Home / Plantas / Tipo de Raiz da Acerola e a Sua Profundidade

Tipo de Raiz da Acerola e a Sua Profundidade

A acerola é uma espécie que apresenta um tipo de raiz superficial, com uma profundidade que dificilmente atinge os 30 ou 35cm.

A árvore costuma alcançar entre 3 e 4m e possui as características de uma variedade rústica, perene, de fácil cultivo, além de poder ser plantada em um espaço mínimo – até mesmo um quintal pode servir como um local para o seu plantio.

Tal é a facilidade com que elas podem ser cultivadas, que até mesmo os admiradores da arte do bonsai descobriram na aceroleira qualidades não encontradas em outras, e que permite que ela seja utilizada como matéria-prima para essa incrível arte japonesa.

Entre as inúmeras qualidades da acerola, também está o fato de ela adaptar-se bem a praticamente todos os tipos de terrenos, desde os solos arenoso/argilosos, passando por aqueles com características calcárias, a até mesmo os solos húmiferos – todos esses, observadas determinadas condições, podem servir para o seu plantio.

Essa característica da aceroleira de possuir um tipo de raiz superficial, e que atinge pouca profundidade, ainda exige uma preocupação maior com as regas, que deverão ser mais constantes e abundantes, principalmente durante os períodos de poucas chuvas; caso contrário, dificilmente elas conseguirão desenvolver-se com todas as suas características que são tão apreciadas.

É Possível que o Tipo de Raiz e Profundidade Comprometam o Desenvolvimento da Acerola?

Como dissemos, a aceroleira é uma árvore rústica, bastante resistente a diversas condições climáticas, e que ainda apresenta um tipo de raiz pouco profunda, que espalha-se lateralmente, como é típico da maioria das espécies desse gênero.

No entanto, quando cultivada em solos com características arenoso/argilosas, suficientemente drenados e em um local onde ela possa receber boas quantidades de sol durante o dia, o resultado será um verdadeiro show de cores e de formas.

Ela exibirá uma copa robusta, bastante volumosa, com um aspecto reluzente e que deixa escapar um odor bastante característico.

A espécie floresce o ano inteiro, e, nessa época, o impacto visual que ela proporciona é incomparável, com as suas belas flores brancas ou com belíssimas tonalidades de violeta ou rosa, em meio a uma folhagem densa, com unidades pequeninas e ovaladas, e com um vigoroso tom de verde-escuro que, à distância, chama bastante a atenção.

Quando tratada com podas regulares, a aceroleira desenvolve uma copa ainda mais volumosa; na verdade elas fazem com que a planta mantenha esse seu aspecto agradável por bem mais tempo, desenvolvendo-se a contento em um simples quintal ou jardim, e sem exigir grandes espaços para que possa exibir as suas qualidades.

Outra característica das aceroleiras, é que elas também são apreciadas por inúmeras variedades de pássaros que, ao saborearem os seus frutos, de quebra, ajudam a espalhar as suas sementes, por dispersão, por toda o continente americano – o seu habitat de origem.

Mas se o desejo for o de possuir uma excelente cerca arbustiva, um muro florido e que exale um perfume delicioso; ou mesmo se for o de utilizá-la como uma excelente matéria-prima para a confecção de um bonsai, saiba que, da mesma forma, a acerola se prestará a esses objetivos, e ainda com a vantagem de possuir flores, folhas e frutos pequenos, o que acaba por facilitar todo o processo de confecção dessa arte.

Como Plantar Acerola e Garantir Resultados, Apesar do seu Tipo de Raiz e Profundidade?

O método mais adequado para o cultivo da acerola, é por meio do destacamento de uma muda, já bastante desenvolvida, com um tamanho considerável, que deverá ser plantada em um buraco com as dimensões adequadas – lembrando que uma das características da aceroleira é a de possuir um tipo de raiz com pouca profundidade.

O próximo passo será certificar-se de que o entorno das raízes da muda foi totalmente preenchido com a terra, que deverá ser composta por matéria vegetal, areia ou arenoso (peneirados), acrescidos de um bom composto orgânico, farinha de osso e torta de mamona.

A muda deverá ser totalmente envolvida com essa terra. Lance mão de um pazinha, se for o caso, a fim de ajudar a socá-la, com cuidado, obviamente, para que a planta mantenha-se firme durante o assédio dos ventos, chuvas e demais intempéries.

Plantação de Acerola
Plantação de Acerola

Caso tenha feito um transplante de uma espécie que já possua no seu quintal (que não tenha sido adquirida em uma loja), prefira destacá-la durante os períodos mais chuvosos. Caso isso não seja possível, dê uma atenção especial para as regas diárias.

Uma das técnicas mais recomendadas para o cultivo de plantas como a acerola, que possuem, como dissemos, um tipo de raiz superficial e com profundidade mínima, é a conhecida técnica da “eustaquia”.

Nela, são os galhos da acerola que fazem as vezes de mudas, e eles deverão ser novos, saudáveis, exuberantes, com cerca de 15 cm de comprimento e entre 4 e 6cm de diâmetro.

Logo após, você deverá eliminar as folhas desse galho destacado, envolver a sua ponta com um enraizador e proceder da forma indicada acima.

Uma outra técnica bastante recomendada para o plantio de espécies como a acerola, é a conhecida “alporquia”.

Nessa técnica, em vez de um galho, será utilizado um ramo (saudável e exuberante) da árvore, que também deverá ser mergulhado em um enraizador de qualidade.

A técnica ainda exige que a ponta do ramo seja envolvida com esfagno, enrolada em um pedaço de saco plástico (amarrado na extremidade), até que, por volta de 3 ou 4 semanas, comece a perceber o desenvolvimento das raízes.

Já com relação à adubação, o recomendado é realizá-la periodicamente, à base de composto orgânico, farinha de osso e torta de mamona, mesmo que ela tenha sido plantada em vasos – Nesse último caso, dê preferência a um adubo líquido.

Lembrando que o período de germinação é o momento escolhido para que ervas daninhas e demais pragas ataquem a planta. Será necessário, portanto, garantir que todo o seu entorno esteja livre de espécies que possam competir com ela pelos nutrientes do solo, além de utilizar pesticidas naturais, que podem ser fabricados de forma artesanal.

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E continue indicando para os amigos os nossos conteúdos.

Veja também

Água Com Gengibre Emagrece: É Mito ou Verdade?

As pessoas sempre estão em busca de soluções mágicas para o emagrecimento, algo que leva …

5 comentários

  1. Carlos Eduardo De Conti

    plantada perto da casa,a raiz da acerola pode desenvolver a ponto de abalar a estrutura da residencia ??

  2. Não, Carlos. Não tem perigo. As raízes da acerola dificilmente ultrapassam os 40 cm. E no máximo 75 cm, quando plantadas por sementes.

    https://www.researchgate.net/publication/277827431_Sistema_radicular_de_aceroleiras_propagadas_por_sementes_e_por_estacas

  3. Tiago Barbosa de Godoy

    Plantei mas ela está crescendo muito, e possível fazer a mudança de local sem ela morra?

    • Olá, Tiago! Sim. Basta retirar toda a raiz com cuidado para que a planta não perca força, depois disso replante em um local maior e com a terra mais apropriada. Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *