Home / Animais / Espécies de Marrecos Brasileiros: Características e Hábitat

Espécies de Marrecos Brasileiros: Características e Hábitat

Os marrecos são aves aquáticas (tais como os gansos, patos e cisnes), as quais são frequentemente confundidas com os patos. Alguns biólogos, inclusive, consideram os mesmos como espécies de pato. Todavia, é possível notar certas diferenças entre as aves, sobretudo em relação ao bico (o bico dos marrecos é liso, enquanto que o dos marrecos possui uma protuberância perto das narinas). Além disso, os marrecos são menores em altura e comprimento.

Marrecos Brasileiro na Beira do Lago
Marrecos Brasileiro na Beira do Lago

Dentro deste contexto, o pato possui uma comercialização e criação mais intensa, sendo bastante apreciado na culinária (através de sua carne). Todavia, os marrecos também são apreciados dentro da culinária, sobretudo na região Sul do Brasil. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, existe um prato de origem alemã, no qual a ave é recheada com repolho. Em um munícipio do estado de Santa Catarina (Brusque), mais precisamente, ocorre todos os anos a Festa Nacional do Marreco.

Algumas das espécies de marrecos mais conhecidas no Brasil incluem o paturi e irerê.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre essas aves, em especial sobre as espécies brasileiras.

Então venha conosco e boa leitura.

Espécies de Marrecos Brasileiros: Características e Hábitat- Paturi Preta

A paturi-preta (nome científico Netta erythrophthalma) também pode ser chamada pelo nome de marreca-preta.

Mede entre 48 a 51 centímetros de comprimento, bem como pode pesar entre 484 a 1018 gramas.

A característica mais marcante da espécie, sem dúvida, são os seus olhos avermelhados. Machos e fêmeas possuem bico de cor cinza-azulado. Durante o voo, a ave pode exibir uma faixa branca em suas penas secundárias.

Paturi Preta no Lago
Paturi Preta no Lago

Existe dimorfismo sexual entre machos e fêmeas. Os machos possuem como coloração predominante alguns tons de preto ou castanho escuro, exibindo em conjunto uma crista rudimentar na porção posterior da coroa. O macho também apresenta um sutil brilho com nuance roxa na cabeça, pescoço e peito.

Agora, em relação a fêmea, esta possui uma tonalidade menos escura. Apresenta olho marrom, com uma faixa esbranquiçada bem marcante atrás do mesmo. Tanto a garganta, quanto o bico e a porção posterior da face apresentam a mesma tonalidade.

A vocalização também é diferente entre machos e fêmeas, em virtude da variação no aparelho fonador.

Distribuição

Indivíduos jovens são muito parecidos com as fêmeas, embora possuam coloração marrom mais evidente. Também apresentam sobrancelhas mnos destacadas.

Em relação à distribuição geográfica, a espécie é encontrada tanto na faixa litorânea quanto em rios do interior de áreas do nordeste e leste do Brasil. Inclui os estados do Ceará, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Fora do Brasil, a espécie está presente desde a Colômbia e à Venezuela até o Chile e a Argentina. Também pode ser encontrada no Sudão, Etiópia e África do Sul.

Seu hábitat é naturalmente os lagos e lagoas, nos quais pode se concentrar em bandos.

No que diz respeito à alimentação, estes marrecos ingerem sementes, folhas, vermes e larvas de inseto. Para se alimentarem, mergulham de cor inteiro ou apenas utilizando a cabeça.

Cada postura de ovos dá origem de 5 a 9 ovos de cor creme.

Espécies de Marrecos Brasileiros: Características e Hábitat- Irerê

O irerê (nome científico Dendrocygna viduata) também pode ser conhecido pelos nomes de siriri, marreca-viúva, marrecão, cabeça-branca. É bastante conhecido tanto pela sua beleza, quanto pelo seu canto característico.

Em relação às características físicas, possui uma destacada máscara branca na faze que gera certo contraste ao seu pescoço negro e bico cor de chumbo. No início de seu pescoço, possui penas frontais de cor branca que se transformam em tom castanho avermelhado até chegar ao início do peitoral. No dorso, suas penas apresentam coloração marrom com bordas em tom bege. Em voo, exibem asas escuras.

A máscara branca, considerada marcante característica da espécie, não é observada em indivíduos mais jovens, os quais também não possuem ventre preto e outras tonalidades consideradas padrão.

O hábitat é formado por lagos ou corpos d’água com distribuição desde a Argentina até a América Central. Curiosamente a espécie também pode ser encontrada em lagos poluídos. Mesmo com a prioridade pela América Latina, algumas exemplares estão presentes na África Ocidental.

Aqui no Brasil, a ave está presente em todas as regiões (com menor prevalência na Região Norte).

Possuem o hábito de formar bandos compostos por dezenas, principalmente pra a realização de migrações sazonais.

Outras Aves Aquáticas: Gansos e Cisnes

Os cisnes possuem como marca registrada o seu pescoço alongado e porte majestoso. Não são tão frequentes por aqui, sendo que as únicas espécies encontradas na América do Sul são o capororoca (nome científico Coscoroba coscoroba) e o cisne-de-pescoço-negro (nome científico Cygnus melanocoryphus).

Em comparativo, aos patos, ganso e marrecos, os cisnes são considerados as aves mais altas. Considerando a diversidade de espécies, possuem, em média, 1,70 metros de comprimento e pesam cerca de 20 quilos. Possuem extrema elegância ao nadar, e, por essa razão, muitos exemplares são criados como aves ornamentais. Na natureza, voam em bandos com formato de “V”.

Atualmente, os cisnes raramente são consumidos na culinária, embora possuísse histórico de consumo até o século 19 aproximadamente. A rainha Vitória costumava servir cisne assado como prato tradicional dentro de sua ceia de natal.

Em relação aos gansos, estes são criados como animais de guarda (uma vez que costumam sinalizar a presença de estranhos, emitindo ruídos estridentes), bem como para ornamentação. Sua história de domesticação remonta a 4 mil anos atrás no Antigo Egito. Em cativeiro, podem viver até 50 anos. Na natureza, costumam andar me bandos.

Embora a carne e os ovos do ganso não sejam muito apreciados dentro da culinária, os miúdos do ganso (mais especificamente, o fígado) são aproveitados para o preparo do tradicional prato “foie gras”, especialidade francesa que teria surgido na Antiguidade.

*

Gostou do artigo?

Caso tenha curiosidade sobre outros assuntos relacionados aos animais de modo geral, bem como vegetais (este é um site sobre ecologia em seu sentido amplo) ou outros tópicos; sinta-se à vontade para continuar navegando por aqui.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

VASCONCELOS, Y. Mundo Estranho. Qual a diferença entre pato, ganso, marreco e cisne? Disponível em: < https://super.abril.com.br/mundo-estranho/qual-a-diferenca-entre-pato-ganso-marreco-e-cisne/>;

WikiAves. Irerê. Disponível em: < http://www.wikiaves.com.br/wiki/irere>;

WikiAves. Paturi-Preta. Disponível em: < https://www.wikiaves.com.br/wiki/paturi-preta>.

Veja também

Ficha Técnica do Pica-Pau: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Os pica-paus são aves cuja nomeação deriva de uma prática comum: o ato de tamborilar, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *