Home / Animais / Crustáceos: Curiosidades e Fatos Interessantes

Crustáceos: Curiosidades e Fatos Interessantes

Os Crustáceos estão entre os membros mais ilustres desse imenso filo dos Artrópodes. É uma comunidade que abriga cerca de 68.000 espécies, com curiosidades, fatos interessantes, além de algumas características bastante comuns entre elas.

São animais invertebrados, cobertos com uma estrutura queratínica resistente denominada exoesqueleto. Eles possuem pernas articuladas, dois olhos diminutos, um par de antenas que funcionam como excelentes sensores, duas mandíbulas que também funcionam bem para o seu propósito, dois poderosos maxilares, entre outras características que compartilham entre si.

Dentre os principais representantes dessa imensa comunidade dos Crustáceos, estão os camarões, caranguejos, cracas, pulgas-d’água, siris, lagostins, entre outras inúmeras variedades apreciadas desde tempos imemoriais como uma importante fonte de alimentação e nutrientes para os humanos.

Uma outra curiosidade sobre os crustáceos, é que eles também costumam ser utilizados como espécies ornamentais, devido à característica bastante peculiar do exoesqueleto de alguns deles.

Como, por exemplo, o do extravagante Grapsus grapsus que, munido de uma carapaça em belíssimas tonalidades de azul, laranja, vermelho, amarelo, entre outras cores, costuma encantar – e extasiar – a quem quer que tenha oportunidade de conhecê-lo de perto.

Os crustáceos são animais tipicamente aquáticos. No entanto, até mesmo os seus habitats de origem (entre outros hábitos particulares) costumam ser envoltos pelas mais diversas lendas, curiosidades e mistérios, que os tornam ainda mais exóticos e singulares dentro da natureza.

E é justamente sobre essas curiosidades e fatos interessantes relativos aos crustáceos que iremos tratar nesse artigo. Em uma lista que contempla algumas das variedades mais originais e exuberantes dessa imensa biosfera terrestre.

1.Eles Podem ser Animais Terrestres

Sobre os crustáceos, há algo que sempre foi considerado um verdadeiro consenso entre a população, e sobre o qual dificilmente pairava quaisquer dúvidas: Eles são animais aquáticos, que vivem nas profundezas dos mares e oceanos, competindo em beleza e singularidade com diversas espécies de moluscos, esponjas, celenterados, entre outras variedades exóticas.

No entanto, uma espécie denominada Oniscidea (ou simplesmente Tatuzinho-de-jardim), está aí para provar que quando se trata da biosfera terrestre, nada pode nos surpreender!

O Tatuzinho-de-jardim, por mais estranho que isso possa parecer, é um crustáceo, que não se sabe bem por qual razão, cismou de viver sobre a terra – ao contrário do que seria de se esperar em se tratando desse filo.

Eles também podem ser conhecidos como bichos-de-conta, camarões-terrestres, porcas-saras, porquinhos-de-santo-antão, entre outras denominações que recebem esses animais que adaptam-se bem ao ambiente levemente úmido dos jardins, cavernas, bases de pedras, ocos de árvores, troncos, entre outras moradas com características semelhantes.

2.Eles Não São Assim Tão Silenciosos!

No fundo dos mares, rios e oceanos, a impressão que se tem é a de que esses animais são espécies silenciosas, serenas e tranquilas, embaladas pelo ritmo doce e lento das profundezas das águas.

Porém aqui, mais uma vez, somos surpreendidos com mais um fato curioso e interessante sobre esses crustáceos.

De acordo com a ciência, os caranguejos, camarões, lagostas, entre outras variedades, são capazes de emitir sons com uma intensidade bem maior do que a de inúmeras espécies na natureza – inclusive as terrestres.

No entanto, é tão pequena a frequência dos sons emitidos por eles, que torna-se impossível para os humanos percebê-los. Mas não para algumas espécies marinhas, que têm nos crustáceos os piores vizinhos (em termos de barulho) que alguém poderia sonhar em ter por perto.

3.Nem Todos Possuem Carapaça

O caranguejo-ermitão (ou a variedade de espécies “ermitão”) pertence a uma comunidade conhecida como Paguroidea. Eles também podem ser encontrados em algumas regiões com as denominações de Paguro, Bernardo-eremita, Caranguejo-eremita, entre outras.

Por não possuírem carapaça – e ainda o Pléon ( a barriga) bastante mole –, os eremitas utilizam-se do curioso expediente de abrigarem-se em conchas marinhas, que fazem as vezes de uma carapaça improvisada, com a qual transitam, segura e confortavelmente, pelas areias da praia.

Para completar, os eremitas ainda costumam permitir, sobre essa concha, que se acomodem algumas espécies de anêmonas venenosas, que lhes oferecem uma proteção a mais, em um dos exemplos mais comoventes de adaptação em prol da sobrevivência na natureza.

4.Os Crustáceos Podem Contribuir Para o Saneamento das Águas

Uma outra curiosidade sobre os crustáceos– e que também pode ser considerado um outro fato interessante sobre essas espécies – , é que eles possuem o sugestivo apelido de “As lixeiras do mar”.

Isso porque eles conseguem ingerir uma quantidade imensa de restos vegetais, materiais orgânicos (e até inorgânicos), entre outros detritos, por dia.

E não é por falta de instrumentos que eles mantêm essa fama de devoradores contumazes no ambiente aquático! Algumas espécies até são conhecidas por possuírem saliências calcificadas no interior dos seus estômagos, que fazem as vezes de dentes.

5.O Menor Crustáceo da Natureza

A Pulga-de-água ou Daphnia, é o menor crustáceo presente na natureza. Elas são espécies capazes de medir os inacreditáveis 2mm de comprimento – uma estrutura muitas vezes impossível de ser identificada a olho nu em seu habitat natural.

Em um simples metro cúbico, é possível encontrar até 100.000 exemplares de pulgas-da-água. E elas ainda desempenham um importante papel na natureza, já que são as principais dietas de uma imensa comunidade marinha, seja de água doce ou de água salgada; sem as quais teriam muitas dificuldades para sobreviver.

6.O Maior Crustáceo da Natureza

Uma outra curiosidade ou fato interessante sobre os crustáceos, diz repeito ao tamanho que eles conseguem atingir em situações excepcionais.

O maior deles, por exemplo, é o famigerado caranguejo “ladrão-de-coco” ou “caranguejo-dos-coqueiros” (o Birgus latro).

Se não bastasse o fato de ser o maior caranguejo terrestre do planeta, ele ainda é simplesmente o maior dos artrópodes terrestres já registrados; maior do que qualquer aranha, lagosta ou inseto presentes na natureza.

O caranguejo-gigante só perde mesmo para o indescritível “caranguejo-gigante-japonês (o Macrocheira kaempferi) – uma espécie que vive na costa japonesa, carregando consigo inacreditáveis 20 kg, exclusivamente em ambiente aquático.

Em tocas subterrâneas, os caranguejos-dos-coqueiros permanecem isolados, até que a forme surja inadvertidamente.

Para saciá-la, eles poderão simplesmente laçar mão de um coco a vários metros de altura, o qual esmagará em apenas alguns poucos segundos, utilizando-se do potencial destruidor das suas pinças, que funcionam como uma poderosa arma de combate.

Os crustáceos compõem uma comunidade onde estão algumas das espécies mais exóticas e singulares da natureza. Mas gostaríamos de saber sobre as suas experiências com esses seres, por meio de um comentário, logo abaixo. E continue compartilhando os nossos conteúdos com os seus amigos, parentes, colegas e demais conhecidos.

Veja também

Imagem Com Uma Lula Colossal

Lula Gigante e Colossal: Características e Fotos

A natureza é repleta de animais fascinantes, que parecem saídos de algum livro de ficção …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *