Home / Plantas / Romã Árvore: Tem Espinhos? Folhas, Raiz, Caule, Flores E Fotos

Romã Árvore: Tem Espinhos? Folhas, Raiz, Caule, Flores E Fotos

Comum em algumas épocas do ano, a chegada do clima seco – caracterizado pela baixa umidade do ar -, provoca vários prejuízos à saúde. Além de problemas respiratórios, uma das principais consequências e desconfortos desse fenômeno climático, é a dor de garganta.

Muitas pessoas costumam seguir dicas ou receitas naturais para acabar com esta enfermidade, e uma fruta que costuma ser bastante eficiente no combate a dor de garganta é a Romã. Mas afinal, porque essa fruta – que é um simples item no cardápio das festividades de fim do ano – pode ser usada como um poderoso remédio? Qual a sua história e quais são suas características?

Romã: Origem e Características

A Romã (Punica granatum) é a fruta da Romãzeira. Este vegetal faz parte do gênero das punicáceas, grupo em que também fazem parte o morango, a melancia, a amora e a maçã. 

A fruta é de origem persa e foi domesticada no Irã há aproximadamente 2000 anos antes de Cristo. Com o passar do tempo, os fenícios levaram a fruta para as regiões próximas ao Mar Mediterrâneo. No Brasil, a romã chegou através dos portugueses.

A Romãzeira

Ramo, Caule e Raiz da Romãzeira

Romãzeira Características

A estrutura da romãzeira não é diferente de outras árvores e arbustos: raiz, tronco ou caule, ramos, folhas, flores e frutas. No caso deste vegetal, é classificado por arbusto e não árvore, pois possui vários caules com origem próxima do nível do solo. É de estatura mediana, atingindo cerca de 2 a 5 m de altura. Seu ramos são acinzentados, abundantes e bastante espinhosos. Quando novos, são avermelhados.

Folhas da Romãzeira

As folhas – que são caducas, ou seja, caem durante o inverno -, têm forma alongada, de textura lisa, de coloração verde-brilhantes e apresentam uma camada lustrosa na parte superior. Além disso, são estreitamente lanceoladas (ou seja, que terminam em forma de lança) e obovadas (com o ápice mais largo que a base).

Nascem, por muitas vezes agrupadas, em direção oposta ou quase oposta aos ramos.

Folhas da Romãzeira

A Flor da Romãzeira

Suas flores são hermafroditas e podem nascer solitárias ou em pequenos grupos de 2 ou 3. Ficam localizadas no extremo dos ramos. O cálice é grosso e carnudo, com forma de taça. Suas pétalas também são obovadas e caducas. Sua coloração varia entre o laranja e o vermelho.

Flor da Romãzeira

A Romã

Sua fruta, a romã, pode ser chamada também de balaúste ou balaústia. Ela tem a casca com textura coriácea (semelhante ao couro), grossa e coroada pelo cálice. Pode apresentar coloração amarela-esverdeada ou rosada.

Seu interior está dividido por membranas branco-amareladas, repleto de sementes. Estas pequenas são cobertas por uma polpa aquosa, de cor avermelhada ou rosada. Seu sabor pode ser doce ou adstringente, dependendo da variedade da fruta.

Plantando a Romãzeira

Existem três maneiras de se obter um pé de romã: por plantio de sementes, através de estacas (ramos com caule, para que sejam enraizados) ou muda (planta já em fase de produção). 

Como o crescimento de uma romã demora de 3 a 4 anos através do semeio, você pode optar pelo cultivo da planta através de uma muda ou estaca, onde o processo de crescimento é rápido. Coloque hormônio enraizador na extremidade do galho cortado (estaca) para ajudá-lo a se desenvolver.

Clima, Solo e Luminosidade

Cave um buraco de 60 cm de profundidade/largura e coloque a muda ou estaca de romã nele. Deve-se plantar e cultivar a romãzeira em solos com uma grande variedade de matéria orgânica e que sejam bem drenados ou arenosos.

Romãzeiras gostam muito de sol, e estas, só frutificam quando recebem grande quantidade de luminosidade. Logo, procure um local que fique bastante ensolarado ou que receba menos sombra. É importante frisar que a época ideal para que seja realizado o seu plantio é no início da primavera, período em que termina a temporada de frio. 

Após o plantio, regue em abundância. Repita o processo a cada dois dias até que nasçam as primeiras folhas novas. Diminua a frequência de regas, até ficar entre 7 a 10 dias. Com um ano de plantio, fertilize a romãzeira nos meses de fevereiro, maio e setembro. Lembre-se sempre de remover as partes danificadas ou mortas dos ramos.

Benefícios da Romã

A romã é um vegetal muito versátil. Dela é possível extrair benefícios tanto da própria fruta – da parte das sementes e casca-; de seus ramos e, até, das raízes de seu arbusto.

Em relação à remédios, pode-se produzir a partir de sua casca, a Granadina (xarope) e o Chá de Romã. Ambos são um excelente remédio caseiro para aliviar a dor de garganta, pois possuem propriedades anti-inflamatórias que desinflamam a garganta e diminuem sintomas, como as dores, o aparecimento de pus e dificuldades para comer ou falar. Já da raiz, pode-se extrair um ótimo tenífugo, para expulsar tênias e outros parasitas intestinais, que causam de cólicas e até patologias mais sérias. 

Tanto a romã como a romãzeira são ricas em Taninos – substâncias que atuam como defensoras das plantas contra o ataque de herbívoros. Esta substância tem um efeito oxidante, atuando como depurador do colesterol; como um reforço na resistência das paredes arteriais e das veias; na melhora da elasticidade e maciez da pele; e como potencializador do brilho nos cabelos.

E além de seus muitos benefícios para a saúde, de seu insumos, pode se produzir cosméticos, sucos, chás, molhos para saladas, dentre muitos outros produtos.

Curiosidades Com a Romã

  • Esta fruta pode ser usada na virada do ano, como um ‘item’ de promessa para que o ano recém-chegado, seja de sorte. Na passagem do ano, algumas pessoas têm o costume de guardar algumas de suas sementes na bolsa ou na carteira.
  • Seu arbusto é constantemente utilizado em trabalhos de paisagismo, pois apresenta uma copa vistosa em contraste com suas flores e frutos.
  • De acordo com registros, a fruta, que já era conhecida pelos hebreus nos templos bíblicos, foi retratada em uma pintura nos pilares do templo de Salomão.
  • Os gregos a consideravam como símbolo do amor e da fecundidade. 
  • Para os judeus, a fruta é um símbolo religioso com profundo significado no ritual do ano novo.
  • Uma romã fornece 40% de nossas necessidades diárias de vitamina C.

Veja também

Escarola

Qual é a Diferença entre Chicória e Escarola?

Hoje vamos falar um pouco sobre verduras, sabemos como elas são importantes em nossa alimentação. …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.