Home / Plantas / Como Plantar Bromélias em Troncos de Árvores, Xaxins e Vasos ?

Como Plantar Bromélias em Troncos de Árvores, Xaxins e Vasos ?

As bromélias são vegetais pertencentes à família botânica das monocotiledôneas. Também são conhecidas como bromeliáceas. Atualmente, existem 3.172 espécies de bromélias, distribuídas em 50 gêneros.

No Brasil, o quantitativo existente é de 1.290 espécies e 44 gêneros. Dessa estatística, 1.145 espécies são consideradas endêmicas, apesar de que é bem difícil manter esses dados atualizados, visto que novas espécies surgem a cada dia. Elas estão presentes em biomas como a Floresta Amazônica, Mata Atlântica e Caatinga.

A maioria das espécies de bromélias são encontradas nos neotrópicos, região biogeográfica que abrange o Sul da Flórida, a América Central e da América Latina. A exceção à esta regra, ficaria a cargo de uma única espécie chamada Pitcairnia feliciana, a qual pode ser encontrada a oeste da África.

As bromélias são originárias das Antilhas, local no qual eram chamadas de karatas. Após descobertas pelo botânico francês Charles Plumier, estas foram chamadas de bromélias.

Para aqueles que têm interesse no plantio de bromélias, é importante garantir que o substrato tenha baixa densidade, de modo a garantir boa aeração e drenagem, assim como um alto aporte de nutrientes e pH mais elevado.

Muitos podem se perguntar como plantar bromélias em troncos de árvores, xaxins e vasos? Como proceder em cada caso?

Venha conosco e descubra.

Boa leitura.

Classificação Taxonômica das Bromélias

As bromélias pertencem o Domínio Eukaryota, Reino Plantae, Superdivisão Spermatophyta, Divisão Magnoliophyta, Classe Liliopsida, Subclasse Commelinidae, Ordem Poales e Família Bromeliaceae.

Características das Bromélias

As bromélias são plantas herbáceas que podem ser largas ou estreitas, lisas ou serrilhadas, ocasionalmente com espinhos. As cores variam entre o verde, vermelho, vinho, e as apresentações listradas ou com pintas.

Durante a fase adulta, florescem apenas uma vez, após isso, emitem os filhotes e finalizam o ciclo.

Grande parte das bromélias são epífitas, ou seja, se desenvolvem sobre árvores que já estão em um estágio de evolução avançada; ou são rupícolas, neste caso crescendo e se desenvolvendo sobre rochas; ou até mesmo terrestres. Convém lembrar que as plantas epífitas não são consideradas predadoras da planta sobre ao qual estão instaladas, estabelecendo, portanto, uma relação comensal. Essas plantas tem uma excelente capacidade de fixação ao substrato e se alimentam de ar e das partículas que caem no seu tanque central. Essas espécies não demandam um substrato com alta taxa nutricional.

As folhas possuem formato de espiral e podem apresentar a disposição em roseta, embora essa morfologia varie e algumas sejam tubulares e outras abertas. Espécies do gênero Tillandsia podem apresentar formato dístico.  Algumas espécies podem apresentar escamas foliares, as quais auxiliam na absorção de água e nutrientes, assim como preservam contra a dessecção em ambientes com aporte hídrico insuficiente.

Bromélias no Tronco de Árvore
Bromélias no Tronco de Árvore

As inflorescências podem ser terminais ou laterais, simples ou compostas, organizadas em panículas, ou seja, estrutura de ramos que decrescem da base ao ápice, e possuem formato cônico ou piramidal. Essas inflorescências podem não possuir pecíolo (sendo consideradas sésseis), mas apenas um eixo com origem no caule (com o nome de escapo) que seja parcialmente ou totalmente revestido pelas brácteas. As flores são hermafroditas, com sépalas e pétalas livres ou aderidas à base.

Como há uma grande variedade de espécies, também há uma grande variedade de conformações de fruto, o qual poderá ser seco, capsulado ou carnoso.

Considerações Sobre o Plantio de Bromélias

O cultivo geralmente é realizado em pH compreendido entre 5,8 a 6,3; no entanto, algumas pesquisas tem mostrado que os resultados são mais satisfatórios em pH 7,1.

As bromélias epífitas (pertencentes ao gênero Tillandsia) não utilizam substrato. No entanto, para as demais espécies que precisam de substrato, há várias opções dentre elas uma mistura entre fibra de coco e esterco bovino em igual proporção; outra receita envolve terra, areia, pós de fibra de coco ou casca de pinus decomposta (lembrando que as cascas devem estar trituradas em pequenos pedaços e precisam ficar previamente de molho na água, de modo a diluir os compostos fenólicos). No entanto, para o plantio de bromélias por propagação de sementes, o melhor resultado tem sido demonstrado com o uso de casca de arroz carbonizada. A casca de coco também vem sendo empregada, embora a pouco tempo.

Como as bromélias são plantas tropicais por excelência, elas são altamente favoráveis às condições de calor e umidade, apesar de algumas espécies serem mais favoráveis à sombra. Incrivelmente algumas espécies já foram encontradas até mesmo em fios de alta tensão. Genericamente, nenhuma delas se adapta bem ao frio.

A recomendação é que sejam regadas regularmente, mas evitando que a raiz fique encharcada. O centro também deve ser molhado, visto que essas vegetais apreciam acúmulo de água na roseta central da inflorescência. Esse pequeno acúmulo auxilia na decomposição de detritos que caem no interior da bromélia, detritos como insetos mortos, fezes de passarinho e folhas secas, os quais após a decomposição atuam como adubo foliar.

As folhas da bromélia são super absorventes e sensíveis, por isso não devém entrar em contato com inseticidas e fungicidas. Ao realizar aplicação sobre o jardim, o ideal é cobrir as bromélias com lonas plásticas.

É importante conhecer bem a espécie de orquídea antes de cultivá-la, pois algumas espécies preferem sombra e outras, luz solar.

É altamente recomendável podar a bromélia, visto que este vegetal não substitui folhas danificadas e removidas. Ao perceber folhas danificadas, o ideal é avaliar as condições do ambiente, tais como ventilação e umidade.

Como Plantar Bromélias em Troncos de Árvores, Xaxins e Vasos?

Espécies vegetais como as bromélias e orquídeas podem ser cultivadas em troncos de árvores facilmente. Para isto, o ideal é amarrar a planta sem vaso e sem substrato à planta utilizando-se de algum material que possa se decompor com o tempo. Muitos agricultores afirmam que é possível atrelar a bromélia à árvore com o uso de pregos, no entanto, esta prática pode abrir caminhos para a infecção por fungos e/ou bactérias; além disso, o ferro pode enferrujar e liberar substâncias tóxicas.

Em relação ao plantio de bromélias em vasos, qualquer tipo de vaso pode ser empregado, no entanto, vasos de barro ou cerâmica são os mais apropriados, por serem mais pesados que a própria planta. Vasos de plásticos podem inclinar facilmente com o peso da planta, visto que nem sempre as bromélias crescem retas e verticais, trazendo o risco de derrubar o vegetal.

Uma outra opção é o plantio em xaxins, ou seja, em vasos de fibra vegetal, nos quais é importante manter um substrato de boa qualidade, assim como nos vasos de barro ou cerâmica.

*

Agora que você já conhece mais sobre as características da bromélia e sobre considerações acerca do seu plantio, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

PATRO, R. Jardineiro.net. 10 segredos no cultivo de bromélias. Disponível em: <https://www.jardineiro.net/10-segredos-no-cultivo-de-bromelias.html>;

STUMPF, A. M. Faz Fácil. Plantas & Jardim. Cultivo de Bromélias. Disponível em: <https://www.fazfacil.com.br/jardim/bromelias-cultivo/>;

Tudo ela. Bromélias: Curiosidades e Dicas de Cultivo. Disponível em: <https://tudoela.com/bromelias/>;

Wikipédia. Bromeliaceae. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Bromeliaceae>.

Veja também

Tabela De Ciclo Da Soja Precoce

A soja precoce, basicamente é uma variedade que desenvolve o ciclo entre o plantio e a colheita em um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *