, como veremos mais adiante, a área que precisamos oferecer a eles deve possuir certos requisitos mínimos.

À parte as suas características, nomes científicos, entre outras peculiaridades, o que chama bastante a atenção nos patos é o fato de eles serem tão valorizados como animais de estimação. Mas o problema é que eles são animais bastante sociais, portanto, ter um pato como animal de estimação pode não ser uma boa ideia, já que eles precisam viver em uma estreita relação com os demais das suas espécies.

Logo, se você está pensando em comprar um pato, saiba que o mais indicado mesmo é a compra de pelo menos dois; mesmo porque, convenhamos, é cruel privar esses animais de uma característica considerada ancestral.

Mas o curioso é que se houver vários patos na casa eles precisarão de interação praticamente todos os dias. E curioso também é saber que eles podem ouvir e reagir bem a sons; e que por isso é importante nomeá-los para que possam interagir com a fala; e sem esquecer de apresentar-lhes brinquedos e interagir com eles através desses objetos.

Na verdade você ficará surpreso ao perceber que os patos podem fazer truques simples e trazer de volta um brinquedo, assim como fazem os mais habilidosos cães de companhia.

Como Criar

Devido à semelhança entre diferentes aves aquáticas, muitos até se dizem confusos ao tentar identificá-los.

A presença de cartilagem (verrugas avermelhadas) no bico e ao redor dos olhos ajuda a distinguir entre os pássaros desta espécie, em especial o pato, que também é considerado um dos mais fáceis de se reproduzir.

A boa notícia é que lidar com esses animais requer um orçamento baixo, e isso pode ser feito em uma pequena propriedade; sem muita prática para começar, um fabricante que lida com o gerenciamento de patos deve responder a pelo menos um requisito: pode oferecer-lhes um bom ambiente aquático?

Se não houver lago na fazenda ou propriedade, improvise um pequeno tanque de água para que os animais possam procriar e nadar de vez em quando.

Além disso, considerando a natureza rústica do pássaro, que se adapta a qualquer clima, o criador não precisará  de muito investimento ou experiência. Usando materiais do próprio local você poderá construir um abrigo de 20 metros quadrados usando tijolos, ripas de madeira, malha de arame e telhas de barro (mais frias que o amianto).

O pato precisa de uma casa grande. Antes de acolher qualquer animal em casa, você deve examinar cuidadosamente sua responsabilidade e entender que a aceitação significa oferecer ao animal tudo o que ele precisa para viver feliz.

Patos Como Criar

Dado que a expectativa de vida de um pato é entre 13 e 20 anos, você precisa pensar cuidadosamente e tomar essa iniciativa como uma grande responsabilidade; afinal, os patos passam muito tempo convivendo juntos.

Para criar patos no jardim, por exemplo, essa área deverá ser grande o suficiente para que eles andem livremente. Também deve haver um abrigo coberto e com sombra no jardim, pois os patos precisam de abrigo para condições climáticas adversas; e da mesma forma, essa área é necessária para evitar que os patos sejam expostos a outros predadores.

Os patos gostam de água; portanto, é necessário o acesso a um ambiente aquático adequado, o que significa que deve haver uma piscina artificial no seu jardim ou qualquer estrutura que possa simular uma piscina ou lago artificial.

Os Patos na Gastronomia

Tudo o que se sabe sobre os patos na gastronomia, é que também devemos falar sobre eles como fontes de alimento,  a fim de que você saiba, por exemplo, o que eles precisam comer diariamente.

Um pato precisa de cerca de 170 a 200 gramas de comida por dia. Sua dieta pode ser muito diversificada, incluindo vegetais, sementes, cereais, insetos e alguns peixes.

Obviamente, também podemos encontrar certas rações alimentares, mas essas rações podem torná-los obesos; nesse caso, elas precisam ser apresentadas em quantidades menores.

Os patos devem poder acessar os alimentos facilmente durante todo o dia; e, é claro, o mesmo se aplica à água, pois ela deve ser acondicionada em uma fonte suficientemente profunda, além de estar sempre limpa, fresca e trocada diariamente.

Embora seja basicamente o mesmo em geral, verifique com seu veterinário quais alimentos são os mais recomendados para os seus patos.

Para que ele desfrute de todo o seu bem-estar,  terá que viver em um ambiente com excelentes condições de higiene. E você pode fazer isso seguindo as etapas abaixo:

  • Coloque um piso de areia em sua casa. Desta forma, será mais fácil limpar as fezes;
  • Mantenha a água na piscina o mais limpa possível;
  • Para evitar a contaminação e o risco de comer alimentos estragados, remova os alimentos que os patos não comem dia e noite;
  • O pato não precisa de cuidados veterinários constantes se o cuidador obedecer às regras de higiene e nutrição. No entanto, você não poderá, de forma alguma, esquecer dos dos cuidados necessários citado acima.

E dentre as principais consequências do descuido quanto a sua higiene e nutrição, podemos destacar inflamação do nariz; vermelhidão ou secreção nasal; dificuldade em respirar; vermelhidão ou secreção ocular; anorexia; mudanças no seu comportamento habitual; evacuação anormal e de consistência muito dura, macia, amarela, vermelha ou preta.

Observados esses sintomas, será importante consultar um veterinário o mais rapidamente possível, pois os transtornos poderão evoluir rapidamente e exigir cuidados ainda mais específicos.

Cuidados com os Patos

É importante saber que se você acolhe um pequeno pato nas fases iniciais da sua vida, nas primeiras 4 ou 5 semanas após o nascimento ele deverá ser mantido em um local seco e quente, como, por exemplo, uma caixa de papelão com palha.

Cuidados com os Patos

Nesta fase, o patinho não poderá ficar na água porque ainda não desenvolveu as penas o suficiente; o que pode, na maioria das  vezes, colocá-los em em perigo.

Devemos manter os patinhos no criadouro até os 2 meses de idade, e somente então eles poderão sair para a rua assim que o tempo estiver bom. Desta forma, eles começarão, lentamente, a adaptar-se ao ambiente externo da casa.

Garra, Ganso, Pato-Real e Cisne

Essas aves, domesticadas há séculos, possuem um relacionamento bastante próximo com o homem. Eles diferem apenas em espécies e gêneros. E muitas vezes patos, gansos, marrecos e cisnes apresentam-se como bons nadadores; apesar de que os gansos gostam mesmo é de ficar em terra.

Dos quatros, os patos são os mais numerosos, divididos em mais de 90 espécies.

Os marrecos são muito parecidos com os patos (alguns biólogos até os vêem como espécie dessa comunidade), mas há uma diferença anatômica marcante nos bicos dessas duas espécies.

Já os cisnes possuem pescoços longos e um caráter majestoso. E o cisne-de-pescoço-negro (Cygnus melanocoryphus) e a capororoca (Coscoroba coscoroba) são as únicas espécies de aves nativas da América do Sul.

Os gansos, por sua vez, são divididos entre as espécies Anser (com penas cinzas) e Brants (penas pretas), respectivamente. E o ganso canadense (Branta canadensis) é a espécie mais abundante na América e tão popular que sua imagem é até impressa em uma nota canadense de US$ 100!

Ao comparar as dimensões, os maiores são os cisnes, depois os gansos, patos e marrecos. Mas gansos e cisnes possuem uma curiosidade comum: eles escolhem um parceiro para a toda a vida, ao contrário de patos e marrecos.

E, por fim, sabe-se que esses quatro animais domesticados têm sido utilizados pelos seres humanos há séculos como fontes de alimento; assim como também para “vigias” ou guardas; por mais incrível que isso possa parecer.

Os Cisnes

Bonito e rápido, estes são os maiores pássaros do quarteto; e os indivíduos de algumas espécies podem pesar mais de 20 kg e até 1,70 metros de comprimento.

Sua característica mais marcante é o pescoço longo, além, obviamente, da beleza e da elegância – os cisnes nadam com uma elegância incomparável; sendo, por isso, amplamente utilizados como pássaros decorativos em lagos artificiais.

Cisnes

Na natureza, eles são excelentes voadores, formando uma espécie de “V” no céu quando migram em bandos.

Já com relação ao seu consumo, ele é raro; mas em meados do século XIX, na Inglaterra, os cisnes eram cozidas para o delicioso jantar de Natal da rainha Victoria (1819-1901), como uma refeição bastante tradicional; enquanto o peru só tornou-se o astro desse período a partir da década de 1850.

Os Gansos

Já os gansos são quase como “cães de guarda” bastante histéricos. Eles foram domesticados no antigo Egito há cerca de 4000 anos, gostam de andar em grupos e podem viver em cativeiro por 50 anos.

Além de aves ornamentais, os gansos também são usados, como dissemos, como “cães de guarda”; isso porque eles possuem a característica de emitir um som bastante agudo quando percebem que estranhos aproximam-se dos arredores da casa.

Na natureza, a maioria das espécies de gansos aparece no hemisfério norte; a maioria deles entre 64 centímetros e 1,14 metros de comprimento. E a carne e os ovos deste pássaro não costumam ser comidos. Por outro lado, os famosos “miúdos de gansos”, e mais especificamente o seu fígado, são iguarias bastante apreciadas.

O foie gras tradicional, por exemplo, é feito de fígado de ganso (ou pato) e consumido desde a antiguidade; e agora uma pasta gourmet que é uma das especialidades da cozinha francesa – apesar de polêmica.

Os Patos

Os patos mais populares, e que medem entre 45 e 80 centímetros, são as aves da família Anatidae mais comuns do mundo.

À parte as suas características, nomes científicos, entre outras singularidades que infelizmente essas fotos e imagens não nos mostram, sabemos que a sua semelhança anatômica com os marrecos faz com que essas duas espécies sejam frequentemente confundidas.

Mas a principal diferença entre eles é o bico; os patos costumam apresentar uma espécie de inchaço perto das narinas, enquanto os marrecos as apresentam mais delicadas.

Os Patos

Mas em uma coisa os patos são inconfundíveis: eles são nadadores hábeis e capazes de mergulhar até 17 metros de profundidade!

E tudo o que se sabe sobre os patos na gastronomia, é que, embora a sua carne não seja tão popular como a dos frangos, por exemplo, ele é bastante utilizado em receitas internacionais conhecidíssimas (como o ‘pato com laranja’, de origem francesa) e regionais (como ‘pato no tucupi’; típico do norte do Brasil).

Por outro lado, embora a sua reputação antiga seja a de um poderoso afrodisíaco, o ovo da pata não possui um bom valor comercial.

Marreco

O mais jovem dessa comunidade, os marrecos, costumam ser considerados quase como irmãos gêmeos dos patos, embora sejam geralmente menores que eles – atingem de 35 a 50 centímetros.

Quando estão em pé numa lagoa, patos e marrecos demonstram diferenças bastante visíveis com relação aos gansos, por exemplo. Enquanto os primeiros mantêm o corpo mais na horizontal em relação ao chão, os gansos permanecem  sempre em pé.

As espécies mais conhecidas no Brasil são a paturi (Nomonyx dominicus) e irerê (Dendrocygna viduata).

E na cozinha, os marrecos são frequentemente degustados no sul do Brasil. Como o “marreco recheado com repolho roxo”, por exemplo, prato típico de origem alemã, que conquistou definitivamente o apreço de gaúchos e catarinenses e acabou dando origem, entre outras coisas, à Fenarreco (Festa Nacional do Marreco), que acontece todos os anos em Brusque Santa Catarina.

Tudo Sobre Simbolismo em Torno de Patos

Sobre isso, o que se sabe é que, por exemplo, se um pato atravessa o seu caminho, isso quer dizer que você deverá manter-se atento, pois pode ser que a qualquer momento lhe seja oferecida uma nova oportunidade.

O animal lembra que, para ter sucesso nesta ocasião, você precisará agir rápido, a fim de que as suas novas idéias possam voar como uma grande ave. E ele está a lhe dizer, claramente, que você precisa sair do lugar para alcançar seus objetivos!

Como alternativa, a imagem de um pato pode lembrá-lo de que é hora de conhecer seus sentimentos com profundidade, usar a energia do pássaro para observar e mover suas emoções livremente, com afirmação e gratidão suficientes para limpar os seus caminhos.

Se o pato é o seu totem animal

Isso pode querer dizer que você tem um forte senso de comunidade e é definitivamente uma pessoa social; além de não guardar ressentimentos e não ter medo de concordar com os outros.

Seu dom é ajudar sempre, nas mais variadas situações emocionais; e pode até possuir uma vocação para a carreira como psicólogo ou terapeuta, já que é bastante talentoso para ouvir.

Se você possui um pato como animal totêmico certamente prefere ficar em lugares onde se sente confortável e não questiona suas zonas de conforto; sempre quer ficar em um lugar onde possa ser útil e aproveitar a vida como ela se apresenta no momento.

Se o pato vier em um sonho

Tudo o que se sabe sobre essas singularidades observadas nos patos, é que quando você os vê voando em um sonho isso pode representar a sua liberdade espiritual; este é o seu elo entre o mundo físico e o espiritual; é  a sua capacidade de ver o mundo como ele apresenta-se ao seu redor.

Você é alguém que sabe que pode encontrar a paz permanecendo no presente. Portanto, a visão de um pato flutuando em um lago de águas claras pode representar a sua relação com um corpo emocional e inconsciente.

Lembre-se, portanto, que você pode continuar livremente utilizando-se da sua sensibilidade emocional, pois, mesmo sem saber, sempre foi capaz de combinar diferentes situações e de se adaptar facilmente.

Como alternativa, o sonho com patos pode indicar que você está preparando-se para algo ou preparando-se para um “assassinato” a você mesmo – você está sendo um alvo fácil como um pato acomodado!

E, enfim, um pato nos sonhos também pode significar que você está evitando certos problemas ou situações, em vez de lidar com elas adequadamente.

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pato

https://canaldopet.ig.com.br/curiosidades/2017-09-22/patos-curiosidades.html

https://www.infoescola.com/aves/pato/

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/qual-a-diferenca-entre-pato-ganso-marreco-e-cisne/

https://www.peritoanimal.com.br/o-pato-como-animal-de-estimacao-20625.html

https://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-criar/noticia/2016/06/como-criar-pato.html

https://www.gestaoeducacional.com.br/pato-caracteristicas/

https://www.cpt.com.br/cursos-avicultura/artigos/criacao-de-patos-alimentacao-reproducao-postura-e-instalacoes

Veja também

Lagarto Chicote- de- Garganta- Alaranjada: Características e Fotos

O lagarto chicote de garganta alaranjada (nome científico Aspidoscelis hyperythrus) é uma espécie nativa do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *