Home / Animais / Árvore Respiratória Pepino do Mar: Como é a Sua Respiração?

Árvore Respiratória Pepino do Mar: Como é a Sua Respiração?

Pepinos do mar ou holotúrias são animais equinodermos parentes das estrelas do mar e ouriço do mar. Costumam ser encontrados em áreas de baixa ou grande profundidade, geralmente sobre fundos rochosos ou arenosos. O posicionamento destes animais é estratégico no auxílio aos seus hábitos alimentares, uma vez que se alimentam de algas, muco, areia e nutrientes existentes entre o sedimento.

Um Pepino do Mar
Um Pepino do Mar

Os pepinos do mar estão inclusos na classe taxonômica Holothuroidea, a qual concentra um quantitativo de quase 1.711 espécies. Deste total, acredita-se que 500 espécies sejam encontradas nos oceanos, sendo que o restante está presente nas águas tropicais. É importante considerar que existe diferenciação no comprimento entre espécies oceânicas e de águas tropicais, visto que estas possuem entre 60 a 90 centímetros de comprimento, em detrimento das espécies de água temperada, cujo comprimento está compreendido em menos de 30 centímetros.

Os pepinos do mar possuem uma série de peculiaridades anatômicas e peculiaridades fisiológicas. A respiração, por exemplo, é auxiliada por túbulos presentes na coacla, os quais compõem a famosa árvore respiratória.

Neste artigo, você conhecerá importantes informações sobre esses animais, e é claro que a fisiologia respiratória está inclusa no pacote.

Então venha conosco e boa leitura.

Pepino do Mar Classificação Taxonômica

Conhecer a classificação científica é essencial para a contextualização inicial. No caso das holotúrias, essa classificação obedece à seguinte estruturação:

Reino: Animalia;

Filo: Echinodermata;

Classe: Holothuroidea.

Dentro da classe Holothuroidea, estão distribuídas três subclasses, são elas a subclasse Apodacea, a subclasse Aspidochirotacea e a subclasse Dendrochirotacea.

Na subclasse Apodacea, estão presentes as ordens Apodida e Molpadiida. Por sua vez, a subclasse Aspidochirotacea abriga as ordens Aspidochirotida e Elasipodida. No caso da subclasse Dendrochirotacea, estão presentes as ordens Dendrochirotida e Dactylochirotida.

Conhecendo o Filo Echinodermata

Filo Echinodermata
Filo Echinodermata

A maioria dos animais pertencentes a esse filo são animais marinhos de via livre, com exceção de alguns animais sésseis que vivem aderidos a um substrato rochoso (no caso, os crinoides).

O filo Echinodermata teria surgido no período pré-histórico Cambriano. Possui aproximadamente 7.000 espécies existentes na atualidade e 13.000 espécies extintas.

Este filo é considerado o maior filo animal, não possuindo representantes em água doce e nem em ambiente terrestre.

Dentro do filo Echinodermata, estão distribuídas as seguintes classes taxonômicas:

Echinoidea (a qual contém o ouriço-do-mar e a bolacha-da-praia); Crinoidea (na qual está presente o lírio-do-mar); Asteroidea (estrelas-do-mar); Concentricycloidea (a qual contém apenas duas espécies que antes estavam inclusas na classe Asteroidea); Ophiroidea (ofiúro); e finalmente a classe Holothuroidea dos pepinos do mar.

Anatomia do Pepino do Mar

Anatomia do Pepino do Mar
Anatomia do Pepino do Mar

Estes animais possuem simetria bilateral. O corpo é vermiforme ou cilíndrico e achatado.

Em uma das extremidades do corpo, está presente a boca ou cavidade oral (a qual é circundada por tentáculos simples ou ramificados), ao passo que na extremidade oposta está presente o ânus.

Na porção ventral, há três zonas ambulacrais, logo ela recebe o nome de trívio. Esses pés ambulacrais possuem ventosas. Na porção dorsal também há pés ambulacrais, no entanto, estes não possuem as mesmas características encontradas no trívio.

Um tegumento espesso e coriáceo reveste o corpo das holotúrias. Ao longo deste tegumento, estão distribuídos vários corpúsculos calcários muito pequenos, os quais recebem o nome de escleritos. A ‘sustentação’ também é auxiliada por uma coroa perifaríngea formada por cincos lâminas inter-radiais e cinco lâminas radiais, todas unidas entre si.

Uma vez que o esqueleto calcário é bastante reduzido, há maior flexibilidade na parede corporal, fator que auxilia na locomoção. E por falar em musculatura, os pepinos do mar possuem um tubo dermo-muscular, semelhantemente aos vermes, permitindo que o tegumento se associe à musculatura.

O tubo digestivo se distingue em faringe, esôfago (o qual é bastante curto), estômago e intestino (o qual é longo e se dispõe de forma enrolada, desembocando na coacla).

O sistema circulatório não é considerado típico, uma vez que não há coração, e sim um reduzido sistema de canais pseudohemais. Estes canais possuem disposição radial e neles circula um líquido incolor que contém amebócitos.

O sistema nervoso é formado por gânglios ao redor da boca, dos quais emanam os nervos radiais. Aliado a isso, há várias células táteis dispostas pela superfície do corpo.

Árvore Respiratória Pepino do Mar: Como é a Sua Respiração?

Pepino do Mar nas Mãos de uma Pessoa
Pepino do Mar nas Mãos de uma Pessoa

A árvore respiratória, também chamada de hidropulmão, é um conjunto de túbulos ramificados, destinados a acumular água para realização das trocas gasosas.

A respiração ocorre ao nível do sistema ambulacrário e através de um mecanismo de difusão.

Comportamento do Pepino do Mar e Outras Curiosidades

A reprodução pode ocorrer de forma sexuada ou assexuada. Nesta primeira, ocorre fecundação externa uma vez que a fêmea libera os seus ovos, os quais são fecundados por gametas masculinos. A larva se desenvolve de forma autônoma. A reprodução assexuada é observada em larvas, uma vez que as mesmas se autodividem para regenerar partes do corpo que foram comprometidas ou perdidas.

Em relação ao hábitat no qual esses animais podem ser encontrados, pouca espécies de pepino do mar são consideradas pelágicos (como é o caso do Felagoturia natatrix), uma vez que a maioria das espécies é bentônica e vive semi-enterrado na areia, assim como próximo às rochas na beira-mar. Em algumas circusntâncias, eles podem até mesmo se fixar às rochas com o auxílio das ventosas presentes nos pés ambulacrais.

A alimentação é composta por muco, algas e partículas de areia, as quais são sugadas juntamente com a água.

Pepino do Mar Comendo Fotografado no Fundo da Água
Pepino do Mar Comendo Fotografado no Fundo da Água

Os pepinos do mar são ingredientes que compõem a culinária de países como o Japão, China e Malásia, e por essa razão, são muitas vezes alvo de pesca predatório, prejudicando o seu contingente populacional. As holotúrias também apresentam importantes propriedades nutricionais em razão da presença de carboidratos complexos, bem como de sulfato de condroitina (considerado o principal componente da articulação).

*

Depois de conhecer importantes informações sobre o pepino do mar, nosso convite em especial é para que continue conosco e visite também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Ciências Resumos. Pepino do Mar- Anatomia e características do equinodermo. Disponível em: < https://www.cienciasresumos.com.br/animais-marinhos/pepino-do-mar/>;

Portal São Francisco. Pepino do Mar. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/pepino-do-mar>;

Toda Biologia. Equinodermos. Disponível em: < https://www.todabiologia.com/zoologia/equinodermos.htm>;

Wikipédia. Pepino-do-mar. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Pepino-do-mar>.

Veja também

Remédio Caseiro para Leptospirose Canina: Como Fazer? Funciona?

A leptospirose canina é caracterizada como uma doença bastante contagiosa e frequente em épocas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *