Home / Plantas / Quais São os Benefícios da Espinheira Santa?

Quais São os Benefícios da Espinheira Santa?

A espinheira-santa é uma planta medicinal famosa para o tratamento da acidez estomacal, assim como de certas inflamações e outros quadros.

Alguns nomes populares alternativos para o vegetal incluem espinheira-divina, maiteno, salva-vidas, erva-cancerosa, sombra-de-touro, congorça, espinho-de-deus e cancorosa.

É uma espécie nativa da região Sul do Brasil, com ocorrência natural nos sub-bosques das florestas de araucárias, em margens de rios.

Além da região Sul, a espinheira santa também pode ser encontrada, embora com menor prevalência, nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Agora, fora do Brasil, é possível encontrar a espinheira santa na Bolívia, Uruguai, Paraguai e Leste da Argentina.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre as características do vegetal e também seus benefícios.

Então venha conosco e boa leitura.

Espinheira Santa: Classificação Botânica

A classificação científica para a espinheira santa obedece à seguinte estruturação:

Reino: Plantae;

Divisão: Magnoliophyta;

Classe: Magnoliopsida;

Ordem: Celastrales;

Família: Celastraceae;

Gênero: Monteverdia;

Espécie: Monteverdia truncada ou Maytenus ilicifolia (termos considerados sinônimos).

Monteverdia truncada

Família Botânica Celastracea

Esta família é formada por um total de 96 gêneros e mais e 1.350 espécies.

Possui grande predominância de espécies tropicais e sub-tropicais, embora também existam gêneros com distribuição em áreas de clima temperado. Existe um gênero em particular (no caso, o Parnassia) que pode ser encontrado até mesmo em locais de clima ártico e alpino.

Essas espécies podem ser empregadas como plantas medicinais ou ornamentais.

No Brasil, estão presentes 19 gêneros desta família e cerca de 130 espécies.

Espinheira Santa: Características

Em relação às características do vegetal como um todo, este não ultrapassa 5 metros de altura e, algumas vezes pode apresentar-se com um arbusto de até 2 metros.

Sua copa é globosa, contando com a presença de ramos angulosos.

O tronco apresenta um diâmetro compreendido entre 15 a 25 centímetros.

Embora as folhas sejam morfologicamente simples, contém espinhos na maioria das vezes.

Espinheira Santa Características

Como possui grande porte e crescimento lento, a espinheira santa também é indicada para arborização urbana, principalmente de ruas estreitas e áreas acima de redes elétricas. Nos ambientes urbanos, também pode ser vista em forma de touceira.

Diferentemente do que muitos imaginam, esta espécie vegetal produz frutos, os quais embora não consumidos pelo homem são consumidos por pássaros que, dessa forma, realizam seu trabalho de dispersão de sementes. Tais frutos amadurecem de Janeiro a Março.

Quais São os Benefícios da Espinheira Santa?

O vegetal possui grande concentração de taninos, e, por isso desempenha ação antisséptica especialmente útil em quadros de paralisação das fermentações gastrintestinais.

A Espinheira Santa Possui Ação Diurética

Embora de forma leve, a espinheira santa também possui ação diurética em decorrência da presença de triterpenos.

A Espinha Santa Alivia Quadros de Gastrite e Úlcera

A presença dos taninos também auxilia em uma menor produção de ácido clorídrico pelo estômago, aliviando quadros de gastrite. Outro benefício dos taninos é o poder cicatrizante, altamente benéfico para alívio de lesões ulcerosas.

A ação cicatrizante também é reforçada de presença de outros componentes, tais como o ácido silícico e o ácido tônico.

O consumo de espinheira santa pode reduzir consideravelmente a intensidade e frequência das dores estomacais.

A Espinheira Santa Melhora o Peristaltismo Intestinal

A mucilagem presente no vegetal otimiza o trânsito intestinal, estimulando os movimentos peristálticos.

Como Preparar e Consumir Chá de Espinheira Santa?

Para o preparo do chá são consumidas as estruturas das folhas, cascas e raízes. Tais estruturas também estão presentes nas apresentações comerciais de tinturas, cápsulas e produtos tópicos para a pele.

No preparo, a medida é de 3 colheres de sopa da erva para 500 ml de água. Após a fervura, deve-se abafar, deixar um momento em repouso e em seguida coar.

Recomenda-se ingerir chá de espinheira santa após as refeições (de 2 a 3 vezes ao dia), de modo a facilitar a digestão.

Algumas pessoas possuem intolerância ao cheiro e ao gosto da planta e, neste caso, podem recorrer à ingestão de cápsulas. Neste caso, o ideal é ingerir de uma a duas cápsulas de espinheira antes das principais refeições.

Espinheira Santa: Prováveis Riscos e Contraindicações

Caso a espinheira santa seja consumida em excesso, pode resultar em alguns efeitos colaterais, logo é importante monitorar caso algum sintoma extra apareça.

Estes sintomas incluem náuseas, cefaleia (dor de cabeça), sonolência, cistite (inflamação na bexiga), tremores e dores nas articulações, boca seca e gosto estranho na boca.

Em relação às contraindicações, a espinheira santa NÃO deve ser consumida por mulheres grávidas ou lactantes (ou seja, que estejam amamentando). O efeito abortivo da erva já foi descrito em estudos científicos, da mesma forma que a redução do leite materno.

Dicas Para Plantio Comercial de Espinheira Santa

A espinheira santa possui plantio simples e, dessa forma, é considerada uma das culturas medicinais mais produzidas.

Sua propagação ocorre por meio de sementes, as quais podem ser coletadas diretamente do local de plantio quando iniciada a queda espontânea das árvores.

A densidade ideal é de 4 mil plantas por hectare, de preferência em solos argilosos, bem drenados e com bom aporte de matéria orgânica.

Em relação ao transplante de mudas, é importante preparar um berço de adubação para receber as mudas durante o período chuvoso (isto é, entre a primavera e o verão). O crescimento é incrivelmente lento, demandando um tempo de 4 a 6 anos entre o transplante de mudas e a primeira colheita.

Caso tenha interesse, você pode conferir informações mais detalhadas no artigo “como plantar espinheira santa” publicado no Site Globo Rural, o qual está mencionado nas referências deste texto.

Espécies Falsa Espinheira Santa e Mata-Olho

É importante não confundir a espinheira santa verdadeira (nome científico Maytenus ilicifolia) com a falsa espinheira santa (nome científico Zollernia ilicifolia) e nem com a erva mata-olho (nome científico Sorocea bonpladi).

Por mais que estas espécies sejam, de certa forma, parecidas com a espinheira causam maiores danos à saúde, caso consumidas por engano.

Agora que você já conhece os benefícios da espinheira santa, assim como outras informações a respeito do vegetal; nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Maytenus ilicifolia

Aqui há muito material de qualidade nos campos da botânica, zoologia e ecologia de um modo geral.

Divirta-se e até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

ÁVILA, A. L. V. E. Minha Vida. Espinheira santa: para que serve e benefícios. Disponível em: < https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/18324-espinheira-santa#:~:text=PARE%20AGORA…-,TEM%20 MAIS% 20DEPOIS%20DA%20PUBLICIDADE%20%3B),aliviar%20as%20dores%20no%20est%C3%B4mago.>;

G1 Terra da Gente. Flora. Espinheira-santa Maytenus ilicifolia. Disponível em: < http://faunaeflora.terradagente.g1.globo.com/flora/arvores-palmeiras/NOT,0,0,1223810,Espinheira-santa.aspx>;

MATHIAS, J. Globo Rural. Como plantar espinheira-santa. Disponível em: < https://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-plantar/noticia/2013 /12/ como-plantar-espinheira-santa.html>;

Wikipédia. Espinheira-santa. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Espinheira-santa>;

Veja também

Tudo Sobre a Planta Cíclame: Características da Flor e Fotos

Cíclame, também conhecida como cyclamen ou cíclame-da-pérsia, é uma planta que tem origem nos continentes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *