Home / Plantas / Produção, Consumo e Comercialização de Melancia no Brasil

Produção, Consumo e Comercialização de Melancia no Brasil

A produção, consumo e comercialização de melancias no Brasil contribuem, de forma significativa, para a manutenção do país entre os 3 maiores produtores de frutas do planeta – atrás apenas da Índia (2º) e da China (1º).

Para se ter uma ideia do que isso representa, basta lembrar que a produção, consumo e comercialização de frutas são alguns dos inúmeros segmentos que ajudam a compor o chamado “Agronegócio Brasileiro” – a “menina dos olhos” da economia do país – , disparado o principal responsável pelo saldo positivo do PIB durante o dramático período 2015/2017.

Felizmente nos últimos 20 anos – com a conscientização cada vez maior sobre a importância de se manter uma dieta saudável e equilibrada – o consumo de frutas tem crescido exponencialmente em todo o mundo.

E graças a isso, o Brasil conseguiu bater o seu próprio recorde de exportação de frutas em 2016, com o número bastante expressivo de 784 mil toneladas exportadas, o que ajudou a colocar o país entre os 25 maiores exportadores do planeta.

O curioso é que essa quantidade de toneladas exportadas não ultrapassa os 3% de toda a produção brasileira, o que evidencia que o consumo interno é a nossa principal arma, e a partir da qual, as principais tecnologias disponíveis para esse setor são postas em prática, com vistas a produzir mais e melhores exemplares de norte a sul, leste e oeste, do país.

Produção, Consumo e Comercialização de Melancia no Brasil

Os números não são nada animadores. De uma produção total de frutas que geralmente oscila entre 40 e 45 milhõe de toneladas, o saldo de 2017 indicou uma produção que mal ultrapassou os 38 milhões; e desse total, cerca de 2 milhões foram de melancia.

Esses números revelam, também, uma produtividade entre 22 e 24 toneladas por hectare, levando em consideração uma área plantada que geralmente oscila entre 94.000 e 97.000 ha.

Assim como ocorre com as demais espécies produzidas no país, o aumento da produção, comercialização e consumo da melancia no Brasil está intrinsecamente ligada à implementação de novas tecnologias, que envolvam o melhoramento genético das espécies, aumento da área plantada, agregação de valor ao produto, entre outras iniciativas.

O escalonamento do plantio, por exemplo, favorece a uma espécie de “descentralização” da produção da fruta, além da ampliação da oferta, independentemente do período do ano – o que, nesse caso, diminui o problema da variação dos preços de acordo com a estação.

Dentre os principais produtores de melancia no Brasil, destaca-se a região Nordeste, mais especificamente ainda, os estados da Bahia (média de 250.000 t/ano) e Rio Grande do Norte (120.000 t/ano); estados que contribuíram para que a fruta figurasse entre aquelas que apresentaram, no período 2014 / 2015, o maior valor de produção.

Foram cerca de 33.000 toneladas exportadas (um aumento de mais de 6% em relação ao biênio anterior), que também ajudaram a colocar a melancia entre as espécies frutíferas mais importantes do setor da agricultura brasileira – geralmente entre as 5 ou 6 espécies mais importantes.

Características Do Consumo, Produção E Comercialização Da Melancia No Brasil

A Citrullus lanatus (nome científico da melancia) é uma espécie da família Curcubitácea, cujas origens podem ser apontadas no continente africano, de onde espalhou-se para todos os continentes (com exceção da Antártida), para configurar-se como uma das espécies frutíferas de clima tropical mais importantes da agricultura mundial.

A fruta desenvolve-se de forma rasteira, com raízes quase superficiais (a cerca de 25 ou 30 cm do solo), em um ciclo de vida com duração de no máximo 3 meses e pronta para ser colhida por volta de 2 meses após o plantio.

Uma das principais características do consumo, produção e comercialização da melancia no Brasil, como dissemos, é que eles ocorrem com maior vigor internamente. É para dentro do Brasil que vão cerca de 97% da produção, o que torna o consumo interno o principal motor indutor desse segmento no país.

A melancia pode ser plantada em “solo firme” ou seco, mas também pelo método de “irrigação”. Essa é uma cultura levada a cabo quase toda ela em pequenas propriedades, geralmente familiares, que ainda absorvem grandes quantidades de mão de obra – um outro fator que faz desse segmento um dos mais importantes para a economia brasileira.

A fruta geralmente é consumida in natura, e o que se diz é que ainda não inventaram nada melhor como hidrante natural, tais são as suas quantidades exorbitantes de água (cerca de 91% da fruta), carboidratos e sais minerais – que na verdade fazem da melancia um verdadeiro “isotônico natural”

Uma Espécie E Suas Peculiaridades

Como dissemos, a produção, consumo e comercialização da melancia estão bastante ligados à tradição das pequenas propriedades.

Por meio da produção familiar, a fruta é distribuída para todo o Brasil (e fora dele), ainda beneficiada por um ciclo de cultivo curto (cerca de 90 dias), facilidade de manejo, alta absorção de mão de obra, entre outras características.

O seu tamanho, que pode atingir impressionantes 50 cm de comprimento e até 15 kg de peso, em nada revela sobre as características do seu plantio, pois, diferentemente do que seria de imaginar, ela exige pouco espaço, é de fácil manejo, não requer a introdução de alta tecnologia, entre outras vantagens.

Temperaturas entre 20 e 34°C, instalação de algumas colmeias de abelhas (para o estímulo à “polinização cruzada”) e solo fértil (seco ou irrigado), é tudo de que uma cultura de melancias precisa para desenvolver-se a contento, e com uma produtividade satisfatória, mesmo durante os períodos de entressafra.

Hoje, essa exuberante hortaliça (sim, a melancia não é exatamente uma fruta!) é produzida, comercializada e consumida em praticamente todo o mundo. É um verdadeiro sinônimo de fruta tropical, mas que adapta-se bem às regiões com clima subtropical (ou mesmo temperado).

E se não bastasse o fato de ser uma espécie de fácil manejo, a melancia ainda é considerada um verdadeiro “isotônico natural”, com suas excelentes quantidades de água, carboidratos, sais minerais, além de vitaminas do complexo B, entre outros nutrientes, que contribuem para fazer da fruta uma das mais consumidas e nutritivas produzidas no Brasil.

Essa foi a nossa visão acerca da produção, consumo e comercialização de melancia no Brasil. Mas, caso queira, deixe as suas impressões sobre esse artigo por meio de um comentário, logo abaixo. E aguarde as nossas próximas publicações.

Veja também

Chá de Gengibre Para Gripe Funciona? Como Fazer?

A gripe é causada por um vírus que se chama influenza. Em algumas ocasiões podem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *