Home / Animais / Como Cuidar de Um Beagle Filhote: Cuidados e Doenças

Como Cuidar de Um Beagle Filhote: Cuidados e Doenças

Ter um cachorro com certeza é uma parte muito divertida da rotina de muitas pessoas, principalmente aquelas que gostam de ter uma rotina ativa e também uma companhia para todos os momentos, já que é exatamente por características desse tipo que os cachorros são conhecidos.

Apesar disso, engana-se quem pensa que tudo é um mar de rosas e que ter um cachorro não dá trabalho, já que em grande parte do tempo você provavelmente estará cuidando das necessidades do seu cachorro, isso sem contar as vezes em que você nem entenderá direito o que ele precisa.

Porém, para tudo há uma solução! Antes de adotar um bichinho é essencial que você pesquise um pouco mais sobre a raça dele, já que assim você já estará mais familiarizado com a personalidade dele e também com suas necessidades do dia a dia, o que é essencial para conseguir cuidar do filhote sem maiores problemas tanto para você quanto para ele.

Portanto, neste artigo falaremos de maneira mais específica sobre o beagle filhote. Continue lendo o texto para saber exatamente quais são os cuidados que você precisa ter e, principalmente, conhecer quais são as doenças que podem afetar o seu cachorro nessa fase da vida em que ele está tão frágil.

Doença – Epilepsia

Conhecer as doenças que podem assolar o seu cachorro enquanto ele for filhote realmente é algo assustador e não tão interessante, mas a grande verdade é que você precisa saber mais sobre elas, já que assim conseguirá reagir da melhor maneira possível caso algo aconteça. Além disso, nada melhor do que ficar informado e não entrar em desespero caso algo ocorra.

A epilepsia é um distúrbio que ocorre no cérebro do cão e faz com que ele convulsione. Essa é realmente uma situação assustadora, já que muitas pessoas não sabem bem como reagir e nem mesmo entendem o que está acontecendo.

Porém, é importante que você mantenha a calma para não assustar seu filhote e também para conseguir pensar com mais clareza sobre o que fazer nessas situações; isso porque o Beagle é a raça de cachorro mais propensa a ter problemas com epilepsia, além de que esses ataques podem ocorrer entre os 6 meses e os 3 anos, e por isso é bom estar preparado.

É importante lembrar que nesse caro não existe uma cura para epilepsia, mas é possível tratar o cachorro com remédios que previnam o problema.

Cuidados: Alimentação

A alimentação é um ponto de extrema importância no cuidado de qualquer animal de qualquer raça e em qualquer idade, já que ela define até mesmo a expectativa de vida que o seu cachorro terá e as doenças que ele pode desenvolver ao longo da vida.

Porém, enquanto o cachorro ainda é filhote a alimentação desempenha um papel mais importante ainda, já que é por meio dela que os filhotes conseguem obter seus nutrientes e também crescer de maneira saudável, e isso é excelente para qualquer cachorro.

Dessa forma, é importante que você alimente seu beagle filhote cerca de 3 vezes ao dia, sendo que o total de ração diária deve estar entre 90g e 210g, tudo dependendo da fase em que seu cachorro está e também da quantidade de atividades que ele desempenha por dia, já que cachorros que gastam mais energia precisam sim comer mais.

Além disso, garanta que a ração que o seu beagle está consumindo é própria para a idade dele e também para o peso, já que esse é outro fator essencial e de extrema importância se a sua intenção for dar a ração da maneira mais correta possível para ele.

Portanto, esse é o primeiro cuidado que você deve ter com seu filhote desde o primeiro momento em que ele começar a comer coisas sólidas.

Cuidados: Atividade Física

O número de cachorros que estão desenvolvendo problemas com obesidade é cada vez maior, principalmente porque muitos donos não têm tempo de sair com o filhote para passear, e com isso ele vai desenvolvendo hábitos cada vez mais sedentários ao longo de toda a sua vida, especialmente aqueles que vivem em cidades grandes.

Porém, a grande verdade é que o filhote precisa passear o máximo possível para que ele consiga gastar bastante energia e, consequentemente, não acabe ficando sedentário no futuro. Isso porque é importante lembrar que um número cada vez maior de cachorros está desenvolvendo sedentarismo justamente por conta da falta de gasto de energia.

Filhote de Beagle na Grama
Filhote de Beagle na Grama

Dessa maneira, é interessante que você sempre garanta que seu cachorro está praticando atividades físicas o suficiente e que ele não está comendo mais do que deveria, já que ele precisa desenvolver hábitos saudáveis e se acostumar a eles desde filhote para conseguir manter esse ritmo na fase adulta.

Portanto, é importante sempre pensar em atividades novas para distrair o animal e também para acabar te gerando um maior interesse de andar e brincar com ele, por exemplo.

Cuidados: Vacinação

É claro que os movimentos antivacina estão cada vez mais famosos ao redor de todo o mundo e o Brasil é um desses países que incluem pessoas com esse tipo de pensamento, o que é um grande desserviço para a saúde pública de toda a população.

Assim, é importante que você saiba que existem diversas vacinas obrigatórias não apenas para o Beagle, mas para todos os cachorros que nascem, e elas são essenciais para que o animal tenha uma expectativa de vida alta e não acabe contraindo doenças “bestas” com o passar do tempo, que é o que acontece aos cachorros que não tomam vacina.

Portanto, você deve dar uma olhada no calendário de vacinação do seu beagle e também perguntar para o veterinário quando é que cada vacina deve ser tomada. Dessa maneira, seu bichinho estará protegido pelo resto da vida e todo esse processo se inicia quando ele é filhote.

Logo, essas são algumas dicas de cuidados que você deve ter com o seu beagle e também um alerta para que você fique informado sobre uma possível epilepsia.

Quer aprender mais coisas sobre Ecologia? Confira aqui mesmo: Qual é a Raça do Floquinho da Turma da Mônica?

Veja também

O Que Acontece Se Quebrar o Casco da Tartaruga?

Os répteis são muito especiais e despertam a curiosidade nas pessoas. Assim, lagartos, camaleões, crocodilos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *