Home / Animais / Fubá: Vilão ou Aliado na Alimentação Canina?

Fubá: Vilão ou Aliado na Alimentação Canina?

O cão, com a sua natureza leal e companheira, faz jus ao título de melhor amigo do homem. Agora, cabe a nós retribuirmos essa lealdade, oferecendo aos nossos pets um tratamento de qualidade, a começar por uma boa alimentação- no caso, rações apropriadas e alimentação complementar, ou seja, comida caseira apropriada.

Neste contexto, é comum que o fubá apareça em muitas pesquisas on-line sobre pratos caseiros para cães. Este alimento é bastante empregado na culinária, consistindo em uma farinha fina feita com arroz ou milho moído. A versão com milho é mais popular, principalmente porque é utilizada para o preparo de bolos em festa junina. O fubá pode ser fino ou grosso, amarelo ou branco.

Convém lembrar, que a ração ainda é o alimento mais indicado para os cães (por conter todos os nutrientes necessários e não ter contra-indicações). Porém, nem sempre é possível alimentar os cães exclusivamente com ração (muitas vezes devido à possibilidade de que o paladar destes cães não seja acostumado ao alimento- principalmente quando os cães foram resgatados da rua).

Mas voltando ao fubá, será que esse alimento é seguro e saudável para o consumo canino?

Venha conosco e descubra.

Boa leitura.

Fubá: Informação Nutricional

A informação nutricional do fubá depende bastante da marca ao qual o mesmo está vinculado. Porém, existem alguns valores aproximados que podem ser utilizados como parâmetros.

No caso de 100 gramas de fubá de milho cru, esta pesagem possui cerca de 353,5 kcal. A concentração de carboidratos é de 78,9 gramas; ea concentração de proteínas é de 7,2 gramas. Nesta amostra, também estão presentes aproximadamente 4,7 gramas de fibra alimentar. Considerando as gorduras saturadas, monoinsaturadas e poliinsaturadas estas correspondem a concentração de 0,4 g; 0,9 g; e 1,3 g, respectivamente.

A mesma amostra de 100 gramas de fubá de milho cru, ainda pode conter concentrações menores (em escala de miligramas) dos minerais Cálcio, Fósforo, Manganês, Magnésio, Ferro, Potássio, Cobre e Zinco.

Dentre os minerais, os mais abundantes são o Potássio e o Fósforo.

O fubá amarelo possui um valor nutricional mais elevado do que o fubá branco.

Fubá: Vilão ou Aliado na Alimentação Canina?

Bom, apesar de o fubá ser um alimento popular em receitas caseiras caninas, pode gerar consequências desagradáveis, sobretudo para as raças de grande porte. Acontece que o consumo de fubá em demasia pode resultar em acúmulo de gases, uma vez que a sua digestão é mais lenta.

Em casos mais graves, o acúmulo de gases se intensifica a um estágio de timpanismo, o qual pode até mesmo evoluir para um quadro de torção gástrica.

Algumas raças são mais propensas a desenvolverem torção gástrica, e, nestes casos, não recomenda-se ingestão de fubá em nenhuma circunstância.

A torção gástrica, caso não seja socorrida a tempo, pode levar o animal à morte.

Agora, no caso dos cães de menor porte, o fubá deve ser visto apenas como um dos componentes da alimentação e não como alimento exclusivo. Certa carência de vitaminas do alimento pode favorecer o aparecimento de estomatite necrótica (inflamação na membrana da boca). Outra desvantagem é que o fubá possui baixa concentração de dois dos aminoácidos considerados essenciais à saúde dos cães (no caso, lisina e triptofano).

Outros Alimentos Potencialmente Perigosos para os Cães

O primeiro item da lista, com certeza é o chocolate. Alimento que está definitivamente proibido, uma vez que pode causar intoxicação. O abacate também não deve ser oferecido, já que ocasiona desarranjos intestinais.

As uvas e uvas passas são perigosíssimas. Apenas 6 uvas são capazes de causar insuficiência renal aguda.

Mesmo aparentando ser inofensivo, o consumo de macadâmia, in natura ou em produtos que contem com a sua composição, libera uma toxina que pode afetar os músculos do cachorro, bem como o seu sistema digestivo e nervoso. Há relatos, inclusive, de cães que sofreram paralisia.

Alho e cebola (como já mencionado sutilmente em tópicos anteriores), também não são recomendados. O alho pode causar irritações no intestino e no estômago, bem como irritar células vermelhas do sangue. A cebola contém uma toxina que pode favorecer o aparecimento de anemia.

Frutas como o caqui, pêssego e ameixa podem causar inflamações, ou até mesmo obstruções no intestino delgado de cães que as engulam. Cafés e chá preto podem gerar danos ao sistema nervoso dos cães, bem como aumentar os seus ritmos cardíacos.

Além dos doces não serem recomendados, doces dietéticos são capazes de gerar um efeito adverso ainda pior, uma vez que contém substâncias específicas com potencial para uma intoxicação imediata- a qual se reflete em sintomas como vômitos, letargia, perda de coordenação e, em alguns casos, convulsão.

Dicas para uma Dieta Canina Caseira Balanceada

A ração deve ser sempre a primeira opção. Porém, caso não seja viável no momento, a dieta é compor o prato do pet com 25% de arroz, 25 % de legumes ou verduras; e 50% de carne. Há quem ache, estas medidas sofisticadas demais para o cãozinho e prefira oferecer ao cachorro pequenos bifinhos de carne com arroz e ossos- esta alternativa também é válida. A primeira alternativa, no entanto, pode ser útil até mesmo para cães de grande porte que competem em exposições.

No caso d o arroz com carne e legumes, a sugestão é bater os legumes no liquidificador.

É importante considerar que as carnes não devem ser muito gordurosas (de modo a não atrapalhar a digestão). Caso sejam compradas como restos vendidos em açougue, é importante fritar com antecedência para remover o excesso da gordura e do sebo.  Alimentos como cebola e alho (assim como sal em excesso) também não são geram boa reação no organismo dos cães.

Outras opções incluem comprar uma ração de baixa qualidade (e talvez mais barata) e complementá-la com alguns suplementos vitamínicos (orais ou injetáveis).

Depois de conhecer algumas alternativas de alimentação saudável para o cãozinho, nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Provavelmente, você encontrará algum tema de seu interesse e que seja útil para o seu dia-a-dia.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Allevamento Florenza. O Fubá na dieta canina. Disponível em: < http://www.mastim.com.br/informacoes/fuba.asp>;

Comida para cachorro. Comida de Fubá para cachorro. Disponível em: < https://comidaparacachorro.wordpress.com/2017/07/07/comida-de-fuba-para-cachorro/>;

R7. Segredos do Mundo. 15 alimentos proibidos para cachorros e que as pessoas não sabem. Disponível em: < https://segredosdomundo.r7.com/15-alimentos-proibidos-para-cachorros-e-que-as-pessoas-nao-sabem/>;

Tabela Nutricional. Milho Fubá Cru. Disponível em: < https://www.tabelanutricional.com.br/milho-fuba-cru>.

Veja também

Animais que Começam com a Letra O: Nome e Características

Em linhas gerais, os animais são classificados como seres vivos multicelulares, eucariontes e com padrão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *