Home / Animais / Borboleta Asa de Pássaro: Características, Habitat e Fotos

Borboleta Asa de Pássaro: Características, Habitat e Fotos

Vamos falar um pouco sobre este tipo de borboleta?

Aparência

As suas asas dianteiras são escuras e, ao lado da extremidade de sua asa há uma faixa verde. Na asa, há uma enorme faixa verde toda a parte debaixo da Ornithoptera meridionalis possui essa mesma coloração. A ponta da asa e as veias são escuras. E, ao lado da ponta da asa há uma grande mancha escura.

As asas posteriores de Ornithoptera meridionalis são pequenas, brilhantes e com caudas delicadas. A borda interna é escura. A borda externa e as veias são verdes. A parte de baixo é quase um duplicado da parte de cima. Em qualquer caso, a borda interna é verde e cerdosa.

O corpo (zona do estômago) é amarelo. A cabeça e o tórax são escuros e verdes. A parte inferior do tórax tem uma camada de cabelo vermelho.

Estado de Conservação da Lista Vermelha da UICN: Ameaçada de extinção.

Ela é uma borboleta com um alto nível de dimorfismo sexual. Está limitada à Nova Guiné, onde está localizada em um tipo de pântano imperioso e excepcionalmente restrito.

Aparece em grande parte no sudeste da Nova Guiné e, ao mesmo tempo, é conhecida em Irian Jaya, Indonésia. Sua espécie está comprometida pela extração alargada de madeira das suas regiões. Este é o principal motivo, pois, nas florestas, estão os seus locais de maior dependência.

Reservas ambientais são extremamente necessárias para este tipo de espécie. Elas precisam ser urgentemente defendida até de turistas que, mesmo sem intenção, acabam por fazê-las ainda mais extintas por pegarem exemplares na natureza.

Um Pouco Sobre Esta Espécie de Borboleta

A borboleta macho tem nas asas uma envergadura de 80-115 mm e é escura, amarelo esverdeado brilhante. De uma maneira geral, muito menor que alguns outros machos Ornithoptera, incluindo o da intrigante O. paradisea. A fêmea é impressionantemente maior que o macho, escura, com marcas brancas e amarelas. As fotos no site podem de exemplificar de forma mais fácil!

A costura superior da borboleta masculina é como a do O. paradisea: Escura com grupos expansivos, luminosos amarelo-esverdeados espirais e cubitais e uma banda curta centrada no rabo.

A asa superior está dobrada para dentro e muito diminuída em tamanho, seguida, com uma ponta pequena, formada por joias, um território escuro diminuído centrado no rabo e uma larga faixa amarelo-ouro.

Ornithoptera Meridionalis

A parte dianteira inferior é amarelo-esverdeada luminosa, mais brilhante que na superfície superior. A escamação escura cobre as veias, as bordas costais e externas limitadas, uma enorme fixação cubital e o pico da asa. A asa inferior é como a superfície superior com uma franja de escova pálida e sem escamação escura.

Na fêmea, a ligação dentro das asas é escura com marcas brancas, incluindo uma enorme mancha celular, estrias, manchas submarginais e três enormes manchas.

A asa é ajustada, escura com uma banda distal expansiva, estendendo-se sobre o local discal e parte da célula. É amarela e sufocada com escamas escuras no lado distal de uma coluna de enormes manchas sub-discais escuras, e branca no lado discal.

Habitat

Ornithoptera meridionalis foi descoberto exclusivamente na ilha da Nova Guiné. Desde não muito tempo atrás, sentiu-se que a borboleta se desenvolveu de forma única na Papua Nova Guiné.

Fêmeas de uma subespécie diferente, tarunggarensis, ocorrendo em Nomnangihe, 40 km a sudoeste de Wanggar e profundamente disjuntas com os Papua-Nova Guiné, demonstraram ser referenciáveis a O. paradisea, e não O. meridionalis.

Resumindo todas as informações, é bem pouco provável que tenha outro local no mundo todo onde esta espécie de borboleta pode habitar.

De qualquer forma, o nome tarunggarensis tem sido aplicado de forma mais confusa a estes populáceos.

Na hipótese remota de, como parece provável, eles falarem com uma subespécie inconfundível de O. m. meridionalis, ele aparece com um nome substancial. O. meridionalis é amplamente difundido no terreno da Papua Nova Guiné, ainda que nas proximidades.

A sua principal região de ocorrência é ao longo da parte sul, mas foi também registada a partir de áreas isoladas nas províncias de Southern Highlands e East Sepik (sendo que estas duas áreas ficam na Nova guiné).

Meio Natural e Alimentação

A Ornithoptera meridionalis aparece predominantemente nos pântanos, na maior parte das vezes na faixa dos 20 e 200 m acima do nível do oceano. Em qualquer caso, o mais provável é que se estenda até aos taludes, caso a planta do qual se alimenta esteja disponível.

Borboleta Asa de Pássaro

Há dúvidas em relação aos tipos específicos de plantas alimentícias.

As crias no território da Baía Kamrau alimentam-se de A. dielsiana, um tipo de Aristolochia indistinto de A. schlechter (nomes científicos da planta que não está disponível no Brasil). Aqui no país temos parentes dessas frutas, conhecidas no nosso território como erva-de-urubu, mil-homens, papo-de-peru-babada entre outros.

Diferenças Entre os Machos e Fêmeas

As borboletas machos voam de forma ineficaz e são menos observadas regularmente do que os de outras espécies de Ornithoptera; isto corresponde obviamente ao pequeno tamanho e ao estado anormal da asa delta.

As fêmeas adultas parecem voar principalmente na sua área de origem, apesar de também terem sido vistas a voar ao longo de trilhas e em matas auxiliares abertas.

As fêmeas armazenam os ovos de forma bem individual nas partes inferiores das folhas de plantas alimentícias. Os ovos são enormes para o animal (cerca de 3 mm de diâmetro) e as fêmeas não transportam muitos. Em regra, carregam na faixa dos cinco e sete.

A única exceção é que as fêmeas das populações da baía de Kamrau evidentemente não depositam os seus ovos em plantas alimentícias que se desenvolvem em paisagens com inclinação acentuada.

Um problema pelo qual muitas fêmeas passam (e que impedem ainda mais a procriação dessas borboletas na natureza) são os ataques de larvas. Cerca de 60% dos ovos que são depositados não chegam a nascer!

Os inimigos característicos das crias recém-nascidas incorporam aves, rãs de árvores, alguns répteis, a grande maioria dos anfíbios do local e algumas espécies de cobras. Estes são apenas alguns dos vários motivos pelo qual esta espécie é tão pouco vista na natureza.

Veja também

Saiba Tudo Sobre as Cabras

Qual Animal é Membro da Família das Cabras?

As cabras são mamíferos ruminantes pertencem à grande família taxonômica Bovidae, na qual estão presentes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *