Home / Animais / Quantos Estômagos Tem uma Cabra ?

Quantos Estômagos Tem uma Cabra ?

As cabras são bovídeos com longo histórico de domesticação, dessa forma, a subespécie conhecida atualmente (no caso, Capra aegagrus hircus) é uma variação da cabra selvagem.

Assim como as cabras, todos os integrantes da família Bovidae são mamíferos ruminantes, dessa forma, possuem peculiaridades referentes tanto ao processo de digestão, quanto à conformação do aparelho digestivo, mais precisamente do estômago.

Talvez, você já tenha ouvido falar que as cabras possuem vários estômagos, mas será que essa informação é verdadeira.

Afinal, quantos estômagos tem uma cabra ?

Venha conosco e descubra.

Boa leitura.

Família Taxonômica Bovidae

O Organismo da Cabra
O Organismo da Cabra

Neste grupamento, estão presentes desde os animais já domesticados pelo homem (como é o caso dos bois, ovelhas e cabras), até os animais selvagens (a exemplo dos bisontes e antílopes). A distribuição geográfica abrande praticamente todo o globo, com exceção da Austrália.

Mesmo com a maioria dos membros herbívoros, é possível encontrar bovídeos onívoros (como é o caso do duiker, nativo da África subsaariana).

Os maiores animais do grupamento podem pesar mais de uma tonelada, assim como medir mais de 2 metros de altura (ao nível da cernelha). Todavia, ironicamente, o menor animal pesa apenas 3 quilos.

Os bovídeos geralmente não possuem dentes caninos. Quando estes dentes estão presentes, desempenham papel de dentes incisivos. Todos os machos possuem chifres, sendo que algumas fêmeas também. O tamanho e a forma desses chifres podem variar bastante, no entanto, para todas as espécies, tal estrutura é uma saliência óssea revestida de queratina.

Classificação Taxonômica da Cabra Doméstica

As cabras domésticas são enquadradas dentro das seguintes categorias científicas:

Reino: Animalia;

Filo: Chordata;

Classe: Mammalia;

Ordem: Artiodactyla;

Família: Bovidae;

Subfamília: Caprinae;

Gênero: Capra;

Espécie: Capra aegagrus;

Subespécie: Capra aegagrus hircus.

A cabra doméstica (nome científico Capra aegagrus hircus) é uma subespécie da cabra selvagem (nome científico Capra aegagrus), a qual, na natureza, é encontrada em rebanhos contendo cerca de 500 indivíduos.

Características da Cabra

Características da Cabra
Características da Cabra

Da mesma forma que ocorre com o gado e com as ovelhas, são utilizados termos diferenciados para machos adultos, fêmeas adultas e filhotes. As fêmeas adultas são as cabras propriamente ditas (embora, popularmente a palavra possa ser usada para os caprinos domésticos de modo geral). Os machos adultos são os bodes. Em relação aos filhotes, estes recebem a denominação de “cabritos”- sendo tal termo adequado até os 7 meses de idade.

A título de curiosidade, as ovelhas são as fêmeas adultas, ao passo que os machos são chamados de carneiros e os filhotes são os cordeiros. No caso do boi, o macho da espécie pode ser chamado de boi ou touro; sendo que a fêmea recebe o nome de vaca e o filhote (ou animal mais jovem) é chamado inicialmente de bezerro e, posteriormente, de novilho.

Todos os bodes possuem chifres e barbichas, sendo que estas estruturas também podem estar presentes em muitas raças de cabras. Em relação às raças, é possível notar diferenciação na coloração da pelagem, bem como na constituição física entre elas.

Os bodes e cabras possuem como hábitat natural as montanhas de clima temperado, dessa forma, são dotados de incrível capacidade de equilíbrio em terrenos íngremes.

Quantos Estômagos Tem uma Cabra ?

Tecnicamente, as cabras, assim como os demais ruminantes, possuem apenas 1 estômago, o qual é dotado de 4 compartimentos. Estes compartimentos recebem o nome de rúmen, retículo, omaso e abomaso. Em algumas literaturas, o rúmen, o retículo e omaso são considerados pré-estômago; ao passo que o abomaso é classificado como estômago verdadeiro ou glandular. Dessa forma, outras literaturas consideram a existência de 2 estômagos. Logo, bovinos (assim como os cervídeos) podem ser classificados como animais poligástricos.

Os ruminantes regurgitam os alimentos digeridos, e mastigam-os novamente para realizar outra deglutição. Este mecanismo é obrigatório para a digestão da celulose. A primeira mastigação é responsável por reduzir a matéria vegetal em partículas tão pequenas que possam ser ‘atacadas’ pela flora bacteriana presente no rúmen, todavia, protozoários e fungos ‘benéficos’ também podem estar presentes.

O rúmen é a maior das 4 cavidades e está dividido em 4 áreas (também chamadas de sacos), por meio da presença de pilares ruminais. O rúmen atua tanto como reservatório, quanto como câmara fermentativa. A fermentação é realizada por meio das enzimas produzidas pelos microorganismos colonizadores. Um rúmen plenamente desenvolvido possui papilas ruminais, ou seja, vilosidades em sua parede (face interna).

No rúmen, os carboidratos de vegetais e outras fontes (no caso, o amido, celulose e etc) serão fermentados de modo a transformarem-se em ácidos graxos voláteis, e, a partir de então, serão absorvidos pelas papilas ruminais. No caso das proteínas, estas serão degradadas até virarem Amônia (a qual é útil na síntese de determinadas proteínas). No caso dos lipídios e outras gorduras, estes são quebrados até transformarem-se em ácidos graxos de cadeia longa e glicerol.

Em relação às demais cavidades, o omaso possui um formato esférico. No seu interior, estão presentes muitas lâminas musculares, razão pela qual ele também pode ser chamado de “folhoso”. Na mucosa destas lâminas, estão presentes papilas com a função de absorver água, minerais e ácidos graxos. Estas papilas também visam reduzir a quantidade de partículas alimentares.

O estômago verdadeiro ou glandular (vulgo “abomaso”) conta com muitas substâncias liberadas pelas suas glândulas, dentre elas algumas enzimas (tais como o pepsinogênio e a pepsina), hormônios (a exemplo da gastrina, água e ácido clorídrico.

Quais os Órgãos Principais e Acessórios do Sistema Digestivo da Cabra ?

Órgãos das Cabras
Órgãos das Cabras

Como órgãos principais, temos a boca, faringe, esôfago, pré-estômagos, estômago verdadeiro, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.

São classificados como órgãos acessórios os dentes, a língua, as glândulas salivares, o fígado e o pâncreas.

A digestão enzimática iniciada no abomaso é finalizada no intestino delgado, através da participação de enzimas pancreáticas e intestinais. Considerando que a maior parte dos carboidratos já foi fermentada no rúmen; no intestino delgado, ocorrerá grande parte da absorção de nutrientes como vitaminas, minerais, proteínas e lipídios.

A língua funciona como um órgão prensor excepcional, atuando para conduzir o alimento até a boca. Os ruminantes não possuem dentes caninos nem dentes incisivos superiores, desta forma, a lâmina dental acaba atua na contraposição aos dentes incisivos inferiores.

Ruminantes jovens possuem 20 dentes na arcada dentária, enquanto que indivíduos adultos apresentam 32.

*

A digestão dos ruminantes é mesmo um processo curioso e fascinante, não acha ?

Para mais artigos sobre o mundo animal e vegetal, fique de olho em nossas próximas postagens.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Brasil Escola. Digestão dos ruminantes. Disponível em: < https://brasilescola.uol.com.br/biologia/digestao-dos-ruminantes.htm>;

Rehagro Blog. Conheça a anatomia e fisiologia do sistema digestivo dos bovinos. Disponível em: < https://rehagro.com.br/blog/sistema-digestivo-dos-bovinos/>;

Wikipédia. Bovídeos. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Bov%C3%ADdeos>;

Wikipédia. Capra aegagrus hircus. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Capra_aegagrus_hircus>.

Veja também

Lebre na Natureza

Tudo Sobre a Lebre : Características, Nome Cientifico e Fotos

Hoje vamos trazer mais um animal incrível e cheio de curiosidades super interessantes para os …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.