Home / Plantas / Verdura Que Dá na Sombra

Verdura Que Dá na Sombra

Condições ambientais e produção de vegetais bem que poderiam ser considerados quase que extensões uma da outra, já que temperatura, luminosidade, incidência de ventos, entre outros fatores, podem fazer toda a diferença na busca por uma maior e melhor produtividade.

Existem verduras que dão melhor na sombra, enquanto outras (como algumas espécies típicas do semiárido) dão tudo que elas têm por uma boa jornada de sol a pino durante o dia. Mas também existem algumas (como as do gênero Musa – as bananeiras) que têm nos ventos uma das suas principais inimigas.

De um modo geral, o clima de uma região é definido por diversas características, como: relevo, posição geográfica, proximidade ou distância do litoral, altitude, entre outros fatores que deverão ser levados em consideração na hora de iniciar o projeto de uma determinada cultura.

Nesse ponto, os países abaixo da linha do equador são os que recebem as quantidades mais generosas de luz solar durante o dia, enquanto os países do norte tiveram que especializar-se em culturas que desenvolvem-se melhor em regiões sombreadas.

Por isso mesmo, alguns tipos de verduras que se adaptam bem à sombra, quando cultivadas aqui no Brasil, costumam exigir cuidados bem maiores no que diz respeito à tentativa de reprodução das condições climáticas de uma região mais fria ou com pouca insolação.

Mas o objetivo desse artigo é fazer uma lista específica apenas com esses vegetais que dão ou desenvolvem-se melhor na sombra. Vegetais que, na sua maioria, pertencem à imensa e rica família das Brassicaceae.

1.Beterraba

Beterraba
Beterraba

A beterraba é uma desses vegetais que desenvolvem-se bem na sombra. Sob essas condições, ela transforma-se em uma verdadeira explosão de ferro, cálcio e magnésio, além de vitaminas A, B e C.

E se isso ainda não bastasse, a beterraba possui a vantagem de ser toda ela comestível, desde a raiz até as folhas, mas apenas quando cultivada em um solo rico, nutritivo e com boa umidade.

2.Brócolis

Brócolis
Brócolis

O brócolis é um dos mais importantes vegetais crucíferos da família das “Brassicaceae”. Ele tem como algumas das suas principais características quantidades imensas de fibras, clorofila e cálcio – o que faz dele um dos vegetais mais recomendados quando o assunto é a desintoxicação do organismo.

Uma das vantagens de se cultivar o brócolis é que ele não exige nem sequer o mínimo de luz solar para desenvolver-se. Ele curiosamente desenvolve-se bem em completa ausência dessa luminosidade – o que torna a possibilidade de cultivo em casa uma das suas grandes vantagens.

3.Chicória

Chicória
Chicória

As folhas de chicória (sua parte comestível) possuem um sabor um tanto quanto amargo, porém, no entanto, o seu potencial diurético, desintoxicador, além de uma excelente combinação de ferro, cálcio, potássio, magnésio, entre outros nutrientes, faz com que essa sua característica seja o que conte menos na hora da escolha.

Aqui temos uma espécie que possui como característica justamente o fato de desenvolver-se melhor na sombra, preferencialmente no período outono/inverno, e em um terreno nutritivo e úmido.

4.Repolho

Repolho
Repolho

O repolho é outra “celebridade” entre os vegetais crucíferos, e assim como eles, é rico em sulforafano, uma substância reconhecida, cientificamente, pela sua capacidade de preservar as células e evitar a formação de exemplares defeituosos, contribuindo, com isso, para a a diminuição dos riscos de desenvolvimento de câncer.

Como uma típica variedade de verdura que também dá em sombra, ele só exige mesmo um solo rico em nutrientes, com boa drenagem, ambiente úmido, frio e espaçoso; enquanto o restante a própria natureza encarrega-se de realizar.

5.Tomate-Cereja

Tomate-Cereja
Tomate-Cereja

Os tomates-cerejas ou tomates-cherry, da forma como conhecemos aqui no Brasil, são variedades especialmente cultivadas em laboratórios israelenses, com o objetivo de ampliar o tempo entre o seu amadurecimento e o processo de decomposição – um espaço que é bastante curto quando cultivado em um clima árido, úmido e seco, como ocorre em boa parte do país.

Logo, o resultado foi a criação de uma variedade extremamente resistente e capaz de tolerar, com igual capacidade, tanto os ambientes mais iluminados como os sombreados.

6.Couve-Flor

Couve-Flor
Couve-Flor

Aqui temos a couve-flor, uma Brassicaceae da classificação inferior, que é considerada uma das principais fontes de cálcio na natureza.

Ela é uma das preferidas para a composição dos chamados “sucos detox”, graças ao seu incomparável poder desintoxicante, estimulante, capacidade de potencializar o metabolismo das células, nutrir o organismo com quantidades ideais de vitaminas A, B e C, além de ferro, magnésio, potássio, sódio, entre outros inúmeros nutrientes.

7.Alho

Alho
Alho

O alho é considerado o grande antibiótico natural encontrado gratuitamente na natureza! Ele ainda ajuda no tratamento da hipertensão, combate o colesterol, é anti-inflamatório, antimicrobiano, bactericida, anticoagulante; e se tudo isso ainda não bastasse, possui poucas exigências para o seu cultivo.

Essa é outra verdura que dá facilmente em ambientes com sombras, desde que o terreno seja profundo, rico em nutrientes e suficientemente irrigado.

O resultado será a produção de um vegetal que – devido às suas demolidoras propriedades antibióticas – tornou-se um dos mais envoltos em lendas e mistérios dentre todos os que existem na natureza.

8.Aipo

Aipo
Aipo

O aipo é a típica verdura que não se desenvolve bem quando exposta a altas temperaturas. Um ambiente ensolarado, que para algumas culturas é um verdadeiro sinônimo de vida, para o aipo é um verdadeiro sinônimo de morte.

O ideal é que ele seja plantado num jardim ou quintal de casa, no começo de setembro, em um terreno bastante drenado (úmido), rico em nutrientes e com sombra.

O resultado virá em forma de folhas longas, exuberantes, com um verde bastante característico, entre outras qualidades consideradas únicas.

9.Alface

Alface
Alface

Por fim, a alface ou “Lactuca sativa”, o vegetal folhoso mais consumido pelos brasileiros. Apesar e ser conhecida há pelo menos 2.500 anos pelos egípcios, sumérios, mesopotâmios, persas, chineses, entre outros povos antigos, foi somente durante a saga dos Descobrimentos que a Europa (e depois a América) foi apresentada às suas incríveis propriedades.

Essa é uma outra excelente fonte de cálcio, ferro, potássio, magnésio, além de inúmeras vitaminas que fazem dela uma das mais indicadas para regularização do sistema digestivo e da flora intestinal.

A alface é um vegetal que dá em locais com sombras, em temperaturas abaixo de 17°C, e por isso mesmo é tradicionalíssima nas regiões sul e sudeste do Brasil.

Uma outra qualidade da alface é o seu alto teor de fibras e de clorofila – na verdade ela é praticamente um sinônimo de clorofila; uma substância que oferece como principal benefício uma capacidade única de desintoxicar o organismo, e com isso provocar uma sensível redução de peso.

Agora deixe o seu comentário sobre esse artigo. E continue compartilhando as informações do blog.

Veja também

Arroz Tem Glúten ou Não? É Bom Para Emagrecer?

Uma pessoa pode ter um estilo de vida sem glúten porque tem doença celíaca, alergia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *