Home / Animais / Tipos de Sapos Venenosos: Características das Espécies com Fotos

Tipos de Sapos Venenosos: Características das Espécies com Fotos

Os sapos são animais que vivem próximos a nós, de fato. E muitas pessoas sentem “nojo” destes curiosos anfíbios, devido a sua pele rugosa, a sua coloração ou mesmo ao coaxo que fazem quando dão seus pequeninos saltos.

O que poucos sabem, é que eles são fundamentais para a regulação do meio ambiente; pois se alimentam de mosquitos, pernilongos e outros insetos pequenos que podem transmitir doenças, como a dengue ou mesmo a malária. Além disso, por ser um predador destes insetos, ele controla a população e a impede de se proliferar demasiadamente.

Outro fator interessante destes anfíbios, é que eles dispõem de veneno em suas glândulas granulares, na lateral do corpo. Mas calma lá, não se assuste! Alguns possuem venenos que não são letais, já outros, são poderosíssimos e um simples contato pode levar a morte.

Aqui neste artigo vamos lhe mostrar detalhadamente como estes venenos são liberados, como os sapos o utilizam; além disso, especificaremos quais tipos de sapos não possuem veneno letal, e claro, mostraremos ainda os tipos de sapos venenosos, os mais letais de todo o planeta.

Leia mais:

Espécies de Sapos Pequenos

Espécies de Sapos Mais Comuns

Onde o Sapo Vive? Qual Seu Habitat?

Sapos – Características

Os sapos são anfíbios classificados na Ordem Anuros, a mesma a qual fazem parte as rãs e as pererecas. Eles diferenciam-se delas devido a sua pele rugosa e as pernas pequenas, com que faz que ele dê pequenos saltos, diferente das pererecas, que conseguem dar longos saltos.

Ao todo, estima-se que existam cerca de 5.000 espécies de sapos, rãs e pererecas no mundo inteiro. Porém, quando falamos apenas dos sapos, da família Bufonidae, é contabilizado por volta de 450 espécies.

E como existem tantas espécies, é claro que algumas possuem características diferentes das outras; como por exemplo: tamanho, coloração, peso e veneno.

O mais popular aqui no Brasil é o Sapo-Cururu. Um Bufonidae grande, largo e achatado. Ele é facilmente encontrado em chácaras, sítios ou próximos a riachos, lagos, brejos. Ou seja, ele adora lugar com água.  Mas detalhe, ele não vive na água.

Os sapos, diferentemente das rãs e das pererecas preferem viver sua vida majoritariamente na terra. Eles tem duas fases na vida: uma quando ainda são minúsculos girinos, quando ainda vivem na água, ou melhor dizendo, já nascem na água, sabendo nadar; e com o passar do tempo,  seus membros vão se desenvolvendo e o seu rabo vai encolhendo, da maneira em que começa a ser possível se locomover em terra firma, então o pequeno girino que se transformou em sapo começa a migrar para o ambiente terrestre.

Então ele só volta quando pretende reproduzir e dar luz a sua criação dentro da água. No período reprodutivo, o macho coaxa em busca da fêmea, e quando encontra, ambos vão à água. Mas e quanto ao veneno deles? Iremos explicar a seguir.

Sapos Venenosos e Não Venenosos

Um grande mito que ronda os sapos é que a sua urina pode causar problemas para nós. Porém, se formos analisar detalhadamente, este liquido que ele libera quando se sente ameaçado é uma certa solução, que ele armazena na bexiga, e é inofensivo.

Por exemplo, o Sapo Cururu (mais comum no Brasil), ele possui glândulas nas laterais do seu corpo (onde tem veneno), porém, só é ativada quando o sapo é pressionado, ou mordido. Quando entra em contato com nossa pele, mucosa ou olhos pode causar leves incômodos ou irritações, mas nada muito grave.  Ou seja, esse sapo é venenoso, mas seu veneno não é letal.

Existem centenas de espécies de sapos, e em meio ao mundo selvagem eles necessitam de suas “armas” para se defender de possíveis ameaças, como é o caso de muitos sapos coloridos que existem ao redor do mundo, inclusive no Brasil.

A coloração destes sapos é sempre muito exótica. Ou um amarelo bem forte, ou vermelho com listras pretas, azul; enfim, existem muitas cores, e ela é fundamental para eles, pois em meio a mata verde, eles se destacam e é como se dissessem aos seus predadores: “não encoste em mim”.

Isso não ocorre apenas com os sapos, mas com todos da ordem Anuros, ou seja, também existem rãs e pererecas letais. Quando o animal for muito colorido, pode ter certeza que ele dispõe de toxinas mortíferas em sua pele.

Sua pele é composta por uma toxina peculiar, que está apenas neles, conhecida como batracotoxina. Eles possuem tal toxina, pois alimentam-se de cupins, formigas e deles absorvem os alcaloides, que auxiliam na produção do veneno.

Eles eram conhecido pelos indígenas como “poison dart frogs”, pois utilizam seu veneno nas pontas de suas lanças. Confira agora os tipos de sapos mais letais e mais perigosos de todo o planeta!

Tipos de Sapos Venenosos

Phyllobates Terribilis

Phyllobates Terribilis
Phyllobates Terribilis

Este pequeno anfíbio de coloração amarela, é um dos animais terrestres mais venenosos de todo planeta. Seu veneno é capaz de matar mais de um homem por vez, e até um elefante. Eles são nativos da Colômbia.

Phyllobates Bicolor

Phyllobates Bicolor
Phyllobates Bicolor

Também oriundo da Colômbia, este é o segundo sapo mais tóxico do mundo, sua toxina também é letal, porém é um pouco menor. Apenas 0,15 miligramas já são capazes de matar um ser humano.

Phyllobates Aurotaenia

Phyllobates Aurotaenia
Phyllobates Aurotaenia

Este é menos tóxico e menor que os outros dois acima, porém, é do mesmo gênero que eles – o Phyllobates. Ou seja, ele é tão perigoso como os outros, apesar de nunca ter sido registrada alguma morte humana causada pelo anfíbio.

Epipedobates Tricolor

Epipedobates Tricolor
Epipedobates Tricolor

Muitas vezes este pequenino mede apenas 2,5 centímetros, porém, ele possui uma substancia denominada epibatidina, que é muito mais forte que a morfina, por exemplo. Além disso, ele é capaz de paralisar qualquer presa que o ameasse.

Phyllomedusa Bicolor

Phyllomedusa Bicolor
Phyllomedusa Bicolor

Estes sapos são encontrados na Bacia Amazônica e possui um poderosíssimo veneno. Ele não possui cores exóticas como os outros, ele é verde, porém é um verde vivo, quase brilhante. Seu forte veneno é capaz de sedar uma pessoa, além de dar fortes alucinações e causar distúrbios.

Ranitomeya Variabilis

Ranitomeya Variabilis
Ranitomeya Variabilis

Esse exuberante anfíbio, de pele malhada é um dos mais tóxicos de seu gênero, ele pode levar a morte de até 5 humanos. Eles não estão presente no Brasil, porém vivem nas densas e úmidas florestas de Peru e Equador.

Veja também

Caranguejo Guajá Características e Fotos

O caranguejo guajá (nome científico Calappa ocellata) é uma espécie encontrada na costa brasileira, mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *